Menor é apreendido suspeito de negociar motocicletas furtadas em rede social

Uma vítima se passou por comprador e marcou um encontro com o suspeito para fechar o negócio. Ela foi acompanhada de policias, que apreenderam o jovem na TO-080, em Paraíso do Tocantins.

Um menor foi apreendido suspeito de negociar motocicletas furtadas nas redes sociais. A apreensão do jovem foi realizada nesta sexta-feira (13), na TO-080, em Paraíso do Tocantins. Já os veículos foram localizados na TO-348.

A Polícia Militar chegou até o suspeito, após uma vítima acionar a equipe. Ao descobrir que a motocicleta furtada estava sendo vendia em uma rede social, ela se passou por comprador e marcou com o suspeito um local para a compra.

Os policiais do Batalhão Rodoviário e de Divisas (BPMRED) acompanharam a vítima e no local combinado para o negócio abordaram o menor. O suspeito confessou o crime e levou os policiais até a TO-348, onde foram localizadas duas motocicletas, uma delas a da vítima que acionou a PM.

A outra motocicleta havia sido furtada pelo menor na Praia da Graciosa, em Palmas, na noite anterior. Os veículos estavam desmontados. O jovem e o material apreendido foram levados para Delegacia de Polícia.

Em julho, entre os dias 1º e 14, de acordo com dados do Sistema Integrado de Operações (Siop), a PM registrou 20 ocorrências de localização de veículo automotor furtado e 14 ocorrências de localização de veículo automotor roubado. Os veículos recuperados na maioria das vezes são devolvidos aos donos.

Confira as dicas de segurança passadas pela PM

  • Travas: use travas, trancas de roda ou cadeados. Veículos com dispositivos de trancamento auxiliares são menos observados pelos criminosos;
  • Equipamentos auxiliares: busque utilizar alarmes, corta-correntes, sensores de presença e sistemas de rastreamento. Os criminosos percebem a utilização destes dispositivos e desistem do crime antes de cometê-los;
  • Estacionamento: prefira estacionamentos regulamentados ou de fácil acesso e de vigilância. Os criminosos procuram facilidade e anonimato;
  • Horários: prefira horários mais movimentados, pois a visualização das pessoas favorece a vigilância. Criminosos escolhem horários menos movimentados;
  • Alerta: mantenha-se sempre alerta ao seu redor. Não se distraia com celulares. O criminoso age de surpresa e a partir da vulnerabilidade da vítima;
  • Rotas: utilize diversas rotas, a fim de não causar previsibilidade. Os criminosos estudam as vítimas antes de cometer os crimes;
  • Passeios em grupo: realize passeios em veículos com mais pessoas. Facilita a observação e vigilância. Criminosos preferem vítimas sozinhas ou em poucas pessoas;
  • Documentos: não guarde documentos no veículo. Leve-os sempre consigo. Criminosos de posse de veículo furtado, mas com documentos em mãos, podem passar pela fiscalização imunes;

Se for vítima de furto ou roubo, mantenha a calma. É importante tentar lembrar das características do veículo e repassar o máximo de informações para a Polícia Militar do Tocantins.

Suspeito de estupro virtual ameaçava vítima em rede social: ‘Vou espalhar teus nudes’

Suspeito foi preso após exigir fotos íntimas de uma mulher de Miracema do Tocantins. Agora, a Polícia Civil investiga se ele abusou de outras mulheres.

A Polícia Civil investiga se o jovem Tarllys Andrade Aguiar, preso na manhã desta quarta-feira (11) suspeito de estupro virtual, também abusou de outras mulheres. O jovem suspostamente agia pelas redes sociais, onde mantinha perfis falsos em redes sociais.

A defesa do suspeito informou ao G1 que “está analisando o andamento do inquérito e aguardando a conclusão das investigações. Quando as diligências forem encerradas, a defesa vai analisar qual a melhor medida para ser aplicada no caso.”

Aguiar foi preso em uma oficina mecânica em Palmas durante a manhã. Ele é apontado pela polícia como um “estuprador virtual”. A TV Anhanguera teve acesso a conversas que o rapaz teve com a vítima de 21 anos, utilizando um aplicativo de mensagem.

Suspeito de chantagear mulher para receber fotos íntimas é preso pela Polícia Civil

Suspeito de chantagear mulher para receber fotos íntimas é preso pela Polícia Civil

O suspeito ameaça divulgar fotos íntimas caso a jovem não continuasse a fornecer novas fotos: “Posso espalhar suas fotos ou vamos ficar de boa? Seu tempo tá acabando.”

Em outro ponto da conversa, ele demonstra agressividade: “Se tu não mandar as fotos pra mim vou espalhar tudo no Facebook do seus amigos. Vai logo tirar essas fotos. Se tu não mandar agora, vou espalhar teus nudes e teus vídeos se masturbando [sic].”

Segundo a delegada Milena Lima, os dois teriam um relacionamento virtual e o crime estava sendo investigado há cerca de três meses. Para atrair as vítimas, o suspeito fez um perfil falso com o nome de Emanuel Rodrigues Lima.

“Ela passou a ter que se ‘autofografar’ e fazer vídeos íntimos, inclusive, se masturbando. As ameaças constam desde o meio de 2017 até fevereiro deste ano. A figura do estupro contempla a conjunção carnal e os atos libidinosos diversos, desde que praticados de forma coativa. Nesse caso, ela foi obrigada e constrangida a fazer aquilo. Não havia espontaneidade”, explicou a delegada.

A prisão foi feita pela Delegacia Especializada na Repressão a Crimes Cibernéticos, com apoio da Delegacia de Investigação Criminal e Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra a Ordem Tributária.

O suspeito ficará preso temporariamente por ordem da Justiça.

G1 Tocantins.

Jovem é preso por estupro virtual após exigir ‘nudes’ de vítima em rede social

Conforme investigação da Polícia Civil, criminoso ameaçava divulgar imagens íntimas caso não continuasse a receber nudes. Caso começou a ser investigado após mulher fazer denúncia em Palmas.

Um homem foi preso na manhã desta quarta-feira (11) em Palmas suspeito de estupro virtual. De acordo com a Delegacia Especializada na Repressão a Crimes Cibernéticos, a prisão foi feita em cumprimento a um mandado de prisão temporária.

Conforme as investigações da Polícia Civil, o suspeito teria exigido fotos e vídeos íntimos para não divulgar outras imagens que ele já possuía da vítima. Segundo a delegada Milena Lima, o crime estava sendo investigado há cerca de três meses.

“A vítima nos procurou relatando que teve um relacionamento virtual com o suspeito, acreditava que ele era a pessoa de um perfil falso inicialmente no Facebook. Para dar credibilidade, ele criou também um perfil falso no WhatsApp”, explicou.

Ainda conforme a delegada, no início do relacionamento, a vítima fornecia fotos íntimas de forma espontânea. Porém, após o fim do relacionamento o homem começou a ameaçar a vítima. “Se ela não continuasse a fornecer aquele material ele divulgaria o que já tinha conseguido perante a comunidade e nas redes sociais”, disse.

O crime, segundo a delegada, caracteriza estupro mesmo sem ter ocorrido contato físico.

“Ela passou a ter que se ‘autofografar’ e fazer vídeos íntimos, inclusive, se masturbando. As ameaças constam desde o meio de 2017 até fevereiro deste ano. A figura do estupro contempla a conjunção carnal e os atos libidinosos diversos, desde que praticados de forma coativa. Nesse caso, ela foi obrigada e constrangida a fazer aquilo. Não havia espontaneidade”, explicou.

G1 Tocantins.

Foto de dupla pisando em boi durante cavalgada causa polêmica na web

Homem e garoto posaram em pé sobre a barriga do animal, em Itauçu.
Polícia apura crime de abuso e maus-tratos; pena é de até 1 anos de prisão.

A foto de um boi deitado no chão com um homem e uma criança em cima após uma cavalgada causaram polêmica nas redes sociais. Um grupo de defesa dos animais fez uma nota de repúdio contra o ato e seguidores começaram uma discussão, alguns criticando e outros falando que não havia nenhum problema no ato.

A postagem foi feita após a 1ª Cavalgada do Sindicato Rural de Itauçu. Na foto aparecem três pessoas, cada uma em um cavalo, e um homem e um garoto em pé sobre o boi deitado. O grupo sorri e faz sinal de positivo na imagem.

O grupo SOS Animais de Inhumas emitiu uma nota em sua página na rede social. repudiando a ação. Eles consideram que as pessoas que aparecem na foto são “covardes que humilham os animais para se sentirem superiores”. Além disso, ressalta que “Animais não podem defender-se sozinhos. Ficam reféns dos homens, da sua crueldade”.

Um seguidor da página postou que “respeitar os animais faz parte da educação de um povo que se diz educado e racional”. Outro internauta criticou a repercussão e diz que “tem muitas provas que ele [boi] e bem cuidado”.

Devido a grande repercussão, a postagem original da foto foi apagada da rede social. O grupo que combate os maus-tratos animais informou que, devido à repercussão e ao alto número de compartilhamentos, a nota de repúdio foi removida pela rede social.

O G1 tentou contato com o presidente do Sindicato Rural de Itauçu, mas as ligações não foram atendidas. Em uma publicação em rede social, a organização do evento repudiou qualquer forma de maus-tratos aos animais e de que o fato “não é de conforme com a proposta feita pela organização”. Também consideraram o ato como “falta de racionalidade”.

O delegado do Meio Ambiente, Luziano de Carvalho disse que tomou conhecimento do fato pelas redes sociais e que investiga o caso. “Estou tentando falar com o presidente do sindicato, mas pela imagem, em um primeiro momento, houve maus-tratos. Não é algo comum, aceitável por toda sociedade, ficar me pé pisando em cima de um animal”, disse.

Se comprovado o abuso ou maus-tratos, os envolvidos podem ser indiciados e ficar presos de três meses a um ano. Já o dono do animal pode ser multado de R$ 500 a R$ 3 mil.(Fonte:G1/GO)

Nova rede social chega ao Brasil este mês e promete mais privacidade

Abas com conversas privadas, feeds de postagens para amigos e áreas de notificações estão entre os atrativos do MeWe

Se os brasileiros reclamavam da ausência de privacidade nas atuais redes sociais, está chegando ao Brasil, ainda neste mês, o MeWe. A opção, segundo os idealizadores, é mais privativa. Com 1,5 milhão de usuários nos EUA, em apenas cinco meses, a empresa aposta no Brasil como seu segundo mercado.

Abas com conversas privadas, feeds de postagens para amigos e áreas de notificações estão entre os atrativos do MeWe, que já está disponível para o iOS e Android. A garantia da empresa é que apenas os destinatários das conversas podem visualizar o que é publicado. Outra promessa é que nenhum dado pessoal será transformado em conteúdo publicitário. “Essas empresas (Facebook e Google) nos espionam para ganhar dinheiro. Você é o produto. É uma forma errada de pensar. Para nós, o produto sempre será o serviço que oferecemos”, afirma Mark Weinstein, CEO da empresa, em visita ao UOL, em São Paulo.

Ele ainda ressaltou que é possível verificar a quantidade de usuários online. “Conseguimos ver quantas pessoas estão online e quantas fotos foram postadas, mas não o conteúdo. Levamos a privacidade tão a sério que incluímos uma cláusula no nosso contrato que diz que qualquer mudança nesse sentido será avisada por e-mail e com alguma opção clara para que o app seja usado como era antes da alteração”.

Weinstein antecipou que problemas da Justiça brasileira com o WhatsApp não se repetirão com o MeWe. “Não teremos problemas em desconectar do serviço e cooperar com a Justiça do país se alguém cometer crimes dentro do app. Temos apenas duas normas de conduta básicas: siga a lei e nossos termos de serviço. Siga os dois e você não terá problemas”.(fonte:noticias ao minuto)