‘O que temem que eu fale?’, diz Lula sobre proibição de entrevista

Ex-presidente escreveu para a Folha de S. Paulo, publicado nesta quinta-feira (19), em que reafirma candidatura, ataca governo Temer e critica a Justiça.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva escreveu artigo para a Folha de S. Paulo, com o título “Afaste de mim esse cale-se”, divulgado nesta quinta-feira (19), em que fala sobre os 100 dias desde a sua prisão.

“Estou preso há mais de cem dias. Lá fora o desemprego aumenta, mais pais e mães não têm como sustentar suas famílias, e uma política absurda de preço dos combustíveis causou uma greve de caminhoneiros que desabasteceu as cidades brasileiras”, escreveu o petista.

Ele ocupa uma das celas da superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde o dia 7 de abril, após ter sido condenado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), a 12 anos e um mês de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex no Guarujá (SP).

No texto, o ex-presidente também atacou o governo de Michel Temer. “Um governo ilegítimo corre nos seus últimos meses para liquidar o máximo possível do patrimônio e soberania nacional que conseguir — reservas do pré-sal, gasodutos, distribuidoras de energia, petroquímica —, além de abrir a Amazônia para tropas estrangeiras. Enquanto a fome volta, a vacinação de crianças cai, parte do Judiciário luta para manter seu auxílio-moradia e, quem sabe, ganhar um aumento salarial”, criticou.

Ele ainda falou sobre a proibição da juíza Carolina Lebbos, que o proibiu de conceder entrevistas. “Não posso dar entrevistas ou gravar vídeos como pré-candidato do Partido dos Trabalhadores, o maior deste país, que me indicou para ser seu candidato à Presidência. Parece que não bastou me prender. Querem me calar. Aqueles que não querem que eu fale, o que vocês temem que eu diga?”, questionou.

Lula voltou a afirmar que é pré-candidato à Presidência da República. “Eu sou candidato porque não cometi nenhum crime. Desafio os que me acusam a mostrar provas do que foi que eu fiz para estar nesta cela. Por que falam em ‘atos de ofício indeterminados’ no lugar de apontar o que eu fiz de errado? Por que falam em apartamento ‘atribuído’ em vez de apresentar provas de propriedade do apartamento de Guarujá, que era de uma empresa, dado como garantia bancária?”, destacou o petista.

Noticia ao Minuto

Após dois anos de proibição, cavalgada é retomada em Formoso do Araguaia

Em 2015, o município registrou o primeiro caso de mormo, mas já foi declarado zona livre do problema. Cavalgada abriu a Feira Agropecuária da cidade.

Após dois anos de proibição, a cavalgada foi retomada em Formoso do Araguaia, no sul do estado, durante a abertura da Feira Agropecuária da cidade. Em 2015, o município com cerca de mil e 800 propriedades rurais registrou o primeiro caso de mormo: doença infectocontagiosa que contamina a tropa e pode levar a morte, mas já foi declarado zona livre do problema.

A cavalgada foi realizada no último sábado (12) e a feria segue até o dia 19 desse mês. A marcha rural de tropeiros em clima festivo tomou conta das principais ruas e avenidas da cidade. A cavalgada que anunciou a abertura da feira, também marcou o retorno desse tipo desfile com animais.

A mula Granfina desfiou a caráter. Para participar da cavalgada, o vaqueiro Romilson Lopes caprichou nos enfeites da mula.

“Tem em torno de 530 e argolas. Estamos sempre brincando e incentivando todos a estarem sempre presentes. Somos da agricultura, da fazenda, nascidos e criados sempre gostando das brincadeiras.”

Ele e a Granfina estão na comitiva de tropeiros organizada pelo agropecuarista Laudir Mota. São quase 100 animais entre cavalos e mulas, com cavaleiros e amazonas devidamente trajados e orgulhosos em desfilar.

“Uma festa tradicional, é nossa cultura, então a gente gostaria que cada um tivesse a oportunidade de participar.”

A marcha do dia a dia nas pastagens, ganha o asfalto. O costume, a cultura do campo, não tem idade, é abraçada por gerações, vai conquistando a cidade. “Estou achando muito legal porque é a festa mais tradicional aqui de Formoso”, afirma a dona de casa Liliane Aguiar.

O galope quebra a rotina da cidade, substitui o ronco dos motores pelas ruas e atrai famílias até de outros lugares. O pecuarista Willian Coutinho saiu de Dueré participar das cavalgadas. Ele levou junto o filho Isaque de 6 anos.

“É a primeira vez que meu filho está participando e a terceira vez minha. É muito bom estar participando com a família”, diz.

Mais que um desfile, a cavalgada une tropeiros de Gurupi, Sandolândia, Figueirópolis, São Miguel. Todos esses municípios estão representados por comitivas.

A cavalgada, marca a volta de uma tradição e anuncia que vai começar a feira agropecuária. Este ano, o homem do campo tem ainda mais razões para esse momento de festa, de comemoração. A cidade foi declarada zona livre do mormo.“Graças a Deus conseguimos liberar e está aí a surpresa agradável, o público compareceu em massa. Impulsiona toda economia do estado”, comemora presidente sindicato rural Eurípedes Cunha.

Tem espaço também para os bovinos. Muito bem adestrado o touro chocolate, se comporta como cavalo.

G1 Tocantins.

Carlesse sanciona 11 leis: Proibição de apreensão de veículos por IPVA atrasado entra em vigor no Estado

O Diário Oficial do Tocantins trouxe a sanção de 11 projetos de interesse do Estado já aprovados na Assembleia Legislativa.

Um deles, autoriza o Poder Executivo a doar ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA a área de terreno urbano.

Outra lei sancionada pelo governador interino Mauro Carlesse dispõe sobre a obrigatoriedade de estabelecimentos que comercializam produtos alimentícios disporem em local único, específi co e com destaque os produtos destinados aos indivíduos celíacos, diabéticos e com intolerância à lactose.

Outra lei institui o Programa de Aposentadoria Incentivada destinada aos integrantes do quadro de servidores efetivos da Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins. O projeto que regulamenta o trabalho nos presídios também foi sancionado.

Três títulos de cidadãos tocantinenses, dois deles para o ex-deputado Paulo Roberto e para o presidente do MDB, Derval de Paiva também foram sancionados.

Uma das leis sancionadas proíbe a retenção do veículo por atraso no IPVA. “Não haverá recolhimento, retenção ou apreensão do veículo pela identificação do não pagamento do IPVA, exceto se existir outra hipótese de recolhimento ou retenção prevista na Lei Federal no 9.503/97 ou em Lei Estadual vigente.”

Outros atos

O secretário de Comunicação, João Francisco Aguiar foi designado para também responder pela presidência da Redesat, tv pública do governo. O Diário trouxe poucas exonerações de cargos (cerca de 50) comissionados em algumas pastas.

Alguns órgãos como o Detran, ATS e Secretaria de Assistência Social, por exemplo, estão ainda sem titular.

Ascom governo do estado