Presos fazem agentes reféns e fogem de cadeia no Tocantins levando viatura e armas

Ocorrência foi registrada em Miranorte, na região central do estado. Conforme a Secretaria de Cidadania e Justiça, 18 presos fugiram da unidade.

 

Homens são presos e menores apreendidos suspeitos de tráfico de drogas

Adolescentes foram flagrados tentando entregar crack na cidade de Pequizeiro. Mandante seria um homem investigado por tráfico em Colméia; ele também foi capturado.

Três homens foram presos e dois menores apreendidos suspeitos de tráfico e associação para o tráfico de drogas. A Polícia Civil fez a captura do grupo após receber denúncia anônima sobre uma entrega de drogas na cidade de Pequizeiro.

Os suspeitos são: Alyson Menezes Figueiredo, de 20 anos, Robson Lira Borges, conhecido como Peba, de 28, Roney Reis de Oliveira, de 21, um adolescente de 17 anos e o outro de 16.

Após a denúncia, policiais foram até uma cerâmica na cidade de Pequizeiro. Lá, eles flagraram um dos adolescentes chegando em uma motocicleta para fazer a entrega. A Polícia Civil disse que a ordem partiu de Alyson, investigado por tráfico na cidade de Colméia.

Ao perceber a presença dos policiais, o menor conseguiu fugir e repassou a droga a outro adolescente para que fizesse a entrega, mas ele foi apreendido com crack e entregou o comparsa que havia fugido.

Após a apreensão, os policiais foram até a casa de Alyson, em Colméia, onde ele e Robson foram presos com maconha, crack e dinheiro. Roney, dono da motocicleta usada para fazer o comércio de drogas, também foi preso enquanto estava trabalhando. Segundo a polícia, ele admitiu que havia emprestado o veículo.

G1 Tocantins.

Traficantes são presos em operação suspeitos de executar usuários de droga

Os crimes foram registrados em janeiro deste ano. Segundo a Polícia Civil, os homicídios aconteceram por causa de dívida de drogas.

Uma operação realizada pela Polícia Civil nesta sexta-feira (20) prendeu dois traficantes suspeitos de matar duas pessoas que seriam usuárias de drogas em Palmas. Cirilo Rodrigues Silva, de 40 anos, e Marcos Fernando da Silva, 29 anos, foram capturados durante o cumprimento de mandados de prisão.

Os crimes aconteceram em janeiro deste ano. Segundo a polícia, os dois juntos teriam matado as vítimas por causa de dívida de drogas.

Mandados de prisão foram cumpridos em casas na região sul de Palmas (Foto: Mazim Aguiar/TV Anhanguera)Mandados de prisão foram cumpridos em casas na região sul de Palmas (Foto: Mazim Aguiar/TV Anhanguera)

Mandados de prisão foram cumpridos em casas na região sul de Palmas (Foto: Mazim Aguiar/TV Anhanguera)

Os mandados de prisão foram cumpridos na casa dos suspeitos, na região sul de Palmas. Ele serão levados para a Casa de Prisão Provisória da capital.

O crescimento no número de mortes suspeitas e de assassinatos em Palmas está preocupando a polícia. No primeiro semestre deste ano foram 35 assassinatos, 12 mortes suspeitas e 18 tentativas de homicídio. Os dados são do Sistema Nacional de Estatísticas de Segurança Pública e Justiça Criminal.

A polícia disse que janeiro foi um dos meses mais violentos, quando foram registrados 10 assassinatos.

G1 Tocantins.

Dr. Bumbum e mãe são presos na Barra após quatro dias foragidos

Ele e a mãe serão indiciados pela morte de bancária após procedimento estético. PM prendeu os dois em centro empresarial. ‘Fatalidade que acontece com qualquer médico’, disse Denis.

O médico Denis Cesar Barros Furtado, o Dr. Bumbum, e mãe dele, Maria de Fátima Furtado, foram presos na tarde desta quinta-feira (19).

Os dois estavam foragidos desde domingo (15), quando a bancária Lilian Calixto morreu após se submeter a procedimento estético na casa de Denis, uma cobertura na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Eles foram encontrados por policiais do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) em um centro empresarial na Barra. Segundo a delegada Adriana Belém, da 16ª DP, os dois estavam no escritório de um advogado, com quem ela negociava a rendição.

Às 16h13, Denis e a mãe chegaram à 16ª DP acompanhados do advogado. Nenhum dos dois conversou com a imprensa na chegada. Pouco antes das 18h, no entanto, ele concedeu entrevista coletiva na delegacia.

“O precedimento foi correto, ele foi lícito (…) Tenho certeza de que a minha atuação como médico foi correta”, explicou.

Recompensa de R$ 1 mil

Para chegar até eles, o setor de inteligência do batalhão da PM contou com informações do Disque Denúncia, que oferecia recompensa de R$ 1 mil por informações do paradeiro do médico e da mãe.

No registro do Disque Denúncia, o contato com o batalhão aconteceu às 13h12 (veja na reprodução abaixo) e cerca de duas horas depois eles foram presos. O informante receberá o prêmio nos próximos dias.

Em seu perfil em uma rede social, Dr. Bumbum postou cinco vídeos em que fala sobre que a morte da bancária é um “mistério” e se diz injustiçado.

“Boa tarde. Como todo mundo sabe, aconteceu uma fatalidade. Mas uma fatalidade que acontece com qualquer médico. Uma paciente minha, após um procedimento de bioplastia de glúteo que eu já realizei 9 mil, ela saiu do consultório muito bem, e umas 6 horas após, ela chegou ao óbito algumas horas após, com parada cardíaca. É um mistério ainda a causa da morte, mas é uma injustiça o que estão falando de mim na televisão. É uma injustiça me acusarem de não ser médico. Eu tenho CRM antigo. É uma injustiça dizerem que o procedimento não é habilitado.”

A declaração foi publicada às 16h, quando ele já estava preso, no carro, a caminho da delegacia. Na imagem, Denis veste a mesma roupa com a qual chegou na delegacia, o que indica que o vídeo foi gravado nesta quinta.

Prisão no escritório do advogado

“Na realidade, nós estávamos aguardando a prisão dele para as 16h. Tanto da mãe como do filho. A Polícia Militar conseguiu encontrar ele no escritório do advogado”, explicou a delegada Adriana Belém.

“Eles vão ficar aqui na delegacia. Tem muita coisa para esclarecer. São muitas perguntas para fazer. Como se dava aquela atividade. Se havia autorização. Como se deu a morte da paciente. Porque que ele não ficou no hospital. Ou seja, as perguntas que todo mundo se faz nesse momento”, acrescentou.

Segundo a delegada, os dois vão responder por homicídio qualificado e associação criminosa.

“Nós entendemos que a morte não advém de uma imprudência. Quando você se arrisca a atender uma pessoa naquelas condições nós entendemos que era um homicídio doloso e não culposo. E isso seria a forma mais grave de homicídio”, explicou Belém.

Mãe do Dr. Bumbum, Maria de Fátima Furtado chega à delegacia (Foto: Marcos Serra Lima/G1)Mãe do Dr. Bumbum, Maria de Fátima Furtado chega à delegacia (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

Extremamente grave

O boletim médico do Hospital Barra D’Or, em que a bancária Lilian Calixto foi socorrida horas depois do procedimento estético, informou que ela chegou ao local com falta de ar, taquicardia e pele azulada, como mostrou o RJ2 nesta quarta-feira (18).

A polícia montou cerco em um shopping da Barra da Tijuca e chegou a dar voz de prisão a Denis, mas o médico conseguiu fugir – ele destruiu a cancela do estacionamento.

Denis César, o Dr. Bumbum, e sua mãe, Maria de Fátima, foram presos após informações enviadas ao Disque Denúncia (Foto: Divulgação/Disque Denúncia)

Denis César, o Dr. Bumbum, e sua mãe, Maria de Fátima, foram presos após informações enviadas ao Disque Denúncia (Foto: Divulgação/Disque Denúncia)

O caso

Lilian seguiu a indicação de uma amiga e entrou em contato com Denis há seis meses. Ela queria retocar o bumbum e marcou o procedimento.

Ao marido e à família, a bancária disse apenas que faria uma viagem para o Rio de Janeiro. Só a amiga que recomendou o Dr. Bumbum sabia do procedimento.

Também indicação da amiga, o taxista que levou Lilian ao condomínio de Denis, na Barra da Tijuca, tornou-se a testemunha-chave do caso. Lilian pediu que o motorista esperasse. A bancária já tinha começado a passar mal quando, desconfiado da demora, o taxista ligou para a passageira.

Denis desceu da cobertura, deu R$ 300 ao taxista e disse que ele poderia ir embora, alegando que Lilian ficaria para jantar. Ainda assim, o motorista ficou e viu, tempos depois, quando a SUV do médico deixou a garagem com Lilian, em direção ao hospital.

O taxista também descobriria que a bancária tinha morrido, avisando a polícia.

Lilian vivia em Cuiabá e viajou ao Rio para realizar procedimento estético (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

Lilian vivia em Cuiabá e viajou ao Rio para realizar procedimento estético (Foto: Reprodução/ Redes sociais)

A bioplastia

A polícia apreendeu na casa de Denis recipientes com PMMA (polimetilmetacrilato). Trata-se de um tipo de acrílico usado para preenchimento em aplicações prometidas como definitivas.

Mas parecer do Conselho Federal de Medicina de 2013 listava denúncias a respeito da técnica. “Diversos médicos renomados relatam em seus consultórios que a falta de uma solução para o problema está acarretando aos pacientes graves complicações”, diz a entidade.

Niveo Steffen, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica em São Paulo, diz que não há estatísticas exatas sobre as complicações do PMMA, mas que procedimentos com a substância não são aconselháveis. Há muitos relatos de complicação.

“O uso de PMMA não é indicado. Vai contra tudo o que é recomendado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Ele não é absorvido pelo organismo e esse é um problema com ele”, informa

“Deve ser utilizado por médicos em pequenas quantidades”, explicou Hermann Tiesenhausen, diretor de Comunicação do Conselho Federal de Medicina.

Quatro são presos suspeitos de tentar invadir cofre de banco no Tocantins

Grupo estava com furadeiras de alto impacto e bloqueadores de sinal para desativar os alarmes quando foi capturado. Polícia percebeu movimentação estranha na área e resolveu fazer buscas.

Quatro pessoas que não tiveram os nomes divulgados foram presas em Augustinópolis, no norte do Tocantins, neste domingo (15). Segundo a Polícia Militar, eles tentaram invadir o cofre da agência do Banco do Brasil na cidade durante a madrugada. A movimentação estranha na área próxima ao prédio chamou a atenção de uma equipe da PM que resolveu fazer buscas.

Primeiro foram detidos dois suspeitos que estariam dando cobertura à dupla que preparava a invasão. Os outros dois foram encontrados minutos mais tarde, quando já tentavam abrir um buraco na parede do banco.

Com o grupo, foram encontradas furadeiras de alto impacto, um pé-de-cabra e bloqueadores de sinal para desativar os alarmes. Um carro roubado que era usado pela suposta quadrilha também foi apreendido.

Os suspeitos são três homens e uma mulher. Todos foram levados para a delegacia de Araguatins e prestaram depoimento, eles aguardam audiência de custódia para saber se vão poder responder em liberdade.

Pai e filho são presos suspeitos de furtar gado em fazendas no Tocantins

Segundo a polícia, suspeitos eram considerados foragidos desde 2017. Dupla foi presa em Luzimangues, distrito de Porto Nacional, e levada para complexo de delegacias em Palmas.

Pai e filho foram presos pela Delegacia de Investigações Criminais (Deic) e Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) suspeitos de furtar gado em fazendas do Tocantins. Eles foram detidos na manhã desta segunda-feira (9) e levados para o complexo de delegacias da Polícia Civil, em Palmas.

João Antônio da Silva, de 59 anos e João Antônio da Silva Júnior, de 36 anos, foram detidos por furto qualificado de gado e associação criminosa. Segundo a polícia, havia mandado de prisão contra eles desde 2017 e os dois eram considerados foragidos.

Eles teriam participado de um roubo a uma fazenda de Paraíso do Tocantins. Na época, foram furtados 19 gados da propriedade. O crime ocorreu em novembro de 2016 e os dois foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) no ano passado.

De acordo com o delegado Wanderson Chaves, da DEIC, o pai fazia um ‘estudo’ de quais fazendas eram mais vulneráveis e o filho realizava os furtos. Com os suspeitos a polícia encontrou um caminhão, um carro de passeio e duas armas.

“Estávamos há algum tempo na busca dos acusados e nesta manhã conseguimos capturá-los em uma fazenda próxima de Porto Nacional”, afirmou. Ainda de acordo com o delegado os dois não resistiram à prisão.

Os dois foram detidos na região do distrito de Luzimangues, distrito de Porto Nacional. A polícia ainda não sabe se o caminhão encontrado era usado por eles para o transporte do gado. Após serem ouvidos, os dois serão levados para a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

O site ainda tenta contato com a defesa das vítimas.

Estudantes de geologia são resgatados após ficarem presos em região de serra no Tocantins

Grupo se perdeu em uma região de mata e foi encontrado no início da tarde. Os três foram levados para o Hospital Regional de Porto Nacional, na região central do estado.

Três estudantes de geologia da Universidade de Brasília (UNB) foram resgatadas pelo helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) em uma região de mata próximo de Porto Nacional, na região central do Tocantins, na tarde desta quarta-feira (4). Gabriel Ribeiro Moizinho, Caroline Araújo Freitas e Matheus Alves da Silva ficaram presos uma serra.

A instituição ainda não se posicionou sobre o caso. Os estudantes haviam subido a serra para realizarem pesquisas, mas ficaram presos num despenhadeiro e não conseguiram descer, na manhã desta segunda-feira (4).

Ainda conforme o Centro Integrado, as buscas começaram após o sinal de um localizador GPS ser acionado nos Estados Unidos. A partir daí, a Polícia Militar do Tocantins foi comunicada e passou a provável localização para os tripulantes da aeronave.

O grupo foi encontrado após 20 minutos de voo em uma área de mata entre Porto Nacional e Fátima, 116 quilômetros de Palmas. Eles estavam na encosta de uma serra em visível estado de cansaço.

Para fazer o socorro, a equipe do Ciopaer precisou puxar os pesquisadores para a aeronave utilizando uma corda. Eles foram levados para Porto Nacional e transportados para o Hospital Regional da cidade pelo Corpo de Bombeiros.

Região onde os pesquisadores foram encontrados (Foto: Ciopaer/Divulgação)

Presos suspeitos de fraudar concursos públicos são transferidos para o Tocantins

Operação foi coordenada pela Polícia Civil do Tocantins e prendeu 14 pessoas em três estados. Investigações começaram após suspeita de fraude no concurso da Polícia Militar.

Os suspeitos presos pela Polícia Civil durante a operação Aleteia estão sendo transferidos para Araguaína, norte do Tocantins. A polícia investiga uma quadrilha suspeita de fraudar concursos públicos, entre eles o concurso da Polícia Militar do Tocantins. Ao todo, foram 14 pessoas presas no Tocantins, Maranhão e Piauí. A operação começou no início da manhã desta quinta-feira (21).

Os mandados de prisão temporária foram determinados pela Justiça do Tocantins. A maioria das prisões foi no Maranhão. Houve um preso em Araguaína (TO), além de três prisões em Teresina (PI). Um dos presos no Piauí foi Antônio Ferreira Lima Sobrinho, suposto líder da quadrilha.

De acordo com a polícia, o suspeito havia sido preso no Maranhão por outras fraudes. Ele foi aprovado em mais de 30 concursos e seria a pessoa que faz as provas para repassar gabaritos a outros candidatos.

A polícia cumpriu ainda mandados de busca e apreensão nos três estados, um dos nomes dos presos ainda não foi divulgado.

  • Mailson de Paiva Vieira
  • Renner Ferreira Moraes Mendes
  • Luís Fernando Melo Nascimento
  • Flaviania Silva Furtado
  • Jhonata Araújo Cantuario

Em Teresina (PI) foram presos:

  • Antônio Ferreira Lima Sobrinho
  • Aline Oliveira Santana
  • Gabriela Oliveira de Santana

Em São Luís (MA) e Zé Doca (MA) foram presos:

  • Dionatan Soares Belfort
  • Fernandes da Silva Souza
  • Abimael Silva Almeida
  • Hagaer da Silva Lima

O site tenta contato com a defesa dos suspeitos.

Imagens de gabaritos do concurso da Polícia Militar do Tocantins circularam nas redes sociais logo após a prova (Foto: Arte G1)

As investigações começaram após suspeitas de fraude no concurso da PM do Tocantins. A operação é realizada pela Delegacia de Investigações Criminais de Araguaína, norte do Tocantins, com apoio de policiais dos outros estados.

“Estamos cumprindo vários mandados de prisão em relação ao concurso da PM, que foi provavelmente fraudado. Estamos fazendo diligências e se tudo correr bem, com a detenção de todos, os suspeitos devem ser apresentados no final da tarde ou nesta sexta-feira”, explicou o delegado regional de Araguaína, Bruno Boaventura.

As provas do concurso da Polícia Militar do Tocantins foram aplicadas no dia 11 de março para mais de 80 mil inscritos. São 1 mil vagas para soldado e mais 40 para oficial da PM. Porém, o concurso foi suspenso pela Justiça até o fim do processo eleitoral para escolha de um governador tampão.

A Polícia Militar informou, em nota, que a Comissão do Concurso da polícia tem ciência da operação desencadeada pela Polícia Civil e aguarda ser notificada dos resultados do inquérito para os encaminhamentos cabíveis.

A empresa responsável pela aplicação das provas do concurso foi procurada, mas ainda não se manifestou.

Investigação

A polícia começou a investigar fraude no concurso da Polícia Militar do Tocantins depois que um aparelho celular foi encontrado no banheiro de um dos locais de provas em Araguaína, norte do Tocantins.

Na época, o delegado regional informou que as respostas encontradas no aparelho não são o gabarito oficial da prova. Além da ocorrência registrada em Araguaína, também houve casos de candidatos encontrados com celulares e um pacote de provas com indícios de violação.

Diversas imagens de gabaritos também foram postadas em redes sociais.

Três homens são presos suspeitos de estuprar menina de 11 anos no Tocantins

Suspeitos foram capturados após o cumprimento de mandados de prisão temporária. Crime aconteceu em Miracema do Tocantins.

Três homens foram presos suspeitos de estuprar uma menina de 11 anos, em Miracema do Tocantins. Eles foram capturados nesta terça-feira (10) após o cumprimento de mandados de prisão temporária.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os presos são: José Alves Pereira, de 38 anos, Domingos Pereira Bezerra, de 43 e Manoel da Conceição de França, de 61.

Segundo o delegado Clecyws Antônio, as investigações apontam que os três cometeram o crime de estupro de vulnerável. Os homens foram levados para a Cadeia Pública de Miracema.

G1 Tocantins

imagem ilustrativa gazetainterior

Três suspeitos de torturar e decapitar homem em Arraias são presos

Corpo de vítima foi encontrado parcialmente enterrado e em avançado estado de decomposição. Polícia suspeita que crime seja efeito da disputa pelo controle do tráfico na cidade.

A Polícia Civil prendeu três pessoas suspeitas de ter participação na morte de João Marcos Barbosa Pereira, conhecido como ‘Pinguim’, em Arraias, sul do Tocantins. O crime foi em julho e chocou a cidade pela brutalidade. Foram detidos como suspeitos, Rafael Souza Carvalho, de 23 anos, Thais Aquino da Silva, 24 anos e Francisco Filho Cavalcante, de 36 anos.

Segundo as investigações, os três torturaram, decaptaram e enterraram o corpo de Pereira em uma estrada vicinal da cidade. O rapaz ficou com parte do corpo expostas e por isso foi encontrado por moradores alguns dias depois, já em avançado estado de decomposição.

A Polícia Civil não esclareceu o papel de cada um dos envolvidos no crime. Rafael Souza e Thais Aquino foram pesos em Goiás e Francisco Filho estava em Taguatinga, no sudeste do estado. Todos estão sendo levados para Arraias, já que a Justiça determinou a prisão preventiva deles.

A principal linha de investigação é que a execução seja efeito de uma disputa pelo controle do tráfico de drogas na cidade. A vítima e os suspeitos, têm passagens pela posse de drogas na cidade.

G1 Tocantins