Soldado do Exército e outros dois são presos suspeitos de explodir caixa de universidade

Segundo a polícia, a suspeita é que soldado tenha dado apoio na fuga dos criminosos usando uma moto aquática. Com os suspeitos, foram encontrados R$ 19 mil.

Mãe e padrasto são presos suspeitos de espancar criança de 2 anos até a morte, em Goiás

Casal registrou ocorrência dizendo que criança morreu em decorrência de acidente de moto. Porém, investigação apontou lesões de agressões e comprovou que vítima foi estuprada.

A mãe e o padrasto do menino Bruno Diogo Dias Ferreira, de 2 anos e 8 meses, foram presos suspeitos de espancar a criança até a morte, em Goiânia.

De acordo com a Polícia Civil, o casal chegou a registrar um boletim de ocorrência dizendo que a criança tinha morrido em uma unidade de saúde em decorrência de um acidente de trânsito. Porém, a investigação apurou que existiam lesões em todo o corpo da vítima e um laudo comprovou que ela foi estuprada.

Bruno morreu no último dia 3 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Itaipu, na capital. Na ocasião, a mãe, Bruna Lucinda Batista Ferreira, de 28 anos, e o padrasto, Gedeon Alves dos Santos, de 24, chegaram pedindo socorro dizendo que o menino se recuperava de uma cirurgia após sofrer um acidente de moto com uma tia.

Na época, o Conselho Tutelar foi acionado e recebeu denúncias de que o menino era vítima de maus-tratos e constantemente agredido. Assim, o órgão procurou a Polícia Civil e o caso passou a ser apurado pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), que solicitou laudos sobre a morte de Bruno.

“Diante dessas suspeitas, instauramos a investigação. Laudos mostraram que ele tinha lesões em todos os lugares. O fígado foi dilacerado, o pâncreas partido ao meio e tinham várias lesões na cabeça”, disse o delegado Danillo Proto, responsável pelo caso.

Prisão

A mãe e o padrasto foram presos na última terça-feira (14) depois de fugir de casa. Antes, segundo a polícia, eles incendiaram o imóvel em que moravam na tentativa de esconder provas do crime e falar que o fogo foi colocado por vizinhos.

O delegado diz que, ao ser questionado sobre a morte de Bruno, Gedeon confessou o crime com frieza, inclusive confessando que usou um amassador de legumes para estuprar a vítima. Proto afirmou que, apesar da mãe negar, ela sabia das agressões e foi conivente com o assassinato do filho.

Ao ser apresentada na delegacia, na manhã desta segunda-feira (20), Bruna negou qualquer envolvimento com o crime. “Eu não sabia que ele ia fazer isso. Eu já vi ele batendo no meu filho duas vezes e eu falei que se ele fizesse de novo eu ia largar dele. Eu errei em confiar nele. Agora só sinto ódio dele. Estou como monstra aqui, mas eu não fiz nada disso”, se defendeu.

Já Gedeon confirmou o assassinato e disse que não sabe o motivo de tê-lo cometido. “Não sei por que fiz isso. Bati nele em um momento de raiva”, afirmou.

O padrasto relatou que já tinha agredido a criança outras vezes. “Já bati usando um monte de coisas que não podia. Dessa vez eu usei esse pilão, bati na cabeça dele. Aí depois eu coloquei o pilão dentro dele”, narrou, se referindo ao estupro.

O casal vai responder por homicídio triplamente qualificado e incêndio. Além disso, Gedeon também vai responder por estupro de vulnerável.

Revolta

Vizinhos do casal acompanharam a apresentação dos presos na delegacia e estavam revoltados.

“Ela sabia de tudo. A gente via as agressões e falava que se ela não quisesse criar, que desse pra gente, que a gente cuidava. Ela é culpada, é um monstro”, reclamou a servente Monica Rodrigues de Oliveira.

 G1/Goiás

Após passarem a noite na CPP, médicos do Tocantins presos pela PF são ouvidos na Justiça Federal

A PF decretou a prisão temporária de 13 pessoas no Tocantins, durante a Operação Marcapasso, que estão envolvidos em esquema criminoso relacionado à compra superfaturada de Órteses e Próteses.

Após passarem a noite na Casa de Prisão Provisória de Palmas, 10 médicos e um representante comercial, que são investigados pela Polícia Federal por fraudes em licitações, começam a ser ouvidos em audiências de custódia, a partir das 9h desta quarta-feira, 8, pela Justiça Federal. Na audiência, o juiz avaliará se mantém ou não a prisão dos investigados.

A Polícia Federal decretou a prisão temporária de 13 pessoas no Tocantins na manhã de ontem, 7, durante a Operação Marcapasso, que estão envolvidos em esquema criminoso relacionado à compra superfaturada de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME’s). Outro foco da investigação foram fraudes no Plansaúde. Durante a investigação, ainda foi descoberto que houve a retirada de vários equipamentos caros do Hospital Geral de Palmas (HGP) para serem utilizados em clínicas da rede privada.

Ao todo 137 mandados judiciais foram expedidos pela 4ª Vara Criminal Federal de Palmas, sendo 12 mandados de prisão temporária expedidos, 41 mandados de condução coercitiva contra empresários e 84 mandados de busca e apreensão no Tocantins, Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Paraná, Bahia, Ceará, Pará, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

A investigação começou quando os sócios da empresa Cardiomed Comércio e Representação de Produtos Médicos e Hospitalares Ltda-Epp foram presos em flagrante por terem, na qualidade de proprietários da empresa, fornecido à Secretaria de Saúde do Tocantins produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais cujos prazos de validade de esterilização estavam vencidos.

T1noticias

Veja quem são os presos que estão foragidos após explosão de muralha de presídio em Palmas

Ao todo, 22 detentos fugiram da Casa de Prisão Provisória de Palmas. Destes, oito seguem foragidos e estão sendo procurados pela polícia.

Secretaria de Cidadania e Justiça divulgou os nomes e as fotos dos presos que continuam foragidos da Casa de Prisão Provisória de Palmas. Ao todo, 22 detentos fugiram na noite deste domingo (5) após explodir uma das muralhas do presídio. Destes, 14 foram recapturados e oito seguem foragidos.

Veja quem são os foragidos:

Alex Lopes Arruda é um dos foragidos da Casa de Prisão Provisória de Palmas (Foto: Divulgação)

Alex Lopes Arruda

Eduardo Almeida segue foragido da CPP de Palmas (Foto: Divulgação)Eduardo Almeida Carvalho

Levi Barbosa de Sousa está sendo procurado após fuga na CPP de Palmas (Foto: Divulgação)Levi Barbosa de Sousa

Marcos Alberto Santana de OliveiraMarcos Alberto Santana é um dos foragidos da Casa de Prisão Provisória de Palmas (Foto: Divulgação)

Thiago de Oliveira/Thiago de Oliveira fugiu da CPP de Palmas neste domingo (5) (Foto: Divulgação)

Valdivino Pinheiro Júnior é um dos 22 presos que fugiram da CPP de Palmas neste domingo (5) (Foto: Divulgação)Valdivino Pinheiro Júnior

Werlison da Silva Martins
Werlison da Silva Martins segue foragido da CPP de Palmas (Foto: Divulgação)

Flavio Euripedes Ferreira

Flavio Euripedes Ferreira está foragido da CPP de Palmas (Foto: Divulgação)

Entenda

Nesta manhã, o helicóptero da Secretaria de Segurança Pública sobrevoa uma área verde perto da unidade à procura dos presos.

A suspeita é que os criminosos escavaram um buraco até chegar no pátio da unidade. Depois, usaram dinamite para explodir uma das muralhas da CPP. Na noite deste domingo, tiros foram disparos de dentro do local.

Há dois meses, durante uma vistoria, foram apreendidos cerca de quatro quilos de explosivos que estavam escondidos dentro das celas. A entrada desse material dentro da unidade está sendo investigada.

A PM informou que o policiamento nas ruas e nas entradas da cidade foi reforçado. Segundo a corporação, alguns militares se voluntariaram para apoiar nas buscas. A PM disse que boatos que surgiram nas redes sociais sobre arrastões no centro de Palmas não são verídicos.

A orientação é que a população evite a região e quem mora nas chácaras próximas que fique dentro de casa. Logo depois da fuga, 10 homens foram contidos pela Polícia Militar momentos após a explosão, os outros 12 saíram pela mata. Outros dois homens foram encontrados no centro da cidade, próximo a Feira do Bosque, na quadra 502 Sul.Criminosos usaram dinamite para abrir buraco e fugir da Casa de Prisão Provisória de Palmas (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Posicionamento

A Umanizzare, que administra a Casa de Prisão Provisória de Palmas, disse que era previsto contratualmente 126 colaboradores, mas que a unidade chegou a ter 142. Informou que em nenhum momento a unidade operou abaixo do número de colaboradores estipulados em contrato.

A empresa deve deixar a unidade neste mês de novembro, quando ocorrerá o processo de transição para a gestão exclusiva do Estado. A Umanizzare informou que a transição terá como foco a segurança social e dos presos, para que não ocorra interrupção abrupta dos serviços. Neste período de transição a CPPP terá43 profissionais da Umanizzare.

Superlotação e problemas administrativos

A Casa de Prisão Provisória de Palmas é um dos maiores presídios do Tocantins. Ela tem capacidade para 280 presos e atualmente tem mais de 700 detentos. Em junho, o presídio sofreu uma intervenção parcial em função da superlotação.

Recentemente, o comando da Secretaria de Cidadania e Justiça foi trocado no Tocantins. Ao G1, a antiga responsável pela pasta, Gleidy Braga, afirmou que estava saindo porque discordava do governo a respeito do cumprimento de algumas medidas judiciais relacionadas com a administração da própria CPP e a contratação de funcionários temporários em algumas unidades. O governo do estado anunciou que a pasta ficaria sob o comando do coronel Glauber de Oliveira Santos, que chefiava a Polícia Militar. 

G1/Tocantins

Presos fogem após explodir muralha de presídio em Palmas

Primeiras informações são de que cerca de 20 homens conseguiram sair da Casa de Prisão Provisória de Palmas. Eles teriam tido ajuda externa para realizar a fuga.

Cerca de 20 detentos conseguiram fugir da Casa de Prisão Provisória de Palmas na noite deste domingo (5). As primeiras informações são de que os fugitivos teriam recebido ajuda externa de um grupo de criminosos que usou dinamite para explodir uma das muralhas da CPP. Ainda não foi feita uma contagem no local para saber o número exato de detentos que escapou. Uma operação unindo forças da Polícia Militar, Polícia Civil e da Guarda Metropolitana está em andamento. O helicóptero da Secretaria de Segurança Pública também foi acionado.

O caso acontece poucas horas após uma outra fuga em Miranorte, na região central do estado, em que três homens arrancaram um vaso sanitário e cavaram um buraco até o pátio da Cadeia Pública da cidade, depois eles pularam o muro. Os fugitivos são Bruno da Silva Luz, Antônio Joaquim Neto e Raidson Lima da Cruz. As buscas na região estão sendo realizadas pela Polícia Militar e pela Polícia Civil.

A Secretaria de Cidadania e Justiça, que administra o sistema prisional, ainda não se manifestou sobre o caso. Os presos teriam corrido em direção a mata após a explosão. A orientação é que a população evite a região e quem mora nas chácaras próximas que fique dentro de casa. O site vai seguir atualizando o caso.

Superlotação e problemas administrativos

A Casa de Prisão Provisória de Palmas é um dos maiores presídios do Tocantins. Ela tem capacidade para 280 presos e atualmente tem mais de 700 detentos. Em junho, o presídio sofreu uma intervenção parcial em função da superlotação.Gleidy Braga deixou o governo (Foto: Carlos Eller / Secom)

Recentemente, o comando da Secretaria de Cidadania e Justiça foi trocado no Tocantins. A antiga responsável pela pasta, Gleidy Braga, afirmou que estava saindo porque discordava do governo a respeito do cumprimento de algumas medidas judiciais relacionadas com a administração da própria CPP e a contratação de funcionários temporários em algumas unidades. O governo do estado anunciou que a pasta ficaria sob o comando do coronel Glauber de Oliveira Santos, que chefiava a Polícia Militar. 

G1/Tocantins

Dois são presos com drogas escondidas nos bancos e porta-malas de carro

Um dos homens se apresentou como motorista da Uber e mora em Goiânia. Ele foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Gurupi.

Dois homens foram presos na madrugada desta quarta-feira (9) por suspeita de tráfico de drogas na BR-153, em Gurupi, sul do Tocantins. No carro, a Polícia Rodoviária Federal encontrou tabletes de cocaína e maconha escondidos nas portas, nos estofados dos bancos e no porta-malas do veículo. O motorista disse ser funcionário da Uber em Goiás.

A Polícia Civil disse que os dois foram levados para a Casa de Prisão Provisória de Gurupi. Durante o depoimento, o motorista confirmou que trabalha para o aplicativo em Goiânia (GO). No celular, policiais encontraram áudios com conversas que comprovam que ele tinha sido pago para levar a droga até Santana do Araguaia (PA).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os homens foram abordados durante um patrulhamento. Após uma fiscalização no carro, foram encontrados quase 2 quilos de substância semelhantes à cocaína, cerca de 5 quilos de maconha e uma porção de substância análoga à cloridrato de cocaína.

G1 procurou a empresa para saber se o homem terá o cadastro excluído do aplicativo e aguarda resposta.

G1/TO

Suspeitos de tráfico de drogas são presos com 30 kg de maconha em Palmas

O grupo preso em flagrante era monitorado por policiais da Denarc e são suspeitos de abastecer bocas de fumo da região sul da capital.

Dois homens e uma mulher foram presos em flagrante por tráfico de drogas na quadra 706 Sul, em Palmas, na noite desta segunda-feira (7). Com eles os policiais apreenderam 30 kg de maconha. A delegada Luciana Coelho Midlej disse que a ação faz parte da operação Vortex.

De acordo com a Secretaria de Seguraná Pública, os policiais da Delegacia Especializada na Repressão a Narcóticos (Denarc) investigaram o grupo e constataram que eles abasteciam bocas de fumo na região sul de Palmas.

Além da drogas, os policiais civis também apreenderam balanças de precisão e materiais usados para embalar a droga.

Os três suspeitos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas. Em seguida, os dois homens foram levados para Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP) e a mulher para a Unidade Prisional Feminina de Palmas.

G1/TO

Pai e mãe são presos suspeitos de maus-tratos e estuprar filhas

O pai das garotas teria perdido a guarda delas, segundo a Polícia Militar.

Após ameaças de um casal ao Conselho Tutelar, um homem e uma mulher foram presos, nessa terça-feira (2), em Rondonópolis, a 218 quilômetros de Cuiabá, suspeitos de maus-tratos e estuprar as duas filhas, de 2 e 3 anos. O pai das garotas teria perdido a guarda delas, segundo a Polícia Militar.

De acordo com informações do G1, depois de as crianças serem atendidas em um posto médico, profissionais afirmaram que a de 3 anos sofreu estupro. Já na outra menina, sinais de abuso sexual. As duas vão passar por exames no Instituto Médico Legal (IML).

O pai e a mãe das crianças foram levados para a 1ª Delegacia da Polícia Civil de Rondonópolis, que vai abrir uma investigação sobre o caso. Elas estão sob os cuidados de um abrigo para crianças na cidade.

Noticias ao Minuto

 

Presos fazem rebelião e causam estragos na carceragem de delegacia, em Goiânia

Segundo Polícia Civil, eles atearam fogo em colchões e até tentaram fazer um buraco na parede de uma cela. SSPAP diz que não houve fuga ou feridos.

Presos fizeram uma rebelião na carceragem localizada dentro da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, os detentos queimaram colchões, causaram danos estruturais às celas e até tentaram fazer um buraco na parede para fugir. A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informou que, apesar da situação, ninguém escapou ou ficou ferido.

A rebelião ocorreu na noite de domingo (28). Apesar de estar no espaço físico da Deic, as celas pertencem à Delegacia Estadual de Capturas (Decap) e abrigam presos até que sejam disponibilizadas vagas no sistema prisional.

A Polícia Militar e o Grupo Tático (GT3) da Polícia Civil foram acionados e controlaram o tumulto. O Corpo de Bombeiros também esteve no local para conter as chamas causadas pelo incêndio em roupas e colchões e evitar que ele se propagasse pelo prédio.

Um ônibus e um micro-ônibus chegaram à delegacia logo em seguida para transferir alguns presos. Segundo a TV Anhanguera, cerca de 80 detentos deixaram o local, mas não há informações para onde eles foram levados.

G1/GO

Quarto assessor de Temer deixa Planalto: dois presos e dois delatados

Ele lidava diretamente com Eduardo Cunha, hoje preso, no processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Mais um assessor do presidente Michel Temer deixou o governo nessa terça-feira. De acordo com o blog da jornalista Andréia Sadi, Sandro Mabel (PMDB-GO) despachava do mesmo andar que Temer e já é o quarto a deixar o trabalho. Anteriormente, José Yunes havia pedido demissão após ser citado em delação, e Rodrigo Rocha Loures e Tadeu Fillipelli foram demitidos por Temer depois de terem sido presos. Mabel também está sendo investigado por ter recebido propina.

Mabel trabalhava na interlocução com o Congresso Nacional e com empresários. Apesar de fontes do Planalto afirmarem que ele costumava lidar diretamente com o ex-presidente da Câmara, hoje preso em Curitiba, Eduardo Cunha, principalmente durante o processo de impeachment de Dilma Rousseff, ele nega.

“Nunca tive essa missão. Até porque o Eduardo Cunha tinha acesso a todos do palácio, muito mais do que eu. Portanto, a informação não é verdadeira”, escreveu Mabel ao Blog.

Jobim e Jereissati ganham força em caso de eleição indireta.

Noticias ao Minuto