Aumento na tarifa de energia no período de estiagem preocupa consumidores

O Governo Federal programou uma nova taxa que passar a valer no próximo ano. A população atualmente recebe diversas cobranças obrigatórias em sua tarifa; entenda.

A tarifa de energia elétrica tem pesado no orçamento de muita gente no Tocantins. E nesse período do ano, a conta só tende a aumentar por causa do período quente e do uso de equipamentos como o ar-condicionado. Além disso, o Governo Federal anunciou uma nova taxa na conta de luz que deve começar a valer no próximo ano.

Essa novidade causou mais preocupação nos consumidores. A funcionária Pública Simone Dias reclama que a conta tem aumentado todos os meses e a concessionária diz que cobrança está normal.

“Eles falam que é por causa da bandeira tarifária que agora está vermelha, além daquele aumento anual que tem da própria empresa. Por isso teve esse aumento, mas quando você vai olhar o consumo você vê que não justifica isso”, disse.

Para tentar diminuir a conta, a servidora pública tem procurado economizar. Quando pode, desliga até algumas chaves do disjuntor e evita utilizar o ar-condicionado.

A tarifa de energia elétrica possui diversas cobranças obrigatórias. Sendo 30,68% para a geração de energia, 3,07% para a transmissão e 30,20% que é recebido pela concessionária. Além disso, 36,05% são de tributos e encargos setoriais que vão para o governo.

Em cada região, a prefeitura também estipula um valor para a taxa de iluminação pública, além de contar também com a bandeira tarifária, que está no vermelho desde junho deste ano.

Para o economista Marcello Bezerra, os consumidores precisam se organizar. “O que ele tem que fazer é reduzir a despesa em outras áreas. Além de diminuir o uso do ar-condicionado ou não utilizar. Só assim, vai conseguir reduzir o valor da tarifa”, afirmou.

G1 Tocantins.

Barranco cede no trecho do Apertado da Hora em Palmeirópolis e preocupa moradores

O trecho é perigoso com alto índice de mortes.

Um barranco começa a ceder na TO 387, próximo a Palmeirópolis. O local é conhecido como a “curva da morte”, por ser perigoso com alto índice de acidentes levando a morte de muitos caminhoneiros.

Moradores reclamam e dizem que o trecho oferece perigo tanto a motoristas – que podem inclusive cair no córrego – como para pedestres.

Além do perigo já existente, o medo agora é de um possível desmoronamento.

Corrego Mucambinho transbordando

Chuvas fortes durante todo final de semana em Palmeirópolis, com isso os córregos transbordaram e a previsão é de mais chuvas amanhã.

O problema causa transtornos aos moradores que se dizem preocupados com a possibilidades de acidentes.

O que realmente causa o pânico é o trecho (ladeira) que dá acesso curva.

Várias reivindicações foram feitas por representantes e moradores às autoridades competentes, mas até nada foi feito. Mesmo com o pequeno deslizamento, o trajeto no local continua acessível.  

Da redação