Mauro Carlesse toma posse para mandato-tampão no governo do Tocantins

Mandato vai até 31 de dezembro de 2018. Para assumir os cargos, governador e vice tiveram que renunciar aos cargos de deputados estaduais.

Durante discurso de posse, o governador disse que tem sido um período de aprendizado e destacou a mudança da “vida empresarial” para a política. O mandato de deputado foi o primeiro cargo eletivo de Carlesse.

“Quando eu cheguei na Assembleia, nunca tinha tido nenhum cargo e nunca tinha sido nem síndico de prédio […] Fico feliz pelo tempo que passei e por estar hoje no executivo. Precisamos do legislativo e dos demais poderes para conduzir esse estado e fazer com que seja um estado que o povo possa se sentir protegido e importante”, disse durante o discurso.

Antes da posse, Mauro Carlesse (PHS) e Wanderlei Barbosa (PHS) foram diplomados pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Marco Villas Boas. A chapa foi eleita no segundo turno da Eleição Suplementar com 75,14%. O mandato-tampão vai até 31 de dezembro.

A votação foi convocada após a cassação do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice dele, Cláudia Lelis (PV). Os dois foram considerados culpados por captação ilegal de recursos para a campanha eleitoral de 2014 pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Carlesse fica no cargo até 31 de dezembro de 2018 e pode concorrer à reeleição em outubro.

Mauro Carlesse assinando termo de posse durante sessão (Foto: Reprodução/TV Assembleia)

Entenda

Mauro Carlesse foi escolhido para comandar o Tocantins no segundo turno da Eleição Suplementar, no dia 24 de junho. Ele teve 75,14% dos votos válidos contra 24,86% do senador Vicentinho Alves (PR).

O pleito foi marcado pelos enormes índices de abstenção. Os votos brancos e nulos e os eleitores que nem compareceram para votar somaram 51,83% do total. Mais de 527 mil pessoas não optaram por nenhum dos candidatos. O índice é recorde na história das eleições no estado.

Carlesse dá posse para secretários e promete reduzir gasto com pessoal

Mauro Carlesse assumiu governo do estado no início da tarde. Governador interino prometeu dar continuidade a projetos e iniciar mutirão de cirurgias.

Durante a reunião, o governador interino afirmou que vai fazer um estudo para reduzir a folha de pagamento sem comprometer os serviços, além de dar andamento ao mutirão de cirurgias eletivas. “É hora de nos unirmos em prol do Estado do Tocantins. Esse é um momento de transição. Nosso compromisso é cumprir as metas para melhorar a vida do tocantinense”, afirmou.

Carlesse assumiu o cargo no início da tarde, após sessão especial na Assembleia Legislativa. Durante entrevista, ele afirmou que vai manter a realização da 18ª edição da Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins) e pretende tomar uma medida para recuperar as estradas do estado. “Não podemos parar as ações como a Agrotins e outras que estavam encaminhadas. Não podemos parar, temos que dar continuidade.”

Mauro Carlesse fica como governador até que a eleição suplementar seja feita, em junho. Ou até que o Supremo Tribunal Federal (STF) conceda uma nova liminar ao governador cassado Marcelo Miranda (MDB).

Entenda

O presidente da Assembleia Legislativa (AL), Mauro Carlesse (PHS), foi notificado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para assumir o governo do Estado durante a manhã desta quinta-feira.

O deputado precisou assumir novamente o governo porque o Tribunal Superior eleitoral rejeitou os embargos de declaração de Marcelo Miranda (MDB). O julgamento foi n a última quarta-feira (17).

T1noticias

Carlesse anuncia primeiros nomes da equipe de governo logo após tomar posse; confira

Além dos anunciados nesta 3ª, outros novos nomes devem ser divulgados e empossados já nesta quarta-feira, 28, pela manhã.

Logo após tomar posse como governador interino do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS) anunciou, já no Palácio Araguaia, na noite desta terça-feira, 27, os primeiros nomes de sua equipe de secretários.

Os novos gestores do Estado já tomaram posse e três deles acumularão funções. Outras pastas ainda terão seus secretários anunciados e há a informação de que Carlesse manteria alguns dos antigos gestores do governo Marcelo Miranda.  Novos nomes devem ser anunciados e empossados já nesta quarta-feira, 28, pela manhã.

Confira quem já faz parte da equipe do governo interino:

Jorge Kleber Neiva Brito – Presidente do Naturatins; Dilma Caldeira de Moura – Subsecretária da Fazenda; Vagléia Inácio Montelo – Subsecretária de Administração; João Francisco de Aguiar (João Neto) – Secretário de Comunicação Social; Jaison Veras Barbosa – Comandante Geral da Polícia Militar; Senivan Almeida de Arruda – Controladoria Geral do Estado; Deusiano Pereira de Amorim – Secretário de Segurança Pública e de Cidadania e Justiça; Rolf Costa Vidal – Secretário Chefe da Casa Civil / Governo e Articulação Política; Divino José Ribeiro – Presidente do Intertins; Sandro Henrique Armando – secretário da Fazenda / e do Planejamento e Gestão; Colemar Natal Câmara – Presidente da Junta Comercial.

Carlesse permanece no cargo até a realização da eleição direta, prevista para 3 de junho. Após as diretas, os eleitos permanecerão no cargo até o dia 31 de dezembro deste ano e poderão disputar as eleições gerais de 7 de outubro.

Desta forma, o Tocantins terá duas eleições para governador no mesmo ano. As regras e detalhes para as eleições de junho serão definidas pelo Tribunal Regional Eleitoral na sessão do próximo dia 4 de abril.

Mauro Carlesse toma posse como governador interino do Tocantins

Posse foi realizada na Assembleia Legislativa na noite desta terça-feira (27). Carlesse ficará até a realização das eleições suplementares no começo de junho.

O governador interino do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), tomou posse no começo da noite desta terça-feira (27), na Assembleia Legislativa do Tocantins. 

O acórdão com a cassação do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e da ex-vice-governadora, Cláudia Lelis (PV) foi publicado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na noite desta segunda-feira (26).

Em 2016, Carlesse venceu as eleições e se tornou presidente da Assembleia Legislativa. Agora, ele é o governador interino. No discurso, ele prometeu uma gestão voltada para os municipios e se emocionou ao falar do pai.

Carlesse lembrou também que o Tocantins é um estado de grande potencial e disse que acredita no povo tocantinense.

Mauro Carlesse assinou o termo de posse (Foto: Gabriela Lago/G1)

No evento de posse, Luana Ribeiro assumiu oficialmente a presidência da Assembleia Legislativa. Em 2016, ela venceu as eleições como vice-presidente e agora se torna a primeira mulher a comandar a casa.

Carlesse ficará no cargo até que sejam realizadas as eleições diretas, conforme determinação do TSE. A data da realização do pleito é o dia 3 de junho. Os eleitos permanecerão no cargo até o dia 31 de dezembro deste ano e poderão disputar as eleições gerais em 7 de outubro.

Desta forma, o Tocantins terá duas eleições para governador no mesmo ano.

Mauro Carlesse e a nova presidente da AL, Luana Ribeiro (Foto: Gabriela Lago/G1)

A cassação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou na manhã desta quinta-feira (22) os diplomas do governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice-governadora Cláudia Lelis (PV).

O processo, que analisa caixa dois durante a campanha de 2014, começou em 2015 após uma aeronave ser apreendida com R$ 500 mil em Goiás.

O advogado Thiago Boverio, que representa o governo, informou que vai recorrer da decisão. “Há muitos fatos para esclarecer. O próprio ministro disse que há muitos indícios e isso tudo será esclarecido nos embargos declaratórios. Quanto à execução, o que ficou bem claro é que o ministro tomou para si a possibilidade de decidir sobre isso”, disse.

O julgamento no TSE começou em 2017, mas o ministro Luiz Fux havia pedido para analisar o processo, que estava parado desde então.

No primeiro julgamento, a relatora do processo, ministra Luciana Lóssio, votou contra a cassação da chapa de Marcelo Miranda. Porém, nesta quinta-feira (22) os ministros cassaram os diplomas por 5 votos a 2.

G1 Tocantins

Carlesse caminha para posse garantindo que formará boa equipe para tocar Tocantins

Sobre os nomes que comporão sua gestão, Carlesse declarou que ele e sua equipe estão consultando os melhores nomes possíveis para não errar, “nós não podemos errar”.

Ao caminhar para a posse como governador do Estado do Tocantins na Assembleia Legislativa na tarde desta terça-feira, 27, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Mauro Carlesse, falou no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que o momento é curto e que é preciso olhar a situação real do Estado.

“Não sei até que ponto é a gravidade, mas estamos nos preparando para isso”.

Sobre os nomes que comporão sua gestão, Carlesse declarou que ele e sua equipe estão consultando os melhores nomes possíveis para não errar, “nós não podemos errar. É um período curto à frente do governo, mas vai ser nesse período curto que a gente com uma boa equipe conseguirá tocar com tranquilidade”, garante.

O deputado estadual afirmou que tem nomes interessantes, mas que há alguns problemas a serem resolvidos “e estes estão sendo analisados pela equipe”. Carlesse afirma que como governador não quero levar problemas para sua gestão. “Queremos pessoas com qualificação e que estejam desimpedidas de qualquer problema que venha a nos atrapalhar no nosso trabalho do dia a dia”.

O deputado ainda falou que tem o apoio dos 24 deputados da AL.

Kátia Abreu toma posse como presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Tocantins

Senadora assumiu o sexto mandato a frente da associação para o período entre 2018 e 2021. Abreu já foi ministra da agricultura e é pré-candidata ao governo do Tocantins.

A senadora Kátia Abreu (sem partido) tomou posse como presidente da na Federação da Agricultura e Pecuária do Tocantins (Faet). O evento foi realizado na sede da federação em Palmas, na manhã desta terça-feira (2).

Este é o sexto mandato da senadora a frente da organização. A Faet foi criada em 1989 e atua em defesa do setor do agronegócio.

Kátia Abreu foi reeleita em outubro com 72,5% dos votos dos presidentes de sindicatos rurais, da diretoria e do conselho fiscal da Faet. O mandato começa em 2018 e vai até 2021.

O vice-presidente da chapa da senadora é o empresário Paulo Carneiro. Mais de 46 mil produtores rurais do Tocantins estão associados à Faet.

A senadora é conhecida no setor agropecuário. Ela foi ministra da agricultura do segundo mandato de Dilma Rousseff e permaneceu no cargo até o impeachment da ex-presidente. A postura dela contrária ao processo que tirou Dilma do poder acabou rendendo atritos com várias entidades da área. Kátia Abreu também é pré-candidata ao Governo do Tocantins para as eleições de 2018.

G1 Tocantins