Corpo do piloto de avião que caiu no Pará é enterrado em Goiânia sob forte comoção

Cristiano Rocha ficou mais de 30 dias internado em hospital após acidente. Outras três pessoas que estavam na aeronave morreram no local; o empresário Robson Cintra sobreviveu.

O corpo do piloto de avião Cristiano Felipe Rocha Reis foi enterrado às 13h20 desta sexta-feira (31) no cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia. Ele foi uma das vítimas da queda de um avião no Pará, que deixou mais três mortos ainda no local e um sobrevivente.

Cristiano morreu na noite de quinta-feira (30), após ficar 33 dias internado em um hospital da capital. Durante o enterro, centenas de familiares e amigos se despediram com rosas brancas nas mãos e uma salva de palmas. O helicóptero da Polícia Militar sobrevoou o túmulo como forma de última homenagem.

Ainda muito abalados, parentes e amigos não quiseram dar entrevista e pediram que a imprensa não acompanhasse de perto o sepultamento.

O empresário Robson Cintra, único sobrevivente da queda do avião, compareceu ao enterro. Ele estava com máscara e roupa de proteção contra o sol e ficou ao lado do caixão durante todo o tempo.

Empresário Robson Cintra que sobreviveu ao acidente compareceu ao enterro do piloto Cristiano Rocha  (Foto: Vitor Santana/G1)Empresário Robson Cintra que sobreviveu ao acidente compareceu ao enterro do piloto Cristiano Rocha  (Foto: Vitor Santana/G1)

Empresário Robson Cintra que sobreviveu ao acidente compareceu ao enterro do piloto Cristiano Rocha (Foto: Vitor Santana/G1)

Amigos das policiais civil e militar também estiveram no enterro. Eles lembraram que todos se conheceram na escola de aviação e que Cristiano chegou a voar no helicóptero da Polícia Civil no início de sua carreira.

No momento do enterro, o helicóptero da PM sobrevoou em círculos o túmulo de Cristiano por alguns minutos. Em seguida, retornou para a base.

Queda do avião

O acidente que deixou Cristiano gravemente ferido ocorreu no último dia 27 de julho, quando o avião em que ele estava caiu próximo à comunidade de Barra Mansa, em São Felix do Xingu, sudeste do Pará. Cinco pessoas estavam na aeronave, sendo que três morreram: Victor Gabriel Tomaz, de 10 anos, Evandro Geraldo Rocha Reis, de 73 anos, e José Gonçalves de Oliveira, de 72.

Cristiano e o empresário Robson Alves Cintra, saíram do local com vida e foral levados para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), onde receberam os cuidados médicos e ficaram internados.

O piloto ficou na unidade 33 dias, mas não sobreviveu. Já o empresário segue se recuperando dos ferimentos. Na última sexta-feira (24) um amigo dele publicou um vídeo nas redes sociais que mostra ele em casa agradecendo pelas orações.

Cristiano Felipe Rocha Reis morre após ficar mais de 30 dias internado em hospital de Goiânia (Foto: Reprodução/Instagram)Cristiano Felipe Rocha Reis morre após ficar mais de 30 dias internado em hospital de Goiânia (Foto: Reprodução/Instagram)

Cristiano Felipe Rocha Reis morre após ficar mais de 30 dias internado em hospital de Goiânia (Foto: Reprodução/Instagram)

Investigação

A Polícia Civil do Pará informou que o avião partiu do aeroporto de Ourilândia do Norte, a cerca de 900 quilômetros da capital Belém, por volta das 13h30h de sexta-feira, mas não explicou qual o destino. Em pane durante o voo, o piloto teria realizado um pouso de emergência e a aeronave pegou fogo.

Informações no site da Agência Nacional Brasileira (Anac) apontam que o modelo da aeronave que caiu no Pará era 210L. O avião foi fabricado pela Cessna, em 1976, e não pertencia a nenhum dos ocupantes.

De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro, a aeronave estava com o certificado de aeronavegabilidade vencido desde agosto do ano passado e, por isto, não tinha autorização para voar.

Avião pega fogo após pouso forçado no sudeste do Pará (Foto: Reprodução / Polícia Civil)Avião pega fogo após pouso forçado no sudeste do Pará (Foto: Reprodução / Polícia Civil)

Avião pega fogo após pouso forçado no sudeste do Pará (Foto: Reprodução / Polícia Civil)

G1 Tocantins.

Morre piloto de avião que caiu sobre casa em Goiás, diz filha

Além dele, bebê de 1 ano já havia morrido na queda, e pai dele se ferido. Acidente aconteceu no último dia 11 de agosto no Setor Vista Bela.

O piloto Nehru El-Aouar, de 59 anos, que conduzia um avião de pequeno porte que caiu sobre uma casa, em Goiânia, morreu nesta quarta-feira (29). A informação foi confirmada ao G1 por Cemya El-Aouar filha dele, por telefone. Ele estava internado desde a queda, ocorrida há 18 dias, no Setor Jardim Vista Bela. No acidente, um bebê já havia morrido e o pai dele, ficado ferido.

G1 procurou o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), mas a assessoria de imprensa disse que não estava autorizada a passar informações sobre o paciente.

Além de pilotar, Nehru era o dono da aeronave, prefixo PU-EFG, categoria experimental. O acidente aconteceu no dia 11 de agosto. Os bombeiros informaram que ele foi socorrido inconsciente e em estado grave.

O bebê Davi Andrade do Amaral, de 1 ano, que também estava na aeronave, morreu no dia da queda. Ele chegou a ser socorrido por terceiros e levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O pai de Davi, o mecânico de aeronaves Reginaldo Ernane do Amaral, terceiro ocupante do avião, foi socorrido e encaminhado ao Hugol. A assessoria confirmou que ele segue internado na unidade, mas que a família também não autorizou o repasse de informações sobre seu quadro clínico.

Morre Nehru El-Aouar, piloto de avião que caiu sobre casa em Goiânia  (Foto: Facebook/Reprodução)Morre Nehru El-Aouar, piloto de avião que caiu sobre casa em Goiânia  (Foto: Facebook/Reprodução)

Morre Nehru El-Aouar, piloto de avião que caiu sobre casa em Goiânia (Foto: Facebook/Reprodução)

Acidente

O avião havia decolado do Aeródromo Brigadeiro Eppinghaus, às margens da GO-070, para um voo panorâmico. Ele caiu minutos depois sobre o telhado de uma casa e parou sobre o muro que a divide com outro imóvel.

Não houve incêndio após o acidente. A aeronave caiu sobre o telhado da residência e parou sobre o muro que a divide com outro imóvel. No momento da queda, não havia ninguém na casa.

Vizinha da casa em que o avião caiu, a estudante Geovanna Batista Rocha, de 18 anos, conta que a queda provocou um barulho muito alto e que a situação foi de pânico.

“Foi desesperador, principalmente quando vimos a criança que estava dentro do avião. O pai da criança a entregou para os moradores para que pudessem salvá-la. Ela estava muito machucada”, disse.

De acordo com Geovanna, pelo menos sete crianças viram a queda do avião, pois brincavam em um campinho de futebol em frente ao local. A jovem contou que não havia ninguém no imóvel no momento da queda. Por isto, vizinhos pularam o muro.

Avião destruiu parte do telhado e do muro de casa (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)Avião destruiu parte do telhado e do muro de casa (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Avião destruiu parte do telhado e do muro de casa (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Investigação

A assessoria de imprensa da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou ao G1 que a situação da aeronave é regular. O avião pertence à categoria experimental, quando é construído de forma amadora e atende a regras diferentes das utilizadas na aviação comercial.

Ainda de acordo com a Anac, para voar regularmente, o avião experimental precisa apresentar Certificado de Autorização de Voo Experimental (Cave) e Inspeção Anual de Manutenção (IAM).

Uma equipe do Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VI) se deslocou para a capital goiana para fazer a perícia.

A aeronave, ainda conforme a Anac, poderia levar somente o piloto e mais um passageiro.

A Polícia Civil informou que foi instaurado inquérito para investigar a queda do avião na 21ª DP, mas que “vai encaminhar os documentos acerca da queda do avião à Polícia Federal”. Segundo a corporação, o delegado Anderson Pelágio, que estava responsável pelo caso, “deve oficiar a PF por entender que o caso se enquadra em uma das hipóteses de competência da Justiça Federal”.

G1 Tocantins.

Piloto de MT que está desaparecido há 15 dias foi contratado para levar avião para o Tocantins, diz família

Último contato de Felipe Zamberlan, de 22 anos, foi feito no dia 24 de junho. Numa ligação para a namorada, ele contou que estava no Pará (PA).

Desaparecido há 15 dias, o piloto Felipe Meirelles Zamberlan, de 22 anos, foi contratado para levar um avião de Goiânia (GO) até Palmas (TO), segundo da família dele. O último contato dele com a família foi feito no dia 24 de junho. Numa ligação para a namorada, o jovem contou que estava no Pará.

Segundo a família, Felipe saiu de Sapezal, a 473 km de Cuiabá, no dia 20 de junho com destino à capital onde pegaria um voo até Goiânia (GO). Os familiares, no entanto, não têm informações sobre o susposto contrante.

No último contato, o piloto teria dito que estava em uma cidade do Pará e que, na segunda-feira (25), voltaria para Mato Grosso.

Após a divulgação do desaparecimento nas redes sociais, o antigo professor de Felipe entrou em contato com os familiares. Segundo o professor, o piloto teria ligado para ele no dia 23 de junho dizendo que estava passando de carro por Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá.

Com a informação, a família registrou um boletim de ocorrência.

Depois disso, a polícia entrou com contato com policiais dos estados onde Felipe disse que estaria e uma ação conjunta está sendo realizada em busca de pistas que possam levar ao paradeiro do jovem.

A polícia também fez contato com órgãos responsáveis pela aviação civil para saber se houve alguma queda de avião ou há informações de sequestro de aeronave. Por enquanto, porém, não nenhum registros, segundo a família.

G1 Tocantins.

Piloto que saiu de MT com destino a Palmas (TO) desaparece depois de ligar para namorada e dizer que estava no Pará (PA)

Segunda a família, ele viajaria de ônibus até Cuiabá, pegaria um voo para Goiânia (GO) e de lá levaria um avião particular para Palmas. O último contato dele foi no dia 24 de junho.

O piloto Felipe Meirelles Zamberlan, de 22 anos, saiu de Sapezal, a 473 km de Cuiabá, de ônibus, no dia 20 de junho. Segundo a família, ele iria para Cuiabá, onde pegaria um voo para Goiânia (GO) e, de lá, conduziria um avião particular até Palmas (TO). No entanto, ele não retornou de viagem e não faz contato com os familiares, desde o dia 24 de junho.

A família disse ter estranhado a falta de contato e comunicou o desaparecimento de Felipe por meio das redes sociais e registro de boletim de ocorrência.

Ao saber que o piloto havia desaparecido, um antigo professor dele, procurou a família e disse que Felipe havia ligado dizendo que estava passando de carro por Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá.

Posteriormente, no dia 24 de junho, ele teria ligado para a namorada dele e dito que estava em uma cidade do Pará. Segundo ela, Felipe teria avisado que iria para uma fazenda onde não havia sinal de internet.

Ele teria dito ainda, que retornaria na segunda-feira (25), porém não retornou e não fez mais contato com a família.

A Polícia Civil acionou as unidades policiais dos estados por onde o piloto deveria passar.

G1 Tocantins.

Deputado José Vitti escapa ileso de queda de helicóptero em Goiânia

Presidente da Assembleia Legislativa estava com um assessor e o piloto.
Aeronave caiu de uma altura de cerca de 20 metros ao tentar decolar.

Um helicóptero que levava o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o deputado estadual José Vitti (PSDB), sofreu um acidente ao tentar decolar do Autódromo de Goiânia, na manhã de sexta-feira (24). A aeronave estava a cerca de 20 metros de altura, quando apresentou uma falha e caiu. Apesar do susto, o parlamentar não ficou ferido.

A fonte tentou falar com o deputado, na manhã deste sábado (25), mas a assessoria de imprensa informou que ele não vai comentar o assunto por enquanto.

No entanto, em uma nota, a assessoria explicou que, além de Vitti, também estavam na aeronave um de seus assessores e o piloto. Todos escaparam ilesos.

“O acidente aconteceu logo após a decolagem, por uma falha no motor, e a aeronave caiu de uma altura aproximada de 20 metros. O piloto conseguiu controlar o helicóptero, minimizando a queda, ao usar as rotações finais da hélice”, destacou o texto.

A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou  que houve um acidente com o helicóptero por volta das 8h40 de sexta-feira. A corporação disse o caso será apurado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).Fonte:G1

Avião com o time da Chapecoense cai na Colômbia

Um avião que levava o time da Chapecoense, de Santa Catarina, caiu na Colômbia na madrugada de hoje (29), informou o Aeroporto José María Córdova, de Rionegro. A equipe seguia para Medellin, onde iria disputar amanhã (30) a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional da Colômbia.

De acordo com uma postagem no Twitter do aeroporto, a aeronave, com matrícula CP 2933, caiu na região da província de Antioquia. As primeiras informações são de que há sobreviventes, de que havia 81 pessoas a bordo – setenta e dois passageiros e nove tripulantes. Ainda não há dados exatos sobre vítimas e sobreviventes. O aeroporto acompanha a situação no Twitter e diz que as condições climáticas dificultam o acesso ao local da queda, que só pode ser feito por terra. Equipes de resgate estão no local. 

No texto divulgado no Twitter, o aeroporto informou que a torre de controle recebeu às 22h [hora de Bogotá] comunicado do piloto de que o avião, da empresa Lamia Corporation, procedente de Santa Cruz de la Sierra, estava em situação de emergência, entre o município de La Ceja e La Unión, com falhas elétricas.

Imediatamente, foram mobilizados o Comitê Operativo de Emergência, com a presença de funcionários da prefeitura de Rionegro, da Polícia Aeroportuária, Força Aérea Colombiana, de bombeiros e autoridades.(fonte:agência brasil)