Cidade de Jaú do Tocantins em luto pela morte do vice-prefeito

Vice-prefeito Domingos Gama morreu vítima de problemas cardíacos.

Faleceu de uma parada cardíaca na madrugada desta quarta-feira (14) em Goiânia, o vice-prefeito de Jaú do Tocantins Domingos Pereira da Gama de 62 anos. Ele estava internado na UTI com um problema ainda não divulgado.

Gama era natural de Luziania-GO, era filiado ao (PSD) e vice-prefeito pelo segundo mandato em Jaú do Tocantins. Um homem admirado por todos e respeitado no meio político.

“A cidade de Jau do Tocantins será eternamente grata ao senhor Domingos, que sempre demonstrou interesse em ver a nossa cidade cada vez melhor. Nosso município está de luto”, declarou o prefeito Municipal Onassys Moreira que decretou luto de três dias.

O velório acontece no Ginásio de esportes do Povoado de Novo Horizonte, próximo a Jaú e o sepultamento ainda será definido.

O vice-prefeito deixa a esposa e quatro filhos.


Prefeito Onassys Costa (PSD) e vice-prefeito Domingos Gama (PSD) Foto: Adailton Ciqueira.

Da redação

 

 

 

 

Fio de alta tensão cai em pasto e mata 15 vacas em fazenda de Goiás

Animais estavam avaliados em cerca de R$ 70 mil. Com acidente, produtor relata que produção de leite, queijos e doces caiu, causando prejuízo.

Um fio de alta tensão caiu em um pasto e matou 15 vacas em uma fazenda no Novo Gama, Entorno do Distrito Federal. Os animais estavam todos juntos próximo ao poste na madrugada de segunda-feira (8). Gado estava avaliado em cerca de R$ 70 mil.

O pecuarista Paulo Roberto Lima criava os animais há 12 anos e tirava o sustento da produção de leite. “Eu cheguei ontem por volta de umas 4h, quando a gente vem para tirar o leite, e quando cheguei vi as vacas. Pensei que elas estavam só deitadas. Depois vi o fio de alta tensão, umas queimando e outras se debatendo”, contou.

Após o acidente, restaram apenas seis animais na propriedade. Com isso, a produção que era de 350 litros por dia caiu apenas para 100 litros. Com isso, o prejuízo diário com a queda na produção deve passar de R$ 400.

Paulo contou que já registrou uma ocorrência para tentar reaver o prejuízo. “Agora eu vou correr atrás dos meus direitos. Do jeito que está eu não posso ficar”, contou.

Em nota à TV Anhanguera, a Celg informou que vai apurar o caso.

G1 Goiás