Namorado e primo são presos suspeitos de matar adolescente por achar que ela os entregaria a criminosos rivais, em Goiás

Eles foram expulsos de bairro após briga com criminosos rivais, segundo a polícia. Como garota tinha amizade com todos, dupla acreditou que ela estava armando emboscada para eles.

Dois primos de 19 anos foram presos na tarde de quinta-feira (24) suspeitos de matarem a adolescente Maria Eduarda Neves Peres, de 13 anos, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. De acordo com as investigações, o namorado dela e o familiar acreditavam que a garota passaria informações deles para que criminosos rivais pudessem mata-los. À polícia, eles confessaram o crime.

A adolescente foi morta asfixiada na madrugada do dia 22. Ela tinha saído para uma para uma festa. O corpo dela foi encontrado a cerca de 700 metros da casa do namorado.

Segundo a polícia, Alessandro Moreira Soares tinha um relacionamento com a vítima. Ele e o primo, José Ribamar de Jesus Neto, tinham envolvimentos com práticas criminosas no bairro e tinham rixa com outros criminosos. O G1 não conseguiu identificar os advogados de defesa dos presos.

“A Maria Eduarda tinha trânsito livre entre esses grupo, mas começou a se aproximar mais do Alessandro depois que ele foi expulso do bairro por criminosos rivais. Ele e o primo dele pensaram, então, que ela queria era armar a morte deles levando informações ao outro grupo”, disse o delegado Wellington Lemos.

Após a morte da adolescente, os dois suspeitos chegaram a ir até a delegacia para falarem que não tinham envolvimento com o crime e apresentar álibis. Porém, durante o interrogatório, Alessandro apresentou contradições e acabou confessando que tinha cometido o crime, apontando o prime como cúmplice. Segundo a corporação, José Ribamar também confessou envolvimento.

“A Maria Eduarda foi morta por asfixia, sendo usada uma camiseta para isso. Ela tinha convívio com pessoas do mundo do crime, mas, a princípio, não ficou comprovado que ela tinha intenção de armar uma emboscada para os dois”, explicou o delegado.

Os dois suspeitos foram presos em flagrante por homicídio com três qualificadoras. Eles foram encaminhados para o presídio da cidade. A polícia vai pedir a prisão preventiva dos dois à Justiça.

G1 Tocantins.

Delegado diz que namorado confessou ter matado Patrícia Aline ao ser preso

Iury Italu Mendanha foi encontrado em Campos Lindos e teria informado que matou a jovem com três tiros. Silas Barreira Borges também é suspeito e foi preso junto com Mendanha, ele não confessou.

O delegado de homicídios de Palmas, Israel Andrade, informou que Iury Italu Mendanha confessou o assassinato de Patrícia Aline dos Santos ao ser preso. Ele foi encontrado em Campos Lindos, no interior do Tocantins, e teria dado a declaração aos policias que participaram da operação. Iury alegou que agiu sozinho.

“Ele confessou ter cometido o crime de homicídio. Falou que chamou ela para conversar. Parece que ela falou para ele que já estava com outro. Segundo ele, atirou nela e saiu correndo. Disse que foi no mesmo local onde o corpo foi encontrado, mas não acredito nessa versão. Foi o que ele disse no momento da prisão, mas ainda vou ouvi-lo formalmente”, diz o delegado.

A Polícia Civil informou que ainda acredita que o amigo de Mendanha, Silas Barreira Borges, também esteja envolvido. Ele foi preso junto com Iury, mas não confessor participação no assassinato.

Os dois devem ser trazidos para Palmas até esta quarta-feira para serem ouvidos formalmente na Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa.

Suspeitos de matar Patrícia Aline são presos (Foto: Polícia Civil)Suspeitos de matar Patrícia Aline são presos (Foto: Polícia Civil)

Suspeitos de matar Patrícia Aline são presos (Foto: Polícia Civil)

O caso

A jovem foi encontrada morta em um matagal na última quinta-feira (9), perto de um shopping, na quadra 107 Norte, em Palmas. Dias antes do crime, ela pediu ajuda para uma amiga pelo WhatsApp, afirmando que o namorado queria matá-la.

Patrícia morava em Palmas há cerca de um ano e trabalhava como consultora de beleza. O primo disse que a família está assustada. O corpo da jovem foi enterrado em Serrana (SP) no último sábado (11).

Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em matagal na zona norte de Palmas (Foto: Arquivo Pessoal)Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em matagal na zona norte de Palmas (Foto: Arquivo Pessoal)

Patrícia Aline dos Santos foi encontrada morta em matagal na zona norte de Palmas (Foto: Arquivo Pessoal)

Câmera de segurança

Iury e Silas aparecem em um vídeo horas antes de a jovem ser encontrada morta. Nas imagens, gravadas pela câmera de segurança de uma padaria, é possível ver que Iury chega à casa de Patrícia acompanhado pelo amigo.

No vídeo, Iury chega dirigindo e desembarca sozinho do carro. Ele chama Patrícia na porta e os dois conversam por alguns minutos até que o homem, que seria Silas, também desce do veículo. Os três ficam no local por mais alguns minutos e voltam para o carro juntos, desta vez com Iury no banco do passageiro e Patrícia no banco de trás.

A jovem parecia tranquila e chegou a abraçar o suspeito durante a conversa. Amigos de Patrícia disseram à polícia que ela usou a mesma roupa durante todo o dia, o que pode indicar que ela não esperava a visita e não estava preparada para sair de casa. O vestido é o mesmo com o qual ela foi encontrada morta.

G1 Tocantins.

Idosa agredida e queimada em Orizona morre em hospital de Goiânia; namorado é suspeito

Filha da vítima afirma estar indignada e pede que o autor seja punido: ‘É um monstro’.

Idosa Rita Alves Barbosa, de 63 anos, morreu após ser agredida e queimada em Orizona, no sul de Goiás. Segundo a família, ela ficou dez dias internada, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu por causa de uma parada cardíaca na madrugada do último dia 12 de julho no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia.

O principal suspeito do crime, segundo a Polícia Civil, é o então namorado da vítima, Cícero Leite de Almeida, também de 63 anos. Há um mandado de prisão preventiva para o idoso emitido no último dia 9 de julho, mas ainda não foi cumprido.

“Minha mãe entrou na UTI em estado grave pelo que o mostro do Cícero fez com ela. Minha mãe não teve chance nem tempo de melhorar. O estado dela foi se agravando. […] Os pulmões ficaram ruins, ela começou a ter febre e sofreu nove paradas cardíacas”, desabafou a filha da vítima, a dona de casa Inês Alves, de 34 anos.

A parente afirmou que quer justiça pela mãe e pede que a Polícia Civil assuma as investigações do caso. Segundo ela, a família teme que o homem possa procurá-los também e causar ainda mais sofrimento.

“Hoje faz 23 dias que ele fez isso com a minha mãe e está ficando por isso. Eu, meu irmão, minha tia ate hoje não fomos chamados para depor. Já deu tempo dele fugir. Estamos correndo risco dele vir aqui fazer mal para a gente”, afirmou.

A assessoria da Polícia Civil informou que irá se posicionar sobre o caso na quinta-feira (26).

Investigação

Na época do ataque, o delegado responsável pelo caso, Igor Carvalho Carneiro, afirmou que o namorado era o principal suspeito do crime.

“Conforme os relatos, o casal estava discutindo […], quando ele bateu nela, jogou álcool e ateou fogo nela. Pouco depois, ele jogou uma coberta por cima, o que apagou as chamas, mas pegou R$ 200 e fugiu em uma moto vermelha”, relatou.

Ainda conforme o investigador, um dos filhos da vítima e enteado do idoso disse que a mãe passou a madrugada inteira sofrendo com as queimaduras, conseguiu caminhar até uma estrada de terra da região e caiu no chão, já sem forças para continuar andando.

“Segundo ele, uma pessoa passou por ela, viu que ela precisava de ajuda e a levou até uma padaria. De lá, chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências [Samu], que a levou até o Hospital São Pio X e, de lá, por causa da gravidade da situação, ela foi levada, de helicóptero, até Goiânia”, completou.

A Polícia Civil pede que, qualquer informação sobre o suspeito, seja repassada à corporação pelo 197.

G1 Tocantins.

Em Goiás: Jovem que morreu junto com o namorado em acidente estava grávida e planejava se casar

Casal e um amigo de 17 anos tinham saído de festa e voltavam para casa quando o acidente aconteceu. Veículo saiu da pista e caiu em uma vala, em Palmeiras de Goiás.

A dona de casa Francyelle Alcântara, de 28 anos, que morreu junto com o namorado e um amigo em um acidente na GO-156, estava grávida de dois meses e planeja se casar, conforme contou a irmã dela, Claudiane Pereira, de 32 anos. Segundo a família, as vítimas voltavam de uma festa quando o acidente aconteceu, em Palmeiras de Goiás, a 90 km de Goiânia.

“A gente não está acreditando, a gente a viu ontem, ela ainda pediu ajuda para escolher roupa para ir pra a festa, e aí acontece isso. Ela estava muito feliz, feliz com a gravidez, com o namoro”, disse a irmã.

O acidente aconteceu na madrugada de domingo (10). O namorado de Francyelle, o mecânico Esron Manoel, de 30 anos, era o motorista do Volkswagen Golf. A jovem viajava no banco da frente. No banco traseiro, estava um adolescente de 17 anos, que é primo do condutor.

De acordo com a família, o velório do casal deve ocorrer nesta segunda-feira (11), em horário a definir, na Igreja Cristã de Palmeiras de Goiás.

Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros Eduardo Monteiro, testemunhas contaram que o trio saiu de uma festa em Cezarina, por volta das 4h, com destino a Palmeiras de Goiás, onde moram. A distância entre as cidades é de cerca de 40 km.

O carro em que os amigos viajavam saiu da pista e caiu em uma vala aberta para uma obra da Ferrovia Norte-Sul, que, segundo moradores, está há cerca de um ano parada. O buraco tem cerca de 20 metros de profundidade.

Irmão de Francyelle, o lavrador Adriano Gomes acredita que a falta de iluminação da rodovia pode ter causado o acidente. Ele cobra providências.

“Aquilo não pode ficar daquele jeito, sem iluminação, com visibilidade péssima perto de um barranco de mais de 20 metros. Não é a primeira vez que tem acidente no mesmo lugar, falta sinalização, iluminação, tem que tomar providencias para não ter mais vítimas”, afirmou.

O site pediu um posicionamento, por e-mail, para a Valec, responsável pela obra da Ferrovia Norte-Sul, e para a Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), responsável pela rodovia, e aguarda retorno.

Carro cai em vala às margens da GO-156, em Palmeiras de Goiás (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)
G1 noticias

Adolescente é suspeita de matar namorado com faca de serra durante show de réveillon no Tocantins

Suspeita tem 16 anos e teria confessado o crime e alegado que matou por ciúmes. Ela disse ainda que acredita estar grávida, mas não apresentou exames que comprovem a gestação.

Uma adolescente de 16 anos foi apreendida como suspeita da morte do namorado de 21 anos em Barrolândia, na região central do Tocantins. O rapaz foi esfaqueado com uma faca de serra atrás de um palco onde acontecia o show de réveillon na cidade.

A Polícia Militar confirmou que foi acionada por seguranças da festa que encontraram a adolescente com a arma do crime nas mãos.

O delegado que cuida do caso, Aldo Pagliani, informou que a menor confessou o assassinato durante o depoimento. Ela teria dito que matou o rapaz por ciúmes, mas as circunstâncias exatas não foram divulgadas pelo delegado, uma vez que o caso ainda está sob investigação.

A menor foi levada com a mãe até a delegacia de Miracema do Tocantins para que o caso fosse registrado. A polícia agora procura uma vaga para a jovem em um centro de internação provisória para que ela responda pelo caso.

A Polícia Civil não informou se ela levou a faca até o local da festa com a intenção de cometer o crime ou se encontrou o objeto no local e usou no momento da discussão.

Durante o depoimento a jovem disse também que suspeita que esteja grávida, mas disse não ter feito nenhum exame para comprovar a gestação. Ela será examinada pelos médicos do sistema de internação provisória.

A noite da virada na cidade teve três shows, o principal era da banda gospel Louve e Adore. Também se apresentaram o artista Gilvaney Ferreira e a banda Agatassa Show.

Não foi informado qual das atrações estava no palco no momento do crime.

G1 Tocantins

Jovem suspeita de dar golpe em namorado virtual é presa em hotel de Palmas

Vítima mora no Pará e teria depositado quase R$ 33 mil na conta da jovem. Ela usava nome e endereço falsos para enganar o homem.

Uma jovem de 26 anos foi presa suspeita de dar um golpe de quase R$ 33 mil em um namorado virtual. Ela teria usado um nome falso e feito o homem acreditar que ela morava no Pará enquanto estava hospedada em um hotel de Palmas. A vítima é de São Luis do Maranhão. A jovem foi presa dentro do hotel, que fica na região central da cidade.

De acordo com a Polícia, a mulher utilizava o nome ‘Rafaela’ para enganar as vítimas. No quarto em que ela estava foram encontrados R$ 2,7 mil em dinheiro e vários objetos eletrônicos que teriam sido comprados com o dinheiro dado pela vítima.

A mulher vai responder pelo crime de estelionato, a Polícia Civil investiga o caso. Ela foi levada para o Presídio Feminino de Palmas onde vai aguardar decisão da Justiça.

G1/TO

Namorado acusado de matar fisioterapeuta volta a dizer que tiro foi acidental

Em Audiência, durante sessão, Diego Lima deu a mesma versão de quando foi ouvido na delegacia. Na saída do Fórum, parentes de Caillane Marinho o chamaram de ‘assassino’; crime ocorreu em Vianópolis, GO.

O engenheiro agrônomo Diego Henrique Lima, de 30, participou de uma audiência de instrução relacionado ao processo no qual é acusado de matar a namorada, a fisioterapeuta Caillane Marinho, de 27. O crime ocorreu em outubro do ano passado, em Vianópolis, região sul de Goiás. Assim como quando prestou depoimento na delegacia, o homem voltou a alegar que o tiro que matou a mulher foi acidental.

A sessão ocorreu na quarta-feira (30), no Fórum de Vianópolis. Diego estava acompanhado de seus advogados, que foram procurados pela TV Anhanguera, mas não quiseram falar sobre o caso.

O promotor de Justiça Júlio Alexandre da Silva, disse que há contradições no depoimento do acusado. “Essa versão apresentada pelo réu não coaduna nem com a parte lógica dos fatos que foram trazidos, tampouco com os depoimentos que já foram colhidos”, disse.

Parentes e amigos de Caillane foram ao Fórum embora não pudessem acompanhar a sessão. Na saída, quando Diego estava indo embora, eles começaram a chamá-lo de “assassino”.

A mãe de Caillane, a dona de casa Maria Lucélia Marinho, espera que o acusado seja punido pelo crime. “Espero justiça da terra e dos homens e também espero a justiça de Deus”, desabafa.

Morte

Caillane foi morta no dia 9 de outubro, na residência onde vivia com o namorado. Segundo as investigações, a jovem foi encontrada dentro de casa com um tiro na cabeça. Após o crime, Diego passou a ser procurado pela polícia, mas só se apresentou no dia 14 de outubro. Como tinha um mandado de prisão em aberto, ele foi preso.

Ao se entregar à Polícia Civil, Diego alegou que o disparo que matou a namorada foi acidental e aconteceu durante uma briga. Ele disse que pegou uma arma para se matar, mas que Caillane tentou tirar o armamento dele e acabou baleada.

No entanto, na ocasião, o delegado Marcos Vinícius Costa, responsável pelo inquérito policial, afirmou que essa versão contradiz as provas. “O laudo pericial diz que foi homicídio doloso. O tiro acertou entre a nuca e a orelha. Como uma pessoa tentar tirar a arma da outra de costas? Não tem como o disparo ter sido acidental”, afirmou.

O engenheiro ficou detido até o dia 3 de fevereiro, quando foi solto por meio de um habeas corpus. Desde então, responde ao processo em liberdade. No dia 13 do mesmo mês, a polícia fez uma reconstituição do homicídio.

Relação conturbada

Várias testemunhas disseram que o relacionamento entre os dois era bastante conturbado. De acordo com a polícia, o motivo da briga que culminou com o homicídio foi uma discussão sobre um relacionamento anterior dele. O suspeito ainda é casado, no papel, com outra mulher.

Cerca de duas semanas antes do crime, o engenheiro agrônomo escreveu uma carta para a namorada. No texto, o homem pede desculpas à jovem, diz que a ama e afirma: “Não te mereço e deixei tudo acabar”.

Caillane deixou uma filha de 7 anos que, segundo os parentes, ficou muito abalada com a morte da mãe. 

Fisioterapeuta Caillane Marinho foi morta dentro de casa após ser baleada (Foto: Reprodução/Facebook) Morte
Fisioterapeuta Caillane Marinho foi morta dentro de casa após ser baleada (Foto: reprodução/Face)

G1/GO