Corpos de mãe e filho mortos em acidente são velados no Tocantins

Caminhonete onde vítimas estavam foi atingida por caminhão na BR-153, perto de Brasilândia do Tocantins. Marido de vítima sobreviveu e está internado em hospital.

Os corpos de Gelsa Maria Marques Guimarães e do filho João Paulo Marques Santana, que morreram na noite desta terça-feira (12) em um acidente na BR-153, estão sendo velados no salão de uma funerária em Araguaína. Os dois estavam em uma caminhonete que foi atingida por um caminhão. O marido de Gelsa, Lorisvaldo Ferreira Santana, sofreu ferimentos e está internado no Hospital Regional de Colinas.

Segundo informações de parentes às 11h os corpos serão levados para Rio Verde (GO) onde serão enterrados.

A batida aconteceu no km 265, perto de Brasilândia do Tocantins, região central do estado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, um caminhão invadiu a pista contrária para não bater em um carro que estava na sua frente. No momento, a caminhonete onde estavam as vítimas foi atingida pelo caminhão, conforme a polícia.

O motorista da caminhonete Lorisvaldo ficou gravemente ferido. Já Gelsa e João Paulo morreram no local. Um quarto ocupante do veículo não teve ferimentos.

O motorista do caminhão não sofreu ferimentos e foi levado para a delegacia de Polícia Civil em Colinas do Tocantins. Ele foi ouvido e liberado. O condutor disse que seguia em direção a Goiânia.

Carro ficou destruído após batida que matou três da mesma família (Foto: Divulgação)

G1 Tocantins

Batida entre caminhões deixa três mortos na BR-153 em Nova Olinda

Bombeiros precisaram de equipamentos para resgatar um dos corpos que ficou preso às ferragens. Pista ficou cheia de óleo e serragem foi utilizada para evitar novos acidentes.

Um acidente entre dois caminhões deixou três mortos na BR-153. Um dos corpos ficou preso às ferragens e precisou ser resgatado pelo Corpo de Bombeiros com equipamentos especiais.

Duas das vítimas são Silvandir Gonzaga de Castro e Terononice Alves Pinto Filho, um dos passageiros ainda não foi identificado.

A batida foi a cerca de 10 quilômetros da cidade de Nova Olinda, no norte do estado, pouco depois de 1h desta quarta-feira (6). Um dos veículos era um caminhão bitrem e outro um caminhão do tipo munck. Como a pista ficou cheia de óleo foi preciso usar serragem para evitar novos acidentes no local.

Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal de Araguaína. Não há informações sobre as causas do acidente.

G1/Tocantins

Parentes de mortos por leishmaniose visceral relatam demora no diagnóstico da doença

Em Gurupi, duas pessoas morreram nos últimos dias. Em todo o Tocantins, 203 casos foram confirmados, entre janeiro e novembro deste ano.

Parentes de duas pessoas que morreram vítimas de leishmaniose visceral, conhecida no Tocantins como calazar, relataram a demora no diagnóstico da doença.

O morador de Gurupi Alessandro Souza relembrou o sofrimento da mãe, a dona de casa Valnice Maria Pereira de Sousa Mendes, de 54 anos, à procura de respostas para os sintomas. Ela morreu na última quinta-feira. 

“Ela começou com falta de apetites, começou a emagrecer. Ela estava fazendo exames na cidade. Ela consultava e os médicos pediam um exame, outro, mas nunca pediam o de calazar. Ela, então, ficou internada durante 37 dias, e eles vieram a pedir o exame de calazar com 25 dias que ela estava internada. Acho que demorou muito”, argumenta Alessandro.

A dona de casa Iranilde Pereira perdeu o filho de 29 anos neste mês. Bonfim Pereira de Souza também morreu vítima da doença. Ela conta que os médicos demoraram a descobrir que ele estava com a doença. “Demorou muito ele conseguir ser atendido pelo tratamento. Ele já estava muito fraco”.Valnice Maria, de 54 anos, morreu vítima de leishmaniose viceral.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, este ano foram registrados em Gurupi 20 casos confirmados da doença. No ano passado foram cinco. Em todo o estado, 203 casos foram confirmados. No ano passado, foram 228.

Em Gurupi, a população está preocupada. Várias ações de combate e controle da doença estão sendo realizadas. “Tem que ter consciência, a população tem que estar cuidando dos seus quintais. Aí sim o problema vai ser resolvido. A parte de prevenção, o Centro de Zoonozes está fazendo”, explica o coordenador do CCZ de Gurupi, Henrique Alencar.

A Secretaria Estadual da Sáude não respondeu aos questionamentos sobre a demora no diagnóstico.

Outros casos

Em agosto, um bebê de 10 meses morreu com a doença após ser transferida para Palmas. A menina morava no bairro Jardim dos Buritis, onde pelo menos outras três crianças estavam fazendo tratamento contra a doença.

A doença é transmitida pelo mosquito-palha e também teve registros em outras regiões do Tocantins. Em Tocantinópolis, por exemplo, 50 casos suspeitos foram notificados até agosto, sendo que pelo menos 10 já foram confirmados.

A doença

O calazar é uma doença transmitida pelo mosquito-palha ou birigui. Ao picar, ele introduz na circulação do hospedeiro o protozoário Leishmania Chagasi. O número da doença aumenta, geralmente, por causa do grande número de cachorros infectados. Isso porque os animais são hospedeiros da doença. 

G1/Tocantins

Casal de jornalista está entre as vítimas de acidente com seis mortos na GO-210

Batida envolveu três veículos e aconteceu entre Santa Helena de Goiás e Rio Verde.

O casal de jornalistas Leandro Silva Santos e Amarilse Oliveira Quaresma, conhecida como Mari Oliveski, está entre as vítimas do acidente que matou seis pessoas na GO-210, entre Santa Helena de Goiás e Rio Verde, no sudoeste de Goiás. A batida envolveu três veículos.

A colisão envolvendo um Honda Civic, um Toyota Corolla e um VW Gol aconteceu na segunda-feira (23). As causas do acidente ainda serão apuradas.

“Ainda não sabemos como tudo ocorreu, mas temos informações de que um dos carros, não sabemos qual, tentou uma ultrapassagem, bateu de frente com outro e o terceiro bateu na traseira de um deles”, disse. O capitão da Polícia Rodoviária Estadual Leandro Moreira Freira.

O casal de jornalista estava em um Volkswagem Gol. Leandro, de 38 anos, e a esposa, Mari, de 43 anos, morreram no local. Eles trabalhavam em Rio Verde e chegaram a fazer reportagens juntos, ele como repórter e ela como cinegrafista.

Outras quatro pessoas estavam no Honda Civic, sendo que três morreram: João Batista Marçal Filho, de 26 anos, Anderson Goveia de Oliveira, de 22 anos, e Diego da Silva Lucas, de 20.

O quarto passageiro, de 17 anos, está internado no Hospital de Urgências do Sudoeste Goiano, em Santa Helena. O site entrou em contato por email com a assessoria de imprensa e aguarda resposta sobre o estado de saúde do adolescente.

Já no Toyota Corolla estavam Elísia Ferreira Alves, de 52 anos, que morreu no local, e um homem. O ocupante que sobreviveu foi levado à UPA de Rio Verde para ficar sob observação. O G1 não conseguiu o estado de saúde do paciente.

G1/GO

Sobe para seis o número de mortos em acidente na GO-210

Cinco pessoas morreram no local da batida, e a sexta em um hospital de Rio Verde. Colisão entre Rio Verde e Santa Helena de Goiás envolveu três carros.

Subiu para seis o número de pessoas que morreram por causa do acidente na GO-210, entre Santa Helena e Rio Verde, no sudoeste goiano. A batida envolveu três veículos e ocorreu na noite de segunda-feira (24). Outras duas pessoas ficaram feridas e estão internadas.

O capitão da Polícia Rodoviária Estadual Leandro Moreira Freira explicou que os veículos envolvidos são um Honda Civic, um Toyota Corolla e um VW Gol. Ele disse que a causa do acidente deve ser investigada.

“Ainda não sabemos como tudo ocorreu, mas temos informações de que um dos carros, não sabemos qual, tentou uma ultrapassagem, bateu de frente com outro e o terceiro bateu na traseira de um deles”, disse.

Cinco ocupantes dos veículos morreram no local do acidente. Outra pessoa foi socorrida e levada para a Unidade de Pronto Atendimento de Rio Verde, mas não resistiu e morreu horas depois, segundo informações da assessoria de imprensa do município.

Os mortos são quatro homens e duas mulheres. Eles têm idades entre 20 e 54 anos.

Quatro pessoas estavam no Honda Civic, sendo que três morreram: João Batista Marçal Filho, de 26 anos, Anderson Goveia de Oliveira, de 22 anos, e Diego da Silva Lucas, de 20.

O quarto passageiro, de 17 anos, está internado no Hospital de Urgências do Sudoeste Goiano, em Santa Helena. A unidade de saúde não informou o quadro do paciente.

Já no Toyota Corolla estavam Elísia Ferreira Alves, de 52 anos, que morreu no local, e um homem. O ocupante que sobreviveu foi levado à UPA de Rio Verde. Segundo a unidade de saúde, ele está em observação e deve ser liberado nas próximas horas.

Os dois passageiros do Volkswagem Gol morreram no local do acidente: Leandro Silva Santos, de 38 anos, e a mulher, Amarilse Oliveira Quaresma, de 44.

G1 Goiás

Acidente entre dois carros deixa quatro mortos na BR-060

PRF informou que batida aconteceu após VW Polo fazer conversão irregular e ser atingido por um Ford Fusion. Vítimas foram arremessadas para fora do veículo.

Quatro pessoas morreram na noite de domingo (6) em uma batida entre dois carros na BR-060, em Acreúna. A Polícia Rodoviária Federal informou que o acidente aconteceu após uma conversão irregular.

As vítimas estavam em um VW Polo. O motorista tentou fez a manobra irregular e foi atingido por um Ford Fusion, que seguia no sentido oposto. Com o impacto, os ocupantes do primeiro veículo, dois homens de 65 e 61 anos, uma mulher, de 51, e um adolescente, de 13, foram arremessados para fora do carro.

Os adultos morreram no local. O garoto chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para Indiara, mas não resistiu aos ferimentos.

Os ocupantes do Ford Fusion, dois estudantes de odontologia, de 28 e 23 anos, tiveram ferimentos leves e também foram atendidos pelo Samu.

G1/GO

Acidente com ambulâncias, carreta e ônibus deixa 15 mortos

Outras 20 pessoas ficaram feridas na colisão, considerada grave.

A colisão de duas ambulâncias com uma carreta e um ônibus deixou 15 mortos e pelo menos 20 feridos em Guarapari, no Espírito Santo. A maioria das vítimas morreu carbonizada. O acidente, confirmado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), às 9h18, ocorreu no KM 343 da BR-101, próximo à capital, Vitória. Conforme informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o número de mortos pode aumentar.

A BR-101 foi interditada nos dois sentidos por causa das chamas que consumiram os veículos e do vazamento de óleo. O bloqueio parcial segue. Segundo a PRF, a carreta carregada de pedras invadiu a contramão e colidiu de frente com o ônibus da Viação Águia Branca. O coletivo saiu de São Paulo para Vitória. As ambulâncias, dos municípios de Jerônimo Monteiro e Alfredo Chaves, seguiam atrás do ônibus e também foram atingidas.

De acordo com a PRF, os feridos estão sendo levados aos hospitais Jayme Santos Neves, Antônio Bezerra de Faria e São Lucas, na Grande Vitória. O secretário de Saúde de Jerônimo Monteiro, José Maria Justo, disse que a ambulância transportava o motorista, três pacientes e dois acompanhantes. 

Ao tentar desfiar da colisão, o condutor acabou acertando a ambulância de Alfredo Chaves. O motorista morreu, mas os passageiros não tiveram ferimentos. “Estamos com um sentimento de tristeza muito grande. Perdemos um colega de trabalho”, disse o secretário ao G1. O carro de Alfredo Chaves informou que na ambulância do município estavam um motorista, uma paciente e um acompanhante. Nenhum corre risco de morte.

Noticias ao Minuto

Acidente de ônibus em Minas deixa 9 mortos e 18 feridos

A suspeita é de que o ônibus trafegasse em alta velocidade.

Um acidente com ônibus durante a madrugada desta segunda-feira, 19, na BR-251, em Salinas, no norte de Minas Gerais, deixou pelo menos nove mortos e 18 feridos, conforme informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O veículo saiu da pista e capotou.

A corporação investiga as causas do capotamento, mas a suspeita é de que o ônibus trafegasse em alta velocidade. O veículo partiu de São Paulo e seguia para Euclides da Cunha, na Bahia. O acidente aconteceu por volta das 4 horas.

Ainda segundo a PRF, ainda não é possível dizer a qual empresa o ônibus pertencia.

A Polícia Militar em Salinas informou que o trecho da rodovia em que o ônibus tombou é sinuoso e registra alto índice de acidentes. A BR-251 dá acesso à BR-116, conhecida como Rio-Bahia.

Por volta das 9h30, a ocorrência ainda estava em andamento – é possível que o número de vítimas aumente.

Noticias ao Minuto

Mortos são mantidos em casa e tratados como vivos

Por que o vovô está sempre dormindo?’, pergunta criança.

Os mais de um milhão de habitantes da região de Tana Toraja, na ilha de Sulawesi, na Indonésia, cultuam uma tradição secular bastante peculiar: eles mantém os corpos dos seus parentes mortos dentro de casa e agem como se eles estivessem vivos.

Segundo a tradição, o funeral é realizado somente depois de meses da morte. Enquanto isso, os corpos são mantidos na casa das famílias, que tratam deles como doentes. Os cuidados incluem levar comida, bebida e cigarro duas vezes ao dia. Os corpos são limpos e as roupas trocadas regularmente. Eles têm até um recipiente para fazerem as “suas necessidades”, segundo reportagem da BBC.

As famílias temem que, se não cuidarem dos corpos de forma correta, os espíritos podem voltar para assombrá-las. 

Antigamente, folhas e ervas especiais eram esfregadas no corpo dos mortos para preservá-los. Hoje em dia, muitos usam formol, o que deixa a casa com um odor forte.

O corpo de Paulo Cirinda, por exemplo, que morreu há 12 anos, fica em um quarto da casa. “Como vai seu pai?”, perguntou um dos convidados à filha dele, Mamak Lisa. Ela respondeu: “ele ainda está doente”.

“Por que o vovô está sempre dormindo?”, perguntou um dos netos ao repórter da BBC. “Vovô, acorde e vamos comer”, gritou outro. “Shhh… Parem de importunar o vovô; ele está dormindo. (…) Vocês vão deixá-lo zangado”, disse a mãe.

Segundo a crença dos Torajans, os funerais são eventos nos quais a alma finalmente deixa a Terra e começa sua longa e difícil jornada para a Pooya, que é o estágio final da vida após a morte, onde a alma reencarna. Os rituais incluem um grande cortejo e cerimonial, para o qual são feitos anos de economia.

Noticias ao Minuto

Deslizamentos deixam pelo menos 16 mortos

Chuvas fizeram dezenas de vítimas na cidade de Manizales, capital do departamento de Caldas, na Colômbia.

Pelo menos 16 pessoas morreram e sete estão desaparecidas após deslizamentos de terra causados pela forte chuva que atingiu ontem (19) à noite a cidade colombiana de Manizales, capital do departamento de Caldas, no centro do país, segundo o último balanço da Cruz Vermelha.

As chuvas atingiram oito bairros, há cerca de 100 imóveis afetados e 23 feridos, confirmou à Agência EFE uma fonte da Cruz Vermelha.

Os bairros mais afetados pelos deslizamentos são os de Aranjuez, Persa, Sierra Morena, González e Granjas e Viviendas, com mais de 400 mil habitantes e situada em região montanhosa.

Em entrevista por telefone, o prefeito de Manizales, José Octavio Cardona, disse que a chuva torrencial de ontem não têm antecedente na cidade.

“O que acontece é que temos históricos de chuva que nunca tinham sido registrados em Manizales”, afirmou o governante, acrescentando que “ontem à noite caíram 96 milímetros, e o histórico médio da cidade estava em 85”, de acordo com o Instituto de Hidrologia, Meteorologia e Estudos Ambientais (Ideam). Em uma noite choveu mais do que costuma chover em um mês.

Essa nova tragédia ocorre 20 dias depois de um deslizamento que deixou mais de 300 mortos na cidade colombiana de Mocoa, capital do departamento de Putumayo, no Sul do país.

Diante da emergência em Manizales, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, visitou a região. “Nossos corações estão com as famílias das vítimas. Viemos prestar nossa solidariedade e acompanhá-los nessa tragédia”, disse Santos, que pediu que a população se mantenha em alerta permanente devido à previsão do Ideam de mais chuva em Manizales.

Por sua vez, o diretor-geral da Unidade Nacional para Gestão do Risco de Desastres (UNGRD), Carlos Iván Márquez, afirmou que os trabalhos se concentrarão na busca das pessoas desaparecidas.

“A assistência humanitária está garantida e o processo de recuperação de moradias será uma das metas do plano de ação. Faremos uma visita à região com o presidente da República”, disse Márquez.

Ele anunciou ainda que serão distribuídos kits para 500 famílias com ajuda humanitária alimentar e não alimentar, além de um subsídio de 150 mil pesos (R$ 150) às famílias afetadas para que se desloquem para moradias temporárias. Com informações da Agência Brasil.

Noticias ao Minuto