Namorado de adolescente amordaçada e morta a facada diz à polícia que ex que confessou crime nunca fez ameaças

Delegado aguarda laudos para concluir inquérito; Inglide Rose de Moura, 26, foi presa em Aloândia e confessou ter matado, por ciúmes, Nayara Xavier, 17, em Goiatuba, no sul de Goiás.

A namorado de Nayara Xavier, de 17 anos, amordaçada e morta a facadas em Goiatuba, na região sul do estado, disse em depoimento à Polícia Civil que a ex-mulher, Inglide Rose Tavares de Moura, que confessou o crime após ser presa, nunca havia ameaçado o casal. Segundo o delegado Patrick Carniel, a corporação aguarda laudos para conclusão do inquérito.

“Ele [namorado] foi ouvido no primeiro dia, ainda na madrugada do crime e também prestou depoimento após a prisão de Inglide. Ele relatou que ele e Nayara tinham um relacionamento tranquilo e que a suspeita nunca havia ameaçado o casal. Agora estamos aguardando o laudo cadavérico e de local de crime para remetermos o caso ao Judiciário”, disse o delegado.

Inglide foi presa na terça-feira (14), em Aloândia, um dia após Nayara ser encontrada morta e amordaçada dentro da casa em que vivia como namorado, em Goiatuba. A principal suspeita do crime confessou o homicídio a polícia e deu detalhes sobre como amordaçou a adolescente.

No vídeo gravado pela Polícia Civil, Inglide Rose Tavares de Moura diz que deu uma facada na adolescente e tapou a boca dela para que ela não gritasse (assista abaixo).

“Ela [Nayara] veio e falou ‘vai embora’ e me empurrou. Aí eu peguei e fiz assim com a faca e a cortou. Ela viu que eu estava com a faca. Aí cortou. Aí ela ia gritar, uma pessoa pegou e bateu palma. Eu não sei quem foi, não sei se era na casa lá”.

“Aí eu peguei e empurrei ela para a cama, ‘coisei’ a mão dela e tampei a boca dela”, diz a suspeita.

Adolescente é encontrada morta, amordaçada e com mãos amarradas dentro de casa em Goiatuba

Adolescente é encontrada morta, amordaçada e com mãos amarradas dentro de casa em Goiatuba.

O corpo de Nayara foi levado, na madrugada de terça-feira (14), par ao Instituto Médico Legal (IML) de Itumbiara, também na região sul de Goiás. O G1 entrou em contato com o órgão, às 8h20 desta quinta-feira (16), por telefone, mas o instituto não informou se o corpo da adolescente permanece ou não no local.

Segundo o delegado, a família de Nayara é do interior da Paraíba e estaria providenciando o traslado.

Crime

Nayara foi achada sem vida na noite de segunda-feira (13) na casa onde morava com o namorado e local onde o crime ocorreu, em Goiatuba. Ela estava amordaçada e com as mãos amarradas. Segundo a corporação, a suspeita é que Inglide, presa na terça-feira (14), em Aloândia, tenha cometido o assassinato por ciúmes.

“Após uma discussão, Inglide, fazendo uso de uma faca, golpeou o pescoço e amarrou as mãos da vítima para trás com uso de fita adesiva, usou a mesma fita para tampar a boca da vítima e ainda colocou um saco plástico na cabeça [da adolescente]”, explicou o delegado Parick Carniel, que investiga o caso.

Segundo ele, a vítima estava morando na casa do namorado e foi encontrada por ele, já sem vida, por volta de 23h no mesmo dia. Após o crime, a Polícia Civil foi acionada e, no decorrer das investigações, chegou até Inglid.

Inglide Rose Tavares de Moura, de 26 anos, foi presa suspeita de matar Nayara Xavier (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Inglide Rose Tavares de Moura, de 26 anos, foi presa suspeita de matar Nayara Xavier (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Inglide Rose Tavares de Moura, de 26 anos, foi presa suspeita de matar Nayara Xavier (Foto: Divulgação/Polícia Civil).

Mudança de versão

“Em seu primeiro interrogatório, que ocorreu na manhã de hoje, [a presa] negou ter ido até a residência ou qualquer participação no crime. Após policiais civis realizaram várias diligências, e apresentarem os resultados à investigada, comprovando que a versão dela não teria sustentação em razão das contradições, Inglide confessou o crime e deu detalhes de como aconteceu”, completou Patrik.

Também conforme o delegado, a mulher teve a prisão temporária – de 30 dias – decretada pela Justiça e está detida. Nesse período, a Polícia Civil deve concluir as investigações, mas o Patrik adiantou que ela deve ser indiciada pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe e por impossibilitar a defesa da vítima. Se for condenada, pode ficar presa por até 30 anos.

G1 Tocantins.

Mulher é morta com golpes de faca no pescoço em restaurante às margens da BR-153

O crime aconteceu no estabelecimento da vítima, próximo a Xambioá. A Polícia Civil investiga o caso e acredita que possa se tratar de um latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

Maria Domingas Pereira foi morta com golpes de faca no pescoço. O corpo foi encontrado no início da manhã desta quarta-feira (15), no restaurante dela, que fica às margens da BR-153, próximo a Xambioá.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a bolsa com todos os documentos, uma televisão e dinheiro foram levados do estabelecimento. A Polícia Civil investiga o caso e acredita que possa se tratar de um latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

G1 Tocantins.

Adolescente é encontrada morta, amordaçada e com mãos amarradas dentro de casa, em Goiás

Polícia Civil informou que investiga o caso e está ouvindo pessoas suspeitas de envolvimento com o crime.

A adolescente Nayara Xavier, de 17 anos, foi encontrada morta, amordaçada e com as mãos amarradas na casa onde ela morava em Goiatuba, na região sul de Goiás. Segundo a Polícia Civil, a vítima teve uma perfuração no pescoço e estava com um saco na cabeça.

O delegado Parick Carniel, responsável pela investigação do caso, confirmou o homicídio e disse que está ouvindo pessoas nesta tarde. Segundo ele, a Polícia Civil está interrogando possíveis suspeitos do caso e apura as motivações e a dinâmica do crime.

Nayara Xavier, de 17 anos, é encontrada morta em casa (Foto: Reprodução/Facebook)Nayara Xavier, de 17 anos, é encontrada morta em casa (Foto: Reprodução/Facebook)

Nayara Xavier, de 17 anos, é encontrada morta em casa (Foto: Reprodução/Facebook)

O corpo da vítima foi retirado do local pelo Instituto Médico Legal (IML) de Itumbiara na madrugada desta terça-feira (14). Segundo o órgão, todos os exames já foram realizados e a Polícia Técnico Científica aguarda representação da família para retirar o corpo.

G1 Tocantins.

Mãe morta a tiros entrou na frente de arma para proteger o filho

Ela morreu após levar quatro disparos em bairro de Araguaína, norte do Tocantins. Caso aconteceu durante o aniversário do filho da mulher e atiradores seriam traficantes.

A polícia confirmou que Vera Felipe de Sousa Silva, de 62 anos, morreu tentando proteger o filho de disparos feitos por criminosos. O caso foi registrado na noite deste domingo (12) em Araguaína, norte do Tocantins. Segundo a Polícia Civil, o filho da vítima tem passagem por tráfico de drogas e teria sido morto por traficantes.

O caso foi registrado na porta de uma casa no setor Araguaína Sul, onde um grupo de pessoas comemorava o aniversário do filho da vítima, Manoel de Felipe da Silva, de 31 anos. A mulher foi morta com pelo menos quatro tiros.

Testemunhas contaram à polícia que dois homens chegaram em uma motocicleta e depois de uma discussão sacaram a arma para atirar no homem. Ele também foi atingido e está internado. Os suspeitos fugiram.

Segundo a Polícia Civil, a casa em que aconteceu o crime era utilizada como depósito de drogas. Além disso, o local era conhecido dos investigadores.

“A vítima em si, a dona Vera, não tinha envolvimento com o tráfico, mas já era de conhecimento de toda a Polícia Civil e Militar da cidade que os filhos dela seriam envolvidos nessa atividade criminosa”, contou o delegado regional Bruno Boaventura.

Segundo ele, a principal linha de investigação é de que o crime tenha se tratado de um acerto de contas. “O que a gente acha que ocorreu foi justamente isso, um acerto de contas entre uma gangue rival da cidade, que foi tirar satisfações com o filho da vítima e ela, desesperada, se colocou no meio dos tiros e acabou falecendo”, finalizou.

Por noticia ao minuto

Jovem encontrada morta em matagal pediu ajuda para amiga no Whatsapp: “Yure quer me matar”

O principal suspeito do crime é o namorado da vítima Iury Italo Medanha que ainda não foi encontrado. Na casa dele os policiais apreenderam duas espingardas e munições.

A Polícia Civil apontou Iury Italu Medanha como principal suspeito do assassinato de Patrícia Aline dos Santos, ele era namorado da vítima. A jovem de 29 anos foi encontrada morta e seminua em um matagal nesta quinta-feira (9), perto de um shopping, na quadra 107 Norte, em Palmas. Dias antes do crime, ela pediu ajuda para uma amiga pelo Whatsapp, afirmando que o namorado queria matá-la.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Israel Andrade, o corpo de Patrícia tinha marcas de tiros e ferimentos no rosto. Testemunhas disseram que a vítima e o namorado estavam juntos há dois meses e tinham um relacionamento conturbado.

“Na nossa linha de investigação, o principal suspeito do crime é o atual namorado da Patrícia, o Iury. Várias testemunhas apontam que era um relacionamento conturbado. E que eles tinham terminado e voltado, então ele descobriu que ela tinha ficado com alguém, não gostou e passou a ameaçá-la, inclusive com um revólver. Há vários pedidos dela de socorro, reclamando da agressividade do Iury”, disse Andrade.

A polícia procura pelo suspeito que ainda não foi econtrado. Na casa dele, os policiais apreenderam duas espingardas e munição.

“Nem a família dele consegue contato com ele desde ontem. Estamos à procura dele para ser ouvido. Há fortes indícios contra ele e se encontrado vai ser preso em flagrante. Caso ele não seja encontrado, tomaremos as medidas necessárias para que ele seja preso em qualquer outro momento.”

Patrícia pediu ajuda a amiga antes de ser morta (Foto: Reprodução/Whatsapp)Patrícia pediu ajuda a amiga antes de ser morta (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Patrícia pediu ajuda a amiga antes de ser morta (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Entenda

O corpo de Patrícia Aline Santos, de 29 anos, foi encontrado num matagal, perto de um shopping na região norte de Palmas, na manhã desta quinta-feira (9). O corpo foi achado por funcionários que trabalham na construção da avenida NS-15. A Polícia Militar e o Instituto Médico Legal (IML) foram ao local e as informações da testemunha estão sendo investigadas.

Testemunhas acreditam que o corpo tenha sido deixado na região, pois os funcionários que chegam cedo para trabalhar não o viram pela manhã.

Corpo de Patrícia foi encontrado em matagal (Foto: Arquivo Pessoal)Corpo de Patrícia foi encontrado em matagal (Foto: Arquivo Pessoal)

Corpo de Patrícia foi encontrado em matagal (Foto: Arquivo Pessoal).

G1 Tocantins.

Funcionária de motel é morta a tiros após sair do trabalho de mototáxi

Segundo PM, Débora Gomes da Silva, 25, foi atingida por vários tiros e morreu no local; motociclista ficou ferido e foi levado ao hospital. Polícia Civil apura o caso.

A auxiliar de limpeza de um motel foi morta a tiros, nesta segunda-feira (6), logo após sair do trabalho de mototáxi, em Rio Verde, na região sudoeste de Goiás. De acordo com a Polícia Militar, Débora Gomes da Silva, de 25 anos, estava na garupa da moto quando foi baleada e morreu no local. Motociclista ficou ferido e foi levado ao hospital.

Conforme a corporação, o mototaxista foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros, que não divulgou para qual unidade de saúde ele foi levado. O G1 tentou contato com o Hospital Municipal de Rio Verde, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.

Segundo o sargento Ronaldo Feliciano Oliveira, policial militar que compareceu ao local do crime, a mulher já tinha antecedentes criminais. “O que a gente pode levantar até agora foi só a ficha criminal dela, que tem passagens, mas o que motivou o crime a gente não sabe. Isso ficará a critério da Polícia Civil, responsável pela investigação”, disse.

O crime ocorreu por volta das 7h50 desta segunda-feira, na Rua PVW, às margens da BR-452, no Setor Industrial, em Rio Verde.

Testemunhas que estavam em um posto de combustíveis, que fica em frente ao local do assassinato, disseram à polícia que uma moto com dois homens emparelhou com o mototaxista e um deles atirou várias vezes contra Débora.

Em entrevista ao G1, o delegado Carlos Roberto Batista disse que os investigadores já estão a campo tentando identificar pistas que possam esclarecer a motivação e a autoria do crime.

“Estamos com equipes nas ruas, levantando dados e, o mais breve possível, teremos informações sobre este caso”, afirmou.

O corpo de Débora foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade e até as 13h15 desta segunda-feira não havia sido liberado à família.

G1 Tocantins.

Aposentada de Goiás é sequestrada por assaltantes e morta em Mato Grosso

Elza Aparecida Flores Santos, de 66 anos, foi sequestrada na cidade de Aragarças, em Goiás.Três pessoas foram presas suspeitas de terem sequestrado e matado a vítima.

Uma aposentada foi sequestrada e assassinada na noite desta quinta-feira (26), em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, a vítima, Elza Aparecida Flores Santos, de 66 anos, foi sequestrada na cidade de Aragarças, em Goiás, e morta em Barra do Garças.

O sequestro, a morte e a localização do corpo ocorreram durante a quinta-feira.

Casal preso suspeito de matar aposentada em Goiás (Foto: Lucas Iglesias/ Centro América FM)

Três pessoas foram presas suspeitas de terem sequestrado e matado a vítima. A Polícia Civil de Goiás dará detalhes sobre o caso na manhã desta sexta-feira (27) em uma coletiva em Aragarças.

De acordo com a polícia, Elza foi sequestrada na casa dela na quinta-feira, no setor Araguaia, em Aragarças, por um casal. A cidade goiana é vizinha a Barra do Garças e é separada por um rio.

Os sequestradores saíram no carro da vítima. O veículo foi encontrado na noite de quinta-feira, em Nova Xavantina, a 651 km de Cuiabá, com uma outra pessoa.

Através dessa pessoa, que foi presa, os policiais localizaram o casal, que confessou ter assassinado a aposentada. O corpo foi encontrado ainda durante a noite numa estrada vicinal do Distrito de Vale dos Sonhos, em Barra do Garças.

G1Goiás

Crianças encontram idosa morta ao tentar pegar bola no quintal da casa dela

Maria José da Silva, de 78 anos, era dona da casa, mas não morava no local. Corpo foi descoberto na tarde desta quinta-feira (26).

Um grupo de crianças que brincava na Arse 122 (Antiga 1206 Sul) acabou encontrando o corpo de uma idosa no fim da tarde desta quinta-feira (26). Eles estavam jogando futebol na rua quando a bola caiu no quintal de uma casa. Como ninguém atendeu a porta quando chamaram, um deles pulou o muro para buscar o brinquedo.

Quando a criança entrou viu que Maria José da Silva, de 78 anos, estava caída no quintal. Eles avisaram um adulto que chamou a Polícia Militar e o SAMU. A suspeita é de que a morte seja por causas naturais, já que não havia marcas de violência no corpo.

A família informou que Maria José não morava no local, mas era dona do imóvel. Ela teria passado a noite na casa para regar plantas e fazer a manutenção e deveria voltar para a casa da filha nesta noite.

O corpo da idosa foi levado para o Instituto Médico Legal de Palmas. Ainda não há informações sobre se a morte foi na noite de quarta-feira (25) ou durante o dia.

Suspeita é de que morte seja por causas naturais (Foto: Letícia Queiroz/TV Anhanguera)Suspeita é de que morte seja por causas naturais (Foto: Letícia Queiroz/TV Anhanguera)

Suspeita é de que morte seja por causas naturais (Foto: Letícia Queiroz/TV Anhanguera)

G1 Tocantins.

Mãe de menina morta com golpe de foice diz que ex era violento, mas não imaginava crime contra filha: ‘Monstro’

Homem foi preso em flagrante pelo homicídio. Thaynara Gonçalves conta que sofria agressões durante o casamento.

A dona de casa Thaynara Gonçalves, de 21 anos, diz que o ex-marido, preso suspeito de matar a filha de 2 anos e 6 meses com um golpe de foice, sempre foi violento durante o casamento, mas não imaginava que ele pudesse fazer qualquer coisa contra a filha. “Ele é um monstro, não é um homem”, disse. O lavrador Fabiano Medeiros, de 27 anos, foi detido em flagrante em Minaçu, no norte de Goiás, na terça-feira (29).

Thaynara e Fabiano foram casados por um ano e tiveram a Ana Julya. A jovem conta que durante o relacionamento, sofria agressões por parte do rapaz. “Ele me batia, fugi várias vezes. Uma vez quase me matou quando estava grávida ainda. Foi por isso que separei”, contou.

Apesar disso, ela não esperava que ele pudesse fazer qualquer coisa contra a filha. “Ele era violento comigo, não com ela. Tanto que a Ana Julya sempre ia para a casa dele, voltava, não acontecia nada. Então isso causa uma revolta”, contou.

Mesmo depois de separada, ela conta que sofria ameaças do ex-marido. “Ele estava sempre bêbado, ou tinha fumado maconha, então não chegava a denunciar porque achava que isso era porque ele tinha bebido”, completou.

Ana Julya morreu com golpe de foice na cabeça, em Minaçu (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Travesti é morta a tiros em ponto de ônibus em Goiás

Segundo a Polícia Civil, Paola Oliveira, de 35 anos, teria sido baleada após pegar o celular de um cliente que se recusou a pagar o programa.

Uma travesti de 35 anos foi morta a tiros em um ponto de ônibus, na noite desta terça-feira (20) em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal.

De acordo com a Polícia Civil, um homem se aproximou e, após uma discussão, atirou contra ela. A principal suspeita da corporação é a de que a vítima, identificada como Paola Oliveira, tenha sido morta por um cliente que se recusou a pagar o programa.

Segundo o delegado Maurício Passerini, do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), o homem se aproximou da travesti e atirou contra ela após ela se recusar a entregar um aparelho celular.

“O autor chegou ao local, conversou por alguns segundos. Em um dado momento ficou exigindo: ‘me dá meu celular, me dá meu celular’, e acabou atirando contra a vítima”, disse.

O caso ocorreu na noite de terça-feira, em um ponto de ônibus que fica em frente a um supermercado, em Luziânia. A travesti, que se identificava como Paola, era registrada como Paulo Sérgio Moreira da Silva.

De acordo com o delegado, o suspeito foi identificado por meio do carro usado no crime. O nome dele não foi divulgado.

“Temos o nome de um suspeito, que foi identificado após conseguirmos obter a placa do veículo em que ele teria chegado ao local onde matou a travesti. A nossa principal suspeita é a de que o homem se recusou a pagar o programa, a vítima reteve o celular dele e, no momento em que ele voltava para exigir a devolução, resolveu matá-la”, explicou.

O investigador informou que está fazendo novas diligências nesta quarta-feira, para ouvir novas testemunhas e localizar o suspeito do crime.

G1 Goiás