Ex-namorada de médico suspeito de matar professora presta depoimento

Marla Cristina Barbosa foi presa na noite desta quarta-feira (17) em Palmas. Segundo Polícia Civil, médico dormiu na casa dela na noite do crime e os dois viajaram juntos durante a fuga dele.

A Polícia Civil começou a ouvir a assistente social Marla Cristina Barbosa Santos, de 42 anos, na manhã desta quinta-feira (18), em Palmas. Ela foi presa na noite desta quarta-feira (17) e é ex-namorada do médico Álvaro Ferreira da Silva, principal suspeito de matar a professora Danielle Christina Lustosa. Ela chegou na delegacia por volta das 11h.

O médico também está na delegacia e será ouvido logo depois de Marla.

De acordo com a Polícia Civil, o médico dormiu na casa de Marla na noite do crime e os dois viajaram juntos para Morro de São Paulo (BA) durante a fuga dele. Ele também foi levado para a Delegacia de Homicídios de Palmas na manhã desta quinta-feira e vai ser ouvido após a mulher.

Médico e ex-namorada serão ouvidos na delegacia de homicídios (Foto: Gabriela Lago/ G1)

Marla Cristina foi presa na casa da mãe dela, Josefa Maria Barbosa, que é advogada do médico. A informação é que os dois namoraram por cerca de 6 meses e terminaram em novembro. Mesmo assim, a Polícia Civil confirmou que Marla buscou Álvaro no presídio no dia em que ele foi solto após agredir a ex-mulher. A soltura dele aconteceu em 16 de dezembro, dois dias antes de Danielle ser encontrada morta.

A Polícia Civil quer saber qual é a relação entre Marla e Álvaro Ferreira. Ela passou a noite no presídio feminino de Palmas. A prisão dela é temporária e tem prazo de 30 dias.

“Como não se tinha notícia da mesma desde então, nem no trabalho nem no endereço conhecido pela polícia e, estando o suspeito foragido à época do pedido de prisão, cogitou-se a possibilidade de Marla ter participado e/ou saber de detalhes que ajudem no esclarecimento dos fatos”, disse o delegado Pedro Ivo Costa Miranda, da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP).

A defesa de Marla confirmou que ela teve um relacionamento com o médico, mas afirmou que a assistente social não teve nenhuma participação no crime e que vai prestar todos os esclarecimentos à polícia.

Marla Cristina foi presa em Palmas (Foto: Reprodução/TV Anahnguera)

O crime

O corpo da professora foi encontrado no dia 18 de dezembro. O médico Álvaro Ferreira é o principal suspeito do crime porque havia sido preso dois dias antes, quando invadiu a casa e tentou esganar a ex-mulher. Mesmo assim, foi solto um dia depois, após audiência de custódia. O Ministério Público chegou a pedir a prisão preventiva dele, mas o pedido foi negado pelo juiz, que determinou a liberdade sem pagamento de fiança.

De acordo com o advogado de Danielle, Edson Monteiro de Oliveira Neto, o ex-marido já havia ameaçado matá-la outras vezes. O advogado informou que chamou a polícia após não conseguir contato com ela durante todo o dia.

O corpo de Danielle foi localizado de bruços na cama. O registro da ocorrência feito pela Polícia Civil aponta que foram encontrados hematomas no pescoço da professora e havia odor característico de urina no short que a vítima vestia. A perícia confirmou que ela foi estrangulada.

A fuga

O médico ficou quase um mês foragido após o crime. Ele foi preso no dia 11 de janeiro em Goiás e levado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas no dia seguinte. Ele foi localizado após postar uma selfie em uma igreja nas redes sociais. Enquanto esteve foragido, ele deu entrevistas por telefone e mandou mensagens para a mãe da vítima.

A polícia identificou que ele fugiu primeiro para Salvador, pegou um barco para Morro de São Paulo, viajou para Campinas (SP) e acabou em Goiás.

O médico foi preso enquanto estava no cinema de um shopping em Anápolis. A prisão foi realizada por uma equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), comandada pelo delegado Pedro Ivo Costa Miranda em parceira com as Polícias Civis de Goiás e São Paulo.

Médico foi localizado após postar foto em igreja (Foto: Arquivo Pessoal)

Outro lado

A defesa de Álvaro Ferreira alega que os áudios divulgados pelo advogado da vítima não correspondem a toda verdade. Segundo a advogada Josefa Barbosa, existem áudios que mostram a mulher pedindo para o médico voltar para casa e garantindo que desistiria da medida protetiva.

“Já que ela tinha tanto medo e ele era agressivo porque ela constitui união estável com ele no cartório. Eles foram no cartório no dia 11 de dezembro e fizeram isso”, disse.

A advogada afirmou ainda que está colaborando com a Justiça para esclarecer os fatos e buscar a verdade, porque o cliente está sendo condenado sem ter provas. Disse ainda que enfrenta dificuldades para ter acesso às informações do caso.

G1 Tocantins

Jovem é suspeito de matar companheira com golpes de enxada na cabeça no Tocantins

A ferramenta foi encontrada no mato com vestígios de sangue e cabelo e a vítima apresentava marcas de pancadas na cabeça. O caso aconteceu em São Miguel do Tocantins.

Um jovem de 26 anos é suspeito de ter matado a própria companheira, de 20 anos, no povoado Bela Vista, no município de São Miguel do Tocantins. O crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira (8).

De acordo com a Polícia Militar, após serem acionados, os policiais encontraram o corpo da jovem no chão, próximo a cama. Ela apresentava sinais de pancadas na cabeça.

Conforme a polícia, parentes disseram que por volta das 2h30, o suspeito deixou levou o filho para a casa da avó, horário em que o crime teria ocorrido.

Em um mato próximo do local, foi encontrada uma enxada com vestígios de sangue e cabelo. De acordo com a PM, a ferramenta possivelmente foi usada no crime.

Ainda segundo informações da polícia, o local foi periciado e o corpo levado para o IML de Augustinópolis. A PM faz buscas pelo suspeito.

G1 Tocantins/Imagem ilustrativa

Adolescente é suspeita de matar namorado com faca de serra durante show de réveillon no Tocantins

Suspeita tem 16 anos e teria confessado o crime e alegado que matou por ciúmes. Ela disse ainda que acredita estar grávida, mas não apresentou exames que comprovem a gestação.

Uma adolescente de 16 anos foi apreendida como suspeita da morte do namorado de 21 anos em Barrolândia, na região central do Tocantins. O rapaz foi esfaqueado com uma faca de serra atrás de um palco onde acontecia o show de réveillon na cidade.

A Polícia Militar confirmou que foi acionada por seguranças da festa que encontraram a adolescente com a arma do crime nas mãos.

O delegado que cuida do caso, Aldo Pagliani, informou que a menor confessou o assassinato durante o depoimento. Ela teria dito que matou o rapaz por ciúmes, mas as circunstâncias exatas não foram divulgadas pelo delegado, uma vez que o caso ainda está sob investigação.

A menor foi levada com a mãe até a delegacia de Miracema do Tocantins para que o caso fosse registrado. A polícia agora procura uma vaga para a jovem em um centro de internação provisória para que ela responda pelo caso.

A Polícia Civil não informou se ela levou a faca até o local da festa com a intenção de cometer o crime ou se encontrou o objeto no local e usou no momento da discussão.

Durante o depoimento a jovem disse também que suspeita que esteja grávida, mas disse não ter feito nenhum exame para comprovar a gestação. Ela será examinada pelos médicos do sistema de internação provisória.

A noite da virada na cidade teve três shows, o principal era da banda gospel Louve e Adore. Também se apresentaram o artista Gilvaney Ferreira e a banda Agatassa Show.

Não foi informado qual das atrações estava no palco no momento do crime.

G1 Tocantins

Garota de programa é presa suspeita de matar mulher com facada no pescoço

Mônica Pereira confessou que matou Ionara Tuxa porque acreditava que ela teria furtado um celular. Sumiço do aparelho teria acontecido enquanto Ionara estava no bordel em que Mônica trabalhava.

A jovem Mônica Pereira da Silva, de 19 anos, foi presa na tarde desta terça-feira (19) suspeita de matar Ionara Tuxa, de 26 anos, com uma facada em um bar de Formoso do Araguaia, sul do Tocantins. O crime foi por volta do meio-dia. De acordo com a Polícia Civil, as duas tinham tido uma briga há alguns dias e trocado ameaças.Ionara foi morta com uma facada no pescoço (Foto: Reprodução/Facebook)

Moradores que presenciaram a confusão tentaram impedir o crime, mas não conseguiram. Mônica teria dado uma facada no pescoço da vítima que morreu na hora. Ela tentou se esconder em uma casa na região, mas foi encontrada minutos depois pela Polícia Civil.

Segundo a delegada Áurea Batista Ferreira, que cuida do caso, o crime foi motivado pelo sumiço de um celular. Durante o depoimento, a suspeita disse que é prostituta em um bordel da cidade e que Ionara era cliente do estabelecimento. Há alguns dias o celular dela teria desaparecido enquanto Ionara estava no local para fazer o programa, ela acreditava que a vítima era responsável pelo furto.

Mônica foi presa e vai aguardar a audiência de custódia que deve acontecer nos próximos dias. A polícia ainda tenta esclarecer mais detalhes do caso.

G1 Tocantins.

Acusado de matar família de ciganos no Tocantins é condenado a mais de 76 anos de prisão

Carlos Alberto teria financiado o crime fornecendo dinheiro e até as armas, segundo o Ministério Público. O crime aconteceu em 2012; quatro pessoas foram assassinadas.

Carlos Alberto Pereira, conhecido como Carlos Cigano, acusado de executar quatro pessoas em julho de 2012 em Araguaína, foi condenado a mais de 76 anos de prisão. O Júri Popular foi realizado no auditória da OAB da cidade, de portas fechadas, nesta quarta-feira (13).

Três das vítimas pertenciam a uma família de ciganos. Em 2015, o outro acusado Cícero Romão Batista Pereira foi condenado a 76 anos de prisão pelo mesmo crime.

Segundo o Ministério Público, Carlos Cigano teria financiado o crime fornecendo dinheiro e até as armas que foram usadas nos assassinatos. As vítimas são Rangel da Silva Lima, José Feitosa Pereira, Francisca Marahana Pereira Batista e Felix Guida dos Santos.

“As quatro pessoas que foram vitimadas foram atingidas em decorrência de engano, pois a vontade dele era atingir outras pessoas envolvidas numa matança de mais de 24 pessoas em mais de três estados diferentes, uma briga de família”, afirmou o promotor de Justiça, Paulo Alexandre Rodrigues.

Na votação do Júri, foram quatro votos a favor da condenação e três pela absolvição. A defesa disse que vai recorrer da decisão. “Não há nenhuma dúvida que esta decisão será anulada porque a lei determina que decisão contrária à prova dos autos deve ser anulada”, explicou o advogado Wendel Oliveira.

O crime aconteceu no setor Nova Araguaína. Conforme a denúncia, Carlos Alberto e Cícero teriam chegado em uma camionete e atirado contra um grupo de homens que jogava baralho na frente de uma casa.

Minutos depois, uma mulher grávida de gêmeos e o marido dela também foram executados. Três das quatro vítimas pertenciam a uma família de ciganos. As investigações apontaram que Cícero Romão queria vingar a morte da mãe dele, assassinada no Pará por ciganos. 

G1 Tocantins

Agricultor acusado de matar mulher e forjar bilhete de despedida é condenado 10 anos depois do crime

José Francisco terá que cumprir uma pena de 13 anos de prisão. Crime aconteceu em 2007; homem confessou que matou porque não aceitava fim do relacionamento.

O agricultor José Francisco Borges foi condenado a 13 anos de prisão por matar a mulher Maria da Conceição de Sousa e forjar um bilhete de despedida com o objetivo de não levantar suspeita. O Tribunal do Júri foi realizado nesta terça-feira (12), mais de 10 anos depois do crime, que foi cometido em fevereiro de 2007.

Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual, o agricultor matou a mulher porque não aceitava o fim do relacionamento. Na época, ele enterrou o corpo em um lote baldio e forjou um bilhete de despedida. Nele, havia a informação de que a vítima tinha ido embora e o pedido para que a família cuidasse de dois filhos pequenos.

O inquérito policial chegou a ser arquivado por falta de provas, mas no início deste ano, uma pessoa procurou a polícia e disse que escreveu o bilhete a pedido de José Francisco. A perícia confirmou que a caligrafia da testemunha é correspondente com a do bilhete.

Depois disso, o inquérito foi reaberto. Em maio deste ano, o acusado foi preso em Goiânia.

O agricultor foi condenado a 13 anos de prisão pelo homicídio. Ele ainda deverá pagar R$ 50 mil por reparação de danos à família da vítima. Já pela ocultação de cadáver, José Francisco recebeu pena de um ano, mas ela foi extinta, por causa do período de 10 anos entre o homicídio e a denúncia do Ministério Público.

G1 Tocantins.

Suspeitos de matar jovens após carona são encontrados dormindo em mesa de sinuca

Segundo delegado, jovem é menor e estavam bêbados, pararam para descansar. Momentos antes, eles assassinaram dois rapazes em um carro; uma terceira vítima conseguiu escapar.

Os suspeitos de matar a facadas Carlos Henrique da Silva, de 22 anos, e Wagno Ramo do Carmo, de 29 anos, foram encontrados dormindo em cima de uma mesa de sinuca.

A informação é do delegado Hismael Tranqueira. O caso aconteceu em Lagoa da Confusão, na madrugada desta segunda-feira (20). Eles mataram os amigos após pedirem carona, supostamente para roubar o veículo.

“Os autores, um jovem de 20 anos e um adolescente de 16, estavam curtindo uma festa na cidade de Lagoa da Confusão, quando viram as vítimas em um carro com um som muito caro”, contou o delegado, ao afirmar que eles se sentiram atraídos pelo aparelho de som automotivo.

Os dois então pediram carona e quando chegaram perto de um hospital da cidade, na avenida Vitorino Panta, cometeram o crime, conforme o delegado.

Eles usaram duas facas para atingir as vítimas. Carlos e Wagno foram feridos no pescoço e não resistiram. Uma terceira vítima do roubo Edison Luiz Roncaglio também foi atingido, mas conseguiu sair do veículo e correu para pedir socorro. Ele chegou a ser internado, mas já recebeu alta.

Horas depois do crime, os suspeitos foram encontrados. Segundo a polícia, após o carro ficar sem gasolina eles saíram para comprar combustível e acabaram parando em um bar, onde dormiram em cima de uma mesa de sinuca. “Eles estavam bêbados e foram encontrados dormindo perto de Velha Rosalândia”, contou o delegado.

Dentro do carro, a polícia encontrou duas facas. A roupa de um deles estava suja de sangue. Segundo o delegado, o jovem de 20 anos deve ser indiciado por latrocínio, tentativa de homicídio e corrupção de menores. Já o menor também deve responder por latrocínio e tentativa de homicídio. Mas o delegado disse que somente após o inquérito será possível detalhar os crimes que cada um deles vai responder. 

G1/Tocantins

Morre em Goiás mulher baleada por vizinho que queria matar a esposa no Tocantins

Sandra Gomes da Silva, 38, estava na casa da irmã, em Formoso do Araguaia, quando vizinhos invadiram a casa discutindo.

Uma mulher de 38 anos morreu, no sábado (4), em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, depois de ser baleada pelo vizinho da irmã dela, em Formoso do Araguaia, no Tocantins. Segundo registro de ocorrência da Polícia Civil, Sandra Gomes da Silva foi atingida por engano, depois que o autor invadiu a casa da irmã da vítima querendo atirar na esposa.

Ela chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e encaminhada para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa). Em nota, a unidade de saúde explicou que a paciente de 38 anos deu entrada no sábado, às 10h30, com ferimentos graves provocados por arma de fogo. ela passou por cirurgia, mas não resistiu e morreu por volta das 16h10, durante a operação.

O crime ocorreu na manhã da última sexta-feira (3), em Formoso do Araguaia, na região sul do Tocantins, divisa com Goiás. Após Sandra ser transferida pelo Samu para Aparecida de Goiânia, o marido da vítima registrou o caso, no sábado (4), no 1º Distrito Policial da cidade, que deve submeter a investigação para a delegacia da cidade onde o fato ocorreu.

Conforme consta no registro de ocorrência, a vítima estava na casa da irmã, quando um casal de vizinhos, na residência ao lado, começou uma discussão. Segundo relato do marido à polícia, minutos depois da briga começar, a mulher do vizinho invadiu a casa onde a vítima estava, fugindo do companheiro, quando o homem entrou armado atirando e, por engano, atingiu Sandra.

Ela foi socorrida pelo Samu, levada ao Huapa e, às 16h45 de sábado, morreu na unidade. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Aparecida de Goiânia e, segundo o órgão, já foi liberado à família.

G1/TO

Marido acusado de matar professora de teatro em 2010 enfrenta júri popular

Corpo da vítima foi encontrado na estrada para a praia do Prata, em Palmas. Crime aconteceu após mulher descobrir empréstimos feitos pelo marido no nome dela.

Está sendo jugado nesta terça-feira (24) no fórum de Palmas o marido da professora Elizabeth Contini Abílio. João Abílio é acusado de ter matado a mulher em julho de 2010. O corpo da vítima foi encontrado na estrada para a praia do Prata, com mãos e pés amarrados, e enrolado em uma lona. O julgamento em júri popular começou pela manhã e continua durante a tarde.

Conforme investigação da polícia e a denúncia do Ministério Público Federal, o crime aconteceu porque a professora descobriu que o marido fazia empréstimos bancários no nome dela para bancar festas e amantes.

Se for condenado, o réu pode pegar de 12 a 30 anos de prisão. Independentemente do resultado do julgamento desta quarta-feira, os envolvidos podem recorrer da decisão.

Em entrevista à TV Anhanguera, João Abílio negou as acusações e disse não saber quem matou a professora. Segundo o réu, há várias falhas no laudo da perícia científica. A defesa dele contratou um perito particular para fazer uma análise do laudo oficial da polícia.

Elizabeth dava aulas de teatro no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, em Palmas.

G1 Tocantins

Jovem é preso suspeito de matar os pais a pedradas dentro de casa em Goiás

Rapaz foi detido após sofrer um acidente de carro na BR-153, na saída da cidade.

Um jovem de 27 anos foi preso suspeito de matar os pais dentro de casa em Jaraguá. Os corpos foram encontrados com marcas de pedradas e perfurações no pescoço. Vizinhos ficaram assustados com o crime.

“O filho foi preso em flagrante e é o suspeito do crime. Ele segue detido na delegacia da cidade depois de sofrer um acidente de carro”, afirmou o delegado Glênio Alves.

Segundo testemunhas, o corpo do auxiliar de serviços gerais José Antônio da Silva estava caído na cozinha e o da esposa, a merendeira Sirlene Ferreira da Silva, no quarto. Foram encontradas ferramentas dentro da casa. A polícia vai investigar se elas foram usadas no crime.

O filho, que morava com o casal, foi preso após sofrer um acidente de carro. De acordo com o boletim de ocorrências da Polícia Militar, o jovem bateu o carro na BR-153, na saída da cidade. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital Municipal de Jaraguá.

Ele teria invadido a pista contrária e batido contra uma carreta. Com o impacto, o carro pegou fogo.
Foto: Reprodução/ PRF

Ele foi preso na unidade após receber o atendimento médico e levado para a delegacia. O delegado ainda não informou o que motivou o crime e nem quais os indícios que tornam o jovem suspeito do assassinato dos pais. 

G1/GO