Criminosos invadem loja no Tocantins e levam R$ 28 mil em roupas

Ação foi registrada no centro de Paraíso do Tocantins. Essa é a segunda vez que o estabelecimento é alvo de criminosos.

Criminosos quebraram a porta de vidro de uma loja de roupas no centro de Paraíso do Tocantins e levaram cerca de R$ 28 mil em peças.

O caso aconteceu na madrugada desta quarta-feira (14), por volta das 3h20.

De acordo com o dono, Raimundo Neto Botelho Câmara, esta é a segunda vez que loja é furtada. Em novembro do ano passado o estabelecimento já havia sido alvo de criminosos.

Na época, eles levaram 200 peças, gerando um prejuízo no mesmo valor de R$ 28 mil.

A loja já é equipada com alarme e câmara de segurança. O alarme foi acionado durante a ação, mas os criminosos fugiram antes da chegada dos representantes da empresa de segurança.

Agora o dono pretende colocar grades. “Vai ser o jeito”, diz. Até o momento nenhum suspeito do crime foi preso.

G1 Tocantins

Homem atira dentro de loja de conveniência, mata cliente e deixa dono ferido em Goiás

Rapaz que morreu estava com o sobrinho de 12 anos no local. Polícia investiga o motivo do crime.

Um homem atirou dentro de uma loja de conveniência e matou Weslei da Silva Mundim, de 26 anos, em Formosa, no Entorno do Distrito Federal. O dono do comércio, de 41 anos, foi baleado na perna.

Testemunhas contaram à Polícia Civil que, por volta das 23 horas, Weslei chegou ao local com o sobrinho, de 12 anos. Logo depois, um Volkswagen Celta parou em frente à distribuidora, uma pessoa desceu, foi até a porta e atirou.

Segundo o Corpo de Bombeiros, Weslei foi atingido por quatro tiros, sendo dois na cabeça e dois nas costas. Porém, só a perícia poderá concluir o número de disparos.

Homem atira em loja de conveniência, mata jovem e deixa homem ferido (Foto: Polícia Civil/ Divulgação)

Já o dono da distribuidora foi baleado na perna. Os bombeiros socorreram o homem e o levaram ao Hospital Municipal de Formosa. A unidade de saúde afirmou que o comerciante foi transferido, neste sábado (20), a um hospital de Goiânia, mas não informou qual.

Investigação

O delegado responsável pelo caso, Vytautas Fabiano Zumas, explicou que ainda não há informações sobre a motivação do crime. “A mãe disse que a vítima não tinha rixa, nem briga. Ela disse que foi inesperado. Porém, a vítima já havia sido presa por trágico de drogas, pode ser que tenha alguma relação com isso, mas não podemos afirmar nada por enquanto”, disse.

Os policiais devem ouvir, na próxima semana, testemunhas do crime. Os agentes também buscam por câmeras de segurança que possam identificar se havia outras pessoas no carro do atirador e a identidade dele.

G1 Goiás