PT lança pré-candidatura de Lula nesta sexta em Minas Gerais

Ato ocorrerá a partir das 18 horas, na cidade de Contagem.

OPT lança nesta sexta-feira (8) a pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República, com ato a partir das 18 horas, na cidade de Contagem, em Minas Gerais.

Condenado a 12 anos e um mês de prisão, por corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá (SP), o ex-presidente cumpre pena, desde o dia 7 de abril, na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR).

A previsão inicial era de que o lançamento ocorresse no mês passado mas, segundo os petistas, houve dificuldades para encontrar hotéis dispostos a acomodá-los, depois dos ataques sofridos durante a caravana de Lula pelo Sul do país.

“Convidamos todos os Diretórios Estaduais e Municipais do PT, nossa militância, os movimentos sociais que lutam contra o golpe e a prisão injusta do ex-presidente Lula”, diz a convite publicado no site do partido.

Simultaneamente ao evento em Minas, outras cidades também realizarão atos, a exemplo de São Paulo, onde será lançado o livro “Luiz Inácio LUTA da Silva: Nós vimos a prisão do Lula”, organizado por Esther Solano, com textos de Márcia Tiburi, Tata Amaral, Manuela D’Avila, Aldo Zaiden e outros. A partir das 19 horas, na Peixaria Mitsugi.

De acordo com informações da Folha de S. Paulo, um dos receios do PT para hoje à noite é quanto à ausência de governadores. Essa preocupação, inclusive, teria sido objeto de debate da cúpula do partido em São Paulo.

Durante reunião, dirigentes se queixaram do fato de o governador da Bahia, Rui Costa, não ter participado de recente encontro convocado pela presidente da legenda, senadora Gleisi Hoffmann (PR). Temendo baixas, o comando do partido definiu como prioridade insistir na presença dos governadores petistas, de aliados e de ex-ministros no ato de lançamento.

Noticia ao Minuto

Márlon Reis lança candidatura às eleições suplementares e anuncia vice neste domingo

O candidato destacou que pretende fazer uma campanha com base de apoio no voluntariado e de baixo investimento, apostando nas redes sociais.

Acompanhado por amigos, correligionários e simpatizantes, o juiz aposentado Márlon Reis (Rede) lançou sua candidatura ao Governo do Tocantins, nas eleições suplementares de 3 de junho, em convenção estadual do Rede, realizada em Palmas na tarde deste sábado, 21, e garantiu que não abrirá mão da majoritária, apesar de estar aberto a fazer alianças para ter um candidato a vice-governador de outro partido.

“Vamos esperar os demais partidos realizarem suas convenções amanhã. Nós já estamos conversando com alguns e devemos anunciar o vice amanhã, depois que todos fizerem suas convenções”, declarou, ao afirmar que é consenso do Rede não abrir mão de encabeçar a chapa.

“Não temos ainda um candidato a vice. Não porque não queiram, mas porque estamos escolhendo e garanto que amanhã todos ficarão sabendo quem será o vice de Márlon Reis. E uma coisa eu garanto: será uma pessoa ficha limpa, que em nada contribuiu para quebrar o estado do Tocantins”, disse Márlon.

O candidato destacou que pretende fazer uma campanha com base de apoio no voluntariado e de baixo investimento, apostando nas redes sociais. “É bom que eles comecem a colocar as barbas de molho, porque quem acha que vai ganhar a eleição às custas da ignorância está muito desatualizado”, desafiou Márlon aos adversários que criticam sua campanha.

Sobre os adversários Kátia Abreu (PDT) e Carlos Amastha (PSB), Márlon comentou quem ambos têm o direito de requerer seus registros de candidatura, mas pontuou que a constituição tem normas claras e compete à justiça dar a reposta sobre isso.O candidato atribuiu o desgaste pelo qual passa o Tocantins ao ex-governador Marcelo Miranda (MDB). “A culpa não é da Justiça. A culpa é de quem provocou isso com a prática de corrupção”, explicou, se referindo ao processo de cassação do mandato de Miranda.

Projetos

Márlon declarou que tem como projeto respirar sonhos de pessoas que acreditaram no Tocantins. “Não podemos mais retrocessos. Os servidores vivem com seus salários atrasados, inseguros, direitos não pagos. Em todas as áreas, o Governo não é aberto. O problema da corrupção é sério. Não é à toa que o Tocantins é palco disso, quantos aí estão indiciados”. Márlon falou de problemas da saúde e outros gargalos do Estado e os atribuiu à corrupção.

“Minha magistratura é limpa, os adversários devem estar procurando algo, mas não vão achar nada”, desafiou. Márlon falou do orgulho que tem de sua atuação, em especial na formulação da Lei da Ficha Limpa, e disse que seu próximo ato é a Inconfidência Tocantinense.

Nilmar Ruiz fortalece base

A ex-prefeita da Capital, Nilmar Ruiz, que é pré-candidata pelo Rede ao Senado nas eleições gerais de outubro, participou do evento e prometeu fortalecer a base de Márlon nas suplementares. Ela descartou ser a candidata a vice. “Não posso ser devido ao prazo de filiação”, explicou.

Rede lança pré-candidatura de Márlon Reis ao Governo do Tocantins

Anúncio foi feito neste sábado (31), em Palmas. Márlon Reis é ex-juiz eleitoral e ficou conhecido como um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa. Ele tenta a primeira candidatura.

O partido Rede Sustentabilidade lançou o ex-juiz eleitoral Márlon Reis como pré-candidato ao Governo do Tocantins. Reis é conhecido por ser um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa. Esta é a primeira vez que ele tenta uma candidatura a um cargo elegível.

O anúncio foi feito no auditório da Associação Tocantinense de Municípios, em Palmas. O evento contou com a presidente nacional da rede e pré-candidata à presidência, Marina Silva. Reis vai concorrer à eleição suplementar, convocada após a cassação de Marcelo Miranda (MDB).

A eleição é no dia 3 de junho e vai escolher quem fica no comando do estado até dezembro, quando termina o mandato tampão. Interinamente, Mauro Carlesse (PHS) assumiu o governo até a votação.

Apesar de outros políticos terem manifestado interesse na disputa, ele é o primeiro a lançar uma campanha oficialmente.

No discurso, ele disse que tem um plataforma voltada para o combate à corrupção e ao cumprimento da constituição. “Estamos vendo nascer um grande movimento espontâneo por parte da população que deseja limpar a política das práticas corruptas e dos desmandos”.

Ele também falou sobre o desafio de ser relativamente pouco conhecido no estado. “Eu não tenho dúvidas que eu chegarei a junho com as minhas qualidades e as minhas propostas devidamente apresentadas para o povo do Tocantins”

Perfil

Márlos Reis, de 48 anos, é natural de Pedro Afonso, na região central do estado, e se formou advogado. Ele atuou como juiz eleitoral até 2016. Ganhou notiriedade ao relatar a Lei da Ficha Limpa, que torna inelegível por oito anos o candidato que tiver o seu mandato cassado, renunciar para evitar a cassação ou for condenado por decisão de órgão colegiado.

Ele também idealizou e fundou, junto com lideranças sociais, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

T1noticias

Meio Ambiente planta árvores e lança Gincana de Coleta Seletiva em Palmeirópolis

O plantio das mudas foi em alusão ao Dia Mundial da Floresta e da Água.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Palmeirópolis, em Parceria com a ENGIE, trabalharam juntos na manhã de sexta-feira (23 de março), na Escola Municipal Elda Silva Barros, no lançamento do segundo concurso da Coleta Seletiva de Resíduos.

O objetivo do Concurso é promover entre os alunos do ensino fundamental a conscientização sobre a preservação e conservação do Meio Ambiente.

O evento começou com uma bela história contada por Inara Polyana  a “gotinha plim plim”.

Em seguida uma palestra ministrada sobre o tema: “Cerrado, berço das águas”, ministrada pela secretária de Meio Ambiente de Palmeirópolis, Jéssica Thais Cangussú /Engenheira Florestal.

O lançamento da gincana de recolhimento do material, começou no início no mês de março nos municípios de São Salvador, Paranã e agora em Palmeirópolis e se estende até setembro.

O material a ser coletado é : Metal com menor peso específico: latas de alumínio ou aço (ex: embalagens de cerveja, de refrigerante, de óleo, de sardinha, etc…).

Papel e papelão: jornais, folhas de caderno, formulários impressos, caixas em geral, fotocópias, envelopes, papel de fax, cartazes, aparas e etc.

Plástico: embalagem de refrigerante, de produtos de limpeza, de margarina, canos e tubos, sacos plásticos em geral.

Este segundo concurso de coleta seletiva de resíduo conta com as turmas dos 5º anos da escola Elda Silva Barros, e Bom Tempo de Palmeirópolis, escola Brasil Para Todos de São Salvador, e em Paranã Professa Floracy.

O Engenheiro Agrônomo Josimar Costa Furlan, explicou que este ano a turma vai ter que desenvolver o melhor produto inovador, caracterizado como ambientalmente sustentável e originado de reciclagem ou reutilização de resíduos.

“O produto deve ser autêntico/original e desenvolvido até o dia 30 de setembro de 2018. Os produtos serão avaliados com notas que poderão variar de 0 a um total de 100 pontos no máximo”, enfatizou.

Ainda de acordo com as informações, as escolas que participarem do concurso serão premiadas com uma composteira para produção de composto orgânico -coletor seletivo de resíduos.

A escola cuja a turma for selecionada em primeiro lugar terá como premiação o valor-prêmio de $1500 reais para aquisição de um item que e escola escolherá.

A turma vencedora em primeiro lugar receberá o valor-prêmio de $ 4000 mil para contribuição na festa de formatura da turma campeã.  E mas os kits individuais e o professor também.

Os alunos que ficar em seguindo lugar será concedida menção honrosa ou kit individual.

A coordenadora do Elda Silva Barros, Maria José Rodrigues, juntamente com os professores e colaboradores deram total apoio aos trabalhos da equipe.

Após a palestra a turma seguiu até o campo de futebol Roldão José Martins para plantar mudas em alusão ao Dia da Mundial da Água e do Meio Ambiente.

Da redação

Lula lança livro para falar sobre sua condenação e queda do PT

Assessoria de Lula destaca que o lançamento ocorre “enquanto o País aguarda a decisão do Poder Judiciário sobre sua prisão em decorrência da perseguição movida pela Operação Lava Jato”.

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lançará um livro no próximo dia 16 em que promete falar sobre as derrotas do PT nos últimos anos e fazer uma autodefesa dos processos que enfrenta na Justiça.

A publicação “A verdade vencerá – o povo sabe por que me condenam” traz Lula como autor e já está sendo vendida pela editora Boitempo na internet e será oficialmente lançado no Sindicato dos Químicos de São Paulo, na capital paulista.
Condenado na Operação Lava Jato e potencial candidato ao Planalto, o petista participará da cerimônia de lançamento.

Segundo comunicado da editora, o cerne da obra são 124 páginas, de um total de 216, que apresentam uma entrevista concedida por Lula nos dias 7, 15 e 28 de fevereiro aos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, ao professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC Gilberto Maringoni e à editora Ivana Jinkings.

“Entre os principais temas discutidos, ganha destaque a análise inédita do ex-presidente sobre os bastidores políticos dos últimos anos e o que levou o Partido dos Trabalhadores a perder o poder após a reeleição de Dilma Rousseff. Lula também fala sobre as eleições de 2018 e suas perspectivas e esperanças para o País”, diz o texto usado pela editora para divulgação.

A assessoria de Lula também divulgou um texto para apresentar o livro. Na comunicação, afirma que o lançamento ocorre “enquanto o País aguarda a decisão do Poder Judiciário sobre sua prisão em decorrência da perseguição movida pela Operação Lava Jato.”

A obra irá trazer, ainda, textos de Eric Nepomuceno, Luis Fernando Verissimo, Luis Felipe Miguel e Rafael Valim, além de uma cronologia da vida do ex-presidente e páginas de fotografias. Com informações do Estadão Conteúdo.

Noticias ao Minuto

Gaguim lança novo partido e promete candidatos na majoritaria no Tocantins

Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O pequeno PTN, que agora adotará o nome “Podemos”, será lançado no dia 1° de julho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF), e terá o deputado federal Carlos Gaguim como presidente do partido no Tocantins. De acordo com o parlamentar, o partido lançará um nome para concorrer ao governo ou senado no Tocantins.  A legenda tem dois nomes conhecidos eleitoral para as eleições de 2018: os senadores Romário (sem partido-RJ) e Álvaro Dias (PV-PR), este último sendo a aposta da sigla para concorrer à presidência da República.

“No Tocantins lançaremos um candidato a governador ou senador. Concorrer na majoritária é uma exigência do partido. Pode ser que esse nome seja o meu. O partido pretende ser a quinta ou sexta força do Congresso Nacional em termo de parlamentares. Nós teremos o senador Álvaro Dias como nosso candidato próprio à presidência da República. Teremos também de 4 a 5 candidatos ao governo em outros estados”, revelou Gaguim.

O parlamentar disse que está conversando com alguns nomes da política tocantinense e convidando para se filiarem ao partido. “Estou conversando com o ex-prefeito Raul Filho, um prefeito de uma cidade grande aqui do Tocantins. Vamos filiar 10 prefeitos aqui do Tocantins no nosso partido”, acrescentou.

Articulações políticas

“Eu já estou tentando a segunda vaga ao Senado. A primeira, meus líderes escolhem. Só no ano que vem lançaremos o nosso candidato ao governo, em março ou abril. Não estamos participando de nenhuma corrente política do Tocantins”, informou Gaguim.

Segundo o congressista, o Podemos conta com 2 prefeitos, 3 vice-prefeitos e 24 vereadores. “Temos também 15 deputados federais e mais 4 que vão entrar até o fim deste ano, dia 1° entram 2 senadores, Álvaro Dias, nosso candidato à presidência, e atual senador do Paraná, eleito com 86% dos votos, e senador Romário, candidato a governo do Rio de Janeiro ou vice-presidente da República. O governador de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), e um senador de Brasília estão na eminência de vir para o Podemos também”, disse.

No Tocantins, Gaguim também faz algumas articulações para as chapas proporcionais. “Conversei com Osires Damaso, Mauro Carlesse e Aragão. Vou conversar também com Eli Borges e Luana Ribeiro, que pode ser um nome ao Senado, sobre as chapas proporcionais”, afirmou. “A nossa meta é encontrar o melhor caminho para o projeto político que atenda aos anseios de nossa população tocantinense e do Brasil”, acrescentou.56747

(Brasil247)

 

Ex-faxineira que virou juíza lança livro sobre sua história: ‘É possível concretizar os sonhos’

Adriana Marques, de 38 anos, diz que enfrentou vários desafios até chegar à magistratura, entre eles a falta de dinheiro. Com cinco pós-graduações e cursando letras, ela afirma que ‘estudo é fundamental’.

A juíza de direito Adriana Marques Queiroz, de 38 anos, lança, no sábado (29), o livro “Dez passos para alcançar seus sonhos – A história real da ex-faxineira que se tornou juíza de direito”, em Goiânia. Na obra, ela conta sua trajetória desde o seu primeiro trabalho, como faxineira, até chegar à magistratura, na qual atua desde 2011, em Quirinópolis, na região sul de Goiás.

Em entrevista a magistrada relata uma infância pobre, passando por desafios que colocaram à prova seus sonhos e por pessoas que a ajudaram até a aprovação no concurso público para juíza. Adriana quer, com o livro, incentivar as outras pessoas a seguirem em busca dos seus sonhos.

“Quando tomei posse, em 2011, muitas pessoas me procuraram pedindo dicas sobre como conseguir o que se almeja. Ali surgiu a vontade de escrever um livro mostrando que não é fácil, mas é possível. Quando me tranquilizei na carreira, comecei a escrever para levar essa mensagem e incentivar as pessoas mostrando que é possível concretizar os sonhos desde que haja empenho”, disse.

Adriana é titular da 1ª Vara Cível e da Vara de Infância e da Juventude de Qurinópolis, cidade goiana que entrou na vida dela por acaso. Os pais deixaram a zona rural de Guanambi, no sertão da Bahia, e se mudaram com os seis filhos para Tupã, no interior de São Paulo em busca de melhores condições de vida.

Caçula da família, Adriana percebeu cedo a importância dos estudos. Durante o ensino médio – todo cursado em colégio público – ela começou a alimentar o sonho de fazer direito. Com 18 anos, ela passou no vestibular em uma universidade particular, mas, para tentar pagar os estudos, começou a trabalhar como faxineira.

Entre o esfregão e os estudos

Adriana começou a procurar trabalho e conseguiu uma vaga de faxineira na Santa Casa de Tupã. Porém, o que recebia no emprego era insuficiente para manter os estudos e os pais não tinham condições de ajudar. Com esse desafio, ela pediu uma bolsa ao diretor do curso.

“Fui até faculdade e procurei o diretor do curso de direito. Falei dos meus sonhos e que não poderia deixar passar aquela oportunidade. Vendo o meu empenho, ele me concedeu uma bolsa de 50% nas mensalidades e ainda parcelou a matrícula, o que possibilitou eu fazer o curso”, lembra.

Durante o dia, Adriana era responsável pela limpeza do chão e dos banheiros da unidade de saúde. À noite, seguia em busca de seu sonho na universidade. Após seis meses, foi promovida e passou a atuar em um cargo administrativo do hospital, que ocupou até se formar em direito.

Concurso: um novo desafio

Ao se formar, a jovem bacharel começou a lutar para chegar à função de juíza, que começou a apreciar durante a universidade. Decidida, pediu demissão do hospital, pegou o acerto e se mudou sozinha para a capital paulista.

O dinheiro, segundo ela, cobria apenas aluguel por dois meses em um pensionato. O intuito era conseguir um emprego para, além das despesas, pagar um curso preparatório para a carreira jurídica, visando um concurso público. No entanto, não conseguiu trabalho e o dinheiro que tinha começou a acabar.

“Vi meu sonho ruindo, mas busquei ajuda com o diretor do curso e fui atendida. Ele acreditou em mim e me ofereceu um trabalho como auxiliar de biblioteca, além de bolsa integral”, lembra.

Um ano depois, findado o curso preparatório, ela seguiu trabalhando no local e estudando por conta própria durante sete anos, inclusive nos finais de semana e feriados. A recompensa, depois de muitas tentativas, foi a aprovação no concurso cujo cargo ocupa até então.

Mais conhecimento

Adriana é a única dos irmãos a se formar em um curso superior. Paralelo aos estudos para os concursos, ela concluiu cinco pós-graduações na área de direito. Mas ela não parou por aí. No ano passado, ela ingressou no curso de letras.

“Eu vi uma oportunidade de continuar ganhando conhecimento. Essa área me permite ampliar o que sei sobre escrita e linguagem, além de gostar muito de literatura. O estudo é fundamental. Vou continuar sempre. Jamais pensei em desistir”, destaca.

Adriana mantém contato estreito com sua família, a quem considera “sua base”. Ela se casou há dois anos e planeja, futuramente, realizar mais um sonho: ter filhos.

Aprovação em concurso veio após muito esforço e luta (Foto: Arquivo pessoal).
Aprovação em concurso veio após muito esforço e luta (Foto: Arquivo pessoal).

Serviço:

Lançamento e sessão de autógrafos do livro: “Dez passos para alcançar seus sonhos – A história real da ex-faxineira que se tornou juíza de direito”
Local:
Livraria Saraiva do Shopping Flamboyant, no Jardim Goiás, em Goiânia

Data: 29 de abril (sábado)
Horário: 17h

G1/GO