Após dois anos de proibição, cavalgada é retomada em Formoso do Araguaia

Em 2015, o município registrou o primeiro caso de mormo, mas já foi declarado zona livre do problema. Cavalgada abriu a Feira Agropecuária da cidade.

Após dois anos de proibição, a cavalgada foi retomada em Formoso do Araguaia, no sul do estado, durante a abertura da Feira Agropecuária da cidade. Em 2015, o município com cerca de mil e 800 propriedades rurais registrou o primeiro caso de mormo: doença infectocontagiosa que contamina a tropa e pode levar a morte, mas já foi declarado zona livre do problema.

A cavalgada foi realizada no último sábado (12) e a feria segue até o dia 19 desse mês. A marcha rural de tropeiros em clima festivo tomou conta das principais ruas e avenidas da cidade. A cavalgada que anunciou a abertura da feira, também marcou o retorno desse tipo desfile com animais.

A mula Granfina desfiou a caráter. Para participar da cavalgada, o vaqueiro Romilson Lopes caprichou nos enfeites da mula.

“Tem em torno de 530 e argolas. Estamos sempre brincando e incentivando todos a estarem sempre presentes. Somos da agricultura, da fazenda, nascidos e criados sempre gostando das brincadeiras.”

Ele e a Granfina estão na comitiva de tropeiros organizada pelo agropecuarista Laudir Mota. São quase 100 animais entre cavalos e mulas, com cavaleiros e amazonas devidamente trajados e orgulhosos em desfilar.

“Uma festa tradicional, é nossa cultura, então a gente gostaria que cada um tivesse a oportunidade de participar.”

A marcha do dia a dia nas pastagens, ganha o asfalto. O costume, a cultura do campo, não tem idade, é abraçada por gerações, vai conquistando a cidade. “Estou achando muito legal porque é a festa mais tradicional aqui de Formoso”, afirma a dona de casa Liliane Aguiar.

O galope quebra a rotina da cidade, substitui o ronco dos motores pelas ruas e atrai famílias até de outros lugares. O pecuarista Willian Coutinho saiu de Dueré participar das cavalgadas. Ele levou junto o filho Isaque de 6 anos.

“É a primeira vez que meu filho está participando e a terceira vez minha. É muito bom estar participando com a família”, diz.

Mais que um desfile, a cavalgada une tropeiros de Gurupi, Sandolândia, Figueirópolis, São Miguel. Todos esses municípios estão representados por comitivas.

A cavalgada, marca a volta de uma tradição e anuncia que vai começar a feira agropecuária. Este ano, o homem do campo tem ainda mais razões para esse momento de festa, de comemoração. A cidade foi declarada zona livre do mormo.“Graças a Deus conseguimos liberar e está aí a surpresa agradável, o público compareceu em massa. Impulsiona toda economia do estado”, comemora presidente sindicato rural Eurípedes Cunha.

Tem espaço também para os bovinos. Muito bem adestrado o touro chocolate, se comporta como cavalo.

G1 Tocantins.