Pai e filho são presos por tráfico após polícia encontrar maconha enterrada em quintal

Lutador de MMA é preso suspeito de matar filho de 1 ano

Joel Rodrigo Ávalo Santos, de 24 anos, teria agido junto com a companheira, Jéssica Leite Ribeiro, de 21 anos, que também está detida.

O casal Joel Rodrigo Ávalo Santos, de 24 anos, e Jéssica Leite Ribeiro, de 21 anos, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, nesta sexta-feira (17), por suspeita de assassinato do filho dele, um menino de 1 anos e 6 meses, na cidade de Dourados (MS).

Eles já estavam detidos desde o último dia 16, após chamarem equipes de socorro alegando que a criança havia se engasgado. Mas, ao chegarem ao local, os profissionais constataram marcas suspeitas no pescoço do garoto, que indicavam agressão física.

A mãe da vítima prestou depoimento e disse que o menino estava há nove dias com o pai e a madrasta, e que nunca notou nenhum tipo de comportamento estranho da criança. Afirmou, no entanto, que o ex estava proibido pela Justiça de se aproximar dela, junto com a companheira, devido a casos de agressões anteriores.

Joel Rodrigo Ávalo Santos é lutador de MMA, conhecido como ‘Joel Tigre’, e tem no currículo 10 vitórias em 14 lutas. Para seguir a carreira, ele treinava MMA e Jiu-Jitsu 6 dias na semana.

Segundo reportagem do Campo Grande News, o laudo da perícia apontou lesões e hematomas no pescoço, cabeça e nas costas da criança. O casal nega o crime e alega que as marcas foram provocadas pelas tentativas da madrasta de reanimar o menino, após ele ter convulsões.

Por noticia ao minuto

Mãe morta a tiros entrou na frente de arma para proteger o filho

Ela morreu após levar quatro disparos em bairro de Araguaína, norte do Tocantins. Caso aconteceu durante o aniversário do filho da mulher e atiradores seriam traficantes.

A polícia confirmou que Vera Felipe de Sousa Silva, de 62 anos, morreu tentando proteger o filho de disparos feitos por criminosos. O caso foi registrado na noite deste domingo (12) em Araguaína, norte do Tocantins. Segundo a Polícia Civil, o filho da vítima tem passagem por tráfico de drogas e teria sido morto por traficantes.

O caso foi registrado na porta de uma casa no setor Araguaína Sul, onde um grupo de pessoas comemorava o aniversário do filho da vítima, Manoel de Felipe da Silva, de 31 anos. A mulher foi morta com pelo menos quatro tiros.

Testemunhas contaram à polícia que dois homens chegaram em uma motocicleta e depois de uma discussão sacaram a arma para atirar no homem. Ele também foi atingido e está internado. Os suspeitos fugiram.

Segundo a Polícia Civil, a casa em que aconteceu o crime era utilizada como depósito de drogas. Além disso, o local era conhecido dos investigadores.

“A vítima em si, a dona Vera, não tinha envolvimento com o tráfico, mas já era de conhecimento de toda a Polícia Civil e Militar da cidade que os filhos dela seriam envolvidos nessa atividade criminosa”, contou o delegado regional Bruno Boaventura.

Segundo ele, a principal linha de investigação é de que o crime tenha se tratado de um acerto de contas. “O que a gente acha que ocorreu foi justamente isso, um acerto de contas entre uma gangue rival da cidade, que foi tirar satisfações com o filho da vítima e ela, desesperada, se colocou no meio dos tiros e acabou falecendo”, finalizou.

Por noticia ao minuto

Por falta de provas, pai e filho são liberados após serem presos por roubo de gado no Tocantins

O gado foi roubado em Paraíso do Tocantins, ainda em 2016. Os dois tinham sido presos em julho, em uma fazenda em Porto Nacional.

João Antônio da Silva e João Antônio da Silva Júnior foram absorvidos pela Justiça na noite deste domingo (12), em Paraíso. Pai e filho haviam sido presos último no dia 9 de julho. Eles foram apontados pela polícia como suspeitos pelo furto de 19 cabeças de gado no município, ainda em 2016. Em sua decisão a juíza Renata do Nascimento e Silva considerou que faltou provas robustas para a condenação no caso.

Os dois tinha sido presos  quando estavam em uma propriedade rural no município de Porto Nacional. Eles haviam sido autuados pelos crimes de furto qualificado e associação criminosa. Com eles, a por polícia apreendeu um caminhão, um veículo de passeio e duas armas de fogo de fabricação caseira.

Na época João Antônio e seu filho foram presos preventivamente por terem seus nomes supostamente associados a uma quadrilha de furto especializado de gado, em outros inquéritos, nas cidades de Marianópolis e Cristalândia. Porém, eles foram absorvidos – nos termos do art. 386, inciso VII do Código de Processo Penal – devido a falta de provas suficientes para condenação,  já que no processo penal cabe à acusação demonstrar e provar de forma cristalina quem são os autores do delito.

Conforme costa nos autos, a vítima que foi roubada informou que na data dos fatos não tinha ninguém dormindo no imóvel e que só na manhã seguinte, quando seu filho chegou ao local, percebeu que boa parte dos animais havia sido furtada. Para o advogado de defesa, Fabrício da Fonseca Ferreira, “eles foram absolvidos por falta de provas, haja vista que o titular da ação penal não conseguiu lograr êxito em demonstrar e provar nos autos que os acusados são realmente os autores dos delitos imputados na peça ministerial”.

O advogado explicou ainda que , “Na dúvida, quando há falta de provas, deve prevalecer a aplicação do princípio do indúbio pró réu”.

Após a decisão, pai e filho foram liberados na tarde dessa segunda-feira (13).

veja a sentença

 Sentença

Pai ameaça filho de morte e arrasta menino pendurado na janela de carro

Criança de sete anos foi salva pela mãe.

Segundo o portal TN Online, o suspeito foi até a residência da ex-mulher e chamou pelo nome dela. Sem resposta, ele chamou o menino, que foi ao seu encontro. Após colocar a criança dentro do carro, ele começou a agredir a criança no rosto. A mãe tentou impedir as agressões, mas o ex-marido arrancou com o carro. O homem teria ameaçado o menino de morte, dizendo que iria jogar o corpo dele em um rio.

Em seguida, o pai voltou até a residência da ex, que tentou, desesperada, tirar o menino pela janela – já que a porta do carro estava trancada. O pai acelerou o veículo, e o menino ficou pendurado pela janela. A mãe correu ao lado do carro para tentar impedir que a criança caísse. Finalmente, a mulher conseguiu resgatar o filho.

Com ferimentos no rosto, o menino foi socorrido e levado ao Pronto Atendimento do município. O suspeito fugiu e ainda não havia sido encontrado até a manhã desta segunda.

Por noticia ao minuto

Mãe morre e filho fica ferido após serem atingidos por tiros durante aniversário

Vera Felipe de Sousa Silva foi atingida com tiros na cabeça. A família comemorava o aniversário do filho dela, quando dois criminosos atiraram.

Uma mulher morreu e o filho ficou ferido após serem atingidos por tiros na noite deste domingo (i12), em Araguaína. Segundo a Polícia Civil, a família estava na porta de casa, no setor Araguaína Sul, para comemorar ao aniversário do jovem que foi atingido. Dois homens chegaram e uma motocicleta e atiraram.

Mulher morreu ao ser atingida por tiros na porta de casa em Araguaína (Foto: Divulgação)

Vera Felipe de Sousa Silva foi atingida na cabeça e não resistiu. O filho dela levou um tiro nas costas, foi socorrido e levado para o Hospital Regional de Araguaína, onde segue internado. O caso foi registrado por volta das 19h50.

Ninguém foi preso. A Polícia Civil informou que o filho de Vera tinha passagens por tráfico de drogas.

 G1 Tocantins.

Imagem de capa (tiros) ilustrativa

Mãe estuprada pelo filho havia mudado de Estado para protegê-lo, diz delegada

Mulher de 48 anos foi vítima de violência sexual na frente da filha de 11 anos em Águas Belas, Pernambuco. ‘A violência aconteceu de diversas formas possíveis e imagináveis’, afirma Polícia.

O jovem de 18 anos suspeito de estuprar a própria mãe na frente da irmã de 11 anos em Águas Belas, no Agreste de Pernambuco, foi levado para a Delegacia de Polícia Civil de Garanhuns na segunda-feira (23), prestou depoimento e confessou o crime.

De acordo com a delegada Thatianne Macêdo, a mãe, de 48 anos, relatou que o filho chegou em casa embriagado e já foi ameaçando-a com uma faca. Após isso, ele a constrangeu e a obrigou a manter relações sexuais com ele.

“A violência sexual aconteceu de diversas formas possíveis e imagináveis, todos os atos sexuais presenciados por uma criança de 11 anos de idade”, disse a delegada.

Segundo a Polícia Civil, a vítima teria fugido com os filhos de uma cidade no Estado de Alagoas há três anos. Na delegacia, a mulher falou que se mudou para Pernambuco com o intuito de proteger o filho, que quando adolescente se envolveu com a criminalidade.

“A mãe, para proteger a própria vida do filho, deixou parentes, amigos, familiares, a terra natal, vindo buscar refúgio aqui em Águas Belas, em Pernambuco. E ela mesma foi vítima do próprio filho”, relatou a delegada.

Entenda o caso

Um jovem de 18 anos estuprou a própria mãe, de 48, na frente da irmã de 11 anos no bairro São Sebastião, em Águas Belas, no Agreste de Pernambuco.

De acordo com a Polícia Militar, a mulher procurou a polícia e informou que o filho aparentava estar sob influência de drogas quando o crime aconteceu. Conforme a mãe, ela teria pedido para o jovem fazer silêncio, como ele não aceitou a reclamação, ameaçou a mulher com uma faca, imobilizou a vítima e praticou o estupro.

Depois do ocorrido, a mãe fugiu de casa junto com a filha e se escondeu em um matagal. A mulher estava em estado de choque e passou por atendimento médico.

Filho mata pai com ‘mata-leão’ ao tentar proteger mãe de facadas em GO

Mesmo se tratando de legítima defesa, jovem foi detido até audiência de custódia.

Um jovem de 21 anos matou o pai asfixiado com um “mata-leão” após salvar a mãe de levar uma facada do homem. O caso aconteceu nesse domingo (22), em Anápolis.

Como conta o Mais Goiás, o detento do semiaberto Dolismar José Damas, de 41 anos, atacou a ex-esposa, Maria Núbia Damas, de 37, com uma faca durante uma briga.

Na tentativa de defender a mãe das agressões, o rapaz imobilizou o pai com uma “gravata”. Como o homem não parava de se debater, o jovem fez mais força e acabou asfixiando o pai.

O filho foi encaminhado à Central de Flagrantes, onde permanecerá detido até sua audiência de custódia. Como os policiais entenderam se tratar de legítima defesa, o rapaz foi conduzido sem algemas.

Segundo o subtenente Joel Soares Galvão, do 28° Batalhão da PM, Dolismar tinha “inúmeros” registros criminais por furto e homicídio. Ele, inclusive, já tinha atentado contra a vida da ex-mulher.

“Já foi à casa de Maria diversas vezes para importunar. Hoje Dolismar foi preparado para matá-la com uma faca, mas o filho conseguiu evitar, pois estava atrás dele e viu tudo. Deu um mata-leão, mas como o homem não parava de se mexer tentando se libertar, o rapaz imprimiu mais força gerando asfixia mecânica no criminoso”, conou.

Ainda de acordo com o policial, o “homem era daqueles que não aceitava o fim do relacionamento e vivia rondando a região para importunar a ex-companheira”.

O corpo dele foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Anápolis.

Noticia ao Minuto

Pai e filho são presos suspeitos de furtar gado em fazendas no Tocantins

Segundo a polícia, suspeitos eram considerados foragidos desde 2017. Dupla foi presa em Luzimangues, distrito de Porto Nacional, e levada para complexo de delegacias em Palmas.

Pai e filho foram presos pela Delegacia de Investigações Criminais (Deic) e Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) suspeitos de furtar gado em fazendas do Tocantins. Eles foram detidos na manhã desta segunda-feira (9) e levados para o complexo de delegacias da Polícia Civil, em Palmas.

João Antônio da Silva, de 59 anos e João Antônio da Silva Júnior, de 36 anos, foram detidos por furto qualificado de gado e associação criminosa. Segundo a polícia, havia mandado de prisão contra eles desde 2017 e os dois eram considerados foragidos.

Eles teriam participado de um roubo a uma fazenda de Paraíso do Tocantins. Na época, foram furtados 19 gados da propriedade. O crime ocorreu em novembro de 2016 e os dois foram denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) no ano passado.

De acordo com o delegado Wanderson Chaves, da DEIC, o pai fazia um ‘estudo’ de quais fazendas eram mais vulneráveis e o filho realizava os furtos. Com os suspeitos a polícia encontrou um caminhão, um carro de passeio e duas armas.

“Estávamos há algum tempo na busca dos acusados e nesta manhã conseguimos capturá-los em uma fazenda próxima de Porto Nacional”, afirmou. Ainda de acordo com o delegado os dois não resistiram à prisão.

Os dois foram detidos na região do distrito de Luzimangues, distrito de Porto Nacional. A polícia ainda não sabe se o caminhão encontrado era usado por eles para o transporte do gado. Após serem ouvidos, os dois serão levados para a Casa de Prisão Provisória de Palmas.

O site ainda tenta contato com a defesa das vítimas.

No tocantins: Mãe descobre troca de bebês em necrotério ao vestir filho para ser enterrado

Erro ocorreu na maior maternidade do Tocantins, em Palmas. Quando dona de casa percebe problema corpo do filho estava sendo levado para Porto Nacional.

Os corpos de dois bebês que morreram neste sábado (28) foram trocados no necrotério do Hospital Dona Regina em Palmas. A dona de casa Maria Aparecida Alves percebeu o erro quando foi vestir o filho e prepará-lo para o enterro, por volta das 14h.

O corpo do bebê Lázaro Alves tinha sido levado momentos antes e estava a caminho de Porto Nacional, onde seria enterrado por outra família.

“Fui ao necrotério vestir o bebê e prepará-lo para o enterro e quando cheguei ao local vi que não era ele. Tinha uma placa com o nome de uma menina. Eu também olhei e vi que não era ele. Eu disse: ‘Meu bebê não é esse'”, contou.

A dona de casa explicou que momentos antes o bebê tinha sido levado para Porto Nacional, por outra família. Maria Aparecida contou que os funcionários do hospital disseram que iriam resolver o problema.

A funerária que levava o corpo para a outra cidade precisou voltar à capital. Os bebês foram destrocados cerca de três horas depois. “Meu marido ficou alterado e chamamos a Polícia Militar para registrar a ocorrência. O assistente social do hospital deveria acompanhar o pessoal da funerária para garantir que isso não acontecesse”, disse.

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou, em nota, que a troca dos corpos foi feita pela funerária, “que não observou a identificação com a etiqueta do nome do bebê”. Ainda segundo o Estado, assim que percebido o problema, a equipe do Hospital e Maternidade Dona Regina resolveu a situação. “A secretaria lamenta o ocorrido e informa que irá investigar os fatos.”

G1 Tocantins