Adolescentes são suspeitos de invadir casa de vereador e fazer família refém

Quatro pessoas invadiram a casa e amarraram o vereador e a família em Riachinho, no norte do Tocantins. Dois suspeitos foram encontrados em um matagal, os outros dois conseguiram fugir.

Dois adolescentes, de 14 e 15 anos, foram detidos pela Polícia Civil como suspeitos de fazer parte de um grupo que invadiu a casa de um vereador em Riachinho, no norte do Tocantins, e fez ele e a família de refém. O caso foi na madrugada desta segunda-feira (14), quando um grupo de quatro pessoas invadiu o imóvel e amarrou os moradores para assaltar.

Acidente que matou família e deixou vice-prefeito ferido em GO ocorreu após carro invadir a pista contrária

Casal e filha de 4 anos estavam no veículo que entrou na contramão e bateu contra caminhonete, em que um passageiro também morreu. Político está internado.

O acidente que matou quatro pessoas, incluindo uma menina de 4 anos, e deixou dois feridos ocorreu após um carro invadir a pista contrária da BR-070, em Cocalzinho de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, segundo informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Ocupado por um casal e a criança, o automóvel bateu de frente contra a caminhonete em que viajava o vice-prefeito da cidade de Cocalzinho, Alair Rabelo Neto (PSD), conhecido como Nenzão, e dois familiares. Um deles também morreu.

O acidente ocorreu por volta das 13h de sábado (11), no km 57 da rodovia. De acordo com a PRF, o Peugeot entrou na contramão e, ao se deparar com a Toyota Hilux, jogou para o acostamento na tentativa de evitar a colisão.

No entanto, o motorista da caminhonete fez o mesmo e os dois bateram de frente.

Família morreu em acidente de trânsito na BR-070, em Cocalzinho de Goiás (Foto: Facebook/Reprodução)

No Peugeot estavam José Augusto de Moraes, de 26 anos, a mulher dele, Fernanda Sena de Medeiros, de 25, e a filha do casal, Maria Júlia, de 4 anos. Os três morreram no local.

Já na Hilux havia três ocupantes. Bruno Abreu, que é namorado de uma filha de Nenzão, morreu no local. Já o vice-prefeito e o filho, Yago Azevedo, foram socorridos e levados ao Hospital de Urgências de Anápolis (Huana).

A unidade de saúde informou nesta segunda-feira (12) que o quadro de Alair é estável. Já o filho dele recebeu alta nesta manhã.

Vice-prefeito de Cocalzinho de Goiás, Alair Neto, e o filho dele, Yago Azevedo, ficaram feridos em acidente (Foto: Facebook/Reprodução)

Comoção

Bruno Abreu, namorado da filha do vice-prefeito, morreu no acidente em Cocalzinho de Goiás (Foto: TV Anhanguera/Reprodução

O namorado de uma filha de Nenzão, Bruno Abreu, que também estava no veículo, e os três ocupantes do outro carro morreram no local.

O casal e a filha tinham saído de Brasília em Direção a Jaraguá, no norte de Goiás. Como ambos estudaram na Universidade de Brasília, os centros acadêmicos de enfermagem e farmácia emitiram notas de pesar pela morte dos ex-colegas de curso.

“A vida é frágil, e todos os dias vemos com mais clareza e com mais certeza essa verdade. Com tristeza, pedimos orações e boas energias, já que não será fácil lidar com a juventude de 3 pessoas perdidas”, disse o diretório de farmácia.

“Fernanda era uma grande estudante, mãe, esposa e amiga, que com muito esforço e determinação alcançou a sua tão sonhada graduação, deixando sua marca na vida de todos que a conheceram e puderam ter o prazer de conviver com essa pessoa maravilhosa”, lamentaram os alunos de enfermagem.

G1 Goiás

Mulher é enterrada viva na Bahia após erro médico, diz família

Depois de vizinhos ouvirem gritos vindos do túmulo, parentes resolveram abrir o caixão e encontraram o corpo revirado.

A morte de uma mulher por choque séptico ganhou mais um capítulo nessa quarta-feira (14).

Enterrada no último dia 29, familiares dizem que Rosângela Almeida dos Santos, 37 anos, foi enterrada viva, após um erro médico, na cidade de Riachão das Neves, na Bahia. Dez dias depois do sepultamento, parentes decidiram abrir o caixão.

A mãe de Rosângela, Germana de Almeida, contou que o corpo da filha estava revirado, com ferimentos nas mãos e na testa.”Até aqueles preguinhos que estavam em cima estavam soltos. A mãozinha ‘tava’ ferida, como quem estava arrumando assim… Arrumando o caixão para sair”, disse Germana de Almeida, mãe de Rosângela, em entrevista.

Moradores que residem próximo ao cemitério dizem ter ouvido gritos vindo do túmulo. Parentes também afirmaram que o corpo da mulher ainda estava quente. “Quando eu cheguei bem ali em frente, eu ouvi batendo ali dentro. Aí eu pensava que era brincadeira dos meninos, que só vivem aqui dentro [do cemitério] brincando… Aí gemeu duas vezes.  Com as duas gemidas ela parou”, falou a dona de casa Natalina Silva.

Ainda de acordo com a reportagem, a certidão de óbito aponta um quadro de choque séptico como causa do falecimento. A situação está sob investigação da Polícia Civil de Riachão das Neves.

Em nota, a assessoria do Hospital do Oeste informou que está à disposição dos familiares da vítima e autoridades para prestar todas as informações necessárias.

Noticias ao Minuto

Acusado de matar família de ciganos no Tocantins é condenado a mais de 76 anos de prisão

Carlos Alberto teria financiado o crime fornecendo dinheiro e até as armas, segundo o Ministério Público. O crime aconteceu em 2012; quatro pessoas foram assassinadas.

Carlos Alberto Pereira, conhecido como Carlos Cigano, acusado de executar quatro pessoas em julho de 2012 em Araguaína, foi condenado a mais de 76 anos de prisão. O Júri Popular foi realizado no auditória da OAB da cidade, de portas fechadas, nesta quarta-feira (13).

Três das vítimas pertenciam a uma família de ciganos. Em 2015, o outro acusado Cícero Romão Batista Pereira foi condenado a 76 anos de prisão pelo mesmo crime.

Segundo o Ministério Público, Carlos Cigano teria financiado o crime fornecendo dinheiro e até as armas que foram usadas nos assassinatos. As vítimas são Rangel da Silva Lima, José Feitosa Pereira, Francisca Marahana Pereira Batista e Felix Guida dos Santos.

“As quatro pessoas que foram vitimadas foram atingidas em decorrência de engano, pois a vontade dele era atingir outras pessoas envolvidas numa matança de mais de 24 pessoas em mais de três estados diferentes, uma briga de família”, afirmou o promotor de Justiça, Paulo Alexandre Rodrigues.

Na votação do Júri, foram quatro votos a favor da condenação e três pela absolvição. A defesa disse que vai recorrer da decisão. “Não há nenhuma dúvida que esta decisão será anulada porque a lei determina que decisão contrária à prova dos autos deve ser anulada”, explicou o advogado Wendel Oliveira.

O crime aconteceu no setor Nova Araguaína. Conforme a denúncia, Carlos Alberto e Cícero teriam chegado em uma camionete e atirado contra um grupo de homens que jogava baralho na frente de uma casa.

Minutos depois, uma mulher grávida de gêmeos e o marido dela também foram executados. Três das quatro vítimas pertenciam a uma família de ciganos. As investigações apontaram que Cícero Romão queria vingar a morte da mãe dele, assassinada no Pará por ciganos. 

G1 Tocantins

Dona Valdecy comemorou seu aniversário rodeada da família e amigos em Trombas Goiás

O evento reuniu amigos íntimos e familiares para comemorar o aniversário de 78 anos com alegria em grande estilo.

O último sábado (25) foi de festa na chácara de uma das filhas de dona Valdecy Pereira de Oliveira, Nilva Barbosa, que fica localizada em Trombas Goiás.

O evento marcou os 78 anos de dona Valdecy, uma mulher forte, guerreira, que sempre teve como característica a humildade, um exemplo de vida, sendo seguido por sua geração.

Carinhosamente rodeada e amada por todos, ela disse estar feliz pelo momento especial, todos juntos comemorando seu aniversário.

Chorou ao falar do filho Edson Souza, falecido em dezembro de 2007. Ela disse que lembra sempre do filho querido, principalmente quando a família se reúne e olha em volta e não vê a presença dele.

Mesmo assim conteve as lagrimas e entrou no clima de diversão, muita comida boa e gente bonita.

Com a participação dos seus parentes, filhos, nora, genro, netos e amigos, todos viveram momentos de emoção e felicidades.

Exemplo de vida, natural de Angical Bahia e mudou para Ceres Goiás ainda mocinha, e para o município de Trombas no ano de 1970, casou-se com José Souza Oliveira, em Itapaci Goiás, e desta união tiveram cinco (5) filhos são eles: Nilva Barbosa, Nilma Barbosa, Nilson Souza Oliveira, Edson Souza (in memorian), e Evildo Souza Oliveira.

Até hoje a família chora a morte de Edson Souza Oliveira, falecido em 2007.

Da esquerda para direita os filhos: Nilma Barbosa, Evildo de Souza, Dona Valdecy ao centro, Nilson Souza e Nilva Barbosa.

Quando veio para a cidade de Trombas Goiás, já tinham todos os filhos, e eles vieram juntos.

Dos filhos nasceram 11 netos e 11 bisnetos, um dos bisneto ainda vai nascer, descendente do neto Eurizan Barbosa Junior, ela contou a nossa equipe toda orgulhosa.   

Dona Valdecy mora até hoje em Trombas na mesma casa onde viveu com o marido.  Ela disse que ficou viúva e nunca mais se casou.

Com dedicação vive com seu filho Nilson Souza, e procura estar sempre presente em volta da família dos quais muito se orgulha.

Foi um evento onde o respeito, admiração e a receptividade esteve em primeiro lugar, com almoço acompanhado de um delicioso churrasco, enfeitado com o tema da “Abelha Rainha”.

Veja a galeria de fotos

Estiveram presentes no evento o presidente da Câmara de Montividiu do Norte Goiás, Neurivan Barbosa do Vale (Dêga) e a secretária de saúde do município Jacilene Martins. 

Da redação/Fotos jornalista Rozineide Gonçalves

Colégio Família Agrícola de São Salvador promoveu o evento “Dia do Amigo”

O envolvimento da família, dos parceiros, agricultores com as questões educacionais é importante no processo de escolarização.

Para estreitar os laços entre a escola, os parceiros e as famílias, o (CEFA) Colégio Família Agrícola José Porfírio, promoveu neste final de semana o Encontro de Pais e Educadores, Agricultores e Parceiros, com o intuito de esclarecer dúvidas em relação à proposta pedagógica e às normas escolares da instituição e também agradecer pelo apoio.

O evento o “Dia do Amigo”, foi aberto oficialmente pela direção da escola a partir das 19horas no refeitório do colégio com a participação do diretor Cirineu da Rocha.

A finalidade do evento foi criar um laço com os agricultores da região e aquelas pessoas que tem contribuído com o Colégio e que receberam os estudantes em suas casas para fazer o estágio.

O aprendizado foi feito nas unidades da agricultura familiar da região. “Os agricultores receberam os alunos por duas semanas e ensinaram cada um a trabalhar, colocar a mão na massa. Eles fizeram tudo que o dono, o produtor ensinava. Se alimentaram e dormiram no local, hoje, este momento é para agradecer e ouvir de cada agricultor se este tipo de trabalho está correto. É um momento de bater um papo para saber se estamos no caminho certo ou não”, disse Cirineu.

Os alunos começaram o estágio no início do ano, sempre em dupla, fazendo aproximadamente 80horas aulas, sendo duas semanas alternadas com 40 horas cada uma.

A primeira fase foi feita no Colégio, a segunda fase nas unidades da agricultura familiar que é a partir do 2º ano. A terceira fase que será o último estágio, eles vão para empresa pública como Ruraltins ou privada, sempre na areia da agricultura, pecuária, ou meio ambiente, acrescentou Cirineu.

O local escolhido para os estágios é sempre aquele produtor da agricultura familiar que mexe com leite, horta, abatedouro de frango, dentre outros ligados a agricultura. Aqueles produtores que não tem nenhuma atividade bem-sucedida não servem para o estágio explicou.

O coordenador, Agrônomo e professor de Nutrição Animal Marcio Alves Francisco, falou do estágio familiar e que esta primeira etapa cerca de 25 alunos participaram. “Existe três focos importantes no estágio familiar: Primeiro escolar, segundo familiar que seria o 2º ano, terceiro ano, o empresarial, todos monitorado pelo colégio agrícola, sempre com frequência para ver o rendimento de cada aluno”. Explicou professor Marcio.

Ele disse ainda que, todos os agricultores parabenizaram os alunos estagiários pela dedicação nesta etapa.

Estagiários junto com alguns os agricultores

A aluna Clara Stefany Benevides Araújo de 22 anos, disse que os estágios foram importantes desde os que foram feitas no próprio colégio e nas propriedades rurais. “Eu mexi com bovinos de leite e aprendi muito, tudo que o proprietário fazia a gente fazia também, acordava as 5 horas da manhã, junto com os donos, éramos tratados como se fosse filhos deles. E pretendo estagiar em empresa grande e crescer lá dentro, quando eu terminar o curso”, disse emocionada.

Alunas Kamilla e Stefany

O prefeito de São Salvador André Borba e a secretária Meio Ambiente Cassya tem sido parceiros do Colégio Família Agrícola.

O prefeito de São Salvador relatou que tem dado total apoio ao colégio, e está vendo o crescimento e esforço do Cirineu na unidade escolar. “O trabalho tem fluido e para acabar com o “clima” que houve no início do ano, estamos junto nesta parceria tentando fazer o melhor, apesar da falta de tempo, da correria estamos buscando melhorias”, finalizou.

Prefeito de São Salvador André Borba, Presidente da Câmara Edvan e vereador Bena.

Participaram do evento o presidente da Câmara de São Salvador Edivan Francisco, o ex-prefeito Charles Evilacio e o vereador Bena.  

No final do evento os convidados puderam degustar um delicioso jantar acompanhado de churrasco ao som de Dudu do Forró e sua banda.

Da redação

Festa de aniversário de 80 anos de dona Madalena reuniu família e amigos em um momento inesquecível

Uma mulher forte, guerreira, que sempre teve como característica a humildade, uma exemplo de vida, que estar sendo seguido por sua geração de filhos, neto e bisnetos.

Uma linda festa marcou os 80 anos de dona Madalena Borges, carinhosamente rodeada e amada por todos. Ela disse estar feliz pelo momento em que estava vivendo, todos juntos comemorando seu aniversário. Falou também da honra de ter uma família abençoada e grandes amigos onde reuniu todos para lhe desejar um feliz aniversário.

Com a participação dos seus parentes, filhos, noras, genros, netos e bisnetos, amigos, todos viveram momentos de rara emoção e felicidade, na noite deste domingo 28, na Fazenda Bela Vista, que fica aproximadamente cerca de 10km de Palmeirópolis Tocantins. 

Uma mulher, forte, guerreira, exemplo de vida, natural de Anápolis Goiás e que se mudou para o município de Palmeirópolis no ano 1956.

Casou-se com Gil Ferreira Ramos em novembro de 1958 e desta união tiveram nove (9) filhos, sendo cinco (5) mulheres e quatro (4) homens. Dos filhos nasceram 25 netos e 20 bisnetos, ela contou a nossa equipe toda orgulhosa.            Os filhos, fruto de um grande amor

Foi um evento onde o respeito, admiração e a receptividade esteve em primeiro lugar, acompanhado de muita comida boa.

Em um reencontro, entre a família e amigos, o ambiente tornou-se com um clima onde o amor imperava pelo majestoso momento.

O aniversário de 80 anos é, sem dúvida, um marco na vida de uma pessoa, afinal, depois de viverem tanto assim, quantas experiências e sabedorias essa pessoa já carrega consigo, histórias vividas, acontecimentos passados.

De fato, viver tanto assim é um privilégio para poucos. Por isso mesmo, quando esta data chega é de primordial importância que comemoremos junto com a família e amigos, mostrando que a experiência adquirida com os anos só nos faz crescer. Ficou claro que a família demonstrou isso.

Dona Madalena é exemplo de superação, uma mulher guerreira. O tempo a fez entender a bela canção…´´ o mundo pode até fazer você chorar, mais Deus te quer sorrindo“ Deus não nos abandona nunca. 

A festa foi linda, a equipe do jornal Mapa da Notícia, também esteve lá para dar um abraço na mulher que junto com sua família muito faz pela cidade de Palmeirópolis.

Dona Madalena o seu carisma, simpatia e energia positiva nos motiva cada vez mais a produzir matérias como essa, feita com muito carinho para todos os nossos internautas. Desejamos saúde, paz, harmonia e muitas felicidades.

Na oportunidade, os convidados puderam dá um abraço e os parabéns bem como se confraternizarem. Ela agradeceu a presença de todos.

Veja a galeria de fotos

Da redação

Família procura por bebê que desapareceu enquanto brincava em assentamento

Enzo Gabriel, de um ano e quatro meses, foi visto pela última vez brincando perto de um riacho, em Filadélfia. Bombeiros fizeram buscas, mas não encontraram criança.

O bebê Enzo Gabriel, de um ano e quatro meses, está desaparecido desde a última terça-feira (10) na região de Filadélfia, norte do Tocantins. Ele foi visto pela última vez brincando em uma areia próximo a um riacho. Os Bombeiros chegaram a fazer buscas no local, mas a criança não foi encontrada.

Segundo a mãe Kaline dos Santos Vale, o bebê e os irmãos, de 4 e 7 anos, tinham ido passar uns dias com a avó que mora em um assentamento. Eles saíram para brincar, como de costume, foi quando o bebê sumiu.

“Quando chegou lá meu filho começou a brincar em uma areia. Os outros foram tomar banho. Ele ficou brincando sozinho, aí pegaram ele”, disse.

Os Bombeiros chegaram a fazer buscas no local, mas encerraram as atividades na quarta-feira (11). O pai da criança e alguns moradores da região continuam buscando pistas que possam ajudar a encontrá-lo.

Segundo a família, as crianças são acostumadas a brincar no local, que fica a 300 metros da casa. “Quando eu cheguei, tinha bastante gente procurando. Eu também iniciei as buscas e fica difícil. Não sei onde encontrá-lo”, lamentou o pai da criança, Luciano Soares.

O irmão mais velho contou detalhes do que aconteceu, o que levantou a suspeita de que a criança tenha sido raptada. “Ele falou que tinha visto uma mulher e um homem pegando a criança e levando num cavalo amarelado”, contou a mãe. 

A família registrou boletim de ocorrência na noite desta sexta-feira (13).

G1/TO

Família segue em busca de informações sobre goiano que desapareceu

Maykon Eder de Jesus, de 23 anos, falou com os parentes pela última vez há quase dois meses, quando estava nas Bahamas e se preparava para travessia irregular.

A família do goiano Maykon Eder Alves de Jesus, de 23 anos, que sumiu há quase dois meses ao tentar entrar de forma ilegal nos Estados Unidos, segue em busca de informações sobre o jovem. Os parentes pedem mais apoio às autoridades brasileiras para localizá-lo.

“Infelizmente, seguimos sem notícias. Ninguém do Itamaraty entra em contato para dar uma posição. A minha vontade é sair procurando meu filho, mas não tenho condição”, disse a mãe de Maykon, a dona de casa Idalira de Jesus, de 48 anos.

Apesar da reclamação da família, o Itamaraty informou que o Consulado do Brasil em Miami segue em contato com representantes locais para buscar informações sobre o jovem. Segundo o órgão, até o momento, “autoridades migratórias americanas não encontraram registro de Maykon Eder em nenhum centro de detenção imigratório ou federal”.

Ainda de acordo com o Itamaraty, “foi reiterado pedido de localização à Guarda Costeira norte-americana, mas ainda não há notícias sobre o paradeiro do brasileiro”.Família está desesperada com o desaparecimento do jovem (Foto: Paula Resende/ G1)

Devido ao desespero da família, o delegado da Polícia Civil André Fernandes tenta auxiliá-los. “É um caso complicado e exige atenção especial pelo menos para entrar em contato com todos os países em que ele passou”, avalia.

Viagem

Maykon Eder morava com os pais e o irmão em Senador Canedo, na Região Metropolitana de Goiânia. Segundo a família, há dois anos ele teve a ideia de ir para os Estados Unidos, tentou tirar o visto por duas vezes, mas não conseguiu autorização.

“Ele tinha o sonho de trabalhar, juntar dinheiro para ajudar a família, crescer na vida”, disse o irmão dele, Wesley Alves de Jesus, de 21 anos.Maykon Eder Alves de Jesus tinha tentado o visto americano por duas vezes, mas não conseguiu (Foto: Arquivo pessoal/ Wesley Alves de Jesus)

Os parentes não sabiam que Maykon Eder ainda tentava ir para o exterior. Ele só contou à família sobre a viagem horas antes de embarcar, no dia 10 de maio. Primeiramente, ele foi para o Panamá, depois para a República Dominicana e, por fim, chegou às Bahamas.

A última vez que Maykon Eder entrou em contato com os parentes foi no dia 3 de agosto, quando estava em Freeport, nas Bahamas. Na ocasião, o goiano disse por mensagem de um aplicativo de celular que poderia iniciar a travessia pelo mar a qualquer momento.

“Se eu não falar mais com a senhora, não se preocupe porque eles tomam o celular. Quando chegar em Miami, entro em contato. Amo vocês”, disse o jovem à mãe.

Os parentes não sabem o que ocorreu depois. “A gente não sabe se ele foi preso, se ele está com um ‘coiote’ em trabalho escravo. Também não podemos descartar um naufrágio”, lamenta o irmão. 

A mãe de Maykon Eder diz que vive um “pesadelo”. “Não como, já emagreci não sei quantos quilos, estou tomando remédio para dormir, estou com uma psiquiatra. Não é vida, estou vivendo pelo Senhor, pela esperança e por esses dois do meu lado [marido e filho caçula]”, desabafou.

Idalira de Jesus está desesperada sem notícias do filho (Foto: Paula Resende/ G1)

G1/GO

Família pede ajuda para garantir alimentação balanceada a idoso com câncer de mama raro

Sobrinho que cuida do paciente relata que tio sofre dores intensas e passa mal com frequência.

A família do aposentado Francisco Santana de Oliveira, de 71 anos, pede ajuda para garantir a ele uma alimentação saudável e balanceada para ajudá-lo a enfrentar o câncer de mama masculino, considerado raro. Morador de Trindade, na Região Metropolitana da capital, ele tem que fazer um longo trajeto até o Hospital Araújo Jorge, em Goiânia, onde faz o tratamento.

Segundo a assessoria de imprensa da unidade de saúde informou ao G1, por telefone, por ser um câncer de mama masculino, o caso de Francisco é pouco comum. Ele passa por quimioterapia e ainda não há indicação cirúrgica para o caso dele.

O sobrinho do paciente, o também aposentado Alvenir Teixeira Marinho, de 61 anos, é quem cuida dele. O parente conta que precisa ficar por conta de ajudar o tio, já que ele passa mal constantemente por causa do tratamento, além de sofrer de dores nas contas e ter dificuldades para se movimentar.

Alvenir relata que não consegue comprar todos os alimentos que Francisco deveria comer para se fortalecer. “Os médicos disseram que ele precisa tomar muito leite, água de coco, além de uvas e outros tipos de frutas, mas não consigo comprar tudo isso. Ele ganha um salário mínimo, e mais da metade vai para o financiamento de uma casa. O meu também é todo comprometido com as contas da casa, então a conta não fecha”, disse.

O aposentado relata ainda que outra dificuldade da família é o transporte do tio. Segundo ele, é preciso levar Francisco cerca de três vezes por semana ao hospital para fazer quimioterapia. Em setembro, quando ele deve começar a radioterapia, as idas devem ficar ainda mais constantes.

“Um dos meus maiores problemas é o combustível para fazer essas viagens. Nós moramos em Trindade, então é uma viagem de 70 km para ir voltar sempre que precisamos. A gasolina está muito cara e fica difícil custear tudo com o dinheiro que a gente ganha. A gente tem que fazer render o dinheiro”, pontuou.

Alvenir Marinho precisa levar tio de Trindade a Goiânia para tratamento (Foto: Adriel Marinho/Arquivo pessoal)
Alvenir Marinho precisa levar tio de Trindade a Goiânia para tratamento (Foto: Adriel Marinho/Arquivo pessoal)

G1/GO