Gaguim protocola PFC na Câmara Federal e cobra o destino do recurso para construção da Ponte de Xambioá

A fim de apurar o destino de R$ 100 milhões da emenda impositiva da Bancada de Tocantins, e o atraso injustificado do início das obras de construção da Ponte de Xambioá, na BR 153-TO, o Deputado Federal Carlos Henrique Gaguim (DEM/TO) protocolou nesta quinta, 10, junto à Comissão de Fiscalização, Finanças e Controle (CFFC) uma Proposta de Fiscalização e Controle (PFC).

Na proposta, o parlamentar questiona sobre eventuais prejuízos para a Administração Pública com possíveis alterações das condições originalmente estabelecidas no edital de licitação; eventual ganho financeiro indevido decorrente de possível redução das obrigações constantes estabelecidas, bem como possíveis prejuízos para a população decorrentes de atos oriundos de alterações das condições e obrigações previstas.

 “O recurso para esta obra tão importante ao Tocantins e para logística do país, principalmente para o desenvolvimento da região Norte, foi destinado, porém, ela não teve continuidade porque sempre havia uma impossibilidade técnica a ser sanada. Uma atitude tem que ser tomada. A obra foi iniciada em 2009 e são quase 9 anos de espera”, destacou o parlamentar, acrescentando que em 14 de setembro de 2017, a construção da ponte foi lançada com a presença de o Presidente Michel Temer, e ministros, entretanto ainda não saiu do papel.

Segundo Gaguim, a PFC servirá para elucidar diversas dúvidas suscitadas e apresentar com clareza o verdadeiro motivo que posterga sempre o início dessa obra tão importante para o Brasil.

As ações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) relativas às etapas do processo licitatório da construção da Ponte de Xambioá sobre o Rio Araguaia e do atraso injustificado do início dessa obra deverão ser fiscalizadas com o auxílio do Tribunal de Contas da União (TCU).

O que é PFC?

Proposta de Fiscalização e Controle: um instrumento de controle do Poder Legislativo sobre o Poder Executivo.

Assessoria de Imprensa deputado Carlos Gaguim

Acidente com ônibus que saiu do Tocantins destino Goiás, deixa nove feridos

Entre os que se machucaram está uma criança de 3 anos. Segundo os bombeiros, por causa da neblina, o motorista do coletivo não viu que um caminhão estava parado ocupando parte da pista.

Um acidente com um ônibus deixou nove passageiros feridos na GO-080, entre São Francisco de Goiás e Petrolina, na região central do estado, nesta terça-feira (6). Entre eles está uma criança de 3 anos.

O ônibus da empresa Rápido Marajó transportava 19 passageiros e saiu de Dianópolis, no Tocantins, em direção a Goiânia. O acidente aconteceu cerca de 100 km antes do destino, por volta das 6h.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um caminhão que transportava uma máquina agrícola ficou sem combustível. Por isso, o caminhoneiro teve de parar o veículo que, por ser largo, ocupava o acostamento e parte da pista.

Segundo o relato do motorista do ônibus aos bombeiros, ele trafegava pela pista da direita e não viu o caminhão parado, pois havia muito neblina no momento. Quando visualizou o caminhão, o condutor não conseguiu desviar totalmente.

“A lateral do ônibus saiu pegando nas lâminas do trator. Pegou a lateral todinha, saiu cortando a lataria, cadeiras”, detalhou o comandante do Corpo de Bombeiros em Jaraguá, major Ézio Antônio de Barros.

Máquina agrícola que estava sobre o caminhão tombou após a batida na GO-080, entre São Francisco e Petrolina (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

Com o impacto, a máquina agrícola se deslocou para a cabine do caminhão, mas o motorista não se feriu. “O condutor estava em cima da carroceria pegando combustível do trator para por no caminhão. Ao ver quer o ônibus não ia parar, ele pulou”, contou o major.

Instrutor de motorista da Rápido Marajó, Elder José Francisco da Silva informou que os passageiros que não se machucaram já foram levados para Goiânia. Ele disse ainda que a empresa está prestando a devida assistência aos feridos.

Feridos

Os bombeiros explicaram que duas mulheres ficaram gravemente feridas, foram socorridas no local e levadas para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia. Como os nomes delas não foram divulgados, a unidade de saúde não conseguiu localizá-las para informar o estado de saúde das pacientes.

Os outros sete feridos foram levados ao Hospital de Jaraguá. De acordo com o médico Jimmy Joy Campos, um paciente tem estado regular e será transferido para outra unidade de saúde. Os demais estão bem, mas precisam de mais cuidados.

“É bom o estado deles, não correm risco de vida, mas temos que medicar e deixá-los em observação”, explicou o médico.

Lâminas da máquina agrícola cortaram a lateral do ônibus em acidente na GO-080 (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

G1 Goiás