Polícia Civil cumpre mandados de prisão durante operação de combate ao tráfico

Operação Red Fox tinha objetivo de desarticular organização criminosa comandada de dentro da cadeia. Mandados foram cumpridos em Lagoa da Confusão, Cristalândia e Fátima.

A Polícia Civil cumpriu mandados de prisão nesta quinta-feira (28), nas cidades de Lagoa da Confusão, Cristalândia e Fátima. As ações foram realizadas durante a operação Red Fox, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada no tráfico de drogas comandada de dentro da Cadeia de Cristalândia.

Depois de dois meses de investigação, foram realizadas ao todo seis prisões em flagrante por tráfico de drogas e cumprimento de 14 mandados, sendo nove de prisões preventivas e temporárias e cinco de busca e apreensão.

Durante toda operação foram apreendidos mais de 11kg de maconha, 600g de crack e 0,8 gramas de cocaína. Também foram apreendidos veículos e dinheiro.

De acordo com a Polícia Civil, o líder da facção criminosa, identificado como Antônio Cardoso dos Santos, conhecido como Baiano, comandava a facção de dentro da Cadeia Pública de Cristalândia, local onde cumpre pena por tráfico de drogas.

Santos dava ordens para os comparsas, que estavam fora do sistema prisional. Após a realização de buscas, foram encontradas na cadeia cinco celulares, mais de 15 litros de pinga caseira e xunxos.

G1 Tocantins.

Polícia cumpre mandados no Tocantins contra integrante de facção criminosa

Operação está sendo realizada em 14 estados. Os alvos são suspeitos de integrar célula de facção criminosa que age dentro e fora de presídios.

Polícia Civil cumpriu na manhã desta quinta-feira (14), em Palmas, um mandado de busca e outro de prisão contra um suspeito de integrar uma célula da facção criminosa PCC, que age dentro e fora de presídios. A operação é nacional e está sendo realizada em 14 estados.

A operação Echelon é coordenada pela Polícia Civil de São Paulo, em parceria com o Ministério Público e a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo. Policiais do Tocantins auxiliaram no cumprimento dos mandados.

Ao todo, são 75 mandados de prisão e 59 de busca e apreensão em 14 estados. O grupo investigado é responsável por acirrar disputa entre facções no país, elevando o número de assassinatos.

Os mandados em Palmas foram cumpridos com apoio de agentes da Delegacia de Investigação Criminal. No início da manhã, os policiais fizeram busca em uma casa no Aureny III. No local foram apreendidos diversos aparelhos celulares.

Depois, cumprido mandado de prisão preventiva contra Leandro Bonfim Albuquerque Souza, de 26 anos, que está preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas. Ele é apontado como contato da organização criminosa no Tocantins.

Mauro Carlesse cumpre agenda de campanha no fim de semana

O governador em exercício, Mauro Carlesse (PHS), candidato a governador pela Coligação Governo de Atitude nas eleições suplementares de 3 de junho, cumpre agenda de campanha no final de semana.

Carlesse esteve na noite do sábado, 28, em Pedro Afonso, por volta das 21 horas, na Festa do Trabalhador organizada pelo vereador Gordo.

No domingo, 29, o governador cumpre participa da Cavalgada em Aragominas, às 9 horas.

Após o evento , Carlesse segue para Pau D’Arco, onde participa de um almoço de aniversário do prefeito João da Serraria.

Operação da PF contra o tráfico de drogas cumpre mandados de prisão em três estados

No Tocantins, os policiais prenderam cinco pessoas em Araguaína, Xambioá e Wanderlândia. Também foram apreendidos 19 quilos de cocaína e nove de maconha.

A operação Narcos realizada pela Polícia Federal nesta quinta-feira (8) cumpriu 12 mandados de prisão no Tocantins, em Goiás e no Maranhão. O objetivo foi combater o tráfico de drogas que atuava nestes três estados.

No Tocantins, três pessoas foram presas em Araguaína, uma em Wanderlândia e outra em Xambioá, todas as cidades da região norte do estado. Além disso, foram cumpridos quatro mandados em Goiânia (GO).

No Maranhão, foram dois em Balsas e um na capital São Luís. Ao todo, foram apreendidos 19 quilos de cocaína e nove quilos de maconha, além de insumos usados para o refino da droga.

Segundo a Polícia Federal, em Goiás e no Maranhão as prisões foram feitas em presídios, já que os criminosos já estavam presos por outros crimes.

“Quando pedimos a prisão, eles já tinham sido presos em virtude de outras investigações. Eles integravam a organização, ou fornencendo insumos para o refino da droga no Tocantins, ou ajudando na revenda”, informou o delegado Orlando Cavalcante Neves Neto, responsável pela operação.

Entenda

A operação foi resultado de um flagrante feito no dia 4 de abril do ano passado, quando a PF descobriu em Araguaína um laboratório de refino de cocaína, localizado em uma casa perto de uma faculdade particular. Na época, foram encontrados cerca de dois quilos de cloridato de cocaína e três de pasta base de cocaína.

PF apreendeu 19 quilos de cocaína, 9 quilos de maconha (Foto: Divulgação)

G1/TO

Pré-candidata ao Governo do Estado, Kátia Abreu cumpre agenda em Jaú do Tocantins

Kátia defende resolver os problemas cotidianos que atinge diretamente a população dos municípios como a falta de água e estradas ruins.

Nesta sexta-feira, 19, a agenda de trabalho da pré-candidata ao Governo do Estado, Kátia Abreu foi no município de Jaú do Tocantins, onde se reuniu com professores, vereadores, comerciantes e produtores rurais do Assentamento Volta do Rio.

Nos encontros, Kátia Abreu falou sobre sua pré-candidatura e ouviu de cada segmento relatos dos problemas que a região enfrenta por ausência do poder público.

Para Kátia Abreu as obras grandes são importantes, mas o Governo de Estado não pode tirar do foco às necessidades básicas que a população clama.

“É priorizar a perfuração de poços artesianos para resolver o problema da falta de água das famílias, é recuperar as estradas vicinais para escoar a produção de alimentos, focar nos problemas cotidianos que atinge diretamente a população “, disse.

T1noticias

Polícia Federal cumpre operação contra pedofilia em 14 estados

Mais de 70 mandados judiciais estão sendo cumpridos em 51 cidades.

A Polícia Federal (PF) está nas ruas desde as primeiras horas desta terça-feira (25) para cumprir a segunda fase da Operação Glasnost, que investiga exploração sexual de crianças e o compartilhamento de pornografia infantil na internet. A ação cumpre mandados em 51 cidades de 14 estados brasileiros.

Foram expedidos três mandados de prisão preventiva, 72 de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Até as 7h30, 11 pessoas tinham sido presas, sendo oito em flagrante e três preventivas.

Segundo a PF, a investigação teve como base o monitoramento de um site russo utilizado como uma espécie de “ponto de encontro” de pedófilos do mundo todo.

Os investigados produziam e armazenavam fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até mesmo de bebês com poucos meses de vida, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos, e as enviavam para contatos no Brasil e no exterior.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Ceará, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Piauí, Pará e Sergipe.

A PF disse ainda que as investigações resultaram na identificação de centenas de usuários, brasileiros e estrangeiros, que compartilhavam pornografia infantil na internet, bem como de diversos abusadores sexuais e produtores de pornografia infantil, tendo sido identificadas, ainda, diversas crianças vítimas de abuso.

Primeira fase

A primeira fase da operação foi deflagrada em novembro de 2013. À época, foram cumpridos 80 mandados de busca e prisão e realizadas 30 prisões em flagrante por posse de pornografia infantil. Também foram identificados e presos diversos abusadores sexuais, bem como resgatadas vítimas, com idades entre 5 e 9 anos.

O nome da operação

O nome da operação é uma referência ao termo russo que significa transparência. “A palavra foi escolhida porque a maior parte dos investigados utilizava servidores russos para a divulgação de imagens de menores na internet e para realizar contatos com outros pedófilos ao redor do mundo”, explicou a PF.

 G1/Goias