Levantamento aponta crescimento de 110% no número de mortes por afogamento

De janeiro a esta terça-feira (10), 21 pessoas morreram afogadas nos rios do Tocantins; no mesmo período do ano passado foram 10. Bombeiros dão dicas a banhistas nesta temporada de praias.

Ao todo, 21 pessoas morreram por afogamento no Tocantins, de 1º janeiro até esta terça-feira (10). Os dados são do Corpo de Bombeiros e revelam ainda que houve um crescimento de 110% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 10 pessoas morreram afogadas.

O mês de julho ainda está no início, mas já registrou três mortes nos rios de água doce do Tocantins. O último caso aconteceu em Formoso do Araguaia, na região sul do estado, no último domingo (8). José Júnior Pereira Araújo, de 25 anos, desapareceu após mergulhar no Rio Javaés. O corpo dele foi encontrado nesta segunda-feira (9).

Em junho, o pastor Alpiniano Ferreira Campos, de 55 anos, também morreu afogado no rio Tocantins, entre Esperantina e São Sebastião, no norte do estado. Ele se afogou ao tentar ajudar dois adolescentes que também estavam se afogando. Fábio Carvalho da Conceição, de 15, e Maria Vitória Sousa Matos, de 13, também não resistiram. O caso aconteceu durante encontro de membros de uma igreja evangélica.

Em abril, Dhefferson Crystian Vieira Alves, de 15 anos, morreu afogado no momento em que nadava na praia da Graciosa, em Palmas. Ele estava no local com amigos de uma igreja. Os Bombeiros informaram que Alves foi nadar depois de comer e passou mal. Ele afundou e não foi mais visto. Pessoas que estavam no local tentaram localizá-lo, mas não conseguiram.

São Sebastião do Tocantins e Porto Nacional registraram o maior número de vítimas. Em cada cidade, três pessoas morreram este ano, conforme o levantamento.

Alerta

A quantidade de banhistas nas praias durante a temporada de férias acende um alerta. É que nessa época, os casos tendem a aumentar ainda mais. Das 36 praias do estado, 33 têm guarda-vidas.

Os Bombeiros recomendam aos banhistas que evitem nadar em áreas desconhecidas e que escolham praias sinalizadas e com guarda-vidas.

Outra orientação é que os pais não percam as crianças de vista e que elas sejam estejam usando um colete salva-vidas. Além disso, o ideal é que o banhista não entre na água para nadar, após consumir bebida alcoólica ou alimento de difícil digestão.

Os Bombeiros ainda orientam que caso ocorra um afogamento, a vítima deve manter a calma, tentar flutuar e acenar por socorro. E se alguém for prestar socorro a quem esteja afogando, o ideal é não se lançar na água, mas fornecer objetos flutuantes.

G1 Tocantins.

Nos 29 anos do Tocantins, moradores relembram início difícil e celebram crescimento

Tocantins faz aniversário nesta quinta-feira (5). Em depoimento, pessoas que ajudaram a construir o estado falam sobre avanços: ‘Temos perspectiva de melhorar ainda mais no futuro’.

Tocantins é o lar de muitas pessoas que saíram de diversas regiões do país para ajudar na construção do estado recém-criado, em 1988. Nesta quinta-feira (5), quando o caçula do Brasil completa 29 anos, os pioneiros, que ajudaram no desenvolvimento da região, comentam os dias difíceis que enfrentaram no início e o crescimento ao longo dos anos.

Um dos pioneiros é o aposentado Eli Meleque Miranda, morador de Gurupi. Ele chegou à região quando a cidade pertencia ao norte-goiano. “Estamos em Gurupi há 61 anos. Quando nós chegamos aqui tinha oito casas, dia 25 de maio de 1954. Quando foi em 1972 é que veio a televisão, veio a água, veio telefone e energia elétrica. Antes daí não tinha nada”.

Outro que chegou no início do Tocantins e acabou ficando foi o empresário José Manoel Junqueira. Ele também relembra a falta de infraestrutura das cidades. “Tem 44 anos que eu moro aqui em Araguaína. Só tinha o asfalto da Belém-Brasília, o acesso das cidades pequenas que vivem às margens da rodovia, era todo de terra”.O empresário argumenta ainda que a divisão do território goiano foi uma conquista. “Eu acho que o estado do Tocantins foi criado para o bem nosso. Separamos os dois estados e naturalmente sobrou mais recursos para as cidades do norte e a melhoria destas cidades foi significativa”.

Natural de Minas Gerais, Junqueira diz que o lugar dele é aqui. “Eu adotei este estado. Hoje é o meu estado, a minha cidade é Araguaína, as amizades boas que eu tenho estão aqui”.

O empresário Juliano Leonardo Meurer chegou ainda criança em Palmas. “Começo dos anos 90, meus pais viram na TV que o Collor estava vindo fazer a inauguração da pedra inaugural do Palácio Araguaia. Nós viemos, conhecemos, eles gostaram daqui porque eles queriam um lugar onde os filhos poderiam estudar”.

O tempo passou e muitas das pessoas que chegaram no início continuaram no Tocantins e cresceram com o estado, constituíram família e hoje acumulam conquistas. “A gente cresceu junto com a cidade e só tem gratidão de estar aqui no estado. Já cresceu muito, evoluiu muito e a gente tem perspectiva grande de melhorar ainda mais no futuro”, finaliza Juliano. Tocantins foi criado em 1988 e completa 29 anos nesta quinta-feira (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

G1/TO