Homem que matou companheira na frente do filho da vítima é condenado a 14 anos

Ele foi considerado culpado pelo assassinato da companheira, em 2015, na Capital. A vítima foi esfaqueada na frente do filho de três anos de idade.

Cleone da Silva Souza foi condenado a 14 anos e três meses de prisão em sessão do Tribunal do Júri na terça-feira, 10, em Palmas. Ele foi considerado culpado pelo assassinato da companheira, em 2015, na Capital. A vítima foi esfaqueada na frente do filho de três anos de idade.

Após uma discussão com Ana Lúcia Feitosa da Silva, Cleone a matou utilizando uma faca. De acordo com o Ministério Público Estadual, o acusado já colecionava uma série de processos relacionados à Lei Maria da Penha.

Na sessão do Tribunal do Júri, o promotor de Justiça André Henrique Oliveira Leite demonstrou a crueldade e a frieza do réu, pois cometeu o crime na frente do filho da vítima. Pelos fatos apresentados na denúncia criminal, os jurados consideraram Cleone culpado, sendo condenado, nos termos da pronúncia, pelo crime de homicídio qualificado, cometido mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Ele cumprirá a pena em regime inicialmente fechado.

T1noticia

Jovem é suspeito de matar companheira com golpes de enxada na cabeça no Tocantins

A ferramenta foi encontrada no mato com vestígios de sangue e cabelo e a vítima apresentava marcas de pancadas na cabeça. O caso aconteceu em São Miguel do Tocantins.

Um jovem de 26 anos é suspeito de ter matado a própria companheira, de 20 anos, no povoado Bela Vista, no município de São Miguel do Tocantins. O crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira (8).

De acordo com a Polícia Militar, após serem acionados, os policiais encontraram o corpo da jovem no chão, próximo a cama. Ela apresentava sinais de pancadas na cabeça.

Conforme a polícia, parentes disseram que por volta das 2h30, o suspeito deixou levou o filho para a casa da avó, horário em que o crime teria ocorrido.

Em um mato próximo do local, foi encontrada uma enxada com vestígios de sangue e cabelo. De acordo com a PM, a ferramenta possivelmente foi usada no crime.

Ainda segundo informações da polícia, o local foi periciado e o corpo levado para o IML de Augustinópolis. A PM faz buscas pelo suspeito.

G1 Tocantins/Imagem ilustrativa