Com trabalho em equipe prefeitura de Palmeirópolis recolheu cerca de 24 toneladas de pneus velhos para reciclagem

Prefeitura fez convênio para retirada e reciclagem de pneus com a empresa há cerca de um ano.

A Prefeitura de Palmeirópolis, através da Secretaria de Meio Ambiente Sema, Urbanismo, Saúde e Administração em parceria com a Reciclanip, uma associação dos fabricantes de pneus do Brasil, realizaram na sexta-feira (5), o serviço de coleta de pneus inservíveis.

Além de cooperar com a limpeza, o recolhimento e destinação adequada deste material, diminui o risco de disseminação do mosquito da dengue, uma questão de saúde pública e que necessita de uma atenção especial.

O objetivo do Convênio da prefeitura com a empresa Reciclanip, é desenvolver ações conjuntas e integradas visando proteger o meio ambiente através da destinação ambientalmente adequada.

Os pneus foram levados à Brasília, onde serão triturados e posteriormente encaminhados para o destino final que é na fabricação de combustível alternativo para as indústrias de cimento, fabricação de solados de sapatos, borrachas de vedação, tubos pluviais, pisos para quadras poliesportivas, pisos industriais, além de tapetes para automóveis.

Recentemente surgiram estudos para entender a utilização dos pneus inservíveis como componentes na fabricação de manta asfáltica e asfalto-borracha, processo que tem sido acompanhado e aprovado pela indústria de pneumáticos.

A Reciclanip é considerada uma das maiores iniciativas da indústria brasileira na área de responsabilidade pós-consumo. O trabalho de coleta e destinação de pneus inservíveis realizado pela entidade é comparável aos maiores programas de reciclagem desenvolvidos no país, em especial, o de latas de alumínio e embalagens de defensivos agrícolas.

O projeto teve início em 1999, com o Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus Inservíveis implantado pela Anip (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos), entidade que representa os fabricantes de pneus novos no Brasil.

Ao longo dos anos, o Programa foi ampliando sua atuação em todas as regiões do País, o que levou os fabricantes a criar uma entidade voltada exclusivamente para a coleta e destinação de pneus no Brasil. Assim, em 2007, surgiu a Reciclanip para consolidar o programa nacional de coleta e destinação de pneus inservíveis. As atividades atendem a resolução 416/09 do CONAMA, que regulamenta a coleta e destinação dos pneus inservíveis.

A principal vantagem do recolhimento destes pneus, além da prevenção da degradação ambiental, é evitar a criação e proliferação de mosquitos transmissores de doenças, como a dengue (Aedes Aegypti) e outras.

A Vigilância Epidemiológica de Palmeirópolis tem desempenhado uma função fundamental na prevenção e controle de doenças em saúde pública. Os agentes de endemias realizaram testes rápidos em vários pacientes, onde foram registrados apenas 5 casos positivos, sendo 3 dengues e 2 zika.

Isso demonstra que a vigilância epidemiológica de Palmeirópolis, vem desenvolvendo um serviço primordial aos meios de prevenção contra essas doenças, como orientação, tratamento dos focos e eliminação dos mesmos.

Diante desses casos, nota uma evolução grande no serviço, pois em anos anteriores, Palmeirópolis esteve quase em situação de endemia. De alguns anos para cá a redução foi grande como demonstra os dados retirados do Sinan.

A prefeitura assinou esse convênio com a Reciclanip e não paga absolutamente nada para a retirada destes pneus do município, apenas a mão de obra de recolher até o galpão.

Da redação/Com informações da SEMA

 

Cerca de 500 PMs do Tocantins deverão se aposentar com convocação de aprovados em concurso público

Comandante da PM reconheceu o baixo efetivo e afirmou que, com os policiais que ingressarão após o concurso, 139 municípios serão atendidos; MPE recomendou a oferta de 5.340 vagas para suprir déficit.

De acordo com o comandante da Polícia Militar do Tocantins, coronel Edvan de Jesus, o efetivo da instituição possui atualmente cerca de 3.600 militares e a previsão é de que cerca de 500 policiais deverão se aposentar entre 2018 e 2019, após os 1040 aprovados no concurso público da instituição serem convocados.

Os novos soldados e oficiais deverão substituir os policiais que vão para a reserva e ainda aumentarão o efetivo na cobertura aos municípios.  

Em declarações à imprensa nesta terça-feira, 9, o comandante da corporação confirmou que os novos policiais deverão substituir os que estão saindo. “Muitos policiais estão indo para a reserva porque grande parte do nosso efetivo ainda é oriundo do estado de Goiás, então esses 1040 policiais farão frente aos que se aposentaram. Há um planejamento de implementação de mais policiais no futuro, mas esses 1000 soldados e 40 oficiais que ingressarão, certamente irão ajudar muito nos municípios. Com esse efetivo teremos uma condição muito maior de cobrir os municípios”, argumentou o coronel Edvan.  

Déficit

Levantamento realizado pelo Ministério Público Estadual do Tocantins em setembro de 2017 apontou que a PM do Tocantins tem menos da metade do efetivo necessário.

De acordo com o promotor de Justiça Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira, existe uma lei estadual que determina que o ideal seria de 9 mil policiais. Em contrapartida, no estado há 3.660 militares, o que representa apenas 40% do ideal, totalizando um déficit é de 5,4 mil PMs.

Reconhecendo o efetivo reduzido de militares no Estado, coronel Edvan afirmou que a situação tem exigido esforço dos policiais e que os novos PMs serão distribuído nos 139 municípios para ajudar a combater a criminalidade.

“A segurança pública é um assunto discutido em todo país e todo investimento em segurança resulta em benefício para a sociedade. No país inteiro se fala em dificuldades e em crise, mas ainda assim toda a equipe do governo e o governador do Tocantins estão empenhados na solução deste que é hoje um problema para a Polícia Militar, que é o efetivo reduzido. Vivemos essa situação que tem exigido muito esforço por parte de todos os policiais para que a gente possa cumprir a nossa missão. E certamente os policiais que estarão ingressando ajudarão no cumprimento desta missão, que é a preservação da ordem pública. A Polícia Militar é constituída de batalhões e companhias, então todos serão atendidos. Os 139 municípios serão atendidos”, argumentou o comandante

T1noticias

Seca faz nível do rio Araguaia baixar em cerca de 2 metros

É possível caminhar até o meio do rio, onde a altura da água não ultrapassa 20 centímetros. Bancos de areia também preocupam moradores de Xambioá.

O nível do rio Araguaia em Xambioá, norte do Tocantins, baixou quase dois metros, de janeiro até este mês. O levantamento é da Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Os bancos de areia no meio do rio também preocupam quem depende dele para sobreviver. 

Em alguns pontos, a altura da água não ultrapassa 20 centímetros. É possível até caminhar. “Pavor. Estamos com medo. Sempre temos essa seca, mas não desse jeito”, lamentou o autônomo Miguel Queiroz.

As pedras no meio do rio que estavam encobertas no início do ano, apareceram. São 250 pescadores que dependem do Araguaia para sobreviver. “Antes a gente ia para o rio e trazia 70 ou 80 quilos de peixe. Hoje a gente não traz mais essa quantidade, a gente traz de 30 a 40 quilos. Está difícil para pescar”, disse o pescador Antonio Sousa.

Os bancos de areia no meio das águas também chamam a atenção dos moradores. O lugar onde as balsas passam não foi afetado, mas em outros pontos o assoreamento do leito e as pedras estão dificultando o deslocamento dos barcos. “Tem que ter muita atenção, andar devagar porque senão você acha as pedras. Em lugares que nunca haviam surgido pedras, está surgindo e é arriscado você estragar o motor”, reclamou o comerciante Edson Saldanha.

Mas existe uma explicação para o surgimento dos bancos de areia. “Os bancos de areia se formam a partir do processo erosivo que ocorre naturalmente no meio ambiente. Mas eles se agravaram. Os bancos de areias não estavam aqui desta forma, desse tamanho nos últimos anos. Podemos perceber que ao longo do rio grande parte das matas ciliares foram desmatadas, quando o rio percorre esse leito, ele vai carreando esse sedimento e criando o banco de areia no meio do rio”, explicou a engenheira ambiental Ana Caroline da Silva.

A secretária de Meio Ambiente de Xambioá, Marivalda Martins, garante que algumas alternativas estão sendo adotadas para amenizar a situação. “Nós estamos com plano de reflorestamento das nascentes e de plantar árvores nativas na praia do Murici, bem como plantar árvores na beira do rio em parceria com os ribeirinhos”.

De camionete

O rio Araguaia é um dos principais do país e enfrenta uma das piores secas da história. Na última sexta-feira (29), o G1 mostrou um vídeo gravado por Cleonice Oliveira Barros, em Xambioá, que mostra uma caminhonete transitando pelo leito do rio.

Aquele lugar que fiz o vídeo é no meio do rio. Do dia que fizemos [as imagens], o rio secou mais ainda. Meu medo é que os meus bisnetos não tenham mais o rio para aproveitar. Os afluentes estão todos secos e fica difícil daqui uns anos ter essa maravilha aqui”, disse.

O rio Araguaia nasce em Goiás e desagua no Pará, passando também pelo Mato Grosso e Tocantins. São mais de 2.100 quilômetros, mas a força das águas que leva vida para quatro estados está ameaçada pelas queimadas e ação do homem. Estudos feitos pela polícia em Goiás, mostram que o Araguaia pode secar em até 40 anos.

Em alguns pontos a altura da água chega a 20 centímetros; moradores conseguem caminhar tranquilamente (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

G1/TO

Cerca de 130 ferroadas de arraias são registradas esse ano em praias do Tocantins

A maioria aconteceu em Palmas, onde foram registrados 24 casos. A última vítima ficou ferida no sábado (22), nas águas da praia do Prata.

Desde o início do ano, cerca de 130 pessoas foram ferroadas por arraias nas praias do Tocantins. A maioria em Palmas, onde foram registrados 24 casos. No último sábado (22), houve mais um registro na praia do Prata.

O biólogo Aguinaldo Sanches explica que as arraias são consideradas dóceis, não são agressivas e não atacam. O que o ocorre é uma ação involuntária. Quando alguém pisa no dorso, a cauda levanta e provoca o ferrão.

“O ferrão se encontra mais ou menos na metade da calda. É uma estrutura calcificada, totalmente composta por espinhos. É coberto por um tecido glandular, onde são produzidas as toxinas. Quando perfura a pele de uma pessoa é injetado o veneno produzido, que age no tecido causando bastante sangramento e uma dor aguda”, explica.

Ele diz que os casos de ferroadas são mais comuns na temporada de praias porque as pessoas deixam cair restos de comida na água, fator que atrai os peixes e consequentemente as arraias.

Manter o local de banho limpo é uma das principais medidas que não depende só do poder público, mas de quem frequenta a área de banho também. Algumas dicas podem ajudar a detectar a presença dos animais.

“Não andar pisando e sim arrastando os pés de moda a afugentar as possíveis arraias que estejam ali ou utilizar um galho, madeira, alguma coisa para ir tocando o local onde você pretende estar.”

Para quem for atingido por arraia, especialistas orientam o seguinte: lavar o local do ferimento com água limpa, sem medicamento no primeiro momento; depois colocar o local machucado imerso em água aquecida em 45 graus porque essa temperatura vai amenizar a ação do veneno.

Além de buscar um médico urgente. Ainda não existe remédio que neutralize o veneno, mas a dor pode ser tratada com antinflatórios e antibióticos.

Vistoria

Em nota, a Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) informou que está prevista para esta semana a segunda etapa da ação de vistoria e limpeza das praias de Palmas. Disse que a manutenção é realizada constantemente e solicita que os banhistas não utilizem a estrutura para pulos e mergulhos e que fiquem restritos à área protegida.

G1/TO

Jovem morre após perder controle de motocicleta e bater em cerca de arame

Acidente aconteceu na zona rural de Aliança do Tocantins.
Vítima morreu no local e causas do acidente serão investigadas.

Um jovem morreu na tarde desta segunda-feira (27) após perder o controle de uma motocicleta e bater em uma cerca de arames. O acidente aconteceu em uma estrada vicinal próximo de Aliança do Tocantins, sul do estado.

A vítima foi identificada pela polícia como Edison Soares da Conceição, 23 anos. O jovem morreu no local. A moto em que ele estava foi apreendida e está no pátio da Polícia Militar de Aliança e a perícia vai apontar as causas do acidente.

O corpo foi levado para uma funerária e liberado para a família.

G1/To