Veja os compromissos dos candidatos ao governo do Tocantins nesta quarta (16)

Entre os compromissos do dia estão reuniões, entrevistas e carreatas. Os políticos estão dispostos em ordem alfabética.

Confira os compromissos dos candidatos ao governo do Estado para esta quarta-feira (16). Entre os compromissos do dia estão reuniões, entrevistas e carreatas. Os políticos estão dispostos em ordem alfabética.

Kátia Abreu (PDT)

Palmas

  • 07h45 – Reunião com colaboradores de empresa privada
  • 10h – Visita ao Camelódromo – Centro

Gurupi

  • 12h30 – Entrevista à emissora de televisão local
  • 13h30 – Reunião com líderes políticos
  • 14h30 – Reunião com lideranças
  • 16h30 – Reunião com lideranças
  • 17h – Reunião com líderes políticos
  • 17h30 – Reunião com lideranças
  • 18h – Reunião com líderes políticos
  • 18h30 – Reunião com juventude
  • 20h – Grande reunião no Setor Malvinas

Marcos Souza (PRTB)

  • Tarde: Retorno para Palmas
  • Noite: Visita à veículo de comunicação para gravação de entrevista

Mário Lúcio Avelar (PSOL)

  • 06h – Visita a construção do Hospital Geral de Araguaína, o Hospital Regional de Araguaína e o setor de Radioterapia, a Casa de Prisão Provisória e a uma cratera na TO-022, no perímetro urbano da cidade;
  • 08h – Entrevista em programa de TV em Araguaína
  • 09h – Reunião com camponeses, movimentos sociais e lideranças políticas de Araguaína no Bairro São João, também em Araguaína;
  • 18h – Entrevista em programa de TV em Palmas

Márlon Reis (Rede)

  • 11h – Reunião com presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para falar sobre campanha contra Fake News.
  • 14h – Reunião com representantes do Sindicato dos Delegados da Polícia Civil do Tocantins (Sindepol-TO).
  • 16 horas – Entrevista para TV em Palmas.
  • Noite – reunião em Luzimangues.

Mauro Carlesse (PHS)

  • 7h30 – Apresenta propostas a empresários do ramo da indústria na sede da Fieto, em Palmas
  • Período da tarde – agenda de Governador
  • 19h – Participa de reunião política em Tocantinópolis

Vicentinho Alves (PR)

Palmas

  • 09h – Reunião com liderança religiosa
  • 10h – Reunião com extensionistas rurais

Lagoa do Tocantins

  • 11h – Carreata

Santa Tereza do Tocantins

  • 13h – Reunião na praça 5 de Janeiro

Novo Acordo

  • 15h – Grande Reunião na Praça Central

Palmas

  • 20h30 – Reunião com o partido em Palmas

Partidos devem registrar candidatos para o mandato tampão até o fim do dia

Partidos e coligações terão apenas um dia para registrar candidaturas. Eleição suplementar está marcada para 3 de junho e deve custar R$ 15 milhões aos cofres públicos.

Os  partidos e coligações terão apenas esta segunda-feira (23) para registrar no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) a candidatura dos nomes escolhidos para o mandato tampão no governo do estado. As convenções ocorreram durante o final de semana e foram definidas sete candidaturas. A eleição suplementar está marcada para o dia 3 de junho e a chapa eleita fica no governo até o fim de 2018.

Sete partidos lançam candidatos a governador para a eleição suplementar; veja lista

Duas convenções foram realizadas no sábado (21) e outras cinco no domingo (22). Partidos devem registrar candidaturas no TRE nesta segunda (23).

Sete partidos lançaram candidatos a governador do Tocantins para a eleição suplementar que será realizada em 3 de junho. As chapas precisam ser registradas nesta segunda-feira (23) no Tribunal Regional Eleitoral e ainda dependem da aprovação do TRE para ter validade.

Dois partidos, o PSOL e a REDE, fizeram as convenções no sábado (21)e os outros cinco, PSB, PDT, PRTB, PHS e PR, organizaram eventos no domingo (22).

Veja a seguir quem são os candidatos lançados neste domingo.

Carlos Amastha (PSB)

Amastha lançou a candidatura no Espaço Cultural, em Palmas (Foto: Divulgação/PT)

Amastha lançou a candidatura com um evento no Espaço Cultural em Palmas. O ex-prefeito disse que vai passar com uma caravana pelos 139 municípios do Tocantins, para isso o local foi decorado como uma rodoviária. O comitê de campanha dele será itinerante.

“A nossa única bandeira é fazer a revolução que este estado tanto precisa. O que a gente tem aqui hoje nessa convenção é exatamente isso”, disse Amastha durante o evento. “Cada vez que a gente visita um canto no Tocantins nunca me perguntam o que ‘O que você vai fazer pela juventude do Tocantins?’. Não, a pergunta é sempre mesma: ‘Você vai fazer pela juventude do Tocantins o que fez pela juventude de Palmas?’ e eu vou!”, disse o político.

O empresário e entrou para a política em 2012, quando foi eleito prefeito da capital pela primeira vez. Ele foi reeleito em 2016, mas renunciou no começo de abril para disputar a eleição.

Carlos Enrique Franco Amastha tem 56 anos e nasceu em Barranquilla, na Colômbia. Há mais de 30 anos reside no Brasil onde formou família e estabeleceu empreendimentos empresariais. Ele pode concorrer a cargos públicos por ter sido naturalizado brasileiro.

Primeiro prefeito estrangeiro de uma capital brasileira, Amastha é casado e pai de três filhos. Ele se apresenta como um político diferente dos tradicionais e combate o que costuma chamar de ‘velha política’.

Kátia Abreu (PDT)

Kátia Abreu lançou candidatura ao governo do Tocantins (Foto: Divulgação/PDT)

A candidatura de Kátia Abreu foi lançada na sede do PDT em Palmas. O evento não teve discursos ou a presença da militância. A senadora estava acompanhada de outras lideranças políticas do Tocantins e assinou a ata que oficializou a escolha do partido.

A senadora Kátia Abreu era pecuarista e comandava fazendas no sul do Tocantins quando começou sua carreira política. Ela passou pelo antigo PFL e foi filiada ao DEM, PSD e PMDB.

A primeira eleição que ela venceu foi em 2002, para deputada federal. Em 2006 se tornou senadora pelo Tocantins e foi reeleita em 2014, o único período em que ficou afastada do Senado foi enquanto esteve no comando do Ministério da Agricultura, durante o segundo mandato de Dilma Rousseff (PT).

Ao longo da carreira, Kátia Abreu se envolveu em várias polêmicas com ambientalistas. Ela também foi citada na operação Lava Jato durante as delações da Odebrecht, mas não chegou a ser indiciada.

Marcos de Souza (PRTB)

 A convenção do PRTB foi realizada na sede do partido (Foto: Divulgação/PRTB)

O PRTB realizou a convenção na sede do partido em Palmas, o evento foi no começo da noite. Marcos de Souza tem 64 anos e é natural de Minas Gerais. Ele é empreendedor e trabalha na iniciativa privada. Se mudou para o Tocantins quando o estado foi criado para ser um dos pioneiros. Foi vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas (ACIPA) por dois mandatos.

Em 2006, assumiu a Secretaria de Trânsito, Transporte e Mobilidade de Palmas, permanecendo no cargo até 2008. Ele foi responsável pela implantação das primeiras ciclovias e por mudanças no sistema de transporte público da cidade.

Marcos de Souza é graduado em Gestão Pública e lança uma campanha que prega equilíbrio econômico nas contas públicas, corte de despesas desnecessárias e o combate à corrupção.

Mauro Carlesse (PHS)

Mauro Carlesse vai concorrer ao cargo de governador enquanto ocupa o cargo interinamente (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O evento que lançou a candidatura de Mauro Carlesse foi no auditório da Assembleia Legislativa. Além de lideranças políticas, a militância do partido também esteve presente. A convenção só terminou no começo da noite, após vários discursos de apoiadores do governador interino.

“Nós temos condições de fazer do nosso estado o melhor estado do Brasil. Ele tem tudo para ser feito. Ele tem ferrovia, ele tem estradas para todos os lado, ele tem energia, ele tem alguns projetos que têm que ser terminados. E tem o melhor que nós temos que é o povo, querendo, precisando, necessitando. É por isso que eu entrei na política”, disse ele.

Carlesse nasceu em Terra Boa (PR) e no Tocantins atuou como empresário e agropecuarista. Ele iniciou na política ao se filiar no Partido Verde (PV) em 2011. Foi candidato a prefeito em Gurupi nas eleições de 2012. No ano seguinte, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e venceu as eleições de 2014 para deputado estadual.

Em 2015, Carlesse se envolveu em uma polêmica ao ser preso no departamento de assessoria militar da Assembleia Legislativa, em Palmas. A prisão foi decretada por causa de um processo de execução de pagamento de pensão alimentícia contra o parlamentar, que corre na comarca de Barueri (SP).

Na época, o advogado do parlamentar, Sandro Henrique Armando, disse que houve uma divergência nos valores defendidos pelas partes.

Atualmente, Carlesse ocupa o cargo de governador interino do Tocantins. Ele assumiu o Palácio Araguaia após a cassação de Marcelo Miranda (MDB) e Cláudia Lelis (PV).

Vicentinho Alves (PR)

Em 2008 foi eleito deputado federal e em 2011 ficou como suplente de senador. Alves assumiu a vaga que Marcelo Miranda não pode ocupar após ser barrado pela Lei da Ficha Limpa. Hoje é primeiro-secretário da mesa diretora do Senado.

Além da carreira política, Alves é piloto comercial, agropecuarista e empresário. A coligação dele é uma das mais amplas da campanha. O senador pretende fazer uma campanha voltada para a recuperação econômica, atração de investimentos e geração de empregos.

Mario Lucio Avelar (PSOL)

 PSOL lançou pré-candidatura de Mario Lucio de Avelar (Foto: Divulgação/PSOL)

A convenção do PSOL foi na tarde de sábado no auditório da Câmara de Vereadores de Palmas. Mario Lucio apresentou uma série de políticas públicas para serem implementadas durante o governo.

“A proposta passa pelo equilíbrio das contas públicas e de recuperação da capacidade de desenvolvimento do estado. É preciso haver um choque de gestão para recuperar o equilíbrio fiscal. E a partir daí deixar o estado em condições de desenvolver políticas públicas com base em transparência”.

Ele é natural de Minas Gerais e foi promotor de Justiça no Tocantins entre os anos de 1993 a 1996. Também atuou como procurador da República, entre 1996 a 2003. Formado em Direito e Economia, atualmente exerce o cargo de procurador da República de Goiás. Esta é a primeira vez que ele tenta uma candidatura a um cargo elegível.

Marlón Reis (Rede Sustentabilidade)

Rede lançou Marlón Reis como pré-candidato ao governo do Tocantins (Foto: Yananda Reis/Divulgação)

O Rede já havia anunciado o nome de Marlón Reis como pré-candidato, no fim de março. Durante a convenção, que foi realizada na tarde de sábado em hotel da capital, ele apresentou alguns pontos do plano de governo. Reis também vai disputar, pela primeira vez, um cargo político.

“Entendemos que esse período é de extrema importância. São seis meses que podem ser adotadas medidas preparatórias para um quadro real principalmente no combate à corrupção. É possível ampliar a transparência e revelar os dados reais das contas do estado, abrir diálogo com a sociedade sobre as demandas que podem ser supridas. Nesses seis meses, vamos preparar o Tocantins para os próximos quatro anos. É possível fazer um governo reorientando o Estado para que ele cumpra no futuro o papel que deve cumprir”.

Márlon Reis é natural de Pedro Afonso, na região central do estado, e se formou em Direito. Ele atuou como juiz eleitoral até 2016. Ganhou notoriedade ao relatar a Lei da Ficha Limpa, que torna inelegível por oito anos o candidato que tiver o seu mandato cassado, renunciar para evitar a cassação ou for condenado por decisão de órgão colegiado.

Ele também idealizou e fundou, junto com lideranças sociais, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

A cassação

O mandato de Marcelo Miranda (MDB) foi cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no fim de março por captação irregular de recursos. Mas no dia 6 de abril, ele conseguiu uma liminar no Supremo Tribunal Federal e voltou ao Palácio Araguaia até que o TSE julgasse os embargos de declaração, instrumento jurídico usado para esclarecer pontos contraditórios da sentença. Na última quarta-feira (18), os ministros do tribunal rejeitaram os embargos e decidiram manter o afastamento de Miranda.

Mauro Carlesse, presidente da Assembleia Legislativa, assumiu o cargo e fica até que seja realizada a eleição suplementar ou até que o ministro Gilmar Mendes julgue outra liminar do governador cassado Marcelo Miranda.

G1 Tocantins

Partidos farão convenções neste final de semana para anunciar candidatos às diretas

Conforme novo prazo estabelecido pelo TRE, as convenções só poderão ocorrer neste sábado, 21, e domingo, 22. As candidaturas já terão que ser registradas na segunda-feira, 23.

Após o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE) redefinir, na manhã desta quinta-feira, 19, as resoluções para as eleições suplementares, que acontecem em 3 de junho, os partidos já marcaram para este fim de semana as convenções para anunciar seus candidatos à eleição suplementar. Conforme novo prazo estabelecido pelo TRE, os eventos só poderão ocorrer neste sábado, 21, e domingo, 22. As candidaturas já terão que ser registradas na segunda-feira, 23.

A Rede Sustentabilidade informou que os filiados se reúnem no sábado às 17 horas. O pré-candidato à disputa, Márlon Reis, informou que está conversando com vários partidos. “Até o momento nenhuma aliança foi definida, só vamos nos pronunciar oficialmente depois da convenção”, comentou. O evento acontece no Sindicato dos Corretores de Seguros, na quadra 106 Norte, em Palmas.

A convenção do PSB, para anunciar o nome do ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha, está marcada para o domingo, às 17h, no Espaço Cultural. “Vamos dar largada na grande transformação elegendo Amastha governador do Tocantins. Tocantins no pique de Palmas”, afirmou o PSB em mensagem compartilhada nas redes sociais. Amastha ainda discute sobre quem será o vice da sua chapa.

Embora o governador interino, Mauro Carlesse (PHS) tenha informado à imprensa nesta manhã que ainda avalia se entrará na disputa das diretas, o PHS marcou a convenção para o domingo, a partir das 9h, no auditório da Assembleia Legislativa do Tocantins, em Palmas. “Se eu conseguir colocar o Estado na condição de trabalho e andando, sem a minha eleição atrapalhar o andamento do Estado, eu serei candidato, mas isso eu ainda vou analisar”, disse Carlesse.

Já o PR, do senador Vicentinho Alves, realiza a convenção no auditório da ATM, em Palmas, no domingo, 22, às 16h.

O PT mantém a pré-candidatura do deputado estadual Paulo Mourão para as eleições suplementares e também para a eleição geral, em outubro. O Diretório Regional do PT deve se reunir ainda hoje para alinhar a data e local da convenção.

O deputado estadual do PSC, Osires Damaso, confirmou sua participação no pleito e a convenção do partido acontece no domingo à tarde, no Hotel Rio do Sono, das 13h às 18h.

A senadora Katia Abreu se reúne com aliados do PDT, no domingo, 22. A senadora está em deslocamento do Bico do Papagaio para Palmas para alinhar horários e locais  para a convenção.

A assessoria do senador Ataídes Oliveira, do PSDB, informou que os membros do partido estão em reunião fechada no momento, definindo horário e local da convenção, mas já com data definida para o domingo, 22.

T1noticias

Quase 90 mil candidatos realizam concurso da Polícia Militar neste domingo no Tocantins

Certame visa preencher 1.000 vagas do Curso de Formação de Soldados e 40 vagas para o Cargo de Cadete I, no Curso de Formação de Oficiais.

A expectativa é grande para a maioria dos candidatos que vão realizar a prova do concurso da Polícia Militar do Tocantins neste domingo, 11, nos municípios de Alvorada, Araguaína, Araguatins, Arraias, Augustinópolis, Dianópolis, Formoso do Araguaia, Gurupi, Miracema, Natividade, Palmas, Paraíso, Porto Nacional, Sítio Novo, Taguatinga, Tocantinópolis e Wanderlândia.

O certame visa preencher 1.000 vagas do Curso de Formação de Soldados (CFSD), distribuídas em 900 vagas para candidatos de sexo masculino e 100 vagas para candidatas de sexo feminino; além de 40 vagas para o Cargo de Cadete I, no Curso de Formação de Oficiais (CFO), sendo 36 para homens e quatro para mulheres.

A classificação para ambos os cargos são compostas por cinco etapas: prova escrita de múltipla escolha e dissertativa; exame de capacidade física; avaliação psicológica; avaliação médica e odontológica; e investigação social do candidato, a fim de verificar a idoneidade moral, vida pregressa e conduta incompatível do candidato.

As provas objetiva e dissertativa, para o cargo de Oficial, serão realizadas no domingo, 11, no período da manhã. O portão de acesso ao local de realização da prova será aberto às 7 horas e fechado às 8 horas, observado o horário local. Já para o cargo de Soldado, as provas serão aplicadas no período da tarde. O portão de acesso ao local de realização das provas será aberto às 13h30 e fechado às 14h30.

“Desejamos a todos os candidatos que façam uma boa prova neste domingo. A Polícia Militar é uma das instituições mais admiradas e respeitadas do Tocantins e isso se reflete na quantidade de pessoas que almejam ingressar na corporação, por meio do expressivo número de inscritos nesse certame. Além de um emprego estável e com boa remuneração, os nomeados terão ótimas oportunidades de qualificação”, destacou o governador Marcelo Miranda.

Candidatos devem ficar atentos

A organização do certame orienta que os candidatos compareçam com antecedência mínima de 45 minutos do horário fixado para o fechamento do portão de acesso ao local de realização das provas. Os mesmos devem estar munidos de caneta esferográfica transparente de tinta azul ou preta, documento oficial de identificação com foto e o Cartão de Informação do Candidato, impresso por meio do site www.aocp.com.br.

A aplicação das provas objetiva e dissertativa terá a duração de quatro horas. A primeira etapa, de caráter eliminatório e classificatório, constará de uma prova dissertativa, consistindo em uma redação e uma prova objetiva composta por 60 questões (Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico e Matemático, Atualidades e Conhecimentos Regionais, Noções de Direito, Noções de Informática e Normas Pertinentes à Polícia Militar).

Será considerado aprovado na prova escrita objetiva o candidato que acertar no mínimo 60% do total de pontos, devendo ainda obter o mínimo de um ponto em cada disciplina. Já a prova dissertativa, realizada juntamente à prova objetiva, terá o valor máximo de 25 pontos. O candidato deverá obter, no mínimo, 50% da pontuação máxima possível na redação, para não ser eliminado do concurso público.

A organização do concurso recomenda que o candidato não leve nenhum objeto ou equipamentos eletrônicos; impressos que não estejam expressamente permitidos ou qualquer outro material de consulta; relógio de qualquer espécie, óculos escuros ou quaisquer acessórios de chapelaria, além de outros descritos no edital.

É aconselhável também que os candidatos retirem as baterias dos celulares antes do acondicionamento no envelope, garantindo assim que nenhum som será emitido, inclusive do despertador caso esteja ativado.

Documento de Identificação

São considerados documentos de identidade as carteiras e/ou cédulas de identidade expedidas pelas Secretarias de Segurança, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pelo Ministério das Relações Exteriores, cédulas de identidade fornecidas por ordens e conselhos de classe, que, por lei federal, valem como documento de identidade, a Carteira de Trabalho e Previdência Social, bem como a Carteira Nacional de Habilitação com foto.

No caso de perda ou roubo do documento de identificação, o candidato deverá apresentar certidão que ateste o registro da ocorrência em órgão policial expedida há, no máximo, trinta dias da data da realização das provas objetiva e dissertativa e, ainda, ser submetido à identificação especial, consistindo na coleta de impressão digital.

Salários

Durante o período de formação, o subsídio do Aluno Soldado, em valores vigentes, é de R$ 2.215,10. O Aluno Soldado que obtiver aprovação no Curso de Formação será promovido ao Cargo de Soldado do Quadro de Praças Policiais Militares (QPPM), com remuneração prevista de R$ 4.455,46.

Já os aprovados no cargo de Oficial, durante o período de formação, o subsídio do Cadete I, em valores vigentes é de R$ 4.499,52. O Cadete que obtiver aprovação no CFO será declarado Aspirante a Oficial, permanecendo nesta graduação por um período mínimo de seis meses (interstício). O subsídio do Aspirante a Oficial, em valores vigentes, é de R$ 8.382,10.

A jornada de trabalho, durante toda a formação e carreira na PM, será em regime de tempo integral, com dedicação exclusiva, cujas atividades, de essencial interesse público, poderão se desenvolver no horário diurno e noturno, inclusive aos sábados, domingos e feriados.

T1noticias

Começa hoje prazo para candidatos trocarem de partido; políticos do TO devem migrar

Período chamado de janela partidária é chance das legendas atraírem outros candidatos; políticos tem 30 dias para migrar sem risco de perder o mandato.

A partir desta quinta-feira, 8, até o dia 7 de abril, políticos de todo o país poderão trocar de partido.

O período, chamado de janela partidária, é a chance das legendas atraírem aqueles que consideram os melhores candidatos e a disputar o maior número possível de vagas para deputados, afinal, pela lei eleitoral, quanto maior o número da bancada, maior será o Fundo Partidário e o acesso gratuito ao tempo de rádio e televisão.No Tocantins, pelo menos quatro parlamentares já estariam certos que devem migrar de sigla.

A senadora Kátia Abreu, expulsa do PMDB, embora ainda não confirme, já está com sua filiação no PDT acertada na Nacional do Partido, com o senador Carlos Lupi. A filiação deve ser anunciada no próximo mês.

O vereador e presidente da Câmara Municipal de Palmas, Folha Filho (PSD), também deverá anunciar a mudança de partido em breve, apesar de ainda não declarada.

O partido que é presidido por Irajá Abreu apoia a candidatura de Kátia Abreu ao governo do Estado e Folha, que já compõe a base aliada de Carlos Amastha na Casa, apoia a candidatura do prefeito de Palmas ao Palácio Araguaia.

Da mesma forma, a vice-prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), que ocupa o cargo na gestão municipal, mas tem Ataídes Oliveira (PSDB), seu companheiro de partido, como candidato da sigla. Na semana passada Cinthia foi a Brasília acertar detalhes da troca de partido, mas ainda não anunciou a escolha.

A deputada estadual Luana Ribeiro (PDT), candidata à reeleição, deve retornar ao PR em que o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, é o candidato ao governo.

Mais candidatos, mais dinheiro

A motivação dos políticos para mudarem de sigla também leva em conta a quantidade de recursos que o partido pode oferecer para suas campanhas eleitorais. Pelo que foi aprovado na reforma política, cada candidato à Câmara Federal pode gastar até R$ 2,5 milhões.

Algumas siglas como PP, PR e DEM divulgam que darão o valor máximo para cada um. A tendência é que recebam valores mais altos os candidatos que já ocupam 1º lugar na Casa. Filiados sem mandatos devem receber menos, o que dificulta a renovação dos congressistas.

Pelas regras aprovadas, para este ano, o fundo eleitoral é estimado em R$ 1,7 bilhão, sendo que 48% do fundo serão divididos proporcionalmente ao número de deputados. Será a principal forma de financiamento das campanhas.

Gaguim lança novo partido e promete candidatos na majoritaria no Tocantins

Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O pequeno PTN, que agora adotará o nome “Podemos”, será lançado no dia 1° de julho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF), e terá o deputado federal Carlos Gaguim como presidente do partido no Tocantins. De acordo com o parlamentar, o partido lançará um nome para concorrer ao governo ou senado no Tocantins.  A legenda tem dois nomes conhecidos eleitoral para as eleições de 2018: os senadores Romário (sem partido-RJ) e Álvaro Dias (PV-PR), este último sendo a aposta da sigla para concorrer à presidência da República.

“No Tocantins lançaremos um candidato a governador ou senador. Concorrer na majoritária é uma exigência do partido. Pode ser que esse nome seja o meu. O partido pretende ser a quinta ou sexta força do Congresso Nacional em termo de parlamentares. Nós teremos o senador Álvaro Dias como nosso candidato próprio à presidência da República. Teremos também de 4 a 5 candidatos ao governo em outros estados”, revelou Gaguim.

O parlamentar disse que está conversando com alguns nomes da política tocantinense e convidando para se filiarem ao partido. “Estou conversando com o ex-prefeito Raul Filho, um prefeito de uma cidade grande aqui do Tocantins. Vamos filiar 10 prefeitos aqui do Tocantins no nosso partido”, acrescentou.

Articulações políticas

“Eu já estou tentando a segunda vaga ao Senado. A primeira, meus líderes escolhem. Só no ano que vem lançaremos o nosso candidato ao governo, em março ou abril. Não estamos participando de nenhuma corrente política do Tocantins”, informou Gaguim.

Segundo o congressista, o Podemos conta com 2 prefeitos, 3 vice-prefeitos e 24 vereadores. “Temos também 15 deputados federais e mais 4 que vão entrar até o fim deste ano, dia 1° entram 2 senadores, Álvaro Dias, nosso candidato à presidência, e atual senador do Paraná, eleito com 86% dos votos, e senador Romário, candidato a governo do Rio de Janeiro ou vice-presidente da República. O governador de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), e um senador de Brasília estão na eminência de vir para o Podemos também”, disse.

No Tocantins, Gaguim também faz algumas articulações para as chapas proporcionais. “Conversei com Osires Damaso, Mauro Carlesse e Aragão. Vou conversar também com Eli Borges e Luana Ribeiro, que pode ser um nome ao Senado, sobre as chapas proporcionais”, afirmou. “A nossa meta é encontrar o melhor caminho para o projeto político que atenda aos anseios de nossa população tocantinense e do Brasil”, acrescentou.56747

(Brasil247)

 

Para Lula, citar seu nome é ‘senha’ para fechar acordo de delação

“Se pudesse ressuscitar o Conde de Monte Cristo, ele viria aqui falar: foi o Lula o culpado”, disse o ex-presidente em depoimento nesta quarta (10).

Em depoimento dado ao juiz federal Sergio Moro nesta quarta-feira (10), o ex-presidente Lula disse que seu nome é citado por candidatos a delator como condição para fechar acordo com o Ministério Público Federal.

“Aí, doutor, eu me desculpo com todo o respeito que eu tenho pelo seu trabalho. Esse último mês foi o mês Lula, em que a senha era Lula. Vamos chamar todo mundo. Se pudesse ressuscitar o Conde de Monte Cristo, ele viria aqui falar: foi o Lula o culpado”, afirmou o ex-presidente.

De acordo com a Folha de S. Paulo, Lula fez referência direta os casos de Léo Pinheiro e Renato Duque, que citaram seu nome durante depoimento a Moro.

“Eu vi o depoimento do Leo. Eu conheço o Leo antes e conheço o Leo naquele depoimento. Depois um cidadão condenado a 23 anos de cadeia ser chamado para a coisa mais importante que ele tem pra falar é que o Lula sabia”, disse.

“Depois de condenarem e execrarem a imagem de um pai de família que por mais errado que tenha merece respeito, como o Duque a 40 anos de cadeia e depois prometer para ele liberdade se a senha for falar: “o Lula sabia”, declarou.

O juiz rebateu a afirmação perguntando quem havia prometido liberdade a Renato Duque. Moro também declarou que o ex-presidente estava baseando suas afirmações em dados publicados pela imprensa.

“Mas eu estou vendo. Como é que não prometeu. Eu estou vendo. Isso acontece, eu estou vendo”, afirmou Lula.

Noticias ao Minuto

Inscrições do Enem começam hoje; o que os candidatos devem saber

Na hora da inscrição, os candidatos devem informar telefones fixo ou celular, além de e-mails.

Começam hoje (8), a partir das 10h, as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As inscrições devem ser feitas pela internet, no site do Enem. O prazo de inscrição termina às 23h59 do dia 19 de maio. A taxa do exame este ano é R$ 82. As provas serão aplicadas em dois domingo consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro.

Na hora da inscrição, os candidatos devem informar telefones fixo ou celular, além de e-mails, para que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) possa entrar em contato com o participante. Os dados devem estar atualizados.

O estudante também terá que criar uma senha de, no mínimo, seis e, no máximo, dez caracteres. Essa senha deve ser guardada, pois o candidato precisará dela até o ano que vem seja para conferir o resultado do exame ou para participar de processos seletivos que utilizam as notas das provas, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e Programa Universidade para Todos (ProUni).

“O processo de recuperação de senha foi alterado este ano, para garantir maior segurança aos participantes. É importante que os candidatos anotem a senha, pois vão usá-la em vários momentos”, diz a diretora de Gestão e Planejamento do Inep, Eunice Santos.

Informações

A inscrição começa com o fornecimento do CPF e da data de nascimento. O Inep cruzará as informações com o banco de dados da Receita Federal. O nome do participante, o nome da mãe e a data de nascimento serão preenchidos automaticamente e não podem ser alterados.

Segundo o Inep, caso as informações estejam incorretas no processo de inscrição, embora corretas na base da Receita Federal, o participante deve sinalizar o fato em um campo próprio e prosseguir com a inscrição. Se o participante souber que seus dados estão errados, inclusive na Receita Federal, deve procurar a Receita, solicitar a correção e também sinalizar o fato no campo próprio.

É também na inscrição que os candidatos escolhem a opção de língua estrangeira entre inglês e espanhol. Eles devem indicar a cidade onde querem fazer o exame, que não precisa ser o local onde o participante reside.

Os candidatos poderão ainda solicitar o atendimento especializado ou específico. Atualmente, o Inep disponibiliza guia-intérprete, tradutor-intérprete de Libras, leitura labial, prova ampliada, prova em braile, prova super ampliada, auxílio para leitura, auxílio para transcrição, entre outros mecanismos para promover a acessibilidade.

Nesta edição, um novo recurso vai auxiliar participantes com surdez e deficiência auditiva: a prova em vídeo Libras, oferecida em caráter experimental. Participantes com surdez e deficiência auditiva poderão selecionar apenas um tipo de recurso.

Os participantes transexuais e travestis devem fazer a inscrição com o nome civil. Só depois, entre 29 de maio e 4 de junho, poderão solicitar, pela Página do Participante, o uso do nome social.

Quando for finalizado o processo de preenchimento dos dados, será gerado um número de inscrição em uma página com o resumo das informações fornecidas. Nessa seção também é indicada a situação da inscrição. Os candidatos devem conferir os dados. Até o término das inscrições, é possível atualizar dados de contato, mudar o município escolhido para a realização das provas e a opção de língua estrangeira, além de solicitar atendimento especializado e/ou específico. Terminado o prazo de inscrição não é possível fazer qualquer alteração.

Isenções

Três grupos terão direito à isenção do pagamento da taxa de R$ 82 do exame. Para os concluintes do ensino médio no ano letivo de 2017, matriculados na rede pública de ensino, a isenção é automática. Os membros de família de baixa renda que declarem estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, de acordo com o Decreto 6.135/2007, e que estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), têm direito à isenção. Outro grupo beneficiado é o de membros de família com renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio (R$ 1.405,50) e que cursaram todo o ensino médio na rede pública de ensino ou como bolsista integral em escola da rede privada, seguindo a Lei 12.799/2013.

A isenção deve ser solicitada na inscrição, por meio de Declaração de Carência Socioeconômica. Nesse momento, o próprio sistema vai cruzar os dados inseridos pelo participante, de renda e de escolaridade, entre outros. Se a solicitação não for aceita, o sistema vai gerar, automaticamente, a Guia de Recolhimento da União (GRU). “Os participantes que tentarem burlar os critérios de isenção, que oferecerem informações falsas, poderão ser eliminados a qualquer momento do Enem, inclusive quando estiverem participando de processos seletivos para o ensino superior”, diz Eunice.

O prazo para o pagamento da taxa de inscrição vai até 24 de maio, respeitando os horários de compensação bancária. O participante isento da taxa no Enem 2016 e que não compareceu à prova só terá direito à isenção no Enem 2017 se justificar o motivo da ausência no sistema de inscrição.

Enem

O resultado das provas poderá ser usado em processos seletivos para vagas no ensino público superior, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

No primeiro domingo, dia 5 de novembro, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, no dia 12, as provas serão de matemática e ciências da natureza.

Caso haja algum problema na hora de inscrição, os candidatos podem acionar o Inep pelo telefone 0800 616161. O atendimento é das 8h às 20h, no horário de Brasília.

Noticias ao Minuto

Enem 2017 será em dois domingos consecutivos: 5 e 12 de novembro

O Ministério da Educação (MEC) anunciou mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que, este ano, será realizado em dois domingos consecutivos – dias 5 e 12 de novembro – e não mais em um único fim de semana. As inscrições estarão abertas de 8 a 19 de maio.

A medida deverá beneficiar os sabatistas, integrantes de religiões que guardam o sábado. Até o ano passado, eles tinham que ficar isolados em uma sala das 13h (horário de início da prova) até o sol se pôr e faziam as provas de sábado à noite. 

“As mudanças garantem mais tranquilidade para os estudantes, que terão mais espaço entre uma prova e outra e, ao mesmo tempo, resolve uma questão histórica dos sabatistas, que tinham a condição muito desumana de ficarem confinados aguardando o pôr do sol para iniciar a aplicação da prova. Além de aspectos relativos a segurança. A gente amplia a segurança da aplicação das duas provas tendo em vista esse espaço de dois domingos”, disse o ministro da Educação, Mendonça Filho.

No primeiro domingo, os estudantes farão provas de ciências humanas, linguagens e redação. No segundo, as provas serão de matemática e ciências da natureza. Até o ano passado, o exame era realizado em um sábado e um domingo, no mesmo fim de semana, e a prova de redação era aplicada no segundo dia de exame. Com a mudança, no primeiro domingo os estudantes terão cinco horas e meia de prova e, no segundo, quatro horas e meia. 

Os candidatos interessados em fazer o exame devem pagar uma taxa de inscrição. O MEC ainda discute o valor a ser cobrado. A taxa deve ser conhecida a partir da publicação do edital, prevista para 10 de abril. São isentos do pagamento da taxa os estudantes concluintes do ensino médio em escolas públicas e os participantes de baixa renda. Os estudantes isentos que não comparecerem e não justificarem a ausência perderão o benefício em 2018, caso queiram fazer a prova novamente. 

As mudanças foram feitas com base em consulta pública realizada pelo ministério. Cerca de 600 mil pessoas participaram da consulta, que ficou disponível no período de 18 de janeiro a 17 de fevereiro.

Segurança

Cada prova será identificada com o nome do candidato, tanto o caderno de questões quanto o caderno de respostas. “Com isso, tem instrumento a mais para identificar e eventualmente permitir a rastreabilidade, saber se porventura uma prova foi subtraída ou canalizada para uso indevido”, destacou Mendonça Filho. No ano passado, operações da Polícia Federal foram realizadas no dia de aplicação do exame. As provas também teriam vazado para alguns candidatos.

Enem por computador

A consulta pública mostrou que 70,1% dos participantes são contra a aplicação do Enem por computador. A ideia vem sendo discutida desde 2012. Mendonça cogitava fazer testes de aplicação este ano. “Imaginava que haveria receptividade maior para a prova aplicada em computador, mas é algo que acontecerá, num espaço de tempo não definido, certamente será uma evolução que ocorrerá também para a aplicação do Enem”, disse o ministro.(Fonte:Agência Brasil)