Marlon Reis será o 4ª candidato ao governo do Tocantins a ser entrevistado no JA1

Rodada de entrevistas com os candidatos começou na segunda-feira (10) e segue até a próxima sexta-feira (14). No Tocantins, cinco candidatos disputam as eleições.

Marlon Reis (Rede) será o ouvido desta quinta-feira (13) na rodada de entrevistas com os candidatos ao governo do Tocantins, no JA1. O jornal começa a partir de 11h50. Ele terá 20 minutos para responder a perguntas elaboradas pela equipe de jornalismo da TV Anhanguera.

A rodada de entrevistas com os cinco candidatos começou na segunda-feira (10) com o governador do Tocantins, Mauro Carlesse. O ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), foi o segundo a ser entrevistado, nesta terça-feira (11). Na quarta-feira (12) foi a vez da candidata Bernadete Aparecida (PSOL).

O sorteio da ordem das entrevistas foi realizado no dia 17 de agosto e contou com representantes de cada um dos políticos. Veja a ordem abaixo.

Em caso de segundo turno, uma nova rodada de entrevistas será realizada nos dias 15 e 16 de outubro, no JA2, com os dois finalistas. O tempo e ordem das entrevistas serão definidos posteriormente.

O debate do primeiro turno será realizado na noite de 2 de outubro. Se houver segundo turno, um novo programa será realizado no dia 25 de outubro.

Confira a ordem das entrevistas:

  • 10 de setembro – Mauro Carlesse (PHS)
  • 11 de setembro – Carlos Amastha (PSB)
  • 12 de setembro – Bernadete Aparecida (PSOL)
  • 13 de setembro – Marlon Reis (Rede)
  • 14 de setembro – César Simoni (PSL)

Com aval de Lula, Haddad é oficializado candidato ao Planalto pelo PT

Nome foi aprovado por unanimidade pela cúpula do partido.

Acúpula do PT aprovou por unanimidade o nome de Fernando Haddad como substituto do ex-presidente Lula na chapa do partido ao Planalto.

Em reunião nesta terça-feira (11), em Curitiba, a executiva nacional do PT chancelou, após carta enviada por Lula, Haddad como candidato oficial da sigla.

Na mensagem, Lula escreveu sobre o que chama de injustiça que vem sofrendo para deixá-lo fora da eleição, se disse indignado, mas ressaltou a importância da continuidade de seu projeto político com Haddad como candidato.

A mensagem do ex-presidente serviu para arrefecer qualquer resistência interna que ainda pudesse haver na sigla ao nome do ex-prefeito de São Paulo.

Uma ala do partido, ligada à presidente da sigla, Gleisi Hoffmann (PR), ainda queria adiar a troca para o dia 17 de setembro, o que desagradava aos aliados de Haddad.

Os dirigentes do PT farão uma pausa para o almoço e, às 15h, vão fazer um ato na frente da sede da Polícia Federal, onde Lula está preso, para oficializar a decisão. Com informações da Folhapress.

Por noticia ao minuto

Avião com candidato ao governo Daniel Vilela sai de pista durante o pouso em Goiás

Segundo a assessoria do político, piloto errou a aproximação e bateu contra uma cerca próximo à pista. Ninguém ficou ferido.

O avião que transportava o candidato ao governo de Goiás Daniel Vilela (MDB) saiu de pista durante o pouso nesta quinta-feira (6), em Itapaci, na região central de Goiás. Segundo a assessoria de imprensa, o piloto errou durante a aproximação e o trem de pouso bateu contra uma cerca. Ninguém se feriu. Ao todo, 9 pessoas estavam na aeronave no momento.

O avião, com prefixo PT-LJN, decolou às 8h de Goiânia. O avião ficou com as asas e hélices danificadas. Estavam no voo, além de Daniel Vilela, os deputados e candidatos à reeleição Bruno Peixoto (MDB), Waguinho Siqueira (MDB), o deputado federal e coordenador da campanha, Pedro Chaves (MDB), três integrantes da equipe do candidato ao governo, o piloto e o co-piloto.

O avião estava regular e cabia até 10 pessoas. A aeronave pertence à empresa Voar Táxi Aéreo LTDA, que não possuiu licença para operar na modalidade táxi-aéreo, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O órgão disse ainda que o bimotor “não possui certificação para operar na modalidade táxi-aéreo”, pois ela está registrada como serviço privado.

Avião que transportava candidato Daniel Vilela ficou danificado após bater em cerca, em Itapaci (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A assessoria do candidato explicou que o avião estava arrendado, portando atuava como serviço privado, e não táxi-aéreo.

A Voar Táxi Aéreo informou que o avião foi arrendado no dia 16 de agosto deste ano e que a operação da aeronave era conduzida pela equipe do candidato desde então. “A aeronave estava perfeitamente aeronavegável e com manutenção atualizada. Falhas mecânicas foram descartadas”, diz o comunicado. 

A reportagem procurou a Força Aérea Brasileira para saber se há alguma investigação sobre o acidente, mas ainda não obteve resposta até a publicação dessa reportagem.

Conheça as principais propostas do candidato a deputado estadual Leto Lapeiro

O pesado custo da violência no trânsito.

O candidato a deputado estadual Leto Lapeiro Milhomem do REDE (Sustentabilidade), em entrevista ao MN disse defender melhoria nas leis de trânsito, ele afirmou que em 2015 o Tocantins liderou o ranking nacional em morte no trânsito. (Fonte: Retrato da Segurança Viária 2017)

De cada cem mil habitantes morreram 32,7 pessoas, isso é considerado um número alarmante e assustador. Leto propõe projeto de lei para criar uma disciplina obrigatória no ensino fundamental e médio, e que as escolas têm um papel importante na educação das crianças e dos jovens.

“Que possamos ter consciência e educar a futura geração de condutores, sobretudo mostrar a eles a necessidade de respeitar as leis de trânsito e as consequências de dirigir embriagados. Também cobrar dos nossos governantes manutenção na malha viária”, explicou Leto Lapeiro. 

O candidato a deputado com o número 18800, tem se preocupado em uma campanha educativa com “Foco no Trânsito”.

Assessoria de Comunicação/Leto Lapeiro

 

César Halum, candidato ao Senado conquista apoio de prefeitos do Sul e Sudeste do Tocantins

O suplente de senador, Darci Garcia também participou do encontro, ocorrido na tarde desta segunda-feira, 20, em Palmas.

“Chegamos ao consenso de que o César Halum é o melhor nome para representar, nós do Sul e Sudeste do Tocantins”, declarou o presidente do Consócio Intermunicipal Vale Serra Dourada, prefeito de Jaú do Tocantins, Onassys Moreira (PSD).

Primeiro o grupo se reuniu com o candidato a senador, César Halum e posteriormente com o governador e candidato à reeleição, Mauro Carlesse (PHS), que estava acompanhando de seu candidato a vice-governador, Wanderlei Barbosa.

Além dos prefeitos do consórcio: Zé Augusto (PSDB/Peixe); Diogo Borges (PSB/Talismã); Fábio Vaz (PSD/Palmeirópolis);Olímpio Arraes (PSD/São Valério), Fabrício Viana (MDB/Paranã), os prefeitos Júnior Marajó (PV/Cariri do Tocantins) e Diva Ribeiro (PR Riachinho) também declararam apoio a Halum.

“Estamos felizes com a conquistas do apoio dos prefeitos. Graças a Deus nosso projeto diariamente tem recebido adesão de vereadores, lideranças políticas e população de todas as regiões do Tocantins”, disse o candidato a senador César Halum.

O candidato ao Senado, na chapa encabeçada pelo candidato ao governo Mauro Carlesse, pela coligação “Governo de Atitude”(PRB/ PHS//PP/DEM/PTC/SD/PATRIOTA/PROS/AVANTE/PPS/PSDC/PPL, também esteve em Miracema, nesta segunda-feira, onde acompanhado dos vereadores, Pedro da Farmácia e Aloísio, ambos do PRB, visitaram o prefeito, Moisés da Sercon (MDB).

Assessoria de Imprensa do senador César Halum 

Propostas do candidato a deputado estadual pelo Tocantins, Leto Lapero Milhomem

No Tocantins: Leto Lapero Milhomem é candidato a deputado estadual pelo REDE (Sustentabilidade), com o número 18800.

Ele afirma que tem o compromisso de trabalhar com transparência, combater o desperdício do dinheiro público e a corrupção.

Leto Lapero está disposto a ouvir a sociedade civil das diversas classes sociais e colocar em prática as atribuições de representar o povo, legislar para todos e fiscalizar as ações do executivo.

“Amigos e amigas tocantinenses, votei pela primeira vez aos 16 anos, hoje aos 45 anos, vejo que pouco mudou na política tocantinense e no Brasil. Minha indignação é a mesma de todos vocês. Corrupção, superfaturamentos, licitações duvidosas, inviabilizam investimentos em saúde, segurança, educação, infraestruturas e honrar com data base e PCCS dos servidores públicos estadual. Por esses motivos resolvi descruzar os braços. Sou candidato a deputado estadual com o número 18800, e coloquei meu nome a disposição do eleitor para concorrer uma vaga na Assembleia Legislativa Tocantinense”,  afirmou Leto.

Com apoio do candidato a governo do estado Márlon Reis.

Assessoria de comunicação

Ciro Gomes, candidato a presidente do Brasil, virá ao Tocantins no dia 24 de agosto

Ciro apresentará suas propostas de Governo para o país, ao lado de sua candidata a vice-presidente, a senadora tocantinense Kátia Abreu.

O candidato a presidente da República Ciro Gomes (PDT) estará no Tocantins no próximo dia 24 de agosto, e fará uma grande reunião em Palmas,  às 9h da manhã.  

Ciro é o primeiro candidato a presidente do Brasil a incluir o Tocantins na sua agenda de campanha. Ao apresentar sua escolha para ser sua candidata a vice-presidente, Ciro destacou, além da representatividade feminina, o trabalho da senadora Kátia Abreu no setor agropecuário, dando ênfase ao projeto Matopiba, nova e maior fronteira agrícola do Brasil, com potencial de crescimento econômico para o país.

Ascom Kátia Abreu

Lula é oficializado candidato à Presidência pelo PT

Ex-presidente foi confirmado durante a convenção nacional da legenda, neste sábado (4), em SP.

Partido dos Trabalhadores confirmou neste sábado (4) a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República.

O anúncio foi feito pela presidente da legenda, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), durante a convenção nacional do PT, no bairro da Liberdade, no Centro de São Paulo.

A ex-presidente Dilma Rousseff, o candidato ao governo de São Paulo pelo partido, Luiz Marinho, o ex-ministro Celso Amorim, o ex-prefeito da capital paulista Fernando Haddad, e o senador Lindberg Farias estavam presentes no evento.

Lula está preso desde abril, condenado em segunda instância no caso do triplex em Guarujá, a doze anos e um mês de prisão, o que, de acordo com a lei da ficha limpa, o torna inelegível. A questão só pode ser julgada pelo TSE depois do registro oficial em 15 de agosto.

Noticia ao Minuto

Rede Sustentabilidade confirma Márlon Reis como candidato ao governo do Tocantins

O anúncio foi feito durante a convenção estadual do partido em um hotel de Palmas nesta sexta-feira (3).

O partido Rede Sustentabilidade confirmou nesta sexta-feira (3) a candidatura de Márlon Reis ao Governo do Tocantins. A decisão foi tomada na convenção estadual, realizada em um hotel de Palmas no começo da noite. Márlon Reis é ex-juiz eleitoral e ficou conhecido como um dos autores da Lei da Ficha Limpa.

O candidato disputa o governo do estado pela segunda vez. Ele concorreu na Eleição Suplementar deste ano, convocada após a cassação de Marcelo Miranda (MDB), e ficou em quarto lugar na preferência do eleitorado.

O partido ainda não definiu quem será o candidato a vice-governador e não lançou um nome para concorrer ao senado. A Rede só vai definir os candidatos a deputados federais e estaduais após os outros partidos fecharem as convenções.

Trajetória

Márlon Reis é natural de Pedro Afonso, na região central do estado, e se formou em Direito. Ele atuou como juiz eleitoral até 2016. Ganhou notoriedade ao relatar a Lei da Ficha Limpa, que torna inelegível por oito anos o candidato que tiver o seu mandato cassado, renunciar para evitar a cassação ou for condenado por decisão de órgão colegiado.

Ele também idealizou e fundou, junto com lideranças sociais, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Em junho, se lançou candidato ao governo do Tocantins na Eleição Suplementar para governador. Ele obteve 9,91% dos votos válidos.

Temer tem pior índice de candidato à reeleição e seu apoio afastaria 86% de eleitores

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%.

O candidato que receber o apoio público do presidente Michel Temer (MDB) — caso ele mesmo não concorra à reeleição — pode não contar com os votos da grande maioria do eleitorado brasileiro. É o que mostra a última pesquisa Datafolha sobre as intenções de voto para a Presidência da República nas eleições deste ano, divulgada neste domingo, 15, pelo jornal Folha de São Paulo.

A pesquisa foi realizada de quarta-feira, 11, a sexta-feira, 13, com 4.194 entrevistas em 227 municípios, com margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com a pesquisa, questionados se votariam em um candidato apoiado pelo atual presidente, 86% dos entrevistados disseram que não. Outros 9% responderam que talvez votassem na indicação de Temer, e apenas 3% votariam com certeza em seu apoiado. Outros 2% não souberam responder.

O resultado de Temer é o pior entre três apoios analisados na pesquisa: o Datafolha também perguntou se os eleitores votariam em um candidato apoiado pelos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

No caso do petista – que inclusive foi testado em três cenários de intenções de votos e liderou todos -, 30% com certeza votariam em seu candidato e 16% talvez votassem. No universo de eleitores pesquisados, 52% não votariam na indicação de Lula. No caso do tucano, 66% não votariam em seu candidato, 21% talvez votassem e 10% com certeza votariam.

Presidente alcança 2% das intenções de voto

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%. Desde que a reeleição foi estabelecida no Brasil, durante o primeiro mandato de FHC (de 1995 a 2002), nenhum presidente pré-candidato a um novo mandato apareceu nas pesquisas de março ou abril do ano do pleito em situação tão precária quanto as experimentadas agora por Temer.

Segundo o Datafolha, Dilma Rousseff (PT) chegou em abril de 2014, ano que disputaria a reeleição, com 37% das intenções de voto. Antes dela, Lula chegou a abril no ano da reeleição, 2006, com 40%, também segundo o Datafolha na época. Com Fernando Henrique Cardoso foi parecido, e ele entrou em abril de 1998 com 34% das intenções de voto. Os três conseguiram se reeleger.

MDB ainda não decidiu se lança Temer (e) ou Meirelles à Presidência

Aliados avaliavam, reservadamente e em declarações na imprensa, que Temer sentia-se confiante com a recuperação de indicadores da economia, que apontam retomada do crescimento. Ele acreditava também que a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, entregue à responsabilidade do Exército, refletiria positivamente nas pesquisas e ajudaria Temer a alavancar suas intenções de voto.

Este foi o primeiro levantamento do Datafolha sobre a corrida presidencial depois da intervenção, que completou um mês no dia 18 sem resultados de impacto.

Apesar do interesse publicamente manifestado em tentar a reeleição, Temer ainda não foi oficializado pelo MDB como pré-candidato e enfrenta a concorrência de seu ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que se filiou ao partido para tentar disputar o Planalto. Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo neste domingo, Meirelles reiterou que não quer ser vice em uma eventual chapa encabeçada por Temer.