Bombeiros retomam buscas por jovem que sumiu em rio durante brincadeira

Sérgio Gomes desapareceu no rio Araguaia depois que pulou de um balanço. Bombeiros fizeram mergulho mas rio estava com pouca visibilidade.

Os Bombeiros retomaram, na manhã desta sexta-feira (16), as buscas por Sérgio Gomes de Farias, de 17 anos, que desapareceu no rio Araguaia, em Pau D’Arco.

Os trabalhos tinham sido suspensos na noite desta quinta-feira.

Os militares informaram que fizeram mergulho, mas o rio estava com forte correnteza e com baixa visibilidade.

Sérgio sumiu após pular de um balanço durante uma brincadeira. Ele e um amigo estavam em um flutuante durante a manhã desta quinta (15).

O amigo disse aos bombeiros que o adolescente pulou do balanço improvisado, acenou, mergulhou novamente e não foi mais visto.

O jovem pediu ajuda aos moradores da região, que jogaram redes de pesca para tentar resgatá-lo, mas não o encontraram. Bombeiros de Colinas do Tocantins e de Araguaína participam da operação.

G1 Tocantins

Bombeiros iniciam quinto dia de buscas por professor desaparecido no Araguaia

Homem desapareceu no início da semana enquanto atravessava rio em barco para fazer compras. Cheia do rio dificulta as buscas na região.

Bombeiros retomam buscas por professor desaparecido no rio Araguaia

Militares tinham encerrado os trabalhos na noite desta quarta-feira. Antônio da Silva de 60 anos sumiu após sair do povoado Ponta de Pedra para fazer compras.

Os Bombeiros retomaram as buscas pelo professor Antônio Luiz da Silva, de 60 anos,que está há mais de 24 horas desaparecido no rio Araguaia.

Ele sumiu na noite de terça-feira (5), quando saiu do povoado Ponta de Pedra para fazer compras no centro de Esperantina.

As buscas tinham sido encerradas na noite desta quarta-feira (6), mas foram retomadas nesta manhã. Os bombeiros que trabalham para encontrar o professor são de Araguatins, mas dormiram na região e devem continuar no local até encontrar Antônio.

Segundo os Bombeiros, o nível do rio subiu três metros, se comparado com o período da seca. Além disso, as águas estão escuras.

Entenda

Os Bombeiros começaram as buscas na manhã desta quarta-feira (7). Parentes informaram aos militares que o professor saiu do povoado Ponta de Pedra em uma embarcação e não foi mais visto. Segundo as informações, ele chegou a fazer as compras na cidade de Esperantina e quando estava retornando para o povoado onde mora, desapareceu.

O barco foi encontrado por ribeirinhos. A embarcação estava virada e havia alguns objetos do professor na água. Moradores da região começaram a procurar pelo professor ainda na noite da terça-feira.

Os Bombeiros disseram que há uma forte correnteza no rio Araguaia devido às chuvas registradas na região.

G1 Tocantins

Bombeiros fazem buscas por jovem que despareceu no rio Araguaia

Segundo Bombeiros, jovem estava tomando banho a aproximadamente 200 metros acima do porto quando teria afundado, e não foi mais visto.

Corpo de Bombeiros faz buscas pelo lavrador William Alves Agra, de 24 anos, que desapareceu no porto da Praia do Garimpinho, próximo a Araguaína, norte do Tocantins. O jovem está desaparecido desde o fim da tarde deste domingo (23).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, jovem estava tomando banho no rio Araguaia, a aproximadamente 200 metros acima do porto quando teria afundado e não foi mais visto.

Brejinho de Nazaré

Na manhã desta segunda-feira (24), o Corpo de Bombeiros encontrou o corpo de José Avelar Gomes do Nascimento Júnior, de 35 anos. Ele desapareceu no último sábado (22), em um lago, próximo a ilha da Capivara, em Brejinho de Nazaré, após cair canoa.

De acordo com os Bombeiros, o corpo foi encontrado boiando a 10 km do local onde despareceu. Segundo a corporação, equipes de mergulho de Palmas e Porto Nacional realizaram as buscas. O Instituto Médico Legal já foi para o local.

Mortes por afogamento

Só no neste mês de julho foram registradas ainda outras seis mortes por afogamento em rios do estado, durante o período de praias.

O Corpo de Bombeiros orienta que pessoas sem treinamento não tentem salvar vítimas de afogamento.

“A água é sempre traiçoeira. As vezes a pessoa sabe nadar, mas ela pode ter uma câimbra, um mal súbito. Para aquela pessoa que não sabe nadar a gente sempre fala que água no umbigo é sinal de perigo. Isso porque se por ventura, pisar em falso em um banco de areia, for arrastado pela correnteza, dificilmente vai conseguir retornar, uma vez que não tem habilidade na água. Quanto as crianças, elas devem ser vigiadas pelos pais ou responsáveis”, diz o major do Corpo de Bombeiros, Maxuel Souza.

G1/TO