Adolescente morre baleado enquanto brincava com arma na casa de um amigo

De acordo com a Polícia Militar, o pai do colega de Alifer, que era dono do revólver, era foragido por um homicídio e foi preso pela corporação, em Santa Helena de Goiás.

O estudante Alifer Gomes da Silva, de 12 anos, morreu, na quinta-feira (8), depois de ser baleado enquanto brincava com uma arma na casa de um amigo, em Santa Helena de Goiás, na região sudoeste do estado.

De acordo com a Polícia Militar, o pai do colega de Alifer, que era dono do revólver, era foragido por um homicídio e foi preso pela corporação.

O adolescente chegou a ser socorrido pelo avô, mas morreu a caminho do hospital. Segundo a avó do adolescente, a dona de casa Marli Rosa da Silva, o menino era filho único.

“Está sendo muito triste. Meu neto, minha filha só tinha um. Eu não estou suportando a dor”, disse, emocionada.

O caso ocorreu na tarde de quinta-feira. Segundo a PM, Alifer brincava na casa de um vizinho da mesma idade quando os dois pegaram a arma em um guarda-roupas da casa e começaram a manuseá-la. O disparo ocorreu, segundo a corporação, quando o adolescente pegou a arma para mexer. O garoto foi atingido no tórax.

Em entrevista à TV Anhanguera, o soldado Jean Carlos da Silva disse que a arma, um revólver calibre 38, era do pai do amigo da vítima e não tinha registro.

“Ele disse que possuía esta arma, que era a arma dele. Foi questionado pela equipe se ele tinha o registro, autorização para ter esta arma, ele disse que não tinha. Diante dos fatos, nós conduzimos a arma, munições e todos os envolvidos para realizar os procedimentos de praxe”, disse.

O caso é investigado pela Delegacia Regional da Polícia Civil de Rio Verde, responsável pelo município de Santa Helena de Goiás.

Pai do amigo da vítima, que era dono da arma, foi preso em Santa Helena de Goiás (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

G1 Goiás

Menina morre após levar choque em praça enquanto brincava com amigas

Kaylane Barros dos Santos tinha oito anos e morreu após encostar na estrutura da quadra esportiva. Moradores afirmam que várias pessoas já tinham levado choques no local.

Família procura por bebê que desapareceu enquanto brincava em assentamento

Enzo Gabriel, de um ano e quatro meses, foi visto pela última vez brincando perto de um riacho, em Filadélfia. Bombeiros fizeram buscas, mas não encontraram criança.

O bebê Enzo Gabriel, de um ano e quatro meses, está desaparecido desde a última terça-feira (10) na região de Filadélfia, norte do Tocantins. Ele foi visto pela última vez brincando em uma areia próximo a um riacho. Os Bombeiros chegaram a fazer buscas no local, mas a criança não foi encontrada.

Segundo a mãe Kaline dos Santos Vale, o bebê e os irmãos, de 4 e 7 anos, tinham ido passar uns dias com a avó que mora em um assentamento. Eles saíram para brincar, como de costume, foi quando o bebê sumiu.

“Quando chegou lá meu filho começou a brincar em uma areia. Os outros foram tomar banho. Ele ficou brincando sozinho, aí pegaram ele”, disse.

Os Bombeiros chegaram a fazer buscas no local, mas encerraram as atividades na quarta-feira (11). O pai da criança e alguns moradores da região continuam buscando pistas que possam ajudar a encontrá-lo.

Segundo a família, as crianças são acostumadas a brincar no local, que fica a 300 metros da casa. “Quando eu cheguei, tinha bastante gente procurando. Eu também iniciei as buscas e fica difícil. Não sei onde encontrá-lo”, lamentou o pai da criança, Luciano Soares.

O irmão mais velho contou detalhes do que aconteceu, o que levantou a suspeita de que a criança tenha sido raptada. “Ele falou que tinha visto uma mulher e um homem pegando a criança e levando num cavalo amarelado”, contou a mãe. 

A família registrou boletim de ocorrência na noite desta sexta-feira (13).

G1/TO