Mulher fica com bala alojada no braço após homem atirar várias vezes contra bar

Polícia Civil informou que cliente que foi acompanhado para fora do estabelecimento é suspeito do crime. Ele teria ameaçado gerente e anunciado que atiraria contra o local.

A assistente social Fernanda Lopes ficou com uma bala alojada no braço após ser atingida durante disparos feitos contra um bar no Setor Sudoeste, em Goiânia. Ela estava com a mãe quando foi baleada e ambas relataram que a situação foi desesperadora. A Polícia Civil investiga o caso e está em busca de um suspeito, que seria cliente do estabelecimento e foi acompanhado para fora do local.

Segundo a vítima, a bala não pode ser removida para evitar riscos. “O médico disse que não podia tirar ela porque poderia lesionar os nervos”, contou em entrevista à TV Anhanguera.

Os tiros foram disparados por volta das 21h, no Buteco do Simprão, na Avenida Pedro Ludovico. Ao lembrar de quando foi atingida, Fernanda relatou que a situação toda foi caótica. “Muita criança lá chorando, perdidas dos pais. Foi uma cena horrível”, disse.

A mãe de Fernanda, a aposentada Maria Aparecida Silva, também estava no bar e recordou de quando a filha sentiu que havia sido atingida por um dos tiros.

“Na hora que estávamos debaixo da mesa ela virou para mim e falou: ‘mãe, eu levei um tiro’. Na hora eu fiquei em estado de choque. Eu nunca tinha visto uma coisa tão horrorosa. Um terror mesmo”, contou.

Investigação

Um cliente que foi acompanhado por um segurança até a saída do bar é suspeito de ser o autor dos disparos. Segundo o delegado que investiga o caso, Gilberto Ferro, o homem teria feito ameaças pouco antes de ir embora.

“Pelo que eu já colhi ele estava embriagado e chegou a ameaçar cortar o pescoço do gerente. Fez grave ameaça dizendo que voltaria para encher aquela casa de bala”, afirmou.

O advogado que representa o estabelecimento, Wellington Telles, também suspeita do homem. Ele narrou que após uma situação dentro do bar, ele pagou a conta, saiu e os tiros foram disparados minutos depois.

O delegado informou à TV Anhanguera que não pode divulgar o nome ou imagens dele para não atrapalhar as investigações.

G1 Tocantins.

Delegado e agentes são denunciados pela morte de sargento da PM em bar

Caso foi registrado em abril deste ano, na região sul de Palmas. Policiais e delegado foram afastados, mas voltaram a trabalhar; eles vão responder por homicídio.

A Justiça aceitou denúncia contra o delegado Cassiano Ribeiro Oyama e os agentes de polícia Gustavo Ferreira de Sena Balduíno e DavidNeme Muradas.

Os três são acusados pela morte do sargento da Polícia Militar José Maria Rodrigues, 50 anos. O caso foi registrado em abril deste ano durante uma abordagem feita por eles em um bar na região sul de Palmas.

A denúncia foi aceita pelo juiz José Ribamar Mendes Júnior, da 1ª Vara Criminal de Palmas, nesta quarta-feira (8). Os três foram denunciados por homicídio.

O sargento da PM morreu após ser atingido por três disparos enquanto estava em um bar de Taquaralto, região sul da capital, por volta da meia-noite do dia 27 de abril. Ele chegou a ser levado para o Hospital Geral de Palmas, mas não resistiu. O policial foi atingido no braço, joelho e abdômen com balas de fuzil e revólver ponto 40.

G1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e aguarda resposta.

Em abril, a SSP informou que o delegado Cassiano Oyama, que respondia pela delegacia de Homicídios, havia sido chamado para um reforço policial no 5º DP. Ele e dois agentes passavam pelo bar quando perceberam o som alto e o sargento “visivelmente sob efeito de álcool”.

O delegado e os policiais teriam pedido que ele abaixasse o volume, momento em que Rodrigues reagiu mostrando a arma de fogo. Os policiais chegaram a ser afastados após a morte, mas voltaram a trabalhar em outras funções.

Sargento José Maria Rodrigues morreu após ser baleado em um bar (Foto: Arquivo Pessoal)

Entenda

O sargento da Polícia Militar José Maria Rodrigues de Almeida morreu na manhã de sexta-feira (27). Ele estava internado em estado grave no Hospita Geral de Palmas, após ter sido atingido por três tiros, durante uma confunsão envolvendo um delegado e dois agentes da Polícia Civil. O caso aconteceu em um bar localizado em Taquaralto, região sul da capital, por volta da meia-noite.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que durante a abordagem os agentes de polícia saíram do carro, apresentaram-se e pediram para que a arma fosse colocada no chão. Os policiais afirmam que o sargento se negou e apontou a arma para eles. Momento em que reagiram e dispararm quatro tiros, sendo que três atingiram a vítima.

O delegado e policiais afirmam que só depois de solicitar o socorro identificaram que a vítima era sargento da PM.

A Polícia Militar afirmou que o sargento não efetuou qualquer disparo contra a equipe da polícia civil. Disse ainda que instaurou procedimentos para esclarecer e apurar o caso e designou o corregedor-geral para acompanhar as investigações.

No Tocantins, homem morre após levar tiro na cabeça em bar e amigo é preso suspeito do crime

Suspeito do crime tentou fugir, mas foi detido pelo dono do bar; caso foi registrado em Luzimangues. Ele sofreu traumatismo craniano e foi levado para o Hospital Geral de Palmas.

Rone Gonçalves Moura morreu no hospital após ser baleado na cabeça em um bar no distrito de Luzimangues, a cerca de 10 quilômetros de Palmas. Após o disparo, o dono do estabelecimento entrou em luta corporal com o suspeito e conseguiu segurar o homem até a chegada da polícia. O caso foi registrado na noite deste domingo (8). As informações são da Polícia Militar.

Segundo a PM, uma testemunha contou que os dois homens estavam bebendo juntos e começaram a discutir. O suspeito sacou uma arma e atirou na cabeça da vítima. Depois, tentou fugir, mas acabou sendo detido pelo dono do bar e ficou desacordado.

Quando a polícia chegou no local, o suspeito deu outra versão do crime, afirmando que o dono do local é que teria atirado na vítima usando uma espingarda. A PM fez buscas no local, mas não encontrou a arma indicada.

O Samu esteve no local e levou a vítima dos disparos para o Hospital Geral de Palmas, mas ele não resistiu. O suspeito de atirar também foi levado para o hospital, onde foi constatado que ele sofreu um traumatismo craniano devido à luta.

O dono do bar e uma testemunha foram levados para a delegacia. A Polícia Civil pediu exame para detectar pólvora nas mãos do homem e ouviu uma mulher que estava no local. O suspeito de atirar na vítima está internado no HGP.

G1 Tocantins.

Imagem ilustrativa da internet

Homem morre após levar tiro na cabeça em bar e amigo é preso suspeito do crime

Suspeito do crime tentou fugir, mas foi detido pelo dono do bar; caso foi registrado em Luzimangues. Ele sofreu traumatismo craniano e foi levado para o Hospital Geral de Palmas.

 

No Tocantins um jovem é morto a tiros dentro de bar

O corpo foi recolhido e até o momento nenhum suspeito foi preso pela Polícia.

Um jovem de 18 anos foi assassinado em Aragominas, norte do Tocantins neste sábado 31, após ser atingido por vários tiros em um bar.

A Polícia Militar informou que três homens chegaram armados em um carro, desceram e efetuaram os disparos que atingiram a cabeça, o braço e as costas.

Com ferimentos graves, o jovem ainda conseguiu correr mas morreu dentro do banheiro. A PM disse ainda que o jovem era conhecido na cidade por praticar alguns roubos e vinha sofrendo ameaças por conta de possíveis dívidas de drogas.

G1noticias

Foto ilustrativa

Jovem colombiano é assassinado a tiros em bar no sul do Tocantins

Testemunhas disseram que o rapaz seria agiota e estaria entregando dinheiro a um cliente, mas a versão ainda é investigada pela polícia. Jhowin Holguin Rodrigues, de 20 anos, morreu no local.

O jovem Jhowin Holguin Rodrigues, de 20 anos, foi assassinado a tiros em um bar no setor Vila Nova, em Gurupi.

O rapaz é da Colômbia e começou a frequentar o local há cerca de um mês, de acordo com o proprietário. O crime foi no final da tarde desta quarta-feira (21).

De acordo com a Polícia Militar, o rapaz chegou ao bar em uma motocicleta e pediu um refrigerante enquanto esperava outra pessoa.

Não há informações sobre como o atirador chegou ao local ou se ele chegou a conversar com a vítima. Os tiros atingiram a barriga e as costas de Rodrigues. Ele morreu no local.

Testemunhas disseram à Polícia Militar que o rapaz estaria entregando dinheiro para um cliente no local e que agia como agiota na cidade.

A história ainda não foi confirmada, mas o caso será investigado pela Polícia Civil. Ainda não há suspeitos para o crime.

G1 Tocantins

Dois suspeitos são detidos após assaltar um bar e ir comemorar em outro

Segundo a Polícia Militar, os suspeitos foram reconhecidos pelas vítimas. Caso foi registrado em Araguaína, norte do Tocantins.

Dois suspeitos de cometer um assalto em um bar foram detidos momentos após o crime enquanto estavam em outro bar. O caso foi registrado em Araguaína, norte do Tocantins, na noite deste domingo (14). As informações são da Polícia Militar. 

De acordo com PM, a história começou por volta das 21h no setor Raizal. Um jovem de 21 anos e um adolescente chegaram em um bar e renderam cerca de oito pessoas. Eles levaram vários objetos e ainda atiraram na perna de um rapaz.

Depois do assalto saíram em um carro e foram até o setor Céu Azul, onde pararam em um outro bar. A polícia foi acionada e encontrou eles sem as armas, supostamente comemorando o feito anterior.

Os homens negaram a autoria do crime, mas foram reconhecidos por testemunhas. O jovem foi preso e o menor apreendido. Ainda segundo a polícia, o adolescente tem passagens por tentativa de homicídio e roubo.

G1/TO