Menino baleado após sair de escola continua internado em estado gravíssimo

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a criança está na UTI do Hospital Regional de Gurupi. Vítima, de 9 anos, foi atingida por tiro, em Gurupi.

O menino, de 9 anos, que foi baleado após sair de uma escola em Gurupi, nesta quarta-feira (28), continua internado no Hospital Regional do município.

A Secretaria de Saúde informou que o estado de saúde dele é considerado gravíssimo. Ele está na UTI da unidade.

A mãe da vítima, Cleita Vieira, disse que está “sem cabeça, sem forças e levando a vida”. Ela disse que, quando soube que o filho havia sido baleado, se assustou e foi direto para o hospital. Cleita ainda não sabe o que de fato aconteceu e não recebeu qualquer informação sobre as motivações do crime.

A Polícia Civil ouviu vizinhos da escola e testemunhas. Informou que as ações se concentram em identificar de onde partiu o tiro.

A vítima foi baleada na cabeça depois de sair da Escola Municipal Dr. Ulisses Guimarães. Segundo o diretor da escola, José Filho, o menino foi atingido a 200 metros da unidade, em um campo de futebol. Alguns alunos estavam com a criança, mas não souberam dizer o que aconteceu. Eles voltaram à escola para pedir ajuda, acreditando que o menino havia sido atingido por uma pedra.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a Delegacia de Homicídios e Proteção à pessoa investiga o caso.

G1 Tocantins

Prefeito baleado no dia do aniversário recebe alta após 8 dias internado

Manoel Silvino Gomes Neto teve a casa invadida por criminosos em Tocantínia. Ele estava internado em um hospital particular de Palmas.

prefeito de Tocantínia Manoel Silvino Gomes Neto (SD), que foi baleado no dia do aniversário, recebeu alta na manhã desta segunda-feira (12), após ficar 8 dias internado. Ele estava em um hospital particular de Palmas. O caso aconteceu no dia 4 desse mês.

O prefeito havia sido levado para o Hospital Regional de Miracema e em seguida para o Hospital Geral de Palmas, onde passou por cirurgia, para retirar uma bala da barriga. Só depois foi transferido para uma unidade particular da capital.

Além do prefeito, o motorista João Mascarenhas Barros, também foi baleado. A bala acertou o peito dele do lado direito, mas não ficou alojada. Ele estava internado no Hospital Regional de Miracema e não precisou passar por cirurgia, recebendo alta no dia 5.

Segundo testemunhas, o prefeito estava em casa com parentes e amigos se preparando para comemorar o aniversário. Ele pediu para que o motorista o levasse até a padaria. Os criminosos se aproveitaram do momento para entrar na casa e renderam quem estava no local, inclusive os três filhos do político, todos menores de idade. Três homens participaram da ação, dois entraram e um ficou do lado de fora da casa.

Testemunhas contaram ainda que os homens agrediram a mulher do prefeito e outras pessoas. Quando Silvino e Mascarenhas retornaram, perceberam o assalto. Segundo a PM, o político reagiu e tentou tomar a arma de um dos assaltantes.

A Polícia Militar prendeu dois suspeitos do crime. Os dois têm 18 anos de idade, mas apenas um teve o nome divulgado até o momento. Trata-se de Mateus Carvalho da Silva. As buscas continuam na região para localizar o terceiro envolvido no assalto.

Fonte: G1 Tocantins

Adolescente morre baleado enquanto brincava com arma na casa de um amigo

De acordo com a Polícia Militar, o pai do colega de Alifer, que era dono do revólver, era foragido por um homicídio e foi preso pela corporação, em Santa Helena de Goiás.

O estudante Alifer Gomes da Silva, de 12 anos, morreu, na quinta-feira (8), depois de ser baleado enquanto brincava com uma arma na casa de um amigo, em Santa Helena de Goiás, na região sudoeste do estado.

De acordo com a Polícia Militar, o pai do colega de Alifer, que era dono do revólver, era foragido por um homicídio e foi preso pela corporação.

O adolescente chegou a ser socorrido pelo avô, mas morreu a caminho do hospital. Segundo a avó do adolescente, a dona de casa Marli Rosa da Silva, o menino era filho único.

“Está sendo muito triste. Meu neto, minha filha só tinha um. Eu não estou suportando a dor”, disse, emocionada.

O caso ocorreu na tarde de quinta-feira. Segundo a PM, Alifer brincava na casa de um vizinho da mesma idade quando os dois pegaram a arma em um guarda-roupas da casa e começaram a manuseá-la. O disparo ocorreu, segundo a corporação, quando o adolescente pegou a arma para mexer. O garoto foi atingido no tórax.

Em entrevista à TV Anhanguera, o soldado Jean Carlos da Silva disse que a arma, um revólver calibre 38, era do pai do amigo da vítima e não tinha registro.

“Ele disse que possuía esta arma, que era a arma dele. Foi questionado pela equipe se ele tinha o registro, autorização para ter esta arma, ele disse que não tinha. Diante dos fatos, nós conduzimos a arma, munições e todos os envolvidos para realizar os procedimentos de praxe”, disse.

O caso é investigado pela Delegacia Regional da Polícia Civil de Rio Verde, responsável pelo município de Santa Helena de Goiás.

Pai do amigo da vítima, que era dono da arma, foi preso em Santa Helena de Goiás (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)

G1 Goiás

Motorista baleado durante assalto na residência do prefeito recebe alta

João Mascarenhas Barros estava internado no Hospital Regional de Miracema após ser baleado no lado direito do peito. O prefeito, Manoel Silvino Gomes, segue internado em Palmas.

O motorista João Mascarenhas Barros, baleado durante um assalto na casa do prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto (SD), recebeu alta nesta segunda-feira (5).

Ele estava internado no Hospital Regional de Miracema. A bala acertou o peito dele do lado direito, mas não ficou alojada. Ele não precisou passar por cirurgia.

Já o prefeito segue internado em um hospital particular de Palmas. A unidade informou que o estado de saúde dele é estável, mas que ele ainda não pode receber visitas. Ainda não há previsão de alta para ele.

O caso foi neste domingo (4). Segundo testemunhas, o prefeito estava em casa com parentes e amigos se preparando para comemorar o aniversário. Ele pediu para que o motorista o levasse até a padaria.

Os criminosos se aproveitaram do momento para entrar na casa e renderam quem estava no local, inclusive os três filhos do político, todos menores de idade. Três homens participaram da ação, dois entraram e um ficou do lado de fora da casa.

Prefeito de Tocantínia foi atendido no Hospital Geral de Palmas (Foto: Divulgação)

Testemunhas contaram ainda que os homens agrediram a mulher do prefeito e outras pessoas. Quando Silvino e Mascarenhas retornaram, perceberam o assalto. Segundo a PM, o político reagiu e tentou tomar a arma de um dos assaltantes. Ele e o motorista foram baleados.

Silvino foi encaminhado para o Hospital Geral de Palmas e passou por cirurgia para a retirada da bala na barriga. Depois ele acabou transferido para um hospital particular.

A Polícia Militar prendeu dois suspeitos do crime. Os dois têm 18 anos de idade, mas apenas um teve o nome divulgado até o momento. Trata-se de Mateus Carvalho da Silva. As buscas continuam na região para localizar o terceiro envolvido no assalto.

G1 Tocantins

Prefeito de Tocantínia é baleado no dia do seu aniversário

Criminosos invadiram a casa do prefeito neste domingo e renderam parentes e amigos do político. O motorista dele também foi atingido por tiros.

O prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino Gomes Neto (SD), e o motorista dele, João Mascarenhas Barros, foram baleados na manhã deste domingo (4). O caso aconteceu na casa do político.

Ele foi encaminhado para o Hospital Regional de Miracema e está a caminho do Hospital Geral de Palmas. O motorista está internado em Miracema. Buscamos informações sobre o estado de saúde das vítimas.

Segundo testemunhas, o prefeito estava em casa com parentes e amigos se preparando para comemorar o aniversário dele. Nesta manhã, ele pediu para que o motorista o levasse até a padaria.

Os criminosos se aproveitaram do momento para entrar na casa e renderam quem estava no local, inclusive os três filhos dele, todos menores de idade.

Testemunhas contaram ainda que os homens agrediram a esposa do prefeito e outras pessoas. Quando o prefeito e o motorista retornaram, perceberam o assalto.

Os criminosos atiraram contra os dois e depois fugiram.

O carro em que eles estavam foi abandonado numa rodovia que dá acesso a Miracema. A Polícia Militar confirmou o caso e disse que está fazendo buscas para encontrar os suspeitos.

Manoel Silvino foi presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e está no terceiro mandato à frente da Prefeitura de Tocantínia, cidade localizada na região central do estado.

G1 Tocantins

Bandidos assaltam agência dos Correios no Tocantins e policial é baleado na perna

Dois homens entraram na agência e anunciaram o assalto; um policial civil que estava dentro da unidade tentou coibir a ação e acabou sendo baleado na perna.

Dois bandidos armados assaltaram uma unidade dos Correios na manhã desta segunda-feira, 22, em Araguatins. Um policial civil que estava na agência no momento do crime tentou impedir a ação dos bandidos e acabou sendo baleado na perna.

De acordo com informações preliminares, os dois homens conseguiram fugir pela Rua 31 de Março, no Setor Sossego. Ainda não há informações se os bandidos levaram alguma quantia da agência. O policial foi socorrido e encaminhado ao hospital.

Ainda apurando os fatos

T1noticias

 

Policial militar é baleado após reagir a assalto no Tocantins

Ele levou um tiro na perna depois que tentou desarmar um dos assaltantes. Dois homens são suspeitos do crime; eles não foram encontrados.

Um policial militar, de nome não divulgado, foi baleado após reagir a um assalto na manhã desta quarta-feira (1º). O caso aconteceu no setor Coimbra, em Araguaína. Ele levou um tiro na perna e foi levado para um hospital da cidade. O estado de saúde dele é estável.

Segundo a PM, o militar estava saindo de casa a pé, quando foi abordado por dois homens que estavam em uma motocicleta. Eles anunciaram o assalto. No momento, o policial reagiu e tentou desarmar um dos assaltantes, que conseguiu atingir a vítima.

Os homens fugiram levando um cordão e uma pulseira de ouro do policial. A PM faz buscas na tentativa de encontrar os criminosos. 

G1/Tocantins

Oficiais alegam que delegado baleado “arrancou” com veículo “desobedecendo ordem de parada”

Marivan da Silva Souza foi atingido com três tiros disparados por policiais militares no sábado.

A Turma de Oficiais do Quadro Combatente divulgou nota em defesa dos militares suspeitos de envolvimento na ocorrência em que o delegado regional de Polícia Civil de Colméia, Marivan da Silva Souza, 39 anos, foi atingido com três tiros disparados por integrantes do Batalhão de Choque (BPCHOQUE). Conforme a nota, o delegado “arrancou” com o veículo “desobedecendo ordem de parada”. O documento diz ainda que repudia as notas publicadas por entidades policiais civis e narra os fatos, segundo os oficiais, “omitidos” até agora sobre a ocorrência na cidade de Guaraí.

Os policiais militares identificados no envolvimento são como Frederico Ribeiro dos Santos, João Luiz Andrade da Silva, Tiago Marinho Duarte Peres e Cleiber Levy Gonçalves Brasilino.

De acordo com a nota, os policiais estavam em diligência na região de Guaraí em virtude do roubo a um carro forte em Presidente Kennedy, na tarde de sexta-feira, 27. As equipes trabalhavam com suspeitas do roubo ter sido cometido por uma quadrilha abordada em Itaporã em janeiro.

A nota dos oficiais ressalta ainda que na manhã de sábado, um chacareiro informou aos policiais militares que na tarde de sexta-feira, data do roubo ao carro forte, indivíduos em uma SW4 branca de vidros escuros e rodas pretas se deslocava sentido Itaporã, tentaram abordar seu filho que que estava em uma caminhonete Ford Ranger, porém ele fugiu com medo de serem os assaltantes;

Ainda conforme a nota, os militares saíram em diligência para Itaporã para averiguar o local onde a quadrilha de roubo a banco havia sido abordada em janeiro, sendo que cerca de 20 quilômetros de Guaraí o veículo SW4, placa PSM 3000, cruzou com os militares em altíssima velocidade indo em sentido à BR-153, momento em que a equipe iniciou a tentativa de alcançá-lo, porém só obteve êxito dentro da cidade de Guaraí;

A equipe então, “convicta de serem os assaltantes”, conforme a nota, deu ordem de parada para o motorista, que arrancou com o veículo desobedecendo, momento em que foram efetuados disparos, de acordo com os oficiais, “com o único intuito de cessar a fuga”. O documento diz que o motorista só parou cerca de 60 metros após os últimos disparos, quando desceu do veículo, gritando: “Sou delegado, o carro não é meu, ele está na minha cautela”.

A nota diz que “em momento algum havia sido informado à Polícia Militar de Guaraí que o veículo abordado com assaltantes a banco havia sido disponibilizado para uso do delegado”.

Sindepol
Embora a nota informe que o delegado dirigia em alta velocidade, nesse domingo, 29, o Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Tocantins (Sindepol/TO) afirmou, por meio de nota que Souza estava “em baixa velocidade, desarmado e sozinho, conduzindo uma viatura descaracterizada”. O Sindepol diz que, de acordo com as investigações, “os militares efetuaram os disparos de dentro do veículo que conduziam sem antes se identificarem como militares e sem ao menos averiguar quem se encontrava no automóvel à frente (conduzido pelo delegado)”.

“Ação como essa é o reflexo de atos ilegais que são praticados de forma costumeira pela Polícia Militar do Estado do Tocantins, contrariando Recomendação do Ministério Público do Estadual. Isso demonstra ainda o perigo para a sociedade da atuação de um órgão armado extrapolando suas funções constitucionais”, afirma na nota a presidente do Sindepol, Cinthia Paula de Lima.

Prisão preventiva
O juiz plantonista em Guaraí, que não teve o nome divulgado, decretou no sábado a prisão preventiva dos militares Frederico Ribeiro dos Santos, João Luiz Andrade da Silva, Tiago Marinho Duarte Peres e Cleiber Levy Gonçalves Brasilino. O mandado foi expedido e cumprido ainda na noite de sábado e os policiais foram encaminhados para o Quartel da PM em Guaraí.

Entenda o caso
O delegado regional de Polícia Civil de Colméia, Marivan da Silva Souza, 39 anos foi atingingido com três tiros dado por policiais militares. Um dos tiros atingiu de raspão a cabeça, um segundo, na mão, e outro arrancou parte da orelha.

Souza recebeu os primeiros socorros no Hospital Regional de Guaraí e foi transferido para uma unidade de saúde particular em Palmas.

Leia a íntegrada da nota dos oficiais:

“Nota pública sobre a ocorrência envolvendo a PMTO e um delegado em Guaraí

A Turma de Oficiais do Quadro Combatente (Aspirantes 2007), vem a público REPUDIAR as notas publicadas por entidades policiais civis, e ESCLARECER os fatos omitidos até agora sobre a ocorrência na cidade de Guaraí-TO, onde por fatalidade um Delegado da Polícia Civil foi ferido em uma abordagem feita por policias do Batalhão de Choque.

Como ocorreram os fatos
1- O Batalhão de Polícia de Choque (BPCHOQUE) é uma unidade de elite da PMTO com jurisdição em todo o Estado, cujas funções são de preservação e restauração da ordem
pública, inclusive nos casos de roubo a Instituições financeiras no Estado;

2- A equipe do BPCHOQUE estava em diligência na região de Guaraí em virtude do roubo a um Carro Forte em Presidente Kennedy, na tarde do dia 27 (sexta-feira);

3- As equipes de serviço no local trabalhavam com suspeitas do roubo ter sido cometido por uma quadrilha de roubo a bancos abordada na cidade de Itaporã-TO no mês de janeiro, onde na abordagem foi localizado um veículo SW4, cor branca, placa PSM 3000;

4- Na manhã do dia 28, a equipe do BPCHOQUE foi informada por um chacareiro que no fim da tarde do dia anterior (data do roubo ao Carro Forte), indivíduos em uma SW4 branca de vidros escuros e rodas pretas a qual se deslocava sentido Itaporã, tentaram abordar seu filho
que estava em uma caminhonete Ford Ranger, porém o mesmo fugiu com medo de serem os assaltantes;

5 – Sabendo do ocorrido as equipes saíram em diligência para a cidade de Itaporã para averiguar o local onde a quadrilha de roubo a banco havia sido abordada em janeiro, sendo que aproximadamente a 20km de Guaraí o veículo SW4, placa PSM 3000, cruzou com a equipe do BPCHOQUE em altíssima velocidade indo em sentido à BR 153, momento em que a equipe iniciou a tentativa de alcançá-lo, porém só obteve êxito dentro da cidade de Guaraí;

6- A equipe então, a qual usava colete balístico com a descrição da PMTO de forma ostensiva, convicta de serem os assaltantes, deu ordem de parada para o motorista, o qual arrancou com o veículo desobedecendo a ordem legal, momento em que foram efetuados disparos com o único intuito de cessar a fuga;

7- O motorista só parou cerca de 60 metros após os últimos disparos, momento em que desceu do veículo, gritando: “sou delegado, o carro não é meu, ele está na minha cautela”;

8- Ressalta-se que em momento algum havia sido informado à Polícia Militar de Guaraí que o veículo abordado com assaltantes a Banco havia sido disponibilizado para uso do delegado;

9 – Após ser identificado, a equipe do BPCHOQUE de imediato iniciou o socorro ao delegado, inclusive sendo auxiliada por uma enfermeira que estava próxima ao local;

10- Ao chegar a Viatura da cidade, o delegado foi colocado pelos integrantes do BPCHOQUE em seu interior e deslocaram para o hospital em continuidade à prestação de socorro;

11- No hospital, a equipe do BPCHOQUE se encontrou com o Comandante do 7o BPM, e se apresentaram voluntariamente se colocando à disposição da justiça militar;

12- Ao sair do hospital a equipe do BPCHOQUE se deslocou novamente ao local da abordagem a fim de preservá-lo, onde verificaram que objetos do Delegado haviam sido retirados do veículo por um policial civil, o qual, devido a este fato, foi qualificado na ocorrência;

13- Em seguida, os Policiais Militares do BPCHOQUE se deslocaram para o quartel do 7o BPM, onde permaneceram até o término do procedimento judiciário militar, na presença da Corregedoria da Corporação, ocasião em que os militares prestaram depoimento e entregaram suas armas para perícia;

Sobre a prisão preventiva
Quanto à Prisão Preventiva decretada em desfavor dos Policias Militares, esta turma acredita que a mesma não preenche os requisitos legais conforme o ordenamento jurídico brasileiro razão pela qual merece ser revista, caso contrário ficará a sensação de que os militares estão presos pelo simples fato de serem POLICIAIS MILITARES, visto que o mesmo tratamento não foi dado em ocorrências ainda mais graves envolvendo outras forças policiais.

Da conduta e capacidade dos policiais militares envolvidos no fato
Os policiais militares lotados no Batalhão de Polícia de Choque possuem cursos especializados de altíssimo nível, tendo comportamento excepcional, e possuem uma rotina diária de treinamento, que os capacitam para atuarem nas ocorrências de maior complexidade de forma técnica e profissional.

O capitão PM Cleiber Levy é um oficial de conduta exemplar, respeitado e querido em todas Unidades nas quais já trabalhou, casado, com dois filhos, pastor evangélico, instrutor dos Cursos de Rotam, Giro, GOC, e Força Tática, tendo contribuído com a formação de mais de 1000 policiais militares da PMTO desde seu ingresso na corporação, sendo integrante desta Turma de Oficiais, e admirado por sempre atuar de forma técnica e profissional.

Por fim, lamentamos a fatalidade ocorrida, desejando uma excelente recuperação ao Delegado Marivan Silva Souza, ressaltando a confiança na condução sensata da situação pelo judiciário e pelos comandantes das Instituições envolvidas e acreditando na capacidade de haver uma relação harmoniosa entre a Polícia Militar e Polícia Civil, visto que o conflito entre estas forças em nada contribuem para o bem estar da sociedade tocantinense.

Palmas, 29 de outubro de 2017.”

Site:Clebertoledo

Delegado baleado por PMs fala pela 1ª vez após sair do hospital

Marivan da Silva contou que ouviu um barulho e só percebeu que tinha sido atingido após sair do carro. PMs estão presos no Quartel do Comando Geral, em Palmas.

O delegado da Polícia Civil Marivan da Silva Souza, baleado durante uma ação de policiais militares em Guaraí, falou pela 1ª vez após sair do hospital em Palmas. Em recuperação, ele contou ao G1 que trafegava pela avenida principal da cidade, quando ouviu um barulho. Só depois que saiu do carro, percebeu que tinha sido atingido por tiros.

O caso aconteceu neste sábado (28) após os PMs confundirem o delegado com um criminoso. Souza levou três tiros, um na mão, um na orelha e outro de raspão na cabeça. Ele perdeu parte da orelha

O delegado, que mora em Colméia, disse que tinha saído da cidade por volta das 10h30 em direção a Guaraí. Ele estava a caminho da casa de um amigo, onde ia resolver assuntos de trabalho.

Estava andando devagar na avenida, não estava correndo, até porque o trânsito estava movimentado, quando ouvi um barulho. Encostei o carro e saí, só depois percebi que tinha sido baleado. Me falaram para deitar no chão e apontaram as armas. Aí falei que eu era delegado. Eu estava desarmado.

Ele contou também que no momento chegaram pessoas conhecidas, que confirmaram a identidade dele. Sem entender de fato o que ocorreu e evitando causar polêmicas, o delegado disse que vai deixar que o caso seja investigado.

Souza disse que se recupera bem e que provavelmente terá que passar por um procedimento estético já que ele perdeu parte da orelha.

Policiais presos

Neste domingo (29), a Justiça decretou a prisão preventiva dos quatro policiais militares suspeitos de atirar contra o delegado. A decisão é do juiz plantonista Ciro Rosa de Oliveira. Segundo ele, o objetivo é evitar que os militares destruam provas e interfiram no depoimento de testemunhas.

A prisão preventiva é contra os policiais Frederico Ribeiro dos Santos, João Luiz Andrade da Silva, Thiago Mariano Duarte Peres e Cleiber Levy Gonçalves Brasilino. A defesa dos policiais informou que vai entrar com Habeas Corpus junto ao Tribunal de Justiça do Tocantins para pedir a liberdade deles. 

Os militares estão presos no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar, em Palmas e entregaram as armas e a viatura usadas na ação.Delegado foi baleado em Guaraí (Foto: Divulgação)

Entenda

As câmeras de segurança de um mercado flagraram a ação. Nas imagens é possível ver uma caminhonete com vários homens armados perseguindo o carro do delegado. Na sequência, várias pessoas que estavam na rua correm para dentro do comércio antes dos tiros começarem.

Em outro vídeo, feito por um cinegrafista amador, o delegado está deitado na rua após ser baleado três vezes e há vários policiais em volta gritando para que os moradores se mantenham longe do local.

Os disparos foram feitos por policiais da Companhia Independente de Operações Especiais da Polícia Militar, que estariam na cidade procurando suspeitos do assalto a um carro-forte na BR-153. Marivan da Silva Souza é o responsável pela delegacia de Colméia, também na região central do estado. O carro em que ele estava ficou com várias marcas de tiros.

O Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Tocantins (Sindepol) disse que acompanha o caso e que considera que a ação foi um ato ilegal da Polícia Militar. O sindicato afirma que o delegado estava em baixa velocidade, desarmado e sozinho e que foi abordado por PMs que não se identificaram, estavam sem uniforme e em uma viatura descaracterizada.

O Sindepol disse ainda que o caso demonstra que a PM extrapolou suas funções e que aguarda a conclusão da investigação e a condenação dos responsáveis.

Investigações do caso

O Governo do Tocantins informou que foram abertas duas investigações independentes sobre o caso. Uma está sendo conduzida pela Comando Geral da PM e outra pela Secretaria de Segurança Pública. O secretário de Segurança Pública, César Simoni, o delegado-geral da Polícia Civil, Claudemir Luiz Ferreira e o Coronel Glauber de Oliveira Santos, comandante geral da Polícia Militar, estão em Guaraí acompanhando o caso.

Assalto a carro-forte

O incidente aconteceu durante a operação montada para procurar os suspeitos de assaltar um carro-forte na tarde desta sexta-feira (28), entre Guaraí e Presidente Kennedy, na BR-153. O veículo foi explodido e o dinheiro levado pelos bandidos, que trocaram tiros com os seguranças do veículo. Ninguém ficou ferido.

As polícias, inclusive, fizeram um pedido para que os moradores da região onde ocorreu o assalto saiam de casa para evitar sequestros.

G1/TO

Delegado é baleado por PMs após ser confundido com criminoso no Tocantins

Delegado foi atingido com três disparos feitos por policiais militares que investigavam assalto a carro-forte em Guaraí, na região central do estado. Ele foi socorrido com vida e levado para hospital.

O delegado da Polícia Civil Marivan da Silva Souza foi baleado em Guaraí, na região central do estado, na manhã deste sábado (28). Conforme o delegado regional, Adriano Carrasco, a vítima estava de folga e passava pela cidade, quando possivelmente foi confundido com criminoso.

Ainda conforme o delegado regional, Souza foi atingido com tiros no braço, orelha e de raspão na cabeça. Os disparos teriam sido feitos por policiais da Companhia Independente de Operações Especiais da Polícia Militar, que estariam na cidade investigando o assalto a um carro-forte na BR-153.

O site entrou em contato com a Polícia Militar e aguarda um posicionamento.

O delegado Marivan da Silva Souza foi socorrido e levado para o Hospital Regional de Guaraí. O estado de saúde dele é estável e não corre risco de morrer.

O helicóptero da Segurança Pública, que está na cidade dando apoio na busca pelos assaltantes, deve transferir o delegado para o Hosiptal Geral de Palmas.

Assalto a carro-forte

Forças policiais estão fazendo buscas por criminosos depois que um carro-forte foi explodido por criminoso na BR-153, na tarde desta sexta-feira (28). As polícias, inclusive, fizeram um pedido para que os moradores da região onde ocorreu o assalto saiam de casa para evitar sequestros.

A Polícia Rodoviária Federal informou que o veículo usado pelos assaltantes na fuga foi localizado abandonado próximo a BR-153, perto de uma ponte. Na tarde de sexta-feira, três assaltantes fortemente armados pararam o carro-forte e usaram explosivos para abrir o veículo.

Durante o assalto, um caminhão passou em alta velocidade e os criminosos deixaram uma metralhadora .50 cair, junto com uma bolsa de munições. Ainda não há informações sobre a quantia de dinheiro levada pelos criminosos.

A PRF informou que os suspeitos foram avistados, mas fugiram a pé pela mata. Homens da Polícia Militar e Polícia Civil das cidades de Guaraí, Colinas, Pedro Afonso e Araguaína também participam das buscas.

G1/TO