Fazendeiros são multados em mais de R$ 1 milhão por retirada ilegal de madeira em Goiás

Fiscalização durou um mês e identificou cerca de 30 proprietários rurais que, segundo o Ibama, desmatavam inclusive reservas ambientais.

Fazendeiros receberam multas que totalizam mais de R$ 1 milhão durante uma operação que encontrou madeira sendo retirada ilegalmente, inclusive dentro de reservas de proteção, em São Miguel do Araguaia, a 470 km de Goiânia. Um vídeo feito por um fiscal do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) mostra uma grande área desmatada.

A operação durou um mês e identificou cerca de 30 proprietários rurais, que não tinham autorização para retirar as árvores. Levantamentos feitos por imagens de satélite identificaram 30 pontos de desmatamento na região. Durante a fiscalização, uma gravação mostrou a grande quantidade de madeira arrancada dentro de uma mata.

“Estamos andando há duas horas nessa mata e tem muita madeira [derrubada], chega a dar dó. Retiraram madeira de uma reserva para vender. Foram carretas e carretas de madeira que eles tiraram para vender”, disse um fiscal do Ibama que registrou o desmatamento.

Parte da madeira que foi cortada não chegou a ser levada. Foi necessário um mutirão para retirar com um trator vigas e troncos apreendidos. O material foi levado para um pátio. Durante a operação também foram apreendidas nove máquinas usadas para o desmatamento.

Equipes do Batalhão Ambiental da Polícia Militar também participaram da operação que identificou 765 hectares de cerrado desmatado. Parte dessa área estava dentro de reservas ambientais, que são consideradas intocáveis.

Após dois anos de proibição, cavalgada é retomada em Formoso do Araguaia

Em 2015, o município registrou o primeiro caso de mormo, mas já foi declarado zona livre do problema. Cavalgada abriu a Feira Agropecuária da cidade.

Após dois anos de proibição, a cavalgada foi retomada em Formoso do Araguaia, no sul do estado, durante a abertura da Feira Agropecuária da cidade. Em 2015, o município com cerca de mil e 800 propriedades rurais registrou o primeiro caso de mormo: doença infectocontagiosa que contamina a tropa e pode levar a morte, mas já foi declarado zona livre do problema.

A cavalgada foi realizada no último sábado (12) e a feria segue até o dia 19 desse mês. A marcha rural de tropeiros em clima festivo tomou conta das principais ruas e avenidas da cidade. A cavalgada que anunciou a abertura da feira, também marcou o retorno desse tipo desfile com animais.

A mula Granfina desfiou a caráter. Para participar da cavalgada, o vaqueiro Romilson Lopes caprichou nos enfeites da mula.

“Tem em torno de 530 e argolas. Estamos sempre brincando e incentivando todos a estarem sempre presentes. Somos da agricultura, da fazenda, nascidos e criados sempre gostando das brincadeiras.”

Ele e a Granfina estão na comitiva de tropeiros organizada pelo agropecuarista Laudir Mota. São quase 100 animais entre cavalos e mulas, com cavaleiros e amazonas devidamente trajados e orgulhosos em desfilar.

“Uma festa tradicional, é nossa cultura, então a gente gostaria que cada um tivesse a oportunidade de participar.”

A marcha do dia a dia nas pastagens, ganha o asfalto. O costume, a cultura do campo, não tem idade, é abraçada por gerações, vai conquistando a cidade. “Estou achando muito legal porque é a festa mais tradicional aqui de Formoso”, afirma a dona de casa Liliane Aguiar.

O galope quebra a rotina da cidade, substitui o ronco dos motores pelas ruas e atrai famílias até de outros lugares. O pecuarista Willian Coutinho saiu de Dueré participar das cavalgadas. Ele levou junto o filho Isaque de 6 anos.

“É a primeira vez que meu filho está participando e a terceira vez minha. É muito bom estar participando com a família”, diz.

Mais que um desfile, a cavalgada une tropeiros de Gurupi, Sandolândia, Figueirópolis, São Miguel. Todos esses municípios estão representados por comitivas.

A cavalgada, marca a volta de uma tradição e anuncia que vai começar a feira agropecuária. Este ano, o homem do campo tem ainda mais razões para esse momento de festa, de comemoração. A cidade foi declarada zona livre do mormo.“Graças a Deus conseguimos liberar e está aí a surpresa agradável, o público compareceu em massa. Impulsiona toda economia do estado”, comemora presidente sindicato rural Eurípedes Cunha.

Tem espaço também para os bovinos. Muito bem adestrado o touro chocolate, se comporta como cavalo.

G1 Tocantins.

Miranda deve deixar Araguaia após publicação de acórdão: legislação prevê diretas

Conforme especialista ouvido pelo T1, como a cassação foi 7 meses antes do fim do mandato, então a eleição deve direta; Miranda deve entregar o cargo assim que o acórdão for publicado.

Em decorrência da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou na manhã desta quinta-feira, 22, os mandatos do governador Marcelo Miranda (PMDB) e sua vice, Cláudia Lelis (PV), deverão ser realizadas eleições diretas para o governo do Estado do Tocantins.

A informação é do advogado especialista em direito eleitoral Leandro Manzano, baseado na mudança da legislação eleitoral ocorrida em 2015.

Caso o TSE confirme este entendimento (que se choca com o que determina a Constituição para vacância de cargos de presidente e vice-presidente da República), as eleições devem ocorrer de 20 a 40 dias.

Dessa forma, poderão ocorrer duas eleições para governador neste ano de 2018. O entendimento não é unânime, já que o preceito Constitucional pode ser avocado.

Com um placar de 5 x 2 votos os ministros da corte já sinalizaram – levando em consideração também o precedente do Amazonas em que o governador também foi cassado – que não será preciso julgar os embargos e a decisão tem efeito imediato.

Conforme o advogado Leandro Manzano, especialista em direito eleitoral, que acompanhou o julgamento no TSE, as eleições diretas estão respaldadas na reforma eleitoral de 2015.

“Na reforma eleitoral de 2015 tem uma disposição que diz que em caso da cassação ocorrer dentro do prazo de seis meses final do mandato, a eleição vai ser indireta. Como a cassação foi antes desse prazo então a eleição vai ser direta. Inclusive esse dispositivo foi alvo de uma a Ação Direta de Inconstitucionalidade no STF, mas agora dia 8 de março foi declarado constitucional”, explicou o especialista em entrevista ao T1 Notícias na manhã desta quinta.

Ainda conforme Manzano, as eleições diretas devem ocorrer num prazo máximo de 40 dias. “O calendário será definido pelo TRE.

Primeiramente o acórdão será publicado, depois o TRE-TO será comunicado e deverá normatizar as eleições diretas. Mas como a decisão tem efeito imediato, após a publicação do acórdão, o governador e sua vice devem desocupar o Palácio”, pontuou.

Como a decisão se estende à chapa, o presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Carlesse (PHS) deve assumir interinamente o cargo até que o novo governador seja escolhido nas eleições diretas. 

A decisão cabe recurso dentro do próprio TSE, mas os ministros já adiantaram que a decisão deve ser executada imediatamente.

Em nota, o Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins informou que aguarda o comunicado oficial do TSE para tomar as medidas cabíveis ao órgão.

O site entrou em contato com a defesa do governador e com a assessoria de comunicação e aguarda posicionamento.

Adolescente desaparece em rio após pular de balanço durante brincadeira

A vítima, de 17 anos, e um amigo tomavam banho às margens do Araguaia, em Pau D’Arco, no norte do Tocantins. Jovem pulou de balanço improvisado e não voltou mais.

O adolescente Sérgio Gomes de Farias, de 17 anos, desapareceu após pular de um balanço durante uma brincadeira às margens do rio Araguaia, em Pau D’Arco, no norte do Tocantins.

A vítima e um amigo estavam em um flutuante por volta das 11h20 desta quinta-feira (15).

O amigo da vítima disse aos bombeiros que o adolescente pulou do balanço improvisado, acenou, mergulhou novamente e não foi mais visto.

O jovem pediu ajuda aos moradores da região, que jogaram redes de pesca para tentar resgatá-lo, mas não o encontraram.

O Corpo de Bombeiros de Colinas do Tocantins e de Araguaína se deslocaram para o município e farão mergulhos em buscas do adolescente.

G1 Tocantins

 

Bombeiros retomam buscas por professor desaparecido no rio Araguaia

Militares tinham encerrado os trabalhos na noite desta quarta-feira. Antônio da Silva de 60 anos sumiu após sair do povoado Ponta de Pedra para fazer compras.

Os Bombeiros retomaram as buscas pelo professor Antônio Luiz da Silva, de 60 anos,que está há mais de 24 horas desaparecido no rio Araguaia.

Ele sumiu na noite de terça-feira (5), quando saiu do povoado Ponta de Pedra para fazer compras no centro de Esperantina.

As buscas tinham sido encerradas na noite desta quarta-feira (6), mas foram retomadas nesta manhã. Os bombeiros que trabalham para encontrar o professor são de Araguatins, mas dormiram na região e devem continuar no local até encontrar Antônio.

Segundo os Bombeiros, o nível do rio subiu três metros, se comparado com o período da seca. Além disso, as águas estão escuras.

Entenda

Os Bombeiros começaram as buscas na manhã desta quarta-feira (7). Parentes informaram aos militares que o professor saiu do povoado Ponta de Pedra em uma embarcação e não foi mais visto. Segundo as informações, ele chegou a fazer as compras na cidade de Esperantina e quando estava retornando para o povoado onde mora, desapareceu.

O barco foi encontrado por ribeirinhos. A embarcação estava virada e havia alguns objetos do professor na água. Moradores da região começaram a procurar pelo professor ainda na noite da terça-feira.

Os Bombeiros disseram que há uma forte correnteza no rio Araguaia devido às chuvas registradas na região.

G1 Tocantins

Seca faz nível do rio Araguaia baixar em cerca de 2 metros

É possível caminhar até o meio do rio, onde a altura da água não ultrapassa 20 centímetros. Bancos de areia também preocupam moradores de Xambioá.

O nível do rio Araguaia em Xambioá, norte do Tocantins, baixou quase dois metros, de janeiro até este mês. O levantamento é da Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Os bancos de areia no meio do rio também preocupam quem depende dele para sobreviver. 

Em alguns pontos, a altura da água não ultrapassa 20 centímetros. É possível até caminhar. “Pavor. Estamos com medo. Sempre temos essa seca, mas não desse jeito”, lamentou o autônomo Miguel Queiroz.

As pedras no meio do rio que estavam encobertas no início do ano, apareceram. São 250 pescadores que dependem do Araguaia para sobreviver. “Antes a gente ia para o rio e trazia 70 ou 80 quilos de peixe. Hoje a gente não traz mais essa quantidade, a gente traz de 30 a 40 quilos. Está difícil para pescar”, disse o pescador Antonio Sousa.

Os bancos de areia no meio das águas também chamam a atenção dos moradores. O lugar onde as balsas passam não foi afetado, mas em outros pontos o assoreamento do leito e as pedras estão dificultando o deslocamento dos barcos. “Tem que ter muita atenção, andar devagar porque senão você acha as pedras. Em lugares que nunca haviam surgido pedras, está surgindo e é arriscado você estragar o motor”, reclamou o comerciante Edson Saldanha.

Mas existe uma explicação para o surgimento dos bancos de areia. “Os bancos de areia se formam a partir do processo erosivo que ocorre naturalmente no meio ambiente. Mas eles se agravaram. Os bancos de areias não estavam aqui desta forma, desse tamanho nos últimos anos. Podemos perceber que ao longo do rio grande parte das matas ciliares foram desmatadas, quando o rio percorre esse leito, ele vai carreando esse sedimento e criando o banco de areia no meio do rio”, explicou a engenheira ambiental Ana Caroline da Silva.

A secretária de Meio Ambiente de Xambioá, Marivalda Martins, garante que algumas alternativas estão sendo adotadas para amenizar a situação. “Nós estamos com plano de reflorestamento das nascentes e de plantar árvores nativas na praia do Murici, bem como plantar árvores na beira do rio em parceria com os ribeirinhos”.

De camionete

O rio Araguaia é um dos principais do país e enfrenta uma das piores secas da história. Na última sexta-feira (29), o G1 mostrou um vídeo gravado por Cleonice Oliveira Barros, em Xambioá, que mostra uma caminhonete transitando pelo leito do rio.

Aquele lugar que fiz o vídeo é no meio do rio. Do dia que fizemos [as imagens], o rio secou mais ainda. Meu medo é que os meus bisnetos não tenham mais o rio para aproveitar. Os afluentes estão todos secos e fica difícil daqui uns anos ter essa maravilha aqui”, disse.

O rio Araguaia nasce em Goiás e desagua no Pará, passando também pelo Mato Grosso e Tocantins. São mais de 2.100 quilômetros, mas a força das águas que leva vida para quatro estados está ameaçada pelas queimadas e ação do homem. Estudos feitos pela polícia em Goiás, mostram que o Araguaia pode secar em até 40 anos.

Em alguns pontos a altura da água chega a 20 centímetros; moradores conseguem caminhar tranquilamente (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

G1/TO