Prefeitos são aprovados em mestrado da UFT sobre gestão de políticas públicas

O resultado final foi publicado no site da universidade nesta segunda-feira, 09.

Os prefeitos Adriano de Moraes, de São Sebastião do Tocantins e Fábio Vaz, de Palmeirópolis, foram aprovados em seleção para o Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas, ofertado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq), da Universidade Federal do Tocantins (UFT). 

Os prefeitos participaram de seleção voltada exclusivamente aos chefes do executivo municipal. As vagas destinadas aos gestores foram obtidas por meio de parceria da UFT e a Associação Tocantinense de Municípios (ATM). O mestrado possui duas linhas de pesquisa, uma em Dinâmicas Institucionais e Avaliação de Políticas Públicas, e outra em Educação, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento Territorial.

Com o intuito de desenvolver políticas públicas na área de educação, mais especificamente para o público infantil, o prefeito de Palmeirópolis, Fábio Vaz, reconheceu a atuação da ATM que possibilitou seu ingresso no mestrado. “É a primeira vez que eu vejo uma iniciativa direcionada aos prefeitos que buscam o aprimoramento educacional e profissional. Com isso, queremos agradecer a ATM por estabelecer essa parceria com a Universidade” afirmou.

O prefeito de São Sebastião do Tocantins, Adriano de Moraes, também agradeceu a ATM pela articulação com a UFT para a disponibilidade de vagas exclusivas aos gestores. “Isso facilita o ingressos dos gestores ao meio acadêmico, logo a profissionalização dos atores envolvidos na gestão municipal”, disse Adriano, vice presidente da ATM. Além dos prefeitos, a assessora técnica de convênios e projetos da Associação, Dayana Cantuária, também foi aprovada, na modalidade servidora da entidade municipalista, enquanto Cristiana Ines Damasio e Silva passou na modalidade servidora pública municipal efetiva.

Clique aqui e confira o resultado final da seleção para o mestrado.
 

Provas da PM acontecem no domingo; Comissão diz que aprovados serão chamados este ano

Sobre a convocação dos aprovados no concurso, a PM informou que “o secretário de Administração nos garantiu a previsão do provimento e efetivação de todos os candidatos aprovados para este ano”.

Em entrevista coletiva realizada ontem, 8, no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar (QCG), em Palmas, o presidente da Comissão do Concurso da PM e chefe do Estado Maior, coronel Marcelo Falcão Soares, garantiu que está tudo pronto para a realização da primeira etapa do certame, que acontece no próximo domingo, 11, e teve número recorde de inscritos, cerca de 86.524.

Sobre a convocação dos aprovados no concurso, coronel Falcão informou que “o secretário de Administração nos garantiu a previsão do provimento e efetivação de todos os candidatos aprovados para este ano. Os aprovados podem ficar tranquilos que o governo do Estado cumprirá com todo o cronograma do concurso”. 

Segundo a PM, serão dois concursos distintos. Pela manhã ocorrem as provas para o ingresso no Curso de Formação de Oficiais (CFO) no horário de 8h às 12h. Já no período da tarde acontecem as provas para o ingresso no Curso de Formação de Soldados (CFSD), das 14h30 às 18h30.

Os portões dos locais de prova serão abertos com uma hora de antecedência. São ofertadas 1.000 vagas para soldados e 40 vagas para cadetes no CFO da PM. Os salários iniciais, após os cursos de formação, são de R$ 4.455,46 para soldado e R$ 8.382,10 para aspirante a oficial.

As provas do CFSD serão realizadas nas cidades de Arraias, Taguatinga, Dianópolis, Natividade, Porto Nacional, Araguatins, Augustinópolis, Sítio Novo do Tocantins, Tocantinópolis, Wanderlândia, Gurupi, Alvorada, Formoso do Araguaia, Palmas, Paraíso, Miracema e Araguaína. Já as provas do CFO ocorrem apenas nas regionais em Palmas, Arraias, Araguatins, Gurupi, Araguaína.

Na ocasião, o gestor de concursos da AOCP, Wesley Faria, destacou que toda logística para realização desta primeira fase do concurso está pronta. Ele orientou os candidatos a lerem o edital e acessarem o site da instituição, onde já estão disponíveis os locais de provas, e se possível visitarem com antecedência esses locais, para minimizar os riscos de imprevistos no dia da prova.

Provas

As provas intelectuais serão objetivas, de múltipla escolha, dissertativa, e terão o seguinte conteúdo: língua portuguesa, raciocínio lógico e matemática, atualidades e conhecimentos regionais, noções de direito, noções de informática, normas pertinentes à PM. Em caráter discursivo, a redação. No total, serão 60 questões que somarão 100 pontos.

Para soldado, o candidato deverá obter o mínimo de 50% de acerto, tendo pelo menos um ponto em cada disciplina; já na de oficial, a pontuação mínima será de 60% de acerto, tendo pelo menos um ponto em cada disciplina para ser aprovado para a segunda etapa do certame.

Nomeação de aprovados do concurso da Polícia Civil ampliará segurança nos Municípios, afirma ATM

Entidade defende a nomeação dos aprovados para os cargos de delegado, escrivão e perito criminal.

O presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, se reuniu nesta quarta-feira, 07, na sede da entidade, com membros da Comissão dos Aprovados no Concurso da Polícia Civil do Estado do Tocantins, certame ocorrido em 2014.

Na ocasião, Mariano defendeu a nomeação dos aprovados na seleção, em virtude da falta de segurança enfrentada pelas populações nos Municípios pequenos do Estado e, também, dos recentes casos de atentados praticados contra agentes políticos.

“Os Municípios precisam de polícia repreensiva e, também, de polícia preventiva. A polícia civil deve estar ativamente presente nas pequenas cidades, à disposição para eventuais ocorrências. Em algumas situações, os policiais militares precisam deslocar mais de 100 quilômetros para registrar uma ocorrência, sendo que em muitos casos as cidades ficam completamente desassistidas de guarnições policiais”, revelou o presidente da ATM, que destacou o interesse da grande maioria dos prefeitos em firmar uma eventual parceria com o Governo do Estado para auxiliá-lo na manutenção dos serviços de segurança.

Termo de Cooperação Técnico

“Se for preciso os Municípios firmam um Termo de Cooperação Técnico com o Estado no qual se comprometem a ajudar na manutenção de delegacias, na disponibilização de materiais de expediente e, se preciso for, até mesmo na cessão de servidores municipais. O Estado precisa garantir aos 139 municípios tocantinenses uma segurança pública em sua totalidade, com unidades à disposição do cidadão”, frisa Mariano, que garantiu aos representantes dos aprovados que expedirá ofícios ao governador Marcelo Miranda e ao secretário de Segurança Pública do Tocantins, Cesar Roberto Simoni de Freitas, pedindo a nomeação dos aprovados e se colocando a disposição para intermediar parceria entre Estado e Municípios.

Demanda

Segundo o representante dos aprovados ao cargo de delegado no Concurso da Polícia Civil, Joadelson Rodrigues Albuquerque, há um déficit de servidores para atuarem na Polícia Civil, devido às aposentadorias e exonerações.

“A Lei Estadual 581, de 1993, especifica o número de cargos de Delegado que deverá conter na estrutura da Policia Civil do Tocantins, um total de 244 cargos. Atualmente, há em exercício 172 delegados, para atender 220 unidades de segurança e 15 plantões de polícia”, conta o aprovado, que disse já ter passado por todas as etapas do certamente, como teste físico, academia de polícia, entre outros. “Falta apenas a nomeação”, diz Albuquerque.

O representante dos aprovados para o cargo de perito criminal, Heyder Monteiro Lopes, pede a nomeação de 37 participantes aprovados no concurso. “Hoje temos 137 peritos criminais em atuação. O déficit é de 80, e o número de aprovados não contempla toda a demanda”, explica. A Comissão pede ainda a nomeação de 40 delegados de polícia e 78 escrivães.

Ocorrências

Na semana passada a ATM lamentou na imprensa os fatos ocorridos contra o prefeito de Tocantins, Manoel Silvino. O gestor teve a casa invadida por criminosos que renderam a família e, posteriormente, disparam contra o prefeito e seu motorista, João Mascarenhas Barros.

Fato similar ocorreu com o prefeito de Chapada da Natividade, Joaquim Urcino, em 2016, quando o gestor foi rendido por criminosos em sua residência. “É papel do Estado ofertar segurança de qualidade. E esse serviço precisa estar de prontidão em todas as cidades do Tocantins”, finaliza o presidente da ATM.

Associação Tocantinense de Municípios – ATM

Confira a lista de aprovados na primeira chamada do Sisu de 2018

Universidades públicas do Tocantins ofereceram 4.101 vagas para o primeiro semestre. Período de matrículas vai de 30 a 7 de fevereiro.

Foi divulgada nesta segunda-feira (29) a primeira chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2018. No Tocantins, três universidades públicas ofereceram 4.101 vagas pelo sistema. Os estudantes aprovados devem procurar as instituições para verificar a documentação e data de matrículas, que devem ser feitas entre o dia 30 de janeiro a 7 de fevereiro.

Quem não foi aprovado na primeira chamada poderá acessar o site do Sisu a partir do dia 30 de janeiro e manifestar interesse em ficar na lista de espera. As convocações das demais chamadas começam a partir de 9 de fevereiro.

Confira a lista de aprovados nos cursos oferecidos no Tocantins:

Universidade Federal do Tocantins

UFT – Palmas

UFT – Araguaína

UFT – Gurupi

UFT – Miracema

UFT – Porto Nacional

UFT – Arraias

UFT – Tocantinópolis

Universidade do Tocantins (Unitins)

Palmas

Unitins – Dianópolis

Unitins – Augustinópolis

Unitins – Araguatins

Instituto Federal do Tocantins (IFTO)

IFTO – Palmas

IFTO – Araguaína

IFTO – Araguatins

IFTO – Colinas do Tocantins

IFTO – Dianópolis

Gurupi

Paraíso do Tocantins

Porto Nacional

G1 Tocantins

Cerca de 500 PMs do Tocantins deverão se aposentar com convocação de aprovados em concurso público

Comandante da PM reconheceu o baixo efetivo e afirmou que, com os policiais que ingressarão após o concurso, 139 municípios serão atendidos; MPE recomendou a oferta de 5.340 vagas para suprir déficit.

De acordo com o comandante da Polícia Militar do Tocantins, coronel Edvan de Jesus, o efetivo da instituição possui atualmente cerca de 3.600 militares e a previsão é de que cerca de 500 policiais deverão se aposentar entre 2018 e 2019, após os 1040 aprovados no concurso público da instituição serem convocados.

Os novos soldados e oficiais deverão substituir os policiais que vão para a reserva e ainda aumentarão o efetivo na cobertura aos municípios.  

Em declarações à imprensa nesta terça-feira, 9, o comandante da corporação confirmou que os novos policiais deverão substituir os que estão saindo. “Muitos policiais estão indo para a reserva porque grande parte do nosso efetivo ainda é oriundo do estado de Goiás, então esses 1040 policiais farão frente aos que se aposentaram. Há um planejamento de implementação de mais policiais no futuro, mas esses 1000 soldados e 40 oficiais que ingressarão, certamente irão ajudar muito nos municípios. Com esse efetivo teremos uma condição muito maior de cobrir os municípios”, argumentou o coronel Edvan.  

Déficit

Levantamento realizado pelo Ministério Público Estadual do Tocantins em setembro de 2017 apontou que a PM do Tocantins tem menos da metade do efetivo necessário.

De acordo com o promotor de Justiça Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira, existe uma lei estadual que determina que o ideal seria de 9 mil policiais. Em contrapartida, no estado há 3.660 militares, o que representa apenas 40% do ideal, totalizando um déficit é de 5,4 mil PMs.

Reconhecendo o efetivo reduzido de militares no Estado, coronel Edvan afirmou que a situação tem exigido esforço dos policiais e que os novos PMs serão distribuído nos 139 municípios para ajudar a combater a criminalidade.

“A segurança pública é um assunto discutido em todo país e todo investimento em segurança resulta em benefício para a sociedade. No país inteiro se fala em dificuldades e em crise, mas ainda assim toda a equipe do governo e o governador do Tocantins estão empenhados na solução deste que é hoje um problema para a Polícia Militar, que é o efetivo reduzido. Vivemos essa situação que tem exigido muito esforço por parte de todos os policiais para que a gente possa cumprir a nossa missão. E certamente os policiais que estarão ingressando ajudarão no cumprimento desta missão, que é a preservação da ordem pública. A Polícia Militar é constituída de batalhões e companhias, então todos serão atendidos. Os 139 municípios serão atendidos”, argumentou o comandante

T1noticias

Aprovados em concurso da Defesa Social cobram curso de formação

Desde dezembro de 2014, os aprovados aguardam o curso de formação.
O governo disse que vai contratar uma empresa para terminar o certame.

 

Os aprovados no concurso da Secretaria de Defesa e Proteção Social do Tocantins, questionam os contratos administrativos no sistema penitenciário. Eles afirmam que enquanto o certame está parado, outros servidores estão exercendo funções sem o preparo adequado em presídios.

“Sempre ouvimos do governo que ele não tem condições financeiras para promover o curso de formação para os candidatos aprovados em um concurso público, mas as contratações não param”, questiona, Lídia Nara, uma das aprovadas.

Aprovados reclamam que o concurso está parado (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Aprovados reclamam que o concurso está parado (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)


A Secretaria de Cidadania e Justiça informou, que em todo o sistema penitenciário existem 326 funcionários concursados e cerca de 700 com contratos temporários. Além disso, servidores de uma empresa terceirizada auxiliam nos serviços gerais.

Desde dezembro de 2014, os aprovados aguardam a segunda fase do concurso, que é o curso de formação. A empresa responsável pelo certame publicou uma lista com os nomes dos aprovados para a segunda fase, mas não divulgou o cronograma para o início do curso.

Além do serviço de escolta armada de presos, os aprovados iriam atender também a demanda nas casas de prisões provisórias. Na última segunda-feira (28), a Polícia Militar deixou de fazer a segurança externa das unidades de Gurupi e Araguaína. As duas estão superlotadas.

Num comunicado ao juiz da execução penal a Casa de Prisão Provisória de Gurupi disse que a saída dos militares inviabilizaria o funcionamento da unidade porque não tem agentes suficientes. Em Palmas a PM continua na guarita, mas o prédio também está superlotado. São 615 detentos em um espaço construído para 280.

A última informação do governo é que foi aberto um processo para contratar uma empresa especializada que vai fazer o curso de formação. Apenas depois da contratação da empresa selecionada é que será divulgado um novo cronograma.

O concurso
As provas do concurso da Seds foram aplicadas em dezembro de 2014. No total, cerca de 42 mil candidatos se inscreveram, sendo que foi colocado em disputa o preenchimento de aproximadamente 1.250 vagas.

http://g1.globo.com/to/tocantins/