PT decide não declarar apoio no segundo turno da suplementar

Nenhum candidato será apoiado pelo Partido dos Trabalhadores do Tocantins (PT/TO) no segundo turno das eleições suplementares para o governo do Tocantins.

Em reunião de avaliação das eleições, realizada nesta segunda-feira, 4, em Palmas, a Comissão Executiva Estadual decidiu, por unanimidade, não apoiar as candidaturas postas para as eleições que acontecem no próximo dia 24 em todo Estado, tendo em vista que nem o programa defendido pelo PHS quanto pelo PR não vão ao encontro das defesas do PT.

Na reunião os membros da Executiva definiram que as duas candidaturas postas não representam os programas e projetos do PT e, conforme consta na resolução 002/2018 publicada pela sigla, os candidatos não defendem a luta dos trabalhadores e trabalhadoras.

Diante dos debates feitos sobre o processo eleitoral, a Comissão Executiva Estadual orienta, por meio da resolução, que seus dirigentes e filiados não apoiem candidatos nesta eleição suplementar.

“Ontem a executiva estadual do PT em uma reunião ampliada decidiu por ampla maioria não apoiar no segundo turno nenhuma das duas candidaturas por não representar o que defendemos. Solicitamos aos nossos companheiros que ninguém faça manifestação pública de apoio nesse segundo turno da eleição suplementar”, disse o presidente do PT/TO, deputado Zé Roberto.

Eleições de outubro

Ainda na reunião, os membros da Executiva do PT/TO definiram que os esforços da sigla seguem voltados para as eleições ordinárias, que acontecem em outubro e já possuem um calendário de definição de candidaturas. “Vamos focar a nossa energia na eleição em outubro para que possamos eleger os nossos candidatos a deputados estaduais, federais, senadores e ao governo. Esse é o nosso objetivo e é para isso que essa direção está trabalhando. Vamos à luta, vamos trabalhar e alcançar a vitória em outubro”, finalizou Zé Roberto.

resolução pt 2018_2turnoSuplementares

Ascom PT

Anunciada por Vicentinho, prefeita de Recursolândia declara apoio a Carlesse

O anúncio foi feito durante encontro entre os dois na Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins).

A prefeita de Recursolândia, Nadi Pinheiro (PV), anunciou nesta sexta-feira, 11, apoio à candidatura do governador interino e candidato ao Governo do Estado, Mauro Carlesse, da coligação Governo de Atitude

Na quarta-feira, 9, o candidato Vicentinho Alves (PR), da coligação a vez dos tocantinenses, garantiu que a prefeita estaria com ele na eleição suplementar de 3 de junho.

No entanto, a gestora de Recursolândia explicou que optou por Carlesse pelo compromisso do governador interino porque ele sempre teve como uma de suas principais bandeiras o municipalismo.

“Ele assumiu o Governo e tem mostrado que quer fazer a diferença no nosso Estado”, disse, destacando que os municípios tocantinenses precisam de parceria com o Governo estadual.

Ainda segundo a prefeita, está na hora do Tocantins ter um governador que de fato conheça o Estado, que não visite os municípios, sobretudo os mais distantes, apenas em época de eleição. “Acredito que ele vai olhar para todos nós, não só para as cidades grandes, mas as pequenas também. Os produtores precisam desse carinho e do apoio do governador”.

Coligação Governo de Atitude

Mototaxistas de Araguaína confirmam apoio a Carlesse para o bem do Tocantins

O encontro com os mototaxistas de Araguaína, nesta quarta-feira, 9, foi marcado pelas manifestações de apoio à candidatura de Mauro Carless, da coligação Governo de Atitude.

Organizado pelo presidente da cooperativa, Marizon Arruda, o encontro reuniu cerca de 500 pessoas e serviu para o encaminhamento de reivindicações da categoria e principalmente para firmar compromisso mútuo a favor da estabilidade do Estado com a eleição de Mauro Carlesse.

“É um prazer imenso pedir voto para o nosso governador. Vamos unir forças por esse homem que já mostrou que sabe fazer e tem humildade de vir aqui conversar conosco”, disse Marizon.

Ex-prefeita de Araguaína e hoje deputada estadual, Valderez Castelo Branco disse que Mauro Carlesse tem cheiro de povo e o sentimento dos mais humildes, por isso estava ali pedindo apoio à sua candidatura.

“Não podemos ter ciúmes um dos outros. Estamos juntos com o Dimas e Olyntho [Neto] querendo o melhor para o Tocantins. Podem acreditar, não estamos aqui fazendo politicagem e podem contar com todos nós”.

Olynto Neto lembrou que Carlesse é um homem determinado e que preza pela verdade. Parabenizou o prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, pela coragem de apoiar o governador, depois de percorrer o Estado com um projeto próprio de Governo.

“Isso mostra responsabilidade e compromisso com o Tocantins. Levem o recado da humildade, simplicidade e seriedade”, disse Olynto, que nas últimas eleições municipais disputou o cargo de prefeito contra Dimas.

Thiago Dimas, filho do prefeito Ronaldo Dimas, disse ter plena convicção de que o palanque de Carlesse está sendo formado por pessoas que acreditam na mudança.

“Não podemos continuar nessa incerteza. A vitória do Mauro é a vitória de Araguaína, pela continuidade das obras e dos benefícios. Será uma vitória grandiosa”, disse Thiago.

O papel dos mototaxistas nessa caminhada é muito importante. Todo esse exército vai levar a mensagem de Mauro Carlesse para os quatro cantos da cidade”, disse o presidente da Câmara Municipal de Araguaína, Marcus Marcelo.

Ronaldo Dimas lembrou que o Tocantins tem vivido momentos difíceis na gestão pública e que se propôs a resolvê-los quando lançou sua pré-candidatura ao governo, mas a quebra de confiança em seu partido e seus líderes o fez desistir do projeto.

Dimas disse que vê em Carlesse sinceridade e vontade de fazer, e que procura com seu apoio o melhor o melhor para o Estado.

“Se vocês querem o bem de nossa cidade temos esse caminho. Não estou brincando de fazer política, isso é questão de responsabilidade. Quero construir o sonho junto com vocês. Esse cara é sincero e vejo que ele vai fazer um trabalho diferente para o Tocantins”.

Carlesse demonstrou gratidão pelos apoios que vem recebendo da população, em especial, em Araguaína, onde estão ao seu lado as maiores lideranças do Norte: Dimas, Valderez, Oliyntho, Lázaro Botelho, César Halum, Luana Ribeiro e muitos outros.

“Minha responsabilidade só aumenta tendo esses homens e mulheres ao meu lado. Tenho a vontade e inciativa de mudar a vida das pessoas para melhor”.

Carlesse conclamou a todos a ajudar o Tocantins a sair da crise. “É uma missão pesada, porque tudo que fizeram de errado no passado hoje é culpa de Carlesse. Tenho visto os problemas das cidades, dos assentamentos, dos empresários. Nós temos a obrigação de ajudar as pessoas, e agora temos um direcionamento, porque o Palácio Araguaia voltou a ser dos tocantinenses”.

Coligação Governo de Atitude

Carlesse segue se fortalecendo e recebe apoio de líderes de Lajeado

O candidato a governador Mauro Carlesse, da coligação Governo de Atitude, recebeu nesta terça-feira, 8, o apoio de uma comitiva de líderes da cidade Lajeado, região central do Estado.

Dentre os novos apoiadores de Carlesse estão a ex-prefeita Márcia Enfermeira, o vice-presidente da Câmara Municipal, vereador André Portilho; o vereador Walber Pajeú; os ex-vereadores Antônio Carlos e Tite; o presidente do Democratas em Lajeado, Tião da Draga e do líder Tomaz Aquino, que não pôde estar presente mas confirmou o apoio por telefone. A articulação para a conquista deste apoio foi do deputado Eduardo Siqueira Campos.

O governador Mauro Carlesse agradeceu o apoio e afirmou aos seus novos companheiros que está fazendo todo o esforço necessário para resolver os problemas do Estado.

“Apesar das dificuldades, das dívidas encontradas, estamos trabalhando muito para combater essa crise, reduzindo despesas, realizando ações de emergência nas áreas mais importantes para a população”, declarou o Governador.

O vereador André Portilho falou em nome de todos e afirmou que o grupo decidiu apoiar o projeto do governador Carlesse por acreditarem na gestão, e por sua forma municipalista de administrar.  

“O Tocantins precisa de segurança administrativa. Trocar um Governador agora, às vésperas da eleição de outubro e para um mandato que vai apenas até dezembro, é ruim para o Estado. Manter Carlesse no Governo é bom politicamente e administrativamente, pois isso traz segurança para investimentos e será bom para a economia do Tocantins”, destacou Portilho.

Ascom: Coligação Governo de Atitude

Em Palmeirópolis Vicentinho é recebido com carreata e ganha apoio de ex-prefeitos

Vicentinho Alves anuncia adesão do senador Ataídes e de Cláudia Lelis à sua candidatura.

O candidato a governador pela coligação “A vez dos tocantinenses”, Vicentinho Alves (PR), esteve neste sábado (5), em Palmeirópolis e foi recebido com uma grande carreata que percorreu as principais ruas da cidade.

Ele anunciou que receberá na segunda-feira 7, a adesão do presidente do (PSDB) e do (PV) à sua candidatura. O anúncio foi em Palmeirópolis, onde começou o roteiro pelo Sul do estado.

A reunião com o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), presidido no estado pelo senador Ataídes de Oliveira, está marcada para 11 horas da manhã. E o encontro com o Partido Verde (PV), que tem Cláudia Lélis, como presidente regional, será às 14 horas, ambos em Palmas. Prefeitos das duas agremiações também empenharão apoio a Vicentinho.

Em Palmeirópolis foi acolhido pelos ex-prefeitos, Jonas Macedo, Enoque Sousa Alves, Ulisses Barros, Mercio Viana, vereadores e lideranças.

Também teve o apoio fiel da ex-vereadora Marcia Araújo na qual representa Vicentinho Alves e Vicentinho Junior no município a muito tempo.

 

Participaram do evento em Palmeirópolis a deputada federal Josi Nunes, pré-candidatos a deputado estadual Dr João, Major Edvards e Janadi Valcari, presidente regional do Partido da Mulher Brasileira (PMB).

O candidato teve o seu primeiro compromisso do dia em São Salvador do Tocantins onde foi recebido pelo prefeito André Borba, vereadores e lideranças políticas. Paranã foi a última cidade do sudeste do estado a ser visitada por Vicentinho Alves (PR) neste sábado, 5.

Em Paranã ele foi recepcionado pelo ex-prefeito Edson Lustosa, ex-prefeitos, vereadores e lideranças locais e regionais.

Fotos: Divulgação

 

Dimas deixa PR e anuncia apoio a Carlesse sob justificativa de estabilidade no Estado

Ronaldo Dimas afirmou que decidiu apoiar Carlesse pela continuidade de seu governo e garantia de estabilidade para o Estado.

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, declarou apoio ao governador e candidato nas eleições suplementares Mauro Carlesse (PHS) na tarde deste sábado, 5.

O prefeito da cidade com um dos maiores colégios eleitorais do Estado, afirmou que dada a decisão de apoiar Carlesse, ele comunicou na noite desta sexta-feira, 4, sua desfiliação do Partido da República (PR), do senador Vicentinho Alves, à Executiva Nacional.

A desfiliação e conseguinte apoio ao candidato chefe do executivo advêm de um desgaste entre Dimas e Vicentinho, quando ambos do PR demonstraram vontade em ser o candidato do partido a governador.

Devido a insegurança jurídica em torno da possibilidade de Dimas ser o candidato da sigla e dada a inesperada cassação do ex-governador, Marcelo Miranda (MDB), Vicentinho foi o escolhido pelo partido para disputar as eleições suplementares de 3 de junho.

No evento de anúncio de apoio preparado pelo prefeito em Araguaína neste sábado, ele declarou que dada a representatividade que tem a cidade de Araguaína, não poderia deixar de se posicionar e que escolheu apoiar Mauro Carlesse em prol da estabilidade do Estado com a continuidade de seu governo.

“A hora é de escolher um outro caminho, não somente pelo que ocorreu, mas  por acreditar que outro caminho é o melhor pro Estado. Tem outros vários candidatos, muitos deles com competência adequada para ocupar o cargo, mas o problema grande é essa instabilidade pelo qual passa o Tocantins”, declarou à imprensa local.

Dimas narrou as circunstâncias da saída de Miranda e entrada de Carlesse e afirmou que modificar novamente o governo pode ser prejudicial ao Estado. “Onde é que um estado que passa por sofrimentos terríveis com o Tocantins suporta esse tanto de modificações? não dá para que isso seja assim. O mínimo de responsabilidade é entender que o melhor caminho é a permanência de quem está construindo esse mandato”, afirmou.

O prefeito de Araguaína fez elogios à atuação de Carlesse e disse que há abertura do governador para com os municípios.

O prefeito declarou que vê determinação no atual governador. “Eu vejo que ele está determinado com relação à gestão e as coisas que são necessárias de serem feitas, aliado a isso, tem questão da responsabilidade para com o Tocantins. Uma nova mudança não seria bom”, disse. O prefeito ainda citou que o atual governo vem cumprindo suas obrigações com Araguaína e com outros municípios e disse que mesmo não sendo possível a quitação do débito acumulado do Estado com as cidades, espera que com Carlesse no Governo isso seja possível.   

Por fim, acerca de uma nova filiação, Ronaldo Dimas declarou que não irá se filiar a nenhum partido por enquanto. “Não há necessidade porque não sou candidato a nada”. Mais a frente, o prefeito afirmou que vai estudar uma nova filiação partidária, sem pressa.

Democratas anuncia que segue com Carlesse, com apoio de Eduardo, Dorinha e Siqueira

Com o apoio do Democratas, Carlesse aumenta o grupo em prol de sua candidatura, que também conta com PP, PPS, PRB, além de membros do MDB, Solidariedade, PSDB e de alguns partidos nanicos.

Em reunião finalizada no início da tarde deste domingo, 22, o Democratas definiu apoio à candidatura do governador interino Mauro Carlesse (PHS) às eleições suplementares de 3 de junho.

O apoio foi definido por unanimidade dentro do partido e uma ata foi assinada entre os membros e a presidente do Democratas no Tocantins, a deputada federal Professora Dorinha. O apoio do deputado estadual Eduardo Siqueira Campos e do ex-governador Siqueira Campos, membros do partido, também foi confirmado a Carlesse.

Com o apoio do Democratas, Carlesse aumenta o grupo em prol de sua candidatura, que também conta com PP, PPS, PRB, além de membros do MDB, Solidariedade, PSDB e de alguns partidos nanicos.

Um grupo de membros do Democratas, entre eles Dorinha e Eduardo, seguiu nesta tarde para a Assembleia Legislativa, onde acontece a convenção do PHS para oficializar o nome de Carlesse à disputa.

Conforme apurado,  a deputada estadual Valderez Castelo Branco (PP), que anunciou seu apoio a Carlesse, teria indicado o vice para a chapa: o vereador de Araguaína, soldado Alcivan, que deve ser confirmado na convenção desta tarde.

Acompanhe ao vivo pelo Facebook a convenção do PHS.

Notícias sobre:

Executiva do PSD Tocantins se reúne em Palmas e reafirma apoio à candidatura de Kátia

A convenção do PSD acontece neste domingo, 22, na sede do diretório estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), em Palmas.

A Executiva do PSD se reuniu na noite de ontem, 20, na Capital, e reafirmou apoio à candidatura da senadora Kátia Abreu (PDT) para a eleição suplementar de 3 de junho. Além dos membros da Executiva, estavam presentes prefeitos, vice-prefeitos e pré-candidatos às eleições gerais deste ano.

Para o presidente do partido Irajá Abreu, “esta reunião reafirmou o anseio de todos os membros do partido em apoiar a candidatura da senadora, que segundo eles é a candidata mais preparada, com experiência política e competência comprovada para retirar o estado do Tocantins da atual crise política e econômica”.

A convenção do PSD acontece neste domingo, 22, na sede do diretório estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT), em Palmas.

(Com informações da Ascom/PSD)

Temer tem pior índice de candidato à reeleição e seu apoio afastaria 86% de eleitores

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%.

O candidato que receber o apoio público do presidente Michel Temer (MDB) — caso ele mesmo não concorra à reeleição — pode não contar com os votos da grande maioria do eleitorado brasileiro. É o que mostra a última pesquisa Datafolha sobre as intenções de voto para a Presidência da República nas eleições deste ano, divulgada neste domingo, 15, pelo jornal Folha de São Paulo.

A pesquisa foi realizada de quarta-feira, 11, a sexta-feira, 13, com 4.194 entrevistas em 227 municípios, com margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com a pesquisa, questionados se votariam em um candidato apoiado pelo atual presidente, 86% dos entrevistados disseram que não. Outros 9% responderam que talvez votassem na indicação de Temer, e apenas 3% votariam com certeza em seu apoiado. Outros 2% não souberam responder.

O resultado de Temer é o pior entre três apoios analisados na pesquisa: o Datafolha também perguntou se os eleitores votariam em um candidato apoiado pelos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

No caso do petista – que inclusive foi testado em três cenários de intenções de votos e liderou todos -, 30% com certeza votariam em seu candidato e 16% talvez votassem. No universo de eleitores pesquisados, 52% não votariam na indicação de Lula. No caso do tucano, 66% não votariam em seu candidato, 21% talvez votassem e 10% com certeza votariam.

Presidente alcança 2% das intenções de voto

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%. Desde que a reeleição foi estabelecida no Brasil, durante o primeiro mandato de FHC (de 1995 a 2002), nenhum presidente pré-candidato a um novo mandato apareceu nas pesquisas de março ou abril do ano do pleito em situação tão precária quanto as experimentadas agora por Temer.

Segundo o Datafolha, Dilma Rousseff (PT) chegou em abril de 2014, ano que disputaria a reeleição, com 37% das intenções de voto. Antes dela, Lula chegou a abril no ano da reeleição, 2006, com 40%, também segundo o Datafolha na época. Com Fernando Henrique Cardoso foi parecido, e ele entrou em abril de 1998 com 34% das intenções de voto. Os três conseguiram se reeleger.

MDB ainda não decidiu se lança Temer (e) ou Meirelles à Presidência

Aliados avaliavam, reservadamente e em declarações na imprensa, que Temer sentia-se confiante com a recuperação de indicadores da economia, que apontam retomada do crescimento. Ele acreditava também que a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, entregue à responsabilidade do Exército, refletiria positivamente nas pesquisas e ajudaria Temer a alavancar suas intenções de voto.

Este foi o primeiro levantamento do Datafolha sobre a corrida presidencial depois da intervenção, que completou um mês no dia 18 sem resultados de impacto.

Apesar do interesse publicamente manifestado em tentar a reeleição, Temer ainda não foi oficializado pelo MDB como pré-candidato e enfrenta a concorrência de seu ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que se filiou ao partido para tentar disputar o Planalto. Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo neste domingo, Meirelles reiterou que não quer ser vice em uma eventual chapa encabeçada por Temer.