Temer tem pior índice de candidato à reeleição e seu apoio afastaria 86% de eleitores

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%.

O candidato que receber o apoio público do presidente Michel Temer (MDB) — caso ele mesmo não concorra à reeleição — pode não contar com os votos da grande maioria do eleitorado brasileiro. É o que mostra a última pesquisa Datafolha sobre as intenções de voto para a Presidência da República nas eleições deste ano, divulgada neste domingo, 15, pelo jornal Folha de São Paulo.

A pesquisa foi realizada de quarta-feira, 11, a sexta-feira, 13, com 4.194 entrevistas em 227 municípios, com margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com a pesquisa, questionados se votariam em um candidato apoiado pelo atual presidente, 86% dos entrevistados disseram que não. Outros 9% responderam que talvez votassem na indicação de Temer, e apenas 3% votariam com certeza em seu apoiado. Outros 2% não souberam responder.

O resultado de Temer é o pior entre três apoios analisados na pesquisa: o Datafolha também perguntou se os eleitores votariam em um candidato apoiado pelos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

No caso do petista – que inclusive foi testado em três cenários de intenções de votos e liderou todos -, 30% com certeza votariam em seu candidato e 16% talvez votassem. No universo de eleitores pesquisados, 52% não votariam na indicação de Lula. No caso do tucano, 66% não votariam em seu candidato, 21% talvez votassem e 10% com certeza votariam.

Presidente alcança 2% das intenções de voto

Em todos os cenários em que Michel Temer aparece como candidato, sua intenção de voto varia entre 1% e 2%. Desde que a reeleição foi estabelecida no Brasil, durante o primeiro mandato de FHC (de 1995 a 2002), nenhum presidente pré-candidato a um novo mandato apareceu nas pesquisas de março ou abril do ano do pleito em situação tão precária quanto as experimentadas agora por Temer.

Segundo o Datafolha, Dilma Rousseff (PT) chegou em abril de 2014, ano que disputaria a reeleição, com 37% das intenções de voto. Antes dela, Lula chegou a abril no ano da reeleição, 2006, com 40%, também segundo o Datafolha na época. Com Fernando Henrique Cardoso foi parecido, e ele entrou em abril de 1998 com 34% das intenções de voto. Os três conseguiram se reeleger.

MDB ainda não decidiu se lança Temer (e) ou Meirelles à Presidência

Aliados avaliavam, reservadamente e em declarações na imprensa, que Temer sentia-se confiante com a recuperação de indicadores da economia, que apontam retomada do crescimento. Ele acreditava também que a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, entregue à responsabilidade do Exército, refletiria positivamente nas pesquisas e ajudaria Temer a alavancar suas intenções de voto.

Este foi o primeiro levantamento do Datafolha sobre a corrida presidencial depois da intervenção, que completou um mês no dia 18 sem resultados de impacto.

Apesar do interesse publicamente manifestado em tentar a reeleição, Temer ainda não foi oficializado pelo MDB como pré-candidato e enfrenta a concorrência de seu ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que se filiou ao partido para tentar disputar o Planalto. Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo neste domingo, Meirelles reiterou que não quer ser vice em uma eventual chapa encabeçada por Temer.

Em carta a Ataídes, PSDB de Porto formaliza apoio a Vicentinho Alves

Diretório pede para presidente estadual do partido não ver como “ato de rebeldia” ou “desobediência” a posição adotada.

Após toda polêmica no final de semana passado, o Diretório Municipal do PSDB de Porto Nacional encaminhou carta ao presidente regional da sigla, senador Ataídes Oliveira, manifestando, oficialmente, apoio a pré-candidatura do senador Vicentinho Alves (PR) a eleição suplementar ao governo do Estado. Além de comunicar a aliança com o republicano, o grupo avisou que não vai se desligar da sigla.

No documento, os correligionários afirmam que a pré-candidatura de Ataídes é “legítima” e “merecedora de respeito”. Entretanto, afirmam não ser possível deixar de apoiar, nesse momento, “o conterrâneo e aliado” Vicentinho, “pela sua trajetória de lutas em prol dos concidadãos”.

O Diretório de Porto Nacional menciona que todos os seus membros mantêm uma estreita relação de “parceria” e “apoio mútuo” com o republicano, consubstanciada em alianças no decorrer de mais de duas décadas. Segundo a carta, essas alianças resultaram na formação de um grupo político “respeitado” e “uniforme” em Porto Nacional.

Segundo o grupo, o apoio “incondicional” a Vicentinho também se deve à mudança do cenário político, com a cassação do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e da ex-vice-governadora Cláudia Lelis (PV).

Desligamento do partido

Além de formalizar ao senador tucano a aliança com Vicentinho, o Diretório do PSDB de Porto avisou a Ataídes que seus membros não pretendem renunciar e nem desligar do partido, “deixando à consideração ao nobre presidente, como autoridade máxima da legenda em nosso Estado a decisão sobre a posição adotada”.

Ao fim do documento o grupo reafirmou apoio à candidatura do governador tucano do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, à Presidência da República, e pede para Ataídes não ver como “ato de rebeldia” ou “desobediência” a posição adotada.

“Trata-se de apoio a um companheiro de primeira hora e merecedor de nosso respeito e reconhecimento, razão pela qual conclamamos V. Exa,para acatar a nossa decisão, ao passo que, manifestamos nosso respeito pelo vosso projeto político e desejamos sucesso em vossa caminhada política”, finalizam.

A carta foi assinada pelo presidente do Diretório do PSDB de Porto Nacional, Rubens Flávio Macedo; a vice-presidente, Maria Deuzelice Vitorino; a 1ª secretária, Deuzelina Chagas, o 2º secretário, Hildebrando Mendonça; o tesoureiro, Sebastião Araújo; o delegado, Renato Godinho; os vereadores Joaquim Pereira Neto e Adael Guimarães, o ex-prefeito Otoniel Andrade e mais 13 membros da sigla.

Entenda
Apesar da pré-candidatura do senador Ataídes e antes mesmo da decisão do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (PR), o diretório municipal do PSDB de Porto Nacional declarou na sexta-feira, 30, após reunião, “apoio incondicional” ao republicano Vicentinho Alves na eleição suplementar de 3 de junho.

Após a reunião, o grupo foi à residência do senador anunciar a decisão. Vicentinho se disse agradecido e sensibilizado, mas pediu para que todos aguardem a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), sobre as regras eleitorais que vai ser definida nesta terça-feira, 3.

“Sendo liberada a candidatura do prefeito Ronaldo Dimas, iremos dar total apoio a ele, caso não seja liberada, iremos lançar a nossa pré-candidatura ao governo”, afirmou o parlamentar.

Ataídes não gostou nada da manifestação de apoio ao possível concorrente, mas disse não ser uma posição de todo diretório. O parlamentar informou que Flávio Macedo teria se comprometido com ele em renunciar ao comando da sigla caso decida mesmo apoiar Vicentinho.

O presidente do diretório municipal confirmou ter falado ao senador que não teria problema em renunciar ao cargo, mas a situação mudou com a decisão do diretório em manifestar apoio a Vicentinho em nome da sigla.

Por sua vez, o ex-prefeito de Porto Nacional Otoniel Andrade disse que já tinha avisado a Ataídes que apoiaria Vicentinho, caso tivesse que escolher. Otoniel disse que, para deixar Ataídes “à vontade”, vai se desfiliar do PSDB e voltar ao PR, do qual já fez parte.

No sábado, 31, Ataídes adiantou que se porventura os membros que apoiarem Vicentinho não renunciarem ao partido, a executiva estadual deverá tomar “as providências necessárias cabíveis”.

Clebertoledo

Gaguim viabiliza apoio técnico para que municípios obtenham o Plano de Saneamento Básico

O prazo para cadastramento das Prefeituras tocantinenses foi estendido por mais 15 dias.
Após muito trabalho, o Deputado Federal Carlos Henrique Gaguim, juntamente com o presidente da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA),  Rodrigo Dias, viabilizou a seleção de 50 municípios tocantinenses para obterem apoio nas ações voltadas à capacitação, elaboração e desenvolvimento de Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB). Até o momento, 40 foram contemplados. 
Ele segue, portanto, até o dia 15 de maio.  
Os projetos serão realizados por intermédio do Termo de Execução Descentralizada (TED), celebrado entre a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e a Universidade Federal do Tocantins (UFT). 
Conforme a portaria, o titular dos serviços formulará a respectiva política pública de saneamento básico, devendo, para tanto elaborar os planos de saneamento básico, observada a cooperação das associações representativas de vários segmentos da sociedade e da ampla participação da população. Saiba mais em: www.funasa.gov.br/
Veja alguns municípios já cadastrados:
Abreulância, Almas, Aragominas, Araguanã, Augustinópolis, Aurora do Tocantins, Axixá, Barrolândia, Brejinho de Nazaré, Cachoeirinha, Campos Lindos, Carmolândia, Caseara, Chapada de Areia, Colinas, Colméia, Crichás, Cristalândia, Darcinópolis, Fátima, Figueirópolis, Filadelfia, Goianorte, Goiatins, Guaraí, Ipueiras, Marianópolis, Miracema, Nova Olinda, Nova Rosalândia, Novo Jardim, Pau D’Arco, Pedro Afonso, Pindorama, Porto Alegre, Recursolândia, Riachinho, Rio da Conceição, Rio dos Bois, Santa Rosa, Santa Tereza, São Félix, São Salvador, São Sebastião e Tocantínia.
Ascom deputado Gaguim 

Assistência Social de Palmeirópolis promoveu oficina de ovos de páscoa com grupo de Apoio

Assistência Social entrega ovos de Páscoa para o grupo da melhor idade e crianças de Palmeirópolis.

Na última semana, ocorreu o encontro do grupo de Apoio, através da Secretaria Municipal da Assistência Social (Semas) por meio do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) de Palmeirópolis.

A facilitadora Maria de Fátima ministrou uma palestra explicando o verdadeiro significado da Páscoa.

O grupo se reuniu para uma oficina de fabricação de ovos de Páscoa, nas quais depois de prontos foram doados aos idosos e as crianças do (Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos).

Psicóloga Camila Rocha e a Assistente Social Maria Madalena entreganado o brinde a senhora Conceição no centro da foto.

A Secretária de Assistência Social do Município Ana Paula Vaz, disse que todas as pessoas são acompanhadas, por técnicos de referência, facilitadores e outros profissionais, como assistentes sociais e psicólogos.

“O SCFV é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias realizadas pelo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif), possuindo um caráter preventivo e proativo, voltado especialmente para indivíduos que se encontram em situação de vulnerabilidade social”, afirma.

A Psicóloga do CRAS Camila Rocha disse que: “Tanto os grupos, quanto as oficinas terapêuticas são espaços para expressão de emoções e pensamentos, é nesse espaço que o sujeito passa a ter uma melhor compreensão de sua subjetividade de forma a fomentar vivências que questionem padrões estabelecidos e estruturas desiguais, estimulando o desenvolvimento da autoestima, estimulando a socialização e a discussão de projetos de vida, a partir de potencialidades coletivamente identificadas”.

Foi servido um delicioso café da manhã e sorteado vários brindes durante os trabalhos da equipe de Apoio.

Da redação

Osires Damaso recebe prefeitos e vereadores em apoio à candidatura de deputado federal

Após anunciar sua pré-candidatura para a Câmara Federal, o deputado Osires Damaso (PSC) tem recebido o apoio de prefeitos, vereadores e líderes políticos de todo o Estado.
Mais um dia de grande movimentação no gabinete do presidente do Partido Social Cristão tocantinense, não deixa dúvidas de que o parlamentar contará com o suporte de muitos representantes da população.
Nessa terça-feira, 13 de março, estiveram no gabinete o ex-vereador Emiliano, de Lagoa da Confusão, e o prefeito de Bom Jesus do Tocantins, Paulo Hernandes, bem como o prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, o vice-prefeito, Coelho Soares, o vereador Agnaldo Lima Sodré e o líder Jales Mariano e, da região central do Estado, o prefeito de Fortaleza do Tabocão, Vaguim do Valdomiro. Os vereadores Danil Freitas, Daniel Gouveia e Nazionili, do município de Riachinho, também dialogaram com Damaso sobre os projetos para sua candidatura.
Por também representar a classe dos produtores rurais, o parlamentar tocantinense conversou com presidentes de sindicatos de diversas cidades com o objetivo de identificar as necessidades do setor.
Aos presidentes dos Sindicatos Rurais de Ponte Alta do Bom Jesus, Araguaçu, Ananás do Tocantins e Cristalândia, os senhores Arnóbio, Carlinhos, Valdemar e Jakson, respectivamente, Damaso se comprometeu a discutir propostas que visem o desenvolvimento agropecuário do Tocantins.
Já do extremo Norte do Estado, da região do Bico do Papagaio, passou pelo gabinete a ex-vice-prefeita e atual secretária de assistência social de Xambioá, Cleomar de Alencar e o ex-vereador João Cândido, em busca de investimentos e assistencialismo que beneficiem o município e região.
Da porção Central, o ex-vice-prefeito de Guaraí, Carlinhos Gomes, e os vereadores Saboinha Jr, Davi Rocha e Gercival Lopez manifestaram interesse em apoiar a candidatura de Damaso para Federal, tal qual o vereador Gilvan, de Goianorte.
Diante de toda a movimentação, o deputado colocou-se aberto ao diálogo com todos os representantes da população e diz se sentir fortalecido para buscar a vaga na Câmara Federal.

“Nosso objetivo é construir um projeto coerente, no qual possamos agregar interesses de todas as regiões do Estado e, após o processo político, buscar recursos e meios de trazer melhorias a todos aqueles que confiarem no nosso trabalho”, pontual o deputado.

 

A perspectiva é que o deputado intensifique as viagens pelo interior do Tocantins, especialmente aos finais de semana. Damaso continua atendendo em seu gabinete, na Assembleia Legislativa, às terças, quartas e quintas-feiras, entre as sessões plenárias. Já às segundas e sextas-feiras, o deputado atende a população em sua cidade, Paraíso do Tocantins.

Atendendo presidentes de sindicatos rurais de várias regiões do Tocantins.​​

Recebendo a​ ex-vice-prefeita e atual secretária de assistência social de Xambioá, Cleomar de Alencar e o ex-vereador João Cândido.

Damaso com o vice-prefeito de Pedro Afonso, Coelho Soares, e o vereador Agnaldo Lima Sodré, o popular Gordo do Lava Jato.

 

 

 

(Texto: Ariany Minister / Foto: Charles Gomes)

Avicultores de Paraíso enfrentam dificuldades e buscam apoio da Assembleia Legislativa

Produtores da região estão com suas propriedades penhoradas pelo Banco da Amazônia e sem condições de trabalhar por ter sido fechada a Frango Norte.

O presidente da Assembleia, Mauro Carlesse (PHS), recebeu no final da tarde desta quarta-feira, 21, avicultores de Paraíso do Tocantins, que enfrentam dificuldades em relação à criação e comercialização de frangos.

Segundo eles, isso está ocorrendo por causa do fechamento da Frango Norte.

De acordo com o representante da Associação dos Avicultores Centrais (AACT), Joselino Rodrigues, 50 produtores da região estão com suas propriedades penhoradas pelo Banco da Amazônia e sem condições de trabalhar por ter sido fechada a Frango Norte.

Uma das consequências do encerramento do abatedouro, segundo Joselino, é o desemprego, já que o setor gerava cerca de três mil empregos, diretos e indiretos, em Paraíso e região, que tem 98 aviários e produção aproximada de 30 mil aves.

Apoio

Durante o encontro eles pediram ao presidente da Assembleia a mediação junto ao Banco da Amazônia.

“Hoje o Basa está executando individualmente os avicultores que têm dívidas com a instituição. O que nós precisamos é prorrogar essa dívida e, ao mesmo tempo, que seja viabilizada a sustentabilidade ao mercado”, explicou Rodrigues.

Empenho

No final do encontro, Carlesse garantiu aos avicultores que fará todo o possível para tentar sanar o problema. O primeiro passo, segundo ele, será expor a situação aos demais deputados.

“Além disso, vamos requerer ao Basa, em nome da Associação, que renegocie essas dívidas”, adiantou, acrescentando que o setor é responsável por gerar emprego e renda para os paraisenses, e arrecadação para o Estado.

Rubens Gonçalves.
Foto: Koro Rocha.

Movimentos promovem dia 22 de novembro mobilização em Brasília

Municípios tocantinenses devem receber R$ 56 milhões do aporte financeiro de R$ 4 bilhões pedido ao Governo Federal.

O movimento municipalista nacional, encabeçado pela Confederação Nacional de Municípios (ATM) com o apoio da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), promove na próxima quarta-feira, 22, uma Mobilização Nacional em Brasília, que reunirá prefeitos de todo o Brasil para ampliar a pressão do movimento no Congresso Nacional e Presidência da República em prol de causas municipalistas e da obtenção de Apoio Financeiro aos Municípios (AFM), na ordem de R$ 4 bilhões. Caso consigam o aporte financeiro, os municípios tocantinenses devem receber o montante de R$ 56.980.718,57, segundo previsão da CNM. 

Clique aqui e faça sua inscrição na mobilização.

O presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, explica que o AFM traz alivio a crise financeira que se acentua ainda mais neste final de ano. “Havia uma expectativa por parte dos gestores do recebimento de mais recursos da Repatriação. No entanto, os Municípios não contarão com esse dinheiro nesta reta final de 2017, o que torna o AFM ainda mais importante para o fechamento das contas. Os prefeitos precisam estar em Brasília para ampliar o coro da reivindicação nacional”, explica Mariano. Segundo o presidente, os recursos do AFM serão distribuídos seguindo os critérios de distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Encontro das Contas

A Lei 13.485/2017 estabelece o parcelamento da dívida previdenciária de Estados e Municípios. No entanto, os artigos referentes ao Encontro de Contas foram vetados pelo Governo Federal. Ainda no dia 22 de novembro ocorrerá, coincidentemente, uma sessão conjunta do Congresso Nacional que votará os Vetos Presidenciais, em especial o Veto 30/2017, que impede a subtração de débitos e créditos da dívida previdenciária entre Municípios e União.

“Estima-se que a dívida total previdenciária dos Municípios seja de R$ 75 bilhões com o novo parcelamento e, caso ocorra a derrubada do veto, é possível ser reduzida em cerca de R$ 15 bilhões. A entidade pede o envolvimento de todos os prefeitos para que os parlamentares estejam cientes da necessidade de derrubar o veto”, convoca o presidente da ATM, ao lembrar que pautas relacionadas aos Precatórios, ao Piso do Magistério, a atualização de programas federais e ampliação do prazo de execução da Lei dos Resíduos Sólidos estão dentro da pauta de reivindicação da mobilização nacional.

Agenda preliminar – Semana de Mobilização Municipalista

20/11/17 – Segunda-feira

17:00 Reunião Conselho Político – CNM (Lançamento Studio e Biblioteca)

Local: Sede da CNM

Convidados: (i) Presidentes das Entidades Estaduais e (ii) Diretoria da CNM

21/11/17 – Terça-feira

9:00 – Sessão Solene na Câmara dos Deputados

Convidados: Presidentes das Entidades Prefeitos, Diretoria da CNM e  Prefeitos, Vereadores

Local: Plenário da Câmara dos Deputados

10:00 – Reunião com lideranças por estados

Convidados: Presidentes das Entidades Prefeitos, Diretoria da CNM

Local: (a confirmar)

10:30 – Movimento Mulheres Municipalistas – MMM e Bancada Feminina Convidados: Representantes MMM estaduais, prefeitas e vereadoras

Local: (a confirmar)

* Participantes deverão realizar visitas ao gabinetes dos seus parlamentares ao longo da manhã para tratar da pauta municipalista.

13:00 – Reunião de Líderes Câmara e Senado Federal

Convidados: Presidente Paulo Ziulkoski (solicitação)

Local: (a confirmar)

14:00 –  Reunião no TCU sobre as Creches e UPAs

Convidados: Prefeitos e Presidentes Entidades

Local: Setor de Administração Federal Sul – SAFS – Quadra 4, Lote 1 – Brasília – DF

16:00 – Reunião de Bancadas Estaduais

Convidados: Prefeitos, Presidentes Entidades, Diretoria CNM e Vereadores

Local: A confirmar

19:00 – Votação Municipalista (a confirmar)

Convidados: Prefeitos, Presidentes Entidades, Diretoria CNM e Vereadores

Local: Plenários das Casas

22/11/17 – Quarta-feira

Convidados: Prefeitos, Presidentes Entidades, Diretoria CNM e Vereadores

9:00 – Mobilização Nacional – Credenciamento

Local: Petrônio Portela – Anexo II do Senado Federal

* Transmissão ao vivo da Audiência sobre a Crise na Comissão de Desenvolvimento Regional com a participação dos Presidentes das Estaduais)

10:00 – Abertura da Mobilização – Eunício de Oliveira e Parlamentares

Local: Petrônio Portela – Anexo II do Senado Federal

11:00 –  Votação Pec 29/2017 sobre 1% FPM (a confirmar)

Local: Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal

12:00 – Saída até o Gramado do Congresso

Local: Gramado do Congresso Nacional

14:00 – Audiência Presidente Temer (a confirmar)

15:00 – Balanço da Mobilização e Próximos Passos

Local: Sede da CNM

19:00 – Votação no Congresso Nacional dos Vetos

23/11/17 – Quinta-feira

Seminário de Consórcios e Permissões: Instrumento de Gestão Compartilhada

Maiores informações: http://www.cnm.org.br/informe/exibe/seminario-de-consorcios-e-permissoes-instrumentos-de-gestao-compartilhada

24/11/17 – Sexta-feira

Seminário: O Futuro do Sistema Urbem e Consórcios de Tecnologia

Observações Finais:

  1. Toda programação está sujeita a alteração de acordo com agenda do Congressos Nacional;
  2. Solicitamos a todos a realizarem as inscrições pelo site da CNM.

Associação Tocantinense de Municípios – ATM

Pedro Afonso no Tocantins e região pedem apoio aos deputados

Carlesse garantiu que vai tentar uma solução para os dois problemas.
Em visita a vários municípios das regiões central e nordeste do Estado no fim de semana, o presidente da Assembleia, Mauro Carlesse (PHS), acompanhado dos deputados Wanderlei Barbosa (SD) e Lauana Ribeiro (PDT), ouviu as demandas dos prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e lideranças políticas. Em sua passagem por Pedro Afonso, Tupirama, Bom Jesus, e Santa Maria os representantes políticos solicitaram ao parlamentar o retorno do atendimento médico-hospitalar especializado para Palmas.

Atualmente o hospital de referência desses municípios é Araguaína, o que dificulta o transporte e o apoio aos pacientes, já que segundo os prefeitos, além de ser mais longe do que a capital, os municípios da região não podem contar com o apoio dos deputados estaduais nem da Associação Tocantinense dos Municípios (ATM), que têm sede em Palmas para dar suporte aos pacientes.

Os representantes da região solicitaram também ao presidente da Assembleia o retorno do atendimento do Banco do Brasil em Pedro Afonso, cuja agência – que atendia a vários municípios – está fechada desde março deste ano, quando foi explodida por assaltantes fortemente armados.

Carlesse garantiu que vai tentar uma solução para os dois problemas. Para isso, entrará em contato com representantes do Banco do Brasil em Palmas e, se necessário, com a direção nacional da instituição, em Brasília. O mesmo fará em relação à mudança do atendimento hospitalar, que será tratado com o secretário de Estado da Saúde, Marcos Musafir.

Meio ambiente

Acompanhado dos deputados Wanderlei Barbosa, em todo o trajeto, (SD) e de Luana Riberiro (PDT), em Pedro Afonso, Carlesse se comprometeu também a discutir com a sociedade e com os órgãos competentes sobre os benefícios e os danos socioambientais que poderão advir com a possível construção de uma usina no rio Sono, no município de Novo Acordo.

A licença prévia para a obra foi concedida pelo Naturatins, mas foi suspensa pela Justiça, no início deste mês, que acatou uma ação popular movida pelo advogado Fernando Araújo, com mais de quatro mil assinaturas de moradores da região, contrários à construção da usina.

Ascom câmara dos deputados/Fotos: Vinicius Martins

Siqueira nega apoio a interessados ao Governo do Tocantins

A carta do ex-governador é direcionada ao prefeito de Palmas e PSB; Siqueira cogita se candidatar em 2018.

Em carta divulgada à imprensa na noite desta segunda-feira, 18, o ex-governador do Tocantins Siqueira Campos nega qualquer apoio a grupos e nomes de pré-candidatos interessados em concorrer ao cargo de governador do Tocantins nas eleições 2018.

Siqueira diz que a campanha parece já ter começado e que soube que sei nome estaria sendo vinculado há alguns possíveis nomes ao Governo. “Peço que excluam meu nome quando os assuntos forem especulações infundadas, pois como mostra a história, não sou eu quem faz e desfaz alianças atingindo a honra, xingando adversários, para depois mudar de posição em virtude de novas conjunturas”, informa em carta.

Siqueira diz ainda que recebe todos as autoridades em sua casa com o mesmo tratamento, tendo em vista o cargo que ocupam no comando do estado. “Quando o Prefeito de Palmas, esteve em minha residência, o recebi com toda a educação, assim como fiz com os senadores Ataídes de Oliveira, Kátia Abreu e Vicentinho Alves, todos nomes que já foram ou são cogitados como concorrentes ao Palácio Araguaia. E a todos dispensei a mesma recepção com a deferência e gentileza que merecem pelos cargos que ocupam e pelo que representam para o Tocantins”.

Por fim, o ex-governador afirmou que pode se candidatar a uma vaga no Senado caso esteja em boas condições de saúde.

Confira a carta na íntegra

Palmas-TO, 18 de Setembro de 2017.

Carta do ex-governador Siqueira Campos ao Prefeito Carlos Amastha e Convencionais do PSB

Senhor Prefeito e Convencionais,

Me utilizo deste meio apenas para colocar e esclarecer a minha posição, em virtude de ter visto o meu nome citado sobre uma eventual aliança, visando reforçar certos argumentos em uma campanha eleitoral que ainda falta um ano para acontecer, mas que parece já ter começado.

Dizer que posso fazer uma aliança política com o atual Governador é desconhecer a história política do Tocantins ou querer colocar-me em situação que pretenda desfavorecer a mim ou ao atual Governador, tendo em vista a total ausência de tratativas neste sentido, seja por mim ou por terceiros. No entanto, tenho certeza que este não é caso do Prefeito.

Vejamos, desde 1988, quando disputei a primeira eleição para Governador do Tocantins, sempre enfrentei o PMDB. E foi assim em 1994, 1998, 2006 e 2010. Creio estar perfeitamente clara a minha linha e coerência.  Recordo aos atuais líderes do PSB, que em 2010, o atual presidente da sigla e hoje Prefeito da nossa Capital, apoiou abertamente o então candidato à reeleição ao Governo do Estado pelo PMDB, Carlos Henrique Gaguim. O mesmo Carlos Gaguim que hoje defende uma Emenda Constitucional para que o atual Prefeito de Palmas  não possa ser candidato a Governador ou a Senador, Emenda que não tem o meu apoio.

Como podem perceber sempre mantive o meu lado político, a minha coerência e trajetória.  O mesmo eu poderia dizer em relação ao quadro nacional, sempre apoiei as candidaturas que entendia melhores para o nosso País, sem buscar aproximação com aqueles que sempre foram adversários históricos do meu pensamento político.

Por isso, peço que excluam meu nome quando os assuntos forem especulações infundadas, pois como mostra a história, não sou eu quem faz e desfaz alianças atingindo a honra, xingando adversários, para depois mudar de posição em virtude de novas conjunturas. Receber apoio sempre é importante e engrandece qualquer candidatura. No entanto, é necessário respeitar o direito de todos, sem que mereçam rótulos ou conjecturas que não guardem relação com a realidade.

Quando a sua Excelência, o Prefeito de Palmas, esteve em minha residência, o recebi com toda a educação, assim como fiz com os senadores Ataídes de Oliveira, Kátia Abreu e Vicentinho Alves, todos nomes que já foram ou são cogitados como concorrentes ao Palácio Araguaia. E a todos dispensei a mesma recepção com a deferência e gentileza que merecem pelos cargos que ocupam e pelo que representam para o Tocantins.

Saúdo os convencionais do PSB e ressalto o quanto é importante o exercício da Democracia e eventos como o do último domingo, 17, servem para reforçar esse movimento que precisa sempre ser aperfeiçoado. Quando vejo a sigla PSB me recordo de amigo de longa data, contemporâneo de Congresso Nacional, Miguel Arraes, que fez nascer o PSB para o Brasil a partir de Pernambuco, terra de origem de meu pai e da família Siqueira Campos. 

Vejo que o partido se reforça, agora recebendo a filiação do ex-deputado Junior Coimbra, que já foi líder do Governo Marcelo Miranda na Assembleia Legislativa. Partido que já tem o deputado Ricardo Ayres, também ex-secretário da Juventude do atual Governador. Assim como o PSB detém dois ex-secretários de meu último Governo, o professor Danilo de Melo e o deputado Alan Barbiero.

Por fim, quero destacar que não estou em pré-campanha. Não sou filiado a nenhum partido político e não estou discutindo qualquer aliança. O tempo se encarregou de extinguir qualquer desavença pessoal, no entanto, no campo político como já citei, mantenho-me fiel aos mesmos ideais.

Se no momento oportuno estiver em boas condições de saúde, posso colocar meu nome à disposição do povo tocantinense para disputar uma vaga ao Senado, pois entendo, que com minha experiência, poderei seguir dando minha contribuição ao Estado que ajudei a criar, implantar e consolidar.

Desejo que o atual prefeito da cidade que tive a honra de fundar e construir as grandes obras que nela existem, que continue com sua administração, pois há muito trabalho a fazer e é isso que o povo dessa cidade espera.

José Wilson Siqueira Campos

Ex-governador do Tocantins

 T1noticias

Votação de proposta indica apoio ‘oculto’ à Previdência; entenda

Maioria dos ‘potenciais votos’ está em partidos do chamado núcleo duro do governo, à frente de importantes ministérios.

O placar da reforma trabalhista mostra que o governo tem hoje uma margem de, pelo menos, 191 deputados para negociar o voto a favor da reforma da Previdência, aponta levantamento do Broadcast Político em parceria com o Estadão Dados. Esses parlamentares estão entre os 296 que votaram a favor das mudanças na CLT e os 39 que se ausentaram da votação, mas se declaram indecisos ou não querem responder ao Placar da Previdência do Estado sobre a reforma previdenciária.

A maioria desses “potenciais votos” está em partidos do chamado núcleo duro do governo, à frente de importantes ministérios. O PMDB, do presidente Michel Temer, tem 33 deputados nesse perfil. Já o PSDB, um dos principais aliados do governo, tem 24 desses votos.

Interlocutores do governo avaliam que, entre esses potenciais votos, os mais viáveis de atrair são os daqueles deputados que votaram a favor da reforma trabalhista, mas que não querem revelar voto em relação à da Previdência. “Tem muita gente que não quer dizer o voto agora, mas já nos avisou que vai votar com a gente. Tem também os que, se sentirem que a reforma vai ser aprovada, votam a favor”, disse o deputado Beto Mansur (PRB-SP), escalado pelo governo para mapear os votos.

Na ofensiva em busca de apoio, a principal estratégia do governo é negociar cargos por votos. As negociações começaram antes da reforma trabalhista e são feitas com partidos ou individualmente. Com 13 deputados, o PTN, por exemplo, ganhou a presidência da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Já o deputado Kaio Maniçoba (PMDB-PE) conseguiu emplacar um aliado no comando da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) do Ministério da Justiça.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), avalia que muitos deputados não estão revelando seus votos para não antecipar o desgaste. “Muitos acham que têm desgaste no curto prazo e vão deixar para o último minuto. Para que ele vai se desgastar antes?” Ele ponderou, contudo, que há parlamentares da base que não declaram voto porque, de fato, votarão contra a reforma, mas temem perder os espaços que têm no governo. “É do jogo.” Com informações do Estadão Conteúdo.

Noticias ao Minuto