Jovem morre após ser atropelado ao atravessar Avenida T-9, em Goiânia

Adnaldo Teles Pires, 28, foi atingido por veículo nesta madrugada na Vila Bela.
Motorista passou pelo bafômetro, que não constatou embriaguez no condutor

Um jovem de 28 anos morreu atropelado por um carro neste sábado (14), em Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, Adnaldo Teles Pires foi atingido por um veículo enquanto atravessava a Avenida T-9. O motorista foi submetido ao teste do bafômetro que não constatou presença de álcool no organismo do condutor. O caso está sendo apurado pela Delegacia de  Investigação de Crimes de Trânsito (Dict).

De acordo com a delegada, testemunhas disseram que a vítima apresentava sinais de embriaguez antes de tentar atravessar a rua e não percebeu que o veículo se aproximava. “Nós vamos apurar os fatos, obter imagens de câmeras de segurança do comércio da região para tentar esclarecer o que de fato aconteceu”, afirmou a delegada Caroline Paim Diaz.

O atropelamento aconteceu nesta madrugada na Vila Bela, região sudoeste da capital. Segundo a polícia, o carro, um Hyundai HB 20S trafegava pela avenida no sentido Terminal Bandeiras quando o acidente aconteceu. O exame do bafômetro confirmou que o condutor não havia ingerido bebida alcoólica.

De acordo com a polícia, testemunhas devem ser ouvidas na próxima segunda-feira (16) para que as investigações sejam concluídas.(fonte:g1/go)

atropelamento2
Vítima apresentava sinais de embriaguez, dizem testemunhas (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Três pessoas ficam feridas após batida entre caminhonetes no Tocantins

Acidente foi registrado na BR-153 perto de Colinas do Tocantins.
Vítimas foram levadas para o Hospital Regional de Araguaína

Três pessoas ficaram feridas após um acidente envolvendo duas caminhonetes, na BR-153. A colisão foi registrada nesta quinta-feira (12), perto de Colinas do Tocantins, norte do estado. As vítimas foram levadas para o Hospital Regional de Araguaína.

A PRF informou que a colisão foi provocada por uma das caminhonetes que saiu de uma estrada vicinal para pegar a rodovia. Com a batida, os veículos saíram da pista, um deles capotou.

Ao todo, cinco pessoas estavam nos veículos. Três ficaram feridas, duas delas tiveram lesões leves e a outra, ficou em estado grave.(fonte:g1/to)

Acidente na BR-364 deixa dois mortos

Segundo testemunhas, eles estavam voltando de uma festa em Rio Verde. No veículo, foi encontrado uma garrafa de whisky

O motorista de um Fiat Pálio Weekend, de 23 anos e um dos passageiros, de 33 anos, morreram na manhã de domingo (7), na BR-364, Km 98,7, em Caçu, quando o condutor do veículo perdeu o controle da direção, saiu da pista e colidiu com uma árvore.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), testemunhas informaram que quatro rapazes moradores de Caçu, foram até Rio Verde onde participaram de uma festa de rodeio sertanejo na noite de sábado (6). Já na manhã do dia seguinte, quando o grupo resolveu voltar, um dos rapazes desistiu da viagem e ficou na cidade, alegando que o sono e o cansaço poderiam comprometer a viagem.

Os outros três resolveram voltar para Caçu, mas na viagem, o dono do veículo perdeu o controle da direção e chocou com uma árvore. O condutor e um passageiro, que viajava no banco dianteiro, foram socorridos mas não resistiram aos ferimentos e morreram a caminho do hospital.

O outro passageiro que viajava no banco traseiro sofreu ferimentos graves, foi socorrido e encaminhado para um hospital local.

Dentro do veículo a PRF encontrou uma garrafa de whisky.

Balanço
Neste final de semana aconteceram 31 acidentes com 34 pessoas feridas e quatro mortes. Foram realizados 551 testes de etilômetro com 12 autuações e quatro pessoas foram presas. Os radares da PRF registraram 1.197 imagens de excesso de velocidade e 337 motoristas foram autuados por infrações diversas.(fonte:o popular)

“Vou matar todo mundo”, diz homem que tomou volante e jogou carro em barranco em Alexânia

No veículo além do homem que morreu após provocar o acidente, estavam também cinco pessoas da mesma família, que tiveram alguns ferimentos

O passageiro de um carro morreu após tomar o volante e jogar o veículo em que estava em um barranco às margens da BR-060, em Alexânia, a 114 quilômetros de Goiânia. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), outras cinco pessoas da mesma família também estavam no mesmo automóvel, um VW GOL, e sofreram ferimentos.

O inspetor da PRF Newton Morais contou que o homem que provocou o acidente havia pagado ao motorista e dono do carro, que é mototaxista em Alexânia, para levá-lo a uma festa que fica a 4 quilômetros da cidade, entre Alexânia e Abadiânia. “Às 2h da manhã, no quilômetro 34, o homem que havia pagado pela carona, deu um golpe no volante e disse: ‘vou matar todo mundo’. O carro saiu da pista, capotou e caiu num barranco de 12 metros”, explica o inspetor.

A PRF constatou excesso de passageiros no carro. “No veículo haviam dois homens de 22 anos, uma mulher de 23, um rapaz de 28 e um homem de 41 anos, além do motivador do aciente, que ainda não foi identificado, pois não portava documentos”, disse o inspetor.

Ainda de acordo com a PRF, uma das ocupantes ficou gravemente ferida. Já os outros quatro integrantes do veículo tiveram ferimentos leves. Eles foram encaminhados ao Hospital de Urgências de Anápolis.

Morais relatou também que apesar de ser habilitado para conduzir motocicleta e ter um carro, o motorista e dono do veículo que capotou não tem autorização para conduzir automóveis. Ele passou pelo bafômetro e o exame constatou 0,09 miligramas de álcool por litro de ar expelido. Apesar de não acarretar prisão, esse índice gera multa por embriaguez.

O motorista foi atuado por excesso de lotação, embriaguez ao volante, inabilitação e teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) recolhida.(fonte:o popular)

Capotamento deixa um homem morto e outro ferido na TO-201

Acidente foi registrado na zona rural de Buriti do Tocantins.
Suspeita é de que motorista perdeu o controle ao ser ultrapassado

Um acidente de trânsito na zona rural de Buriti do Tocantins, extremo norte do estado, causou uma morte e deixou um homem ferido. De acordo com informações da Polícia Militar, a ocorrência foi registrada neste sábado (30) na TO-201, próximo ao povoado Boa Sorte.

Francisco Gomes de Sousa, de 55 anos, e Daniel Manoel dos Santos Silva, de 47 anos, seguiam pela rodovia em um veículo de passeio. Conforme a PM, o carro era conduzido por Sousa, que perdeu o controle e capotou várias vezes ao cair em uma ribanceira.

O condutor morreu no local do acidente. Silva teve fraturas no braço direito e na clavícula, e foi levado para o hospital de Augustinópolis. A perícia foi acionada e a suspeita é de que um outro veículo não identificado tenha feito uma ultrapassagem perigosa, fazendo Sousa perder o controle.

O corpo dele foi levado para o Instituto Médico Legal de Augustinópolis e deve ser enterrado nesta mesma cidade, pois a família dele vive no local.(fonte:g1/to)

Caminhonete invade casa e empurra outro carro para dentro da cozinha

Impacto fez com que teto de gesso caísse em criança de 8 anos que dormia.
Segundo a PM, a suspeita é que o motorista tenha dormido ao volante, em GO.

Fonte:g1/go

O motorista de uma caminhonete perdeu o controle da direção e invadiu uma casa neste sábado (30), em Goiânia. Segundo os moradores, o veículo derrubou o portão, bateu em um carro que estava na garagem e o empurrou pra dentro da cozinha da residência. Com o impacto, o teto de gesso se rompeu e caiu em cima de uma criança de 8 anos de idade que dormia em um dos quartos. Ninguém se feriu.

“A príncípio foi nos dito que ele [o motorista] dormiu na direção e provocou todo este estrago na casa, vamos apurar direitinho e, como não houve vítima o que pode ser feito é a família procurar a Delegacia de Trânsito para registrar o caso”, afirmou o cabo Luís Carlos Gonçalves de Sousa, do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar.

O acidente aconteceu às 7h deste sábado no Parque Anhanguera, região sudoeste da capital. Segundo a fotógrafa Aline Oliveira, filha do casal que mora na casa, o motorista e um dos passageiros foram cercados por moradores do bairro até que a polícia chegasse. De acordo com ela todos dormiam no momento em que o carro derrubou o portão.

“Foi horrível, todos se assustaram muito. A pancada foi tão violenta que praticamente derrubou uma das colunas da casa. Está tudo bem destruído. Felizmente a criança que estava dormindo não se machucou”, afirmou a fotógrafa.

De acordo com a PM, o condutor da caminhonete se recusou a fazer o teste do bafômetro, implicando a abertura de um processo adminsitrativo que pode gerar o recolhimento da carteira de motorista e aplicação de uma multa.

Forro de gesso caiu em criança de 8 anos que dormia, em Goiânia (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Oliveira)
Forro de gesso caiu em criança de 8 anos que dormia, em Goiânia (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Oliveira)

Moradores cercaram motorista e passageiro para evitar que eles fugissem (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Oliveira)
Moradores cercaram motorista e passageiro para evitar que eles fugissem (Foto: Arquivo Pessoal/Aline Oliveira)

Caminhão carregado de garrafas de bebidas tomba em Palmeiropolis

Do Mapa da Notícia

Mais um acidente no trecho conhecido como “Apertado da Hora” em Palmeirópolis. Agora à tarde por volta das três horas o motorista perdeu o freio já na curva, o pessoal era de Gurupi, caminhão de bebidas Antártica.

Apesar do acidente, ninguém saiu ferido. O trecho é conhecido como, “a curva da morte”por vários acidentes no local.

IMG-20160428-WA0012
Caminhao de bebidas

Logo voltaremos com  a cobertura

completa

Acidente mata irmão de ex-prefeito suspeito de assassinar antigo gestor

Segundo PRF, veículo de idoso bateu de frente com outro carro, em Goiás.
Parente da vítima é procurado desde outubro de 2015 pelo crime, diz polícia.

Fonte:g1/go

Um idoso morreu após acidente nesta quarta-feira (27), na BR-153, em Estrela do Norte, região norte de Goiás. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a vítima, Feliciano José de Almeida, de 66 anos, é irmão de Wellington José de Almeida (PMDB), ex-prefeito do município,  que é suspeito de matar outro ex-gestor da cidade, Geraldo Nicolau Filho (PSDB), no pátio de um motel.

Ainda conforme a PRF, Feliciano dirigia uma Fiat Strada quando foi atingido por um VW Parati, que vinha no sentido contrário e invadiu a pista. Os três ocupantes do outro carro ficaram feridos. Um casal teve lesões graves, e um jovem, leves. Todos foram levados para hospitais da região.

Feliciano não resistiu aos ferimentos e morreu no local. De acordo com a PRF, ele seguia paraEstrela do Norte. Já a Parati, seguia rumo ao Pará.

Morte no motel
Irmão de Feliciano, Wellington está foragido desde outubro de 2015, suspeito de matar Geraldo. Na época, o suspeito ainda era prefeito da cidade. Além dele, a primeira-dama e um irmão, que também teriam envolvimento no crime, são procurados.

O homicídio ocorreu no dia 1º de outubro, emMara Rosa, cidade do norte goiano, que fica a 32 km de Estrela do Norte. Geraldo, 45 anos, conhecido como Curica, estava no motel com a mulher do secretário de saúde, que é irmão do ex-prefeito Wellington. Câmeras de segurança registraram o momento em que o crime ocorreu . A vítima geriu o município entre os anos de 2001 e 2008.

A tesoureira do município Renata Rezende foi presa suspeita de colaborar para o homicídio.Segundo o delegado André Medeiros, ela foi ao motel antes do crime e avisou à primeira-dama da presença da vítima no local.

Ainda conforme a PRF, Feliciano dirigia uma Fiat Strada quando foi atingido por um VW Parati, que vinha no sentido contrário e invadiu a pista. Os três ocupantes do outro carro ficaram feridos. Um casal teve lesões graves, e um jovem, leves. Todos foram levados para hospitais da região.

Feliciano não resistiu aos ferimentos e morreu no local. De acordo com a PRF, ele seguia paraEstrela do Norte. Já a Parati, seguia rumo ao Pará.

Morte no motel
Irmão de Feliciano, Wellington está foragido desde outubro de 2015, suspeito de matar Geraldo. Na época, o suspeito ainda era prefeito da cidade. Além dele, a primeira-dama e um irmão, que também teriam envolvimento no crime, são procurados.

O homicídio ocorreu no dia 1º de outubro, emMara Rosa, cidade do norte goiano, que fica a 32 km de Estrela do Norte. Geraldo, 45 anos, conhecido como Curica, estava no motel com a mulher do secretário de saúde, que é irmão do ex-prefeito Wellington. Câmeras de segurança registraram o momento em que o crime ocorreu (veja abaixo). A vítima geriu o município entre os anos de 2001 e 2008.

A tesoureira do município Renata Rezende foi presa suspeita de colaborar para o homicídio.Segundo o delegado André Medeiros, ela foi ao motel antes do crime e avisou à primeira-dama da presença da vítima no local.

“Meia hora antes, ela entrou em um HB 20 no motel, parou no quarto ao lado do da vítima, saiu do carro, verificou a presença do casal e saiu para avisar à primeira-dama”, disse Medeiros.

O investigador explicou ainda que vários fatores relacionam os suspeitos ao crime. Um deles é que os veículos que estavam no local, um Fiat Punto preto e uma caminhonete Chevrolet S10 branca, pertencem, respectivamente, à primeira-dama e ao irmão do político.

Ex-prefeito foi morto em pátio de motel de Mara Rosa, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Ex-prefeito foi morto em pátio de motel de Mara
Rosa, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

“Quando os policiais viram as imagens, fizeram a descrição física do prefeito. Tem também a coincidência dos veículos e o fato de eles terem sumido da cidade”, aponta Medeiros.

Motivação
O delegado investiga a motivação do homicídio. “Tem a questão de a vítima ter uma relação com a cunhada do prefeito ou então questão política porque a pessoa que morreu estava se movimentando para ser candidato a prefeito nas próximas eleições”, acredita Medeiros.
Para a empresária Lucivânia Lúcia de Andrade Nicolau, 43 anos, viúva do ex-prefeito morto, a morte ter ocorrido em um motel não significa que ele a traía. Ela crê que o crime tenha ligação política.

“Estou sem esposo, meus filhos estão sem pai, estou em uma luta com o meu sócio para tocar o nosso negócio, e quero que se faça justiça. Isso foi um crime político, não canso de falar isso. Não tinha caso, não tinha nada. Foi crime político”, afirmou.

Investigação
Medeiros disse que precisa encontrar os suspeitos para descobrir qual foi a motivação do crime. “Já ouvimos funcionários do motel, membros da família, analisamos as filmagens, fizemos relatórios das imagens, o laudo cadavérico já está pronto e as perícias também. Falta encontrar o ex-prefeito para descobrir a real motivação do crime”, disse o delegado ao G1 em outubro.

Prefeito de Estrela do Norte, Wellington José de Almeida (PMDB), Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
Prefeito de Estrela do Norte, Wellington José de Almeida (PMDB), Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Na época em que o crime foi cometido, o suspeito ainda era prefeito do município. A irmã de Wellington entregou à Câmara dos Vereadores da cidade uma carta do político renunciando ao cargo. O até então vice-prefeito da cidade Baltazar Boaventura (PT), que já comandava de forma interina, assumiu a administração definitivamente

Na carta Almeida disse que, caso volte ao município, corre “risco iminente de morte”. Ele também destacou que a inocência dele “será comprovada perante à Justiça”.

O investigador informou que ainda aguarda a carta de renúncia do ex-prefeito e documento de posse do novo gestor. “Como ele era prefeito o processo dele corria com foro privilegiado. Agora que ele renunciou ao cargo vou enviar os documentos e cabe ao juiz decidir se o processo dele continuará correndo assim ou não”, esclareceu o delegado.

‘Vi a estrutura desmoronar como se fosse papel’, diz morador

Rio – Morador de São Conrado, o administrador Guilherme Miranda, de 42 anos, que usava a Ciclovia Tim Maia todos os dias desde a inauguração, estava próximo no momento do acidente e testemunhou a queda de pelo menos três pessoas no mar. “Vi a estrutura desmoronar como se fosse de papel”, relatou.

Segundo o administrador, as vítimas despencaram no mar e os corpos boiaram por cerca de 30 minutos até a chegada dos bombeiros. “Aqui é um lugar que tem ressacas de, no mínimo, o dobro do tamanho dessa. Como o governo entrega uma obra frágil assim?”, questionou, referindo-se à fama das ressacas em São Conrado – não raro as ondas, grandes e fortes, invadem o calçadão da praia.

O engenheiro Eduardo Marinho de Albuquerque, de 54 anos, corria na ciclovia quando as ondas destruíram o trecho onde ele estava. O capitão médico da Aeronáutica João Ricardo Tinoco, cunhado dele, foi quem reconheceu o corpo.

“Era um dia de lazer, de sol, de contemplar a natureza, e a desgraça surge no caminho de quem só queria o bem. É inadmissível”, desabafou Tinoco na Praia de São Conrado, onde os corpos foram deixados por guarda-vidas do Corpo de Bombeiros, que os recolheram no mar.

Albuquerque morava em Ipanema e corria de casa até o Leblon para chegar então à ciclovia – um trajeto comum entre as pessoas adeptas da corrida e que vivem na região. A mulher do engenheiro, a médica Eliane Albuquerque, soube do desabamento pela televisão e desconfiou que o marido pudesse estar entre as vítimas. Ao ver o corpo na praia, ela se desesperou e se mostrou indignada. O casal tem um filho de 15 anos.

Irmão de Eliane, Tinoco estava perto da ciclovia no horário do acidente e recebeu um telefonema da médica para que fosse até a praia. “Minha irmã ficou desconfiada ao saber da queda da ciclovia. Como o marido havia saído para correr, ela associou e pediu para que eu visse os mortos. Infelizmente, reconheci o corpo de meu cunhado.”

À noite, a segunda vítima foi identificada como Ronaldo Severino da Silva, de 60 anos. Há ainda a possibilidade de ter morrido também uma terceira pessoa.

O aposentado Damião Ribeiro, de 60 anos, pescava na Avenida Niemeyer e foi surpreendido por uma onda maior do que de costume. “Estava pescando quando uma onda enorme veio e suspendeu uma das peças na base da pista. Um casal e uma pessoa que tirava fotos na mureta da pista caíram. Não deu para socorrer.”

“Por sorte não morri”, disse o manobrista de carros Gerson Magalhães, de 33 anos, que também passeava de bicicleta no momento do acidente. “Estava passando com muito medo porque as ondas estavam fortes e molhavam a pista. Quando vi que elas ficavam ainda maiores, acelerei a bicicleta e passei pelo trecho que desabou segundos antes dele ruir.”

Morador da Favela do Vidigal, na frente da ciclovia, Juan Reis, de 16 anos, tentou alertar duas mulheres que caminhavam a sua frente, uma de cerca de 18 e outra de 40 anos, sobre o perigo das ondas.

“Como sou surfista, alertei a senhora que estava na ciclovia para ela se retirar, pois as ondas estavam muito fortes, mas ela não me ouviu e continuou. Quando a onda veio, eu acelerei. Cheguei a me molhar. As duas mulheres caíram”, contou o adolescente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Empresa que construiu ciclovia que ruiu é da família do secretário de Turismo do Rio

A empreiteira Concremat, responsável pela construção da ciclovia Tim Maia, que desabou nesta quinta-feira, 21, no Rio, pertence à família do secretário de Turismo da cidade do Rio, Antônio Pedro Viegas Figueira de Mello. Ao menos duas pessoas morreram no desabamento de um trecho da ciclovia, inaugurada em janeiro deste ano.

A Concremat foi fundada por Mauro Ribeiro Viegas, avô de Antonio Pedro Viegas Figueira de Mello. Hoje, a empresa tem como diretor-presidente Mauro Viegas Filho.

A obra da ciclovia, da gestão Eduardo Paes (PMDB-RJ), custou R$ 45 milhões e começou em setembro de 2014. Em seu site, a Concremat afirma que o consórcio Contemat Geotecnia/Concrejato foi contratado pela Fundação Geo-Rio, braço da Secretaria Municipal de Obras da Prefeitura, para executar a contenção de encosta e a estabilização da área para a implantação da ciclovia.

Em informativo de outubro de 2015, a Concremat divulgou uma matéria em seu site sobre a ciclovia Tim Maia. Na reportagem, o gerente técnico Jorge Schneider explicou que ‘cerca de metade da extensão total da ciclovia foi concebida com uma estrutura independente, projetada ao lado e à jusante da Avenida Niemeyer’.

Segundo a Concremat, ao longo do percurso, ‘foram executadas contenções com cortinas atirantadas, contra-fortes atirantados e muretas de contenção chumbadas’. “Para a proteção dos taludes resultantes de escavações para a construção das fundações, foram também aplicadas as técnicas de solo grampeado e rip-rap”, informou a empreiteira.

“Tivemos o desafio de realizar uma obra em área urbana, com a construção em toda a sua extensão junto a uma avenida com largura reduzida e intenso fluxo diário de veículos, além de estar inserida em uma área com forte presença habitacional, onde os estreitos passeios são para grande parte dos moradores a única forma de acesso às suas residências”, contou o coordenador da obra, Saulo Rahal.Informativo da Concremat, de outubro de 2015, tratou da ciclovia.

A reportagem do informativo da empreiteira informou ainda que ‘com a impossibilidade de interdição da via durante o dia para as concretagens, além de dificuldades de escoramento por conta da altura e das irregularidades da encosta, a solução encontrada foi de pré-moldagem tanto da meso como da superestrutura, adotando-se para esta lajes PI protendidas com vãos de 6 e 12 metros, onde a associação de elementos retos e curvos permitiu com que a ciclovia acompanhasse todo o trajeto da Niemeyer’.

O pedaço arrancado pela água tem mais de 50 metros. A ciclovia é suspensa e junto ao mar. Está interditada, assim como a Niemeyer. Técnicos da Prefeitura ainda vão avaliar se há risco de outros desabamentos na ciclovia.A estrutura foi levada pela ressaca do mar de São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro. Eduardo Marinho Albuquerque, de 53 anos, e um homem de 45 anos, cuja identidade não foi divulgada, foram as duas vítimas. Outras três pessoas teriam ficado feridas. O corpo de Albuquerque foi identificado por um cunhado no local, que não quis dar entrevista. Os dois corpos foram localizados no mar de São Conrado por bombeiros e ainda estão na areia.A Secretaria de Turismo da Prefeitura do Rio não retornou ao contato da reportagem.

Site da Concremat dá informações sobre a obra

COM A PALAVRA, A CONCREMAT

“O Consórcio Contemat-Concrejato informa que uma equipe técnica da empresa já se encontra no local, trabalhando em coordenação com a Secretaria Municipal de Obras. As prioridades neste momento são garantir o atendimento às vítimas e seus familiares e avaliar as causas do acidente.

“A reportagem questionou a Concremat se o secretário teve alguma influência na contratação da empresa da família.

“O Consórcio participou de processo de licitação que foi acompanhado por todos os órgãos de fiscalização competentes”, respondeu a empreiteira.

COM A PALAVRA, A PREFEITURA DO RIO

O prefeito Eduardo Paes lamenta profundamente o acidente na Ciclovia da Niemeyer e se solidariza com as famílias das vítimas e com todos os cariocas neste momento. O prefeito estava em deslocamento para a Grécia – onde participaria, em Atenas, da cerimônia de passagem da tocha olímpica – e já está voltando para o Brasil. Paes atenderá a imprensa amanhã, assim que chegar ao Brasil, o que não tem horário previsto.- É imperdoável o que aconteceu, já determinei a apuração imediata dos fatos e estou voltando para o Brasil para acompanhar de perto – disse o prefeito, que saiu ontem à noite do Rio.

A Prefeitura do Rio esclarece que a prioridade neste momento é garantir a segurança da população e o atendimento às vítimas e aos seus familiares. Técnicos do município estão desde cedo no local, trabalhando com coordenação da Secretaria Municipal de Obras. O resultado da vistoria realizada pela Fundação Geo-Rio para apurar as causas do acidente será divulgado assim que concluído. Os reparos serão executados pela empresa responsável pela construção, sem ônus adicionais ao município, já que a ciclovia ainda está na garantia de obra. A Avenida Niemeyer permanece interditada ao tráfego e o Corpo de Bombeiros continua as buscas no local.

Fonte:msn notícias