Destaque, Goiás

Polícia suspeita que pai agrediu filha e causou incêndio que matou ambos dentro de casa em Goiás

Segundo os bombeiros, criança tinha lesão na cabeça. Parentes contaram que ele estava desempregado e se separou da madrasta da menina recentemente.

Polícia Civil suspeita que Carlos Alves Pereira de Calvares, de 48 anos, agrediu a filha Ana Júlia Calvares, de 9 anos, e, em seguida, causou o incêndio que resultou na morte dele e da menina, na casa em que moravam, em Goiânia.

Os parentes relataram aos policiais que o homem havia se separado da madrasta da criança há um mês e estava desempregado.

“O pai apresentava quadro depressivo, tinha acabado de se separar da mulher. A suspeita é de que ele deu uma pancada na cabeça da filha, ateou fogo na casa e, depois, se suicidou”, disse o delegado Douglas Pedrosa, titular da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios.

O fogo começou por volta das 11h30 de quarta-feira (27), no Parque Oeste Industrial. Vizinhos chamaram o Corpo de Bombeiros, que controlaram as chamas.

De acordo com a corporação, a menina teve 70% teve do corpo queimado e apresentava um traumatismo cranioencefálico. Ela chegou a ser socorrida, mas morreu a caminho do hospital. Já o pai morreu no local.

“O pai foi encontrado na porta do banheiro, e a criança dentro do banheiro, ambos inconscientes. Os dois foram reanimados, porém não se estabilizaram e vieram a óbito”, explicou.

Carlos Alves Pereira de Calvares é suspeito de causar o incêndio (Foto: TV Anhanguera/ Goiânia)

Os bombeiros também acreditam que o incêndio foi intencional. ” Nós não podemos afirmar com certeza, mas há indícios de que o incêndio foi criminoso, mas isso só pode ser identificado pela Polícia Técnico-Científica. Havia vários focos de incêndio, no quarto, na sala e na cozinha”, afirmou o tenente Danivaldo José Ferreira, do Corpo de Bombeiros, que atendeu à ocorrência.

Irmã de Carlos, Odaiza Pereira conta que vizinhos ouviram a sobrinha pedir ajuda. “A vizinha falou que a menina pediu socorro e, de repente, a menina calou. Os peritos viram o machucado na cabeça dela, a gente suspeita que ele bateu na cabeça, e ela demaiou”, relatou.

Os parentes tentam entender o que levou Calvares a cometer o crime. “Ele era uma pessoa que aconselhava tanto a gente quando a gente estava triste, ele conversava, dizia que Deus era dono de tudo e, de repente, acontece essa fatalidade”, lamenta a irmã.

Velório e enterro

Os corpos do pai e da filha são velados em locais diferentes. O velório da menina acontece em uma igreja da Vila Luciana. O enterro está previsto para acontecer a partir das 13h desta quinta-feira (28), no cemitério de Guapó, na Região Metropolitana de Goiânia.

Ana Júlia Calvares morre aos 9 anos (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

Já o pai será velado a partir das 13h no Cemitério Parque. O enterro está previsto para ocorrer duas horas depois. 

G1 Goiás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.