Documento integra delação de executivo da Carioca Engenharia

Uma planilha que integra a delação premiada do executivo da Carioca EngenhariaRicardo Pernambuco Júnior, um dos investigados na Operação Lava Jato, aponta  suposta propina de R$ 52 milhões que teria sido entregue ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A peça faz parte de inquérito autorizado contra o peemedebista pelo ministro Teori Zavascki, a pedido da Procuradoria Geral da República.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (15) pelo jornal “Estado de S. Paulo” e está na delação, revelada pela revista ‘Época’ em dezembro. O presidente da Câmara disse que não vai se manifestar sobre o caso, pois o assunto é velho e que ele já havia se manifestado anteriormente.

A investigação se baseia nas delações premiadas dos empresários da Carioca Engenharia Ricardo Pernambuco Júnior e do pai dele Ricardo Pernambuco. De acordo com os delatores, Cunha recebia propina de recursos do FI-FGTS, um fundo destinado a empresas. O Supremo Tribunal Federal (STF) homologou a delação.

Este é o terceiro inquérito contra o peemedebista. A PGR suspeita que o parlamentar tenha pedido e recebido propina do consórcio formado por Odebrecht, OAS e Carioca Christiani Nielsen Engenharia – que era responsável pela obra do Porto Maravilha– no montante de cerca de R$ 52 milhões.

Ainda, conforme os delatores, o presidente da Câmara teria recebido propina no valor de 1,5% dos títulos comprados pelo FI-FGTS, paga em 36 parcelas. De acordo com a planilha entregue aos investigadores, foram feitos 22 depósitos, entre agosto de 2011 e setembro de 2014, que teriam sido propina a Cunha.

Fonte:o popular

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here