Cidades, Destaque

Piloto preso com cocaína em avião disse que receberia R$ 100 mil para fazer o transporte

Lucas de Oliveira Penha deu a declaração a agentes da Polícia Federal logo que foi preso, mas preferiu ficar calado durante o depoimento. Eles voavam em baixa altitude para evitar fiscalização.

O piloto Lucas de Oliveira Penha, preso na quinta-feira (12) com 300 quilos de cocaína em um avião, disse a agentes da Polícia Federal que receberia R$ 100 mil para fazer o transporte da droga. A declaração foi dada logo após ele ser detido em um campo de pouso de Formoso do Araguaia, no sul do Tocantins.

Penha disse ainda que o mesmo valor seria pago ao outro piloto que estava no avião, Murillo Ribeiro de Souza Costa. Ainda na conversa com o agente, afirmou que eles voavam em baixa altitude, a cerca de 80 metros do solo, para evitar a fiscalização, e que só pousaram no local do flagrante porque houve um defeito na aeronave.

As informações foram fornecidas pelo suspeito no local da prisão, mas durante o depoimento na sede da Polícia Federal em Palmas ele preferiu ficar calado. Costa adotou o mesmo procedimento, mas no campo de pouso disse aos agentes que a cocaína pertenceria a um traficante de Goiânia conhecido como Ceará ou Fortaleza.

Murillo Ribeiro é piloto agrícola há cerca de um ano e já foi preso no Paraguai por transportar duas pessoas e fuzis sem autorização. Já Lucas de Oliveira trabalha para uma empresa do ramo do agronegócio e é de Marabá (PA).

Os dois tiveram a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva pela Justiça Federal. A PF conseguiu também acesso a dados de um tablet que estava no avião e dos celulares dos suspeitos. As defesas dos dois pilotos não responderam as tentativas de contato da produção da TV Anhanguera e do G1.

Por determinação da Justiça Federal, a cocaína apreendida deve ser destruída.

Aeronave foi encontrada em um pista de pouso (Foto: Ciopaer/Divulgação)Aeronave foi encontrada em um pista de pouso (Foto: Ciopaer/Divulgação)

Aeronave foi encontrada em um pista de pouso (Foto: Ciopaer/Divulgação)

A prisão

Murillo Ribeiro de Souza Costa e Lucas de Oliveira Penha foram flagrados em uma fazenda na zona rural de Formoso do Araguaia. A apreensão da aeronave, que estava com mais de 300 kg de cocaína, foi feita pela Polícia Federal, com apoio da Polícia Militar do Tocantins e do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer-TO).

Segundo a Polícia Federal, a suspeita é que a droga veio da fronteira da Bolívia com o Mato Grosso. A investigação começou após uma denúncia anônima. Depois disso, os policiais de Tocantins, Goiás e Mato Grosso começaram a trocar informações e a aeronave foi interceptada em um campo de pouso.

Esta é a segunda grande apreensão de cocaína feita em Formoso do Araguaia. Em 2017, foram encontrados 318 quilos da droga escondidos perto de uma pista de avião, onde havia uma aeronave. Na época, um homem foi preso por tráfico de drogas suspeito de ter alugado a fazenda para o embarque da droga.

G1 Tocantins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.