Reunião discutiu a implantação do Campus presencial do IFTO em Palmeirópolis ano que vem.

Foi dado o primeiro passo para o projeto de implantação do Campus do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) no Município de Palmeirópolis. Modalidade Universidade Aberta do Brasil (UAB).

Na manhã de quarta-feira (13), aconteceu uma reunião no auditório da Câmara Municipal da cidade para tratar do projeto de implantação do Campos da UFTO em Palmeirópolis.

A reunião contou com a presença do prefeito Fábio Vaz, da primeira dama Ana Paula, do presidente da Câmara William Marques, vereador Nilson Rodrigues, Hildene Tóquio, professor Daniel Rosa, Raimundo Nonato, diretores de escolas, secretário de Educação do município Bartolomeu Moura Junior, da saúde Nelio Oliveira, empresários, secretários em geral e professores.

O secretário de educação do município e presidente da UNDIME Bartolomeu Moura Junior, falou emocionado de ver mais um sonho realizado em Palmeirópolis. Ele que luta há anos em busca de uma faculdade presencial na cidade falou a nossa equipe. “É um sonho de quem é professor, quem é educador sente-se vitorioso. Quando eu era diretor da escola Oneides em 2011, 2012, entramos em contato com Madson com este ideal de implantar um Polo de educação técnico superior em Palmeirópolis. Na época, não tivemos êxodo, porque precisava da parceria do município. Hoje estamos vendo um sonho se realizar, isso é gratificante”, afirmou Bartolomeu. 

O prefeito de Palmeirópolis Fábio Vaz, explicou que a reunião foi um avanço para concretizar um Campus Avançado da IFTO na cidade.

“Desde 2013 estamos buscando implantar aqui este Campus, já temos EAD configurado em IFTO, mas nós queríamos um presencial, e que ele fosse avançado, esta reunião trouxe esta realidade”, disse.

O prefeito afirmou ainda que está aguardando a portaria para dar início a faculdade avançada. E que toda equipe está trabalhando na escolha dos cursos que enquadra à região, todo um portfólio para desenvolvimento e escolha de cursos, onde vai subsidiar de informações atualizadas tanto de Palmeirópolis como as regiões circunvizinhas desde de população, PIB, número de comercio, indústria e renda salarial, todo um conjunto de informações. “Já temos o terreno, a reunião foi aquela que chegamos para bater o pênalti”, concluiu o prefeito. 

Madson Souza coordenador de Apoio e Educação a Distância do Instituto Federal do Tocantins disse que a autorização do processo de implantação do Campus Avançado já existe, agora é fazer o levantamento na região para saber quais são os cursos a serem ofertados. ”Existe a possibilidade de se iniciar ano que vem, vamos atrás de informações precisas, um planejamento para saber a demanda. Temos uma autorização, uma proposta verbal, mas vamos deixar tudo pronto e aguardar a portaria”, enfatizou.

Doação do terreno

O empresário Guaraci Edmilson Coelho Cosmo, doou o terreno de 2 alqueires e meio para construção do Campus no Jardim Alice em Palmeirópolis. Ele relatou que alguns anos atrás, o vereador Nilson Rodrigues o procurou e disse que tinha um projeto de abrir uma faculdade, e precisava de uma área. 

“Já faz uns três anos, seu Nilson me perguntou se eu não teria um terreno, daí eu disse que sim, e perguntei qual o tamanho precisava, ele me falou em meio alqueire para construir a faculdade, uma área de cinco ou seis lotes. Participando das reuniões, descobri que precisavam de um terreno maior, aí a prefeitura se dispôs a doar um pedaço perto do meu, vou doar a diferença, dois alqueires e meio para construir a sede”, explicou.

Questionado porque fez a doação, Edmilson disse que pensou no desenvolvimento do município e da região.

“Eu estava analisando, o empreendimento vai ser grande, aproximadamente (dois mil metros quadrados) de obras, um prédio de dois andares, é uma faculdade mesmo, vai alavancar a nossa economia, por isso não hesitei em doar o terreno”, explicou. 

O vereador professor Daniel Rosa, que é representante da deputada federal professora Dorinha relatou que ela (Dorinha), tinha conseguido aprovar ainda na época da Dilma os recursos que era 45 milhões para cinco municípios. “Daí calculamos que são nove milhões e meio para cada município, ou seja, nove milhões e meio para implantarmos o Campus em Palmeirópolis. Eu nunca parei de correr atrás, quando o Mendonça Filho assumiu o ministério de educação, que era do Democratas foi uma brecha que nós achamos de buscar, de ter apoio dentro do governo federal. Ano passado foi aprovado todas as emendas para esse ano, dentre elas, o Campus de Palmeirópolis. Corremos atrás e a deputada Dorinha buscou as emendas aprovadas. Por tanto hoje, nós temos aqui em andamento uma faculdade para Palmeirópolis com recomendação da Dorinha”, disse Daniel. 

Deputada Federal professora Dorinha Seabra e o vereador profesor Daniel Rosa

Ele relatou ainda que foi priorizado a cidade de Palmeirópolis, mesmo sendo pequena, porque feito uma logística na época, analisaram os municípios próximos que não tem faculdade, inclusive algumas cidades de Goiás. A deputada federal professora Dorinha está em Brasília correndo atrás e lutando por este projeto, hoje temos a vontade de todos, do prefeito, do secretário de educação Bartolomeu, que sonhou com isso e tentou em outra gestão a implantação, dos vereadores, temos o terreno doado pelo Edmilson, nós temos aqui um Polo iniciado, tudo isso influenciou a Dorinha entrar nessa parte dos recursos financeiros que não tinha”, concluiu Daniel.

Wellington Jorge Jacinto é professor universitário e Engenheiro Agrônomo. Ele relata que desde o mandato do ex-prefeito Jonas Macedo vem lutando para este projeto.

“Nós fizemos uma reunião com Valmir que era diretor da Unirg naquela época, queríamos trazer um Campus avançado da Unirg para cá, mas não teve o resultado que precisávamos e ele acabou sendo instalado em Dianópolis. Isso quer dizer então, que além do prefeito não teve um secretário, um vereador, que estivesse interessado, na época faltou realmente suporte. Agora está chegando o Instituto Federal porque tem um prefeito que abraçou a causa, um vereador que correu atrás da doação do terreno, tem um secretário de educação atuante, deputada Dorinha com vereador Daniel Rosa, um grupo de pessoas envolvida no desenvolvimento do município”, afirmou Wellington.

Segundo informações, a probabilidade é que ainda este ano acontecerá o vestibular para o Instituto Federal e pode começar no prédio da escola Carolina Corsino.

Vereador Nilson Rodrigues e Wellington Jorge Jacinto.

O vereador Nilson Rodrigues falou com entusiasmo sobre seu requerimento em prol de uma faculdade. “Tenho aqui registrado uma petição antiga, não desistimos. Deputada professora Dorinha colocou emenda no qual priorizou Palmeirópolis e Taguatinga. Essa emenda já está disponível pelo orçamento da União, a faculdade é uma realidade”, finalizou.

Lembrando que todos os professores serão selecionados através de concursos.

Da redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here