Sob forte comoção, familiares e amigos acompanharam o cortejo de Edilson R. Damasceno até o cemitério para a despedida.

O caixão foi conduzido em cima de um caminhão, e vários caminhoneiros seguiam em silêncio, sem buzinas num símbolo de tristeza.

Carros e motos também participaram da carreata que percorreu a Avenida Principal do Centro de Palmeirópolis até o cemitério local.

Nenhuma palavra, será o bastante para confortar a dor de uma perda. A morte trágica causou muita comoção a toda a cidade de Palmeirópolis, sul do Tocantins.

 Entenda

Os caminhoneiros Edilson Rodrigues Damasceno, de 45 anos, e Alceu Antônio Pedroso, de 48 anos, morreram após uma colisão frontal na BR-153, no município de Fortaleza do Tabocão.

Os caminhões ficaram completamente destruídos. A PRF ainda não informou as causas do acidente.

Edilson Rodrigues Damasceno era viúvo e tinha 4 filhos. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o primeiro corpo a ser resgatado foi o do motorista Edilson, sem a utilização dos equipamentos de desencarceramento.

Em seguida, a equipe retirou o corpo de Alceu Antônio, que estava preso às ferragens sob a carroceria do veículo. 

O corpo de Alceu Antônio, ficou preso às ferragens sob a carroceria do veículo.

Conforme os bombeiros, foi necessário a ajuda de um caminhão muque para facilitar o acesso. Após erguida a cabine, a equipe conseguiu prosseguir com a retirada do corpo.

O sepultamento de Edilson Rodrigues Damasceno ocorreu as 6 horas desta quarta-feira 12, em Palmeirópolis, já Alceu Antônio Pedrosa foi sepultado em Itapagé-Ceará.

Alceu Antônio Pedroso, de 48 anos foi sepultado no estado do Ceará.

Da redação

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here