Dados levam em conta meses de janeiro a julho deste ano. Duas pessoas morreram no fim de semana em acidentes que envolviam menores de idade na direção.

De janeiro a julho deste ano foram registrados 3.190 pessoas dirigindo sem carteira de habilitação no Tocantins. Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), 70 pessoas foram multadas por entregar veículo para pessoas sem CNH e 51 por permitir que pessoas desabilitadas dirigissem. Dois casos semelhantes foram registrados neste domingo em Palmas e acabaram com duas mortes.

Confira os dados de pessoas flagradas sem habilitação neste ano:

  • Araguaína – 589
  • Palmas – 570
  • Porto Nacional – 468
  • Gurupi – 283
  • Paraíso do TO – 227

Os dois acidentes registrados em Palmas envolviam adolescentes de 17 anos. Um deles aconteceu perto do Setor Santa Fé, região sul da capital e provocou a morte de José Almir Linhares Galvão, de 51 anos. No outro acidente, a cozinheira Irisneide da Silva Souza, de 32 anos, também não resistiu. Ela teve a moto atingida por um carro dirigido por um menor.

O gerente de educação para o trânsito da Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana, Celestino Pessoa, alertou para o uso de veículos por pessoas não habilitadas, principalmente por adolescentes.

“O menor ainda não está preparado, capacitado, não tem capacidade jurídica de dirigir um veículo. Não pode, de forma alguma, tomar posse de um veículo e assumir as vias”, comentou.

Ainda segundo ele, os responsáveis pelo menor respondem pelos atos dos adolescentes.

“O artigo prevê uma infração de trânsito para o pai que deixa, permite e entrega a direção de veículo para menores de idade. Os pais precisam ter esse cuidado. Eles respondem por esse ato ou omissão de permitir. É uma infração gravíssima multiplicada por três e quando há óbito passa a ser um crime de trânsito”, afirmou.

G1 Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here