Segundo Silvania Oliveira, o sobrinho era saudável e costumava a jogar futebol e andar de bicicleta. Parentes dizem que suspeita é de infarto.

A tia do estudante Rodrigo Rafael Oliveira Dias Bessa, de 16 anos, que morreu após passar mal durante uma aula de educação física, disse que a família está “sem acreditar” no que aconteceu. Silvania Oliveira informou ao G1 que o sobrinho era saudável e acostumado a praticar esporte. O caso foi na Escola Estadual Novo Horizonte, em Palmas, na tarde desta segunda-feira (2).

“Estamos surpresos, sem acreditar. Ele não tinha problemas de saúde, era saudável, jogava futebol, andava de bicicleta. Não tinha vícios”, disse Silvania.
Ela informou que os médicos suspeitam que Rodrigo tenha sofrido infarto. Mas as causas da morte só serão confirmadas após o resultado do laudo, que deve ficar pronto em 60 dias. O exame é feito fora do Tocantins.

O corpo de Rodrigo será velado em uma igreja evangélica, no Jardim Aureny IV, nesta terça-feira.
A tia disse que quando o menino passou mal, ele jogava futebol na escola por volta das 16h30. O adolescente chegou a ser socorrido pela Samu e levado para a Unidade de Pronto Atendimento da região sul, mas não resistiu.

A Secretaria Estadual da Educação informou que as aulas na escola foram suspensas na noite desta segunda e também durante a terça-feira (3). A Seduc lamentou a morte e disse que está à disposição dos pais e familiares. O aluno estava na 2º série do Ensino Médio.

A Diretoria do Sindicato dos Profissionais de Educação Física do Tocantins também lamentou a morte repentina do estudante. Informou que já provocou uma discussão junto a Assembleia Legislativa do Tocantins, no sentido de criar uma legislação que exija do Estado e Municípios atestado médico para matrículas visando minimizar o risco de ocorrências quanto à doenças cardíacas e outras que não sejam possíveis serem detectadas de forma superficial.

G1 Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here