Julgamento seria na manhã desta quinta-feira (12), mas foi retirado da pauta pelo presidente do TSE, Luiz Fux. Segundo o Tribunal, a entrada e saída de processos da pauta é um procedimento natural.

A análise dos embargos de declaração do governador Marcelo Miranda (MDB) foi transferida para a próxima terça-feira (17), a partir das 19h. O julgamento estava marcado para a manhã desta quinta-feira (12), mas foi retirado da pauta pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, que também é relator do processo.

A assessoria do TSE confirmou a transferência da data e disse que a entrada e saída de processos da pauta é um procedimento natural. Por enquanto, o embargo de Marcelo Miranda não apareceu na pauta da próxima sessão. A votação é decisiva para o governador do Tocantins, pois o resultado pode obrigá-lo a deixar o cargo novamente.

Os embargos de declaração são uma medida jurídica para esclarecer fatos relacionados a uma decisão. Neste caso, a defesa pediu estes esclarecimentos no acórdão que cassou o mandato de Marcelo Miranda e Cláudia Lelis (PV) por uso de caixa 2 na campanha de 2014 e tem relação com o avião com R$ 500 mil apreendido em Goiás.

Miranda está no cargo devido uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF), mas o processo segue em andamento no TSE.

Para o Ministério Público Eleitoral, o governador tenta um ‘rejulgamento’ do caso e quer desqualificar provas. A defesa negou e disse que os embargos são instrumentos legítimos para esclarecer dúvidas.

A liminar, concedida pelo Ministro Gilmar Mendes, permite que ele fique no cargo até que o TSE termine de julgar os embargos.

Entenda

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou no dia 22 de março os diplomas do governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice-governadora Cláudia Lelis (PV). O processo, que analisa caixa dois durante a campanha de 2014, começou em 2015 após uma aeronave ser apreendida com R$ 500 mil em Goiás.

G1 Tocantins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here