Destaque

Em Minaçú, pai é preso suspeito de matar filha de 3 anos com golpe de foice

Menina morava com a mãe e visitava o pai eventualmente. Familiares disseram à polícia que buscaram a criança pensando que animariam lavrador, que estava há três dias em suposto quadro de depressão.

Um lavrador de 27 anos foi preso na tarde desta terça-feira (29) suspeito de matar a própria filha, de 3 anos, com um golpe de foice na cabeça, em Minaçu, no norte de Goiás. A criança vivia com a mãe e visitava o pai eventualmente.

De acordo com a Polícia Civil, familiares disseram que Fabiano de Souza Medeiros estava há três dias dentro do quarto, em um suposto quadro de depressão, e que por isso buscaram a menina, pensando que iriam conseguir animá-lo.

O delegado André Luís Barbosa Campos Medeiros informou que o homem ficou calado durante depoimento. As motivações para o crime não foram identificadas. O suspeito não havia apresentado advogado até o final da tarde desta terça e foi encaminhado para a cadeia da cidade.

O lavrador Fabiano de Souza Medeiros, preso suspeito de matar a filha de 3 anos com golpe de foice, em Minaçu (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Ainda segundo a polícia, dois irmãos de Fabiano prestaram depoimento. Eles disseram que viram o momento em que o jovem pegou a foice, usada no trabalho, mas não imaginaram que ele agrediria alguém. Os irmãos também afirmaram que não têm conhecimento sobre se o rapaz usa drogas.

A polícia disse que Ana Julya brincava sentada no chão quando foi atingida. O suspeito também teria golpeado a própria mãe, com o cabo, no ombro. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar foram acionados, mas as vítimas já haviam sido transportadas quando as equipes chegaram.

Fachada do Hospital Municipal de Minaçu, para onde menina de 3 anos foi levada após levar golpe de foice na cabeça (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A criança não resistiu aos ferimentos e já chegou morta ao hospital. Já a avó recebeu atendimento e, de acordo com informações preliminares, está em estado de choque.

O corpo de Ana Julya vai ser levado para Porangatu, para o exame cadavérico. A mãe da criança e ex-mulher do suspeito precisou de atendimento médico após saber do ocorrido, informou a polícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.