Parece piada, mas não é. Inaugurado com muita festa e três anos de atraso na última quinta-feira, 23, o Centro de Recuperação de Dependentes Químicos (Credeq), em Aparecida de Goiânia, não recebeu até hoje sequer um único paciente. O motivo é que o Estado impôs tantos critérios para internar um paciente no local que ninguém se adequa. A informação é de reportagem do jornal O Popular desta terça-feira, 28.

A Organização Social Luz da Vida, responsável pela administração do Centro se esquiva do problema. Ao Popular, o diretor da unidade, Thiago Batista afirmou que os critérios (ou melhor, empecilhos) foram definidos pela Gerência de Saúde Mental do Estado e que foi feito alerta sobre os possíveis problemas. “A gerência não foi pega de surpresa nesse sentido”, explicou.

Algumas famílias procuraram o Credeq, mas não conseguiram atendimento. Foram informadas de que primeiro é preciso passar pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD). Até o momento, porém, nem os pacientes mais graves preenchem os critérios para ter acesso a internação no Credeq. Ao Popular, a diretora do Caps AD Casa, em Goiânia, Lucinere Costa, foi categórica: “Esses critérios vão ter de mudar, senão o Credeq não funciona”.

Abrir um serviço público e impor tantas condições que ninguém se adequa já é absurdo. A situação torna-se ainda surreal devido a OS Luz da Vida receber recursos do governo estadual desde 2014 para ‘gerir’ o local. Já foram repassados mais de R$ 5 milhões e a situação não muda: fechado ou aberto, o Credeq de Aparecida não atende nenhum paciente.(fonte:goiás real)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here