Conheça as principais propostas do candidato a deputado estadual Leto Lapeiro

O pesado custo da violência no trânsito.

O candidato a deputado estadual Leto Lapeiro Milhomem do REDE (Sustentabilidade), em entrevista ao MN disse defender melhoria nas leis de trânsito, ele afirmou que em 2015 o Tocantins liderou o ranking nacional em morte no trânsito. (Fonte: Retrato da Segurança Viária 2017)

De cada cem mil habitantes morreram 32,7 pessoas, isso é considerado um número alarmante e assustador. Leto propõe projeto de lei para criar uma disciplina obrigatória no ensino fundamental e médio, e que as escolas têm um papel importante na educação das crianças e dos jovens.

“Que possamos ter consciência e educar a futura geração de condutores, sobretudo mostrar a eles a necessidade de respeitar as leis de trânsito e as consequências de dirigir embriagados. Também cobrar dos nossos governantes manutenção na malha viária”, explicou Leto Lapeiro. 

O candidato a deputado com o número 18800, tem se preocupado em uma campanha educativa com “Foco no Trânsito”.

Assessoria de Comunicação/Leto Lapeiro

 

TSE nega participação de Lula em debate na TV amanhã

Ex-presidente está preso desde 7 de abril, em função de sua condenação a 12 anos e um mês de prisão, por corrupção e lavagem de dinheiro.

ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Sérgio Banhos rejeitou um pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para participar do debate da Rede TV! que será realizado nesta sexta (17). Para o ministro auxiliar do TSE, o pedido não poderia sequer ser analisado.

“É fato público, notório e incontroverso no campo da existência que a segregação imposta ao pretenso candidato, cuja análise do registro eleitoral será oportunamente realizada, […] decorre de determinação exarada pela Justiça Comum (Tribunal Regional Federal) ante entendimento firmado, por maioria, no âmbito do Supremo Tribunal Federal”, escreveu Banhos.

“Carece esta Justiça especializada [eleitoral] de atribuição constitucional e legal para intervir em ambiente carcerário, no qual em curso o cumprimento, ainda que provisório, de sanção penal, dispondo sobre a eventual utilização intramuros de aparato tecnológico que possibilite, para além de todas as demais questões jurídicas certamente envolvidas, a participação do requerente [Lula], por videoconferência ou por meio de vídeos pré-gravados”, justificou.

“Aliás, no que toca à gravação de vídeos, o modelo seria incompatível até mesmo com a já conhecida dinâmica desses debates.”

Banhos determinou o arquivamento do pedido feito pelo PT. Com informações da Folhapress.

Por noticia ao minuto

Lula diz que não pretende morrer, nem renunciar: ‘Vou brigar’

Mesmo preso, o candidato tenta se eleger presidente pela terceira vez.

Na carta preliminar que deve ser lida no ato do registro da sua candidatura à corrida presidencial, nesta quarta-feira (15), o ex-presidente Lula foi categórico ao afirmar que não quer “favores” da Justiça Eleitorial. As informações são da coluna Painel.

“Quero apenas os direitos que vêm sendo reconhecidos pelos tribunais há anos em favor de centenas de outros candidatos”, afirmou Lula. E continuou ao dizer, ainda, que é vítima de uma “caçada”. “Não pretendo morrer nem cogito renunciar. Vou brigar até o final”, declarou.

Fernando Haddad, representante de Lula na campanha, irá ler a carta aos militantes.

Por notícia ao minuto

 

Amastha em reunião diz a coligação que decidiu retomar candidatura a governador

O ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB), como esperado, refluiu e decidiu manter sua candidatura a governador.

Ele já comunicou a cúpula de sua coligação e deve anunciar a decisão em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira, 7.

Amastha tinha avisado em vídeo nas redes sociais nessa segunda-feira, 6, que tinha desistido de disputar. O grupo chegou a consultar outros nomes para arrumar um substituto.

Mas depois de uma reunião nessa manhã, ele ficou de pensar e dar uma resposta ao grupo às 14 horas. Amastha, então, avisou que retomará sua candidatura.

O motivo alegado foi a saída do grupo do PTB e PCdoB, que foram apoiar a candidatura de Márlon Reis (Rede).

Apesar da desistência anunciada nessa segunda, a coligação registrou normalmente a ata das convenções com Amastha na cabeça de chapa.

Cleber Toledo

Lula manda recado a Haddad e diz que ele está em ‘estágio probatório’

Presidente do PT, Gleisi Hoffmann disse que, na condição de vice, ex-prefeito de São Paulo terá a tarefa de representar o ex-presidente, mas negou “plano B”.

Na segunda-feira (6), pela manhã, ao receber o primeiro relato sobre a indicação de Fernando Haddad para o posto de vice na chapa do PT e a aliança com o PCdoB, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva pediu à presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann, que espalhasse o aviso: “O candidato sou eu.”

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Gleisi disse que, na condição de vice, Haddad terá a tarefa de representar o ex-presidente, mas negou que o partido tenha posto em prática o “plano B”.

Segundo ela, a escolha de Haddad como substituto de Lula caso o ex-presidente seja impedido de concorrer vai depender da forma como o ex-prefeito se comportará até o desfecho do caso na Justiça Eleitoral. De acordo com a senadora, Lula disse que Haddad está em “estágio probatório”.

A sra. esteve com Lula hoje (na segunda-feira). Qual foi o teor da conversa?

Fui fazer um relato do que tinha acontecido, reafirmar para ele a nossa estratégia, dizer que foi bem recebida a coligação com o PC do B, a composição dele com Hadad e Manuela (d’Ávila). E que nosso desafio agora é fazer uma boa campanha, popularizar nossas propostas e ser os representantes dele nas ruas.

O que ele respondeu?

Que ficou muito satisfeito com o resultado, que não precisava ser de forma tão apressada e do jeito que foi por conta da diminuição do prazo. Ficou feliz de o PCdoB e Manuela terem aceitado e que neste momento foi importante ter o Haddad. Mas deixou claro: “O candidato sou eu.”

A escolha de Haddad como vice não passa a impressão de que ele está sendo preparado para ser o substituto de Lula?

Nós não trabalhamos com a hipótese de “plano B”. Trabalhamos com a candidatura do ex-presidente Lula e com a disposição de irmos com ela até as últimas consequências, entendendo que, se a jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral for respeitada, Lula será candidato. Mas nós precisamos, na ausência dele, até ter essa definição, de alguém que vocalize. Tanto que o ex-presidente deixou claro: “Avise lá que o candidato sou eu, viu? O Haddad está em estágio probatório(risos)”.

O novo entendimento do TSE quanto ao prazo para escolha do vice não é mais um sinal de que a Justiça Eleitoral não vai permitir que Lula seja candidato?

É mais um obstáculo que eles tentam colocar. Acho que eles vão colocando obstáculos para ver se a gente desiste. Mas nós somos teimosos.

Mas existe a possibilidade concreta de Lula ser impedido. Haddad é um bom nome?

Não acreditamos nessa hipótese, mas, se acontecer, vamos discutir qual é a saída e fazer isso inclusive com os partidos que estão na coligação.

Essa posição atual de Haddad, como vice, com muita exposição, o fortalece como possível substituto de Lula?

Pode fortalecer. Vai depender muito de como ele vai se colocar nas questões e o que ele vai significar no processo enquanto representante do ex-presidente Lula. Por isso acho que Lula brincou que ele está em “estágio probatório”.

Haddad é um “vice-tampão”?

Não diria um “vice-tampão”. Haddad é um vice, mas temos um compromisso com o PCdoB de que, tão logo sejam resolvidas as questões judiciais que envolvem o ex-presidente, o PCdoB assume a vice. Haddad está cumprindo um papel de ser o vice neste momento para vocalizar o ex-presidente no dia a dia da campanha, ele é um representante do Lula.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Noticia ao Minuto

Amastha se reúne com cúpula de seu grupo e vai responder se continua na disputa ao governo

O ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB) se reuniu na manhã desta terça-feira, 7, com a cúpula de seu grupo para discutir sua decisão de não disputar mais o governo do Tocantins.
Há a possibilidade de ele refluir e manter seu nome para as disputas de outubro. Amastha ficou de dar uma resposta ao grupo às 14 horas. Em seguida, ele deve conceder entrevista coletiva.

Participaram da reunião os dois senadores Ataídes Oliveira (PSDB) e Vicentinho Alves (PR), o vice Oswaldo Stival Júnior (PSDB) e familiares do empresário; o deputado federal Vicentinho Júnior (PR) e deputados estaduais.

De toda forma, os relatos é de que o descontentamento que Amastha gerou é grande entre os aliados.

O advogado do ex-prefeito, Leandro Manzano, conversou com Amastha nessa segunda-feira, 6, e explicou a ele que o registro da ata da convenção com o pessebista como governador era fundamental para manter a candidatura dos demais membros da majoritária e chapas proporcionais. Assim, o registro no Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-TO) foi feito.

Ao blog, Manzano disse que Amastha ainda terá que registrar sua candidatura a governador até o dia 15. “A decisão d candidatura dele é da convenção, que é o órgão soberano. Se ele não registrar, ninguém poderá ser candidato”, explicou o advogado. Depois, então, se assim quiser, poderá ser substituído.

Cleber Toledo

PDT oficializa Kátia Abreu como candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes

 “É com orgulho e honra que nós apresentamos a senadora Kátia Abreu como nossa candidata a vice-presidente da República com o nosso companheiro Ciro Gomes”.

Assim o presidente nacional do PDT (Partido Democrático Trabalhista), Carlos Lupi, abriu  nesta segunda-feira (6) o evento de oficialização da chapa de Ciro Gomes e Kátia Abreu, na sede do partido, em Brasilia.

Em seu discurso, Kátia Abreu falou da alegria em representar o Tocantins como o primeiro nome do Estado a disputar a Vice-Presidência da República. 

“É com muito orgulho que estou representando o mais novo Estado do país, que é o Tocantins, da região do Matopiba, e digo a vocês que nos sentimos muito honrados por estarmos na sua chapa”, disse a senador Kátia Abreu. “Estou obstinada a enfrentar mais esse desafio, talvez um dos maiores na minha vida. Agradeço a confiança do PDT, do nosso presidente Carlos Lupi e do amigo Ciro Gomes”, completou. 

O candidato a Presidente da República fez elogios à trajetória e ao caráter da tocantinense. “A senadora Kátia Abreu me honra com o seu nome limpo, sua honradez e trajetória ao aceitar compor comigo a chapa para concorrer à Presidência da República”, afirmou. 

Ciro Gomes disse ainda que a chapa é um reencontro natural, lembrando de sua visita ao Tocantins em 2002, quando Kátia Abreu o apoiou nas eleições presidenciais daquele ano.

“Kátia me levou à querida cidade de Araguaína, onde fui muito bem recebido e observei sua vocação política e sua liderança no setor da agricultura, olhando tanto para a agricultura familiar quanto para a agricultura de negócios”, lembrou o presidenciável.

Ciro Gomes reforçou que Kátia Abreu já demonstrou “força, coragem, fidelidade e compromisso popular com a democracia”. “Então minhas palavras são de honra e gratidão por Kátia ter aceitado estar ao meu lado nesse caminho para mudar o Brasil e retomar a dignidade do brasileiro”, afirmou o candidato.

Ascom senadora Kátia Abreu

Amastha desiste de disputar governo do Tocantins horas após fazer convenção

Partidos que integravam a chapa foram surpreendidos e ainda não se posicionaram. Convenção que indicou Carlos Amastha ao governo foi realizada na noite deste domingo (6).

O ex-prefeito Carlos Amastha (PSB) desistiu de disputar o governo do Tocantins nas próximas eleições. O anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira (6), horas após ser definido como candidato em convenção do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Amastha disse ter orgulho do que já fez na política. “Parecia que estava tudo encaminhado […] Infelizmente, as coligações proporcionais não foram bem sucedidas. Com a saída do PC do B e do PTB, o projeto perdeu a essência”, disse.

A convenção que definiu a candidatura de Amastha foi realizada na noite deste domingo (5) em Palmas. No grupo estavam o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e o Partido da República (PR), que lançaram Ataídes Oliveira e Vicentinho Alves ao senado, respectivamente. Os partidos também foram supreendidos e ainda não se posicionaram sobre a desistência.

O pré-candidato também pediu desculpas pela desistência. “Peço desculpas se machuquei alguém, e me coloco a disposição para que meu nome seja substituído. Sem a volta deles [dos partidos], não tem a mínima chance de ser candidato”, disse.

Amastha foi um dos candidatos nas eleições suplementares ao governo do Tocantins, convocada após a cassação de Marcelo Miranda (MDB). Ele ficou em terceiro lugar na preferência do eleitorado.

Na chapa encabeçada por Marlon Reis, Paulo Mourão e Irajá Abreu serão candidatos ao Senado

Com convencionais de mais de 30 municípios do estado o Partido dos Trabalhadores do Tocantins (PT-TO) definiu neste domingo, 5, durante a Convenção Estadual o apoio à candidatura de Marlon Reis (REDE) e a indicação de Paulo Mourão (PT) para uma das vagas de disputa ao senado.

A outra vaga para senador será ocupada por Irajá Abreu (PSD).

Foram mais de 300 membros do PT reunidos durante todo o dia na sede do Partido em Palmas e o presidente do PT-TO deputado estadual Zé Roberto, pré-candidato a reeleição, destacou sua alegria pela adesão da militância petista à coligação, o que vai garantir o objetivo do PT no Estado, que é eleger um senador, deputados federais e aumentar a bancada estadual na Assembleia Legislativa.

“Com transparência estamos trabalhando a construção deste projeto, que vai dar uma opção de desenvolvimento inclusivo ao nosso estado e com a adesão da militância petista tenho certeza que entramos de corpo e alma nesta candidatura do Marlon Reis e do Irajá Abreu, como nos comprometemos com as nossas candidaturas”, disse Zé Roberto.

Irajá Abreu agradeceu o carinho e a recepção da militância do PT-TO e destacou que a chapa é formada com um caráter municipalista que vai ser vitoriosa.

“O Marlon teve a sensibilidade de ver o momento que o Tocantins está vivendo e nesta união consolidada hoje vamos ter condições de apresentar um projeto que rompa com a dinastia que perdura no Tocantins há 30 anos”, salientou Irajá que ponderou ainda sobre a importância “da experiência de Paulo Mourão, que somada a coragem de Marlon vai fazer a transformação que o Tocantins precisa”.

Para Mourão “é possível nós construirmos e reconquistarmos nossos sonhos com um levante democrático que rompa com este estado de desesperança vivenciado nos corações dos tocantinenses”. Segundo o pré-candidato petista ao senado “é possível voltar a sonhar e assim construir um estado justo e igualitário”.

Em demonstração de otimismo o pré-candidato ao governo Marlon Reis foi categórico ao afirmar que se sente privilegiado em fazer parte desta coligação. “Até a pouco me sentia presidente de um partido e agora me sinto exclusivamente membro de uma coligação que vai vencer as eleições de 2018”, afirmou.

Segundo Marlon “há 30 anos houve a separação do Tocantins do estado de Goiás e agora teremos outra divisão, que é deixar para traz a forma arcaica de fazer política e o que nos une é a missão de mudar o degrau da política e construir um Tocantins melhor para todos”.

Fotos: Antônio Gonçalves

Ascom PT-TO

PHS homologa candidatura de Carlesse ao Governo neste sábado; aliados formalizam apoio

Militantes e apoiadores estão reunidos neste sábado, 4, no auditório da Assembleia Legislativa do Tocantins, para a convenção partidária do Partido Humanista da Solidariedade (PHS), que homologará a candidatura à reeleição de Mauro Carlesse ao Governo do Estado.

Ao longo de todo o dia, além do PHS, diversos partidos aliados ao governador também homologam apoio ao humanista e confirmam candidaturas aos demais cargos em disputa no dia 7 de outubro.

Na Assembleia, pela manhã, o Progressistas realizou sua convenção, tendo definido que a legenda vai compor a coligação de Carlesse. O partido, comandado no Tocantins pelo deputado federal Lázaro Botelho, também definiu que tanto o parlamentar quanto a deputada estadual Valderez Castelo Branco disputarão a reeleição para seus respectivos cargos.

No período da tarde, o PHS irá formalizar a candidatura de Mauro Carlesse ao Governo, assim como os demais partidos aliados e candidatos que formarão a chapa majoritária e as candidaturas a deputado estadual e federal.

Ascom Mauro Carlesse