Choque de trens na Itália deixa 27 mortos e mais de 50 feridos

A maioria dos feridos está em estado grave

O acidente ferroviário que aconteceu nesta terça-feira (12) no sul da Itália já deixou 27 mortos, informou o Departamento de Defesa Civil do país. Foram resgatados 50 feridos, a maioria em estado grave. Os serviços de segurança e de emergência estiveram toda a noite limpando a área com um guindaste na busca de possíveis corpos ou sobreviventes.

Segundo publicou o G1, o choque entre os dois trens aconteceu pela manhã, quando as duas composições percorriam a mesma linha que une os municípios de Andria e Corato, na região meridional da Apúlia. Os veículos de imprensa da Itália afirmam que os trens transportavam diariamente estudantes e trabalhadores que percorriam a obsoleta linha ferroviária.

A Procuradoria de Trani já abriu uma investigação por suspeita de homicídio culposo múltiplo e desastre ferroviário por desconhecidos, para avaliar se a tragédia aconteceu por causa de um erro humano ou por um falha técnica.(fonte:notícias ao minuto)

Franco-atirador mata policiais e causa pânico durante protesto nos EUA

Cinco policiais da cidade americana de Dallas foram mortos e outros seis feridos por um franco-atirador durante protestos contra a morte de dois homens negros pela polícia, informaram autoridades.

Durante a madrugada, a polícia fez um cerco a um homem armado em um edifício-garagem. Houve troca de tiros e, segundo a mídia americana, esse homem teria sido morto. Três outras pessoas foram detidas.

O tiroteio começou por volta das 20h45 (22h45 de Brasília) quando manifestantes protestavam pela cidade.

Os protestos foram deflagrados pelas mortes de Philando Castile, em Minnesota, e Alton Sterling, em Louisiana.

Policial conforta familiares de policial morto
Policial conforta familiares de policial morto

O chefe de polícia de Dallas, David Brown, disse que o principal suspeito teria dito a negociadores das autoridades “que o fim está chegando e que ele vai ferir e matar mais de nós, e que há bombas em todo o lugar no edifício-garagem e no centro da cidade”.

A imprensa local diz que houve uma forte explosão no local, mas a informação não foi confirmada pela polícia.

Brown afirmou que uma mulher que estava perto do homem está sendo interrogada.

A polícia acrescentou ainda que policiais interceptaram um carro depois de uma pessoa lançar uma bolsa camuflada da parte de trás do veículo e fugirem. Dois ocupantes estão sendo interrogados.

Segundo Brown, todos os suspeitos estavam atuando juntos, usando rifles para realizar ataques enquanto o protesto acontecia.

“Ainda não sabemos se conseguimos deter todos os suspeitos”.

Mais cedo, ele disse que 11 policiais haviam sido alvos de uma emboscada por um franco-atirador. Três deles morreram. Posteriormente, a polícia de Dallas tuitou a morte de um quarto policial. Em seguida, a Associação de Polícia de Dallas confirmou a quinta morte.

O prefeito de Dallas descreveu o incidente como um
O prefeito de Dallas descreveu o incidente como um “momento desolador para a cidade”

Segundo a polícia, dois franco-atiradores atiraram de “posições elevadas” durante o protesto.

“Acreditamos que esses suspeitos estavam posicionados de forma a ter um bom ângulo desses policiais de duas posições elevadas diferentes…e planejavam ferir e matar quantos fossem possíveis”, disse Brown.

O prefeito de Dallas, Mike Rawlings, descreveu o incidente como “um momento desolador para a cidade”.

Um dos organizadores do protesto, o reverendo Jeff Hood, disse que os manifestantes buscaram proteção quando o tiroteio começou.

“Eu fugi dos tiros tentando tirar as pessoas das ruas e ao mesmo tempo apalpava o meu corpo para saber se havia sido ferido”, disse ele ao jornal local Dallas Morning News.

Mais cedo, a polícia divulgou a imagem de um homem com um rifle apoiado sobre o seu ombro, alegando que ele era um dos suspeitos. Logo depois, tuitou que ele havia se entregado. Mas em entrevista à imprensa local seu irmão disse que ele não estava envolvido no incidente.

Autoridades restringiram o espaço aéreo de Dallas.

Tiroteio começou por volta das 20h45 (22h45 horário de Brasília)
Tiroteio começou por volta das 20h45 (22h45 horário de Brasília)

Inúmeras cidades americanas realizaram protestos contra violência policial contra negros
Inúmeras cidades americanas realizaram protestos contra violência policial contra negros

Mortes gravadas

Os protestos em Dallas foram alguns dos inúmeros realizados por todos os Estados Unidos contra o uso da força letal pela polícia contra afro-americanos.

Philando Castile foi morto em um sinal de trânsito em St Paul, em Minnesota, na quarta-feira, enquanto Alton Sterling foi morto pela polícia um dia antes em Baton Rouge, na Louisiana.

Ambos os incidentes foram registrados em vídeo, reacendendo o debate nacional sobre a violência policial contra negros.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse que “todas as pessoas justas de espírito devem estar preocupadas” sobre a morte frequente de afro-americanos pela polícia.

Estatísticas mostram violência policial contra negros nos EUA
Estatísticas mostram violência policial contra negros nos EUA

Referindo-se a estatísticas mostrando que cidadãos afro-americanos são mais suscetíveis a ser mortos pela polícia do que brancos, Obama pediu o fim do preconceito interno da polícia.

“Quando incidentes como esse acontecem, há uma parcela da nossa população que sente como se isso acontecesse por causa da cor de sua pele, e que eles não estão sendo tratados da mesma forma”, disse o presidente americano. “E isso machuca”.

Mas Obama ressaltou que “há uma estima extraordinária e respeito pela grande maioria dos policais que colocam suas vidas em risco para nos proteger todos os dias. Eles têm um trabalho perigoso. É um trabalho duro”.

Segundo estimativas oficiais, 53 policiais morreram em serviço nos Estados Unidos neste ano, dos quais 21 por tiroteios. O saldo não inclui os mortos no incidente de Dallas.(fonte:bbc notícias)

Sobe para 41 número de mortos em atentado na Turquia

O primeiro-ministro turco, Binali Yildrim, disse que as forças de segurança consideram que o ataque foi feito pela facção terrorista Estado Islâmico

Subiu para 41 o número de mortos em uma série de explosões na noite desta terça-feira (28) no aeroporto internacional Mustafa Kemal Atatürk, em Istambul, o maior da Turquia. Ao menos 239 pessoas ficaram feridas.

Nenhum grupo terrorista assumiu a ação até o momento. Porém, o primeiro-ministro turco, Binali Yildrim, disse que as forças de segurança consideram que o ataque foi feito pela facção terrorista Estado Islâmico.

O atentado é o mais mortal a atingir a maior cidade turca desde 2003 e o quinto em um ano. De acordo com o chefe de governo, os três autores chegaram de táxi ao terminal internacional do aeroporto.

Armados com fuzis AK-47, os três trocaram tiros com policiais antes de se explodirem, por volta das 21h50 (15h50 em Brasília). O primeiro se explodiu no saguão de desembarque, enquanto os outros dois na entrada do embarque.

Diferentemente de outros aeroportos, em Istambul os passageiros passam por detectores de metal e têm as bagagens vistoriadas antes de entrar no saguão de check-in, além do controle ao entrar na sala de espera.

Um deles chegou a ser contido por um policial antes de detonar os explosivos que levava consigo. Nas redes sociais, passageiros e funcionários publicaram fotos e vídeos logo após as explosões.

O governo afirma que ao menos 13 mortos são estrangeiros. Cinco sauditas e dois iraquianos, além de cidadãos da China, Jordânia, Tunísia, Uzbequistão, Irã e Ucrânia, estão entre as vítimas.

Assim como em atentados passados, o presidente Recep Tayyip Erdogan voltou a defender a “luta conjunta” contra o terrorismo. “É claro que este ataque não tem outro objetivo que não criar material de propaganda contra nosso país usando simplesmente o sangue e o sofrimento de pessoas inocentes”, disse.

SEQUÊNCIA

Sob efeito da guerra civil na Síria e da insurgência curda, a Turquia sofreu nos últimos 12 meses com o aumento no número de atentados. O mais grave ocorreu em outubro e deixou 103 mortos na capital Ancara.

Assim como esta ação, o governo atribuiu a ação ao Estado Islâmico. Porém, diferentemente do que ocorre em outros países, a facção terrorista não reivindicou a maioria dos ataques a ela imputados pelas autoridades turcas.

Especialistas em terrorismo afirmam que o padrão é mais próximo ao da milícia. A suspeita se baseia principalmente na ação dentro do aeroporto de Bruxelas, que deixou 17 mortos em 22 de março.

Embora tenham sido menores, os atentados em Istambul atingiram principalmente áreas turísticas. No último dia 7, 11 pessoas foram mortas em um bairro histórico do lado europeu da cidade.

O crescimento da ameaça terrorista abalou o turismo no país, que sofreu uma queda de 34,7% em maio deste ano, em comparação ao mesmo mês de 2015. A queda mensal foi a maior em 17 anos e preocupa o governo.

Os atentados também são uma consequência dos bombardeios da Turquia, iniciados em julho de 2015. Ao mesmo tempo que atinge o Estado Islâmico na Síria, ataca bastiões dos curdos.

Atatürk é o terceiro aeroporto mais movimentado da Europa, atrás de Heathrow, em Londres, e do Charles de Gaulle, em Paris, com mais de 61 milhões de passageiros em 2015 -mais que Guarulhos e Galeão juntos.

Devido ao atentado, os voos previstos para Istambul foram desviados para Ancara e Esmirna. No entanto, o voo TK16 da Turkish Airlines, que saiu de São Paulo, pousou no Atatürk às 21h54, enquanto ocorria o ataque do lado de fora do aeroporto.

Segundo o Itamaraty, não há brasileiros entre as vítimas. O governo brasileiro condenou o ataque e prestou solidariedade à Turquia.

O Ministério das Relações Exteriores ainda disponibilizou para contato os telefones do consulado em Istambul (00/xx/90/554-834-5952) e a Assistência Consular em Brasília (0/xx/61/98197-2284).(fonte:notícias ao minuto)

Jovem de 18 anos morre de câncer de pele por não ter usado protetor solar na infância

Uma mãe britânica decidiu compartilhar, nesta semana, a história da sua filha de 18 anos que morreu de câncer de pele causado por férias da infância embaixo do sol.

Jennifer Nicholson, de 50 anos, está em uma campanha para conscientizar os pais quanto a proteger seus filhos do sol depois que sua filha adolescente, Freja, morreu de câncer de pele em novembro passado. Ela diz se culpar por não passar cuidadosamente protetor solar na pele clara de sua filha durante os verões britânicos de sua infância.

“Não há um dia que se passa que não desejo voltar atrás e apenas tomar cinco minutos do meu tempo para colocar protetor solar em sua pele jovem e delicada quando eu equivocadamente pensava que não havia perigo”, disse ela.

No Brasil, o câncer de pele é o mais frequente, correspondendo a 30% de todos os tumores malignos registrados no País, segundo o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.

A estimativa, ainda de acordo com o instituto, é que haja 175.760 novos casos, sendo 80.850 homens e 94.910 mulheres, em 2016.(fonte:o popular)

Jovem que teve HIV injetado pelo pai quando era bebê supera trauma

“Ele não apenas tentou me matar, mas mudou minha vida para sempre. Mas quero viver a minha vida”, disse Brryan Jackson, de 25 anos

Brryan Jackson, de 25 anos, é soropositivo. O jovem norte-americano se tornou portador do HIV ainda quando bebê, sendo infectado propositalmente pelo próprio pai, que estava se separando da mãe do menino e temia o pagamento de pensão.

O então bebê de 11 meses teve febre alta, problemas no fígado e fungos sob as unhas, ficando internado em um hospital nos EUA, com alto risco de morte, levando os médicos a fazerem um exame mais profundo para entender melhor o que acontecia com aquela criança.

“Minha mãe tinha um filho de um relacionamento anterior quando conheceu meu pai e ambos decidiram ter uma nova criança. Mas quando ele voltou da Primeira Guerra do Golfo (em 1991, quando serviu como soldado), suas atitudes em relação a mim tinham mudado completamente. Ele começou a dizer que eu não era seu filho”, contou o jovem, conforme publicado pela BBC Brasil.

A infecção do vírus foi feita durante uma internação causada pela asma. O pai do rapaz, um técnico em hematologia, aproveitou a saída da mãe do quarto para injetar o HIV no menino, sem ao menos usar o mesmo tipo sanguíneo do bebê, causando reação imediata.

Os médicos deram apenas cinco meses de vida a Jackson, que resistiu e está firme e forte hoje. Brryan superou os traumas da infância, como o preconceito na época do colégio, além de surdez e problemas na fala, e se tornou palestrante motivacional, criando ainda a ONG Vivendo com Esperança, que promove maior compreensão sobre a doença e estimula mais solidariedade com portadores do vírus.

O pai do rapaz, Brian Stewart, foi condenado à prisão perpétua, em 1998. “Ele não apenas tentou me matar, mas mudou minha vida para sempre. Mas quero viver a minha vida”, disse o jovem.

No entanto, Stewart luta por liberdade e, ainda este ano, deve conseguir uma audiência para tratar da condicional. Mas o filho pretende ler um comunicado no qual recomenda que o pai siga preso.(fonte:noticias ao minuto)

Bebê não espera por pouso de emergência e nasce em pleno voo

O avião fazia a ligação Jeddah – Nova York mas foi obrigado a fazer um desvio devido a uma emergência médica

O Boeing 777 da companhia aérea Saudia anunciou uma emergência médica a bordo: uma mulher entrou em trabalho de parto, mas nem houve tempo para o pouso de emergência.

O bebê acabou nascendo em pleno voo, a mais de nove quilômetros de altitude, conta o Metro.

A história ficou conhecida nesta sexta-feira (17) depois que companhia aérea da Arábia Saudita publicou em seu perfil no Facebook uma fotografia do recém-nascido e das aeromoças que auxiliaram o parto.

O avião foi notícia na quinta (16) por ter sido obrigado a pousar de emergência no aeroporto de Heathrow, no Reino Unido, quando o seu destino era Nova York, mas até agora não se sabia qual o motivo.

Tanto o bebê como a mãe estão bem.

Fonte: noticias ao minuto

Morre Rubén Aguirre, intérprete do Professor Girafales, aos 82 anos

A notícia foi dada no Twitter por Edgar Vivar, intérprete do Senhor Barriga

Morreu nesta sexta-feira (17), aos 82 anos, o ator Rubén Aguirre, conhecido por ter interpretado o Professor Girafales no seriado “Chaves”, transmitido no Brasil pelo SBT.

No Twitter, Edgar Vivar, intérprete do Senhor Barriga, foi quem revelou a morte do colega:”Meu professor favorito, descanse em paz. Hoje meu grande amigo Ruben Aguirre parte deste mundo. Sentirei muitas saudades”, escreveu.

O ator foi internado recentemente com pneumonia e passou 11 dias no hospital. Ele também tinha diabetes, controlada com medicamentos, além de cálculos na vesícula e problemas de coluna.

(Fonte: noticias ao minuto)

Pais de criança morta por crocodilo não devem ser indiciados

Polícia e a agência ambiental do Estado estão estudando a implantação de placas de aviso ao redor do lago Seven Seas

Os pais da criança de dois anos que foi morta por um crocodilo em um resort dentro do complexo da Disney, na Flórida, não deverão ser indiciados, afirmou hoje o xerife do condado de Orange, Jerry Demings.
Não há sinais de que Will e Melissa Graves cometeram nenhum crime que possa ter contribuído para o acontecido, disse Demings. “Não há nada neste caso que indique algo extraordinário” em termos de negligência, disse.

Ele acrescentou que a polícia e a agência ambiental do Estado estão estudando a implantação de placas de aviso ao redor do lago Seven Seas, onde a Disney havia colocado apenas placas proibindo o mergulho.

Um representante da Disney, que não quis se identificar porque a companhia ainda não preparou um comunicado formal sobre o assunto, disse que a empresa iria “rever completamente” a questão das placas no futuro. As praias ficaram fechadas durante as investigações.

Mergulhadores encontraram o corpo da criança após 16 horas de busca. Ao que parece, o crocodilo afogou o garoto de dois anos e deixou o corpo perto do local onde foi atacado. Uma autópsia deve ser feita.

“Claro que a família estava perturbada, mas acredito também que ela ficou aliviada em encontrar seu corpo intacto”, disse. (Fonte: Mais Goias Noticias) 

Mulher de atirador sabia do atentado e poderá ser acusada pela polícia

A mulher de Omar Mateen, o atirador que matou 49 pessoas e feriu mais de 50 na boate Pulse, em Orlando, na Flórida, sabia dos planos do marido para o ataque. Por isso, a mulher – Noor Salman – poderá ser acusada em breve de participação no massacre de Orlando, o maior atentado a tiro da história moderna dos Estados Unidos.

A notícia sobre o indiciamento formal de Noor Salman foi divulgada pela agência de notícias Reuters, que atribuiu a informação a fontes da polícia. A boate é um local de entretenimento destinado ao público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros).

O massacre ocorreu na madrugada do último domingo (12). Omar Mateen foi morto a tiros pela polícia depois de permanecer três horas no clube. Antes de atirar, Mateen ligou para o serviço de atendimento ao público da polícia e disse que tinha lealdade ao Estado Islâmico e a outros grupos militantes muçulmanos.

Em entrevista à rede de televisão CNN, o senador norte-americano Angus King, integrante do Comitê de Inteligência do Senado, disse que recebeu informações sobre as investigações a respeito do massacre, que confirmam o envolvimento de Noor Salman. “Parece que ela tinha algum conhecimento do que estava acontecendo”, afirmou.

O senador acrescentou que Noor Salman está cooperando com as investigações e poderá fornecer informações importantes sobre o atentado.

Até agora, as investigações mostram que Omar Mateen era uma pessoa que se orientava por informações que colhia na internet. Não há evidências de que tenha recebido instruções de grupos do exterior como, por exemplo, o Estado Islâmico. O atirador tinha 29 anos, era cidadão norte-americano e os pais são imigrantes afegãos.

Em entrevista, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, descreveu Omar Mateen como um jovem perturbado, que se transformou nos últimos anos em um homem “irritado, instável e radicalizado”.

A polícia também está investigando as informações, recebidas de várias fontes, de que Omar Mateen seria um frequentador habitual de clubes gays, inclusive da boate Pulse. As informações das fontes, publicadas na imprensa norte-americana, dizem que Mateen tinha interesse em acessar sites de namoro gay na internet.

Número de mortos

Ontem (14), em entrevista, médicos do Hospital Orlando Health, centro de saúde que recebeu as primeiras vítimas do ataque, disseram que o número de mortos em decorrência da tragédia pode aumentar. No domingo, a polícia tinha informado que o número de pessoas que morreram no atentado na boate Pulse era 50. No dia seguinte, a polícia corrigiu essa informação e o número de mortos passou a ser 49.

Segundo o médico Michael Cheatham, dos 44 pacientes que deram entrada no hospital, em razão do tiroteio, 27 ainda estão recebendo cuidados. E desses, seis estão “gravemente doentes”. Cheatham disse que ficaria surpreso se o número de mortos não subir.(fonte:agência brasil)

Ex-mulher diz que atirador de Orlando é ‘instável e perturbado’

A ex-mulher do atirador de Orlando afirmou que ele era “instável e perturbado”.

Sitora Yusifiy disse que, pouco depois de se casar com Omar Mateen, suspeito pelo ataque à boate gay na madrugada do último domingo, percebeu que ele era “bipolar e ficava zangado por qualquer coisa”.

Ela também contou que era agredida com frequência.

“Foi quando comecei a me preocupar com a minha segurança. Ele não me permitia falar com a minha família, me isolou deles”, disse.

“Mas minha família estava sintonizado com o que estava acontecendo comigo, e decidiu me salvar dessa situação”.

Segundo Sitora, Mateen era “mentalmente instável e mentalmente doente”.

“Essa era a única explicação que eu tenho para o que aconteceu: ele era obviamente perturbado”.(fonte:bbc notícias)