Vereador é preso suspeito de usar produto vencido para fabricar queijo ralado

Polícia informou que produto era feito em casa sem nenhum padrão sanitário. Foram encontradas larvas e insetos junto com os alimentos.

O vereador de Caldazinha, Waldemar Marques Esteve (PDT), foi preso suspeito de usar queijos vencidos e embolorados na fabricação de queijo ralado para revender em supermercados, em Goiânia. O produto era feito em uma casa que, segundo a Polícia Civil, não tinha nenhum padrão sanitário. Foram encontradas larvas e insetos nos produtos.

A polícia prendeu o vereador em flagrante durante uma fiscalização de rotina. “Ele tem um laticínio que vende queijos para vários supermercados. Quando eles venciam, os donos encaminhavam de volta para o laticínio para serem descartados. Porém, o vereador salgava esses queijos, ralava, embalava e revendia novamente para esses estabelecimentos”, contou o delegado Frederico Maciel.

Ao ser preso, o vereador negou as acusações. Ele foi autuado por crimes contra as relações de consumo. O político foi levado para o presídio de Senador Canedo. A assessoria do Tribunal de Justiça informou que ele foi solto após pagar fiança. 

Queijo vencido era ralado e vendido novamente em supermercados, em Goiás (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Queijo vencido era ralado e vendido novamente em supermercados, em Goiás (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O laticínio já foi autuado duas vezes pela presença de coliformes fecais nos equipamentos. As irregularidades foram corrigidas e o estabelecimento não foi fechado. Dessa vez, o local também continuará aberto.

“O laticínio está em boas condições sanitárias e o queijo produzido por ele é de qualidade. Porém, o queijo ralado que era produzido usando clandestinamente o produto já estragado, era feito nos fundos de uma casa que fica fora do laticínio”, completou o delegado.

O site entrou em contato por email com a Câmara de Vereadores de Caldazinha, mas ainda não obteve resposta. A reportagem tentou contato por telefone com o diretório estadual do PDT, mas as ligações não foram atendidas.

A reportagem não conseguiu contato com o Laticínio Lívia, responsável pela venda do queijo ralado K Jóia, para comentar a prisão do dono.

Polícia encontrou larvas em queijos que seriam ralados e vendidos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Polícia encontrou larvas em queijos que seriam ralados e vendidos (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

G1 Goiás

Adolescente que pilotava moto morre na BR-153 após fazer manobra conhecida como ‘Superman’

Segundo a PRF, menor de 17 anos bateu em mureta ao fazer ultrapassagem pelo acostamento, em Anápolis. Testemunhas já tinham visto rapaz antes pilotando de forma indevida.

Um adolescente de 17 anos morreu em um acidente de moto no perímetro urbano da BR-153, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o rapaz bateu durante uma ultrapassagem proibida enquanto fazia uma manobra conhecida como “Superman”, na qual o piloto se deita de bruços na moto com as pernas para trás.

O acidente aconteceu na noite de terça-feira (23). De acordo com o inspetor da PRF Jander Costa, algumas pessoas já tinham ligado para a corporação antes da colisão avisando que o menor estava conduzindo o veículo de forma inadequada.

“As testemunhas afirmaram que ele foi ultrapassar um carro pelo acostamento, perdeu o controle e bateu no guard rail. A moto parou e a vítima foi arremessada às margens da rodovia”, disse.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a vítima morreu no local.

G1/GO

Garoto de programa é preso suspeito de matar cliente atropelado após encontro em Goiânia

Segundo polícia, jovem alegou que, depois do programa, vítima não pagou e disse que teria lhe transmitido Aids. Mãe nega que filho era portador da doença: ‘É mentira’.

Um garoto de programa de 21 anos foi preso suspeito de matar um cliente, de 52, após os dois saírem de um motel em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, Raul Victor Ribeiro de Carvalho alegou que depois de manterem relações sexuais sem preservativo, o estoquista Walter Soares da Silva Júnior disse que teria lhe passado Aids, além de não pagar pelo programa. Os dois discutiram e quando a vítima desceu do carro, o jovem o atropelou e fugiu. 

Walter foi morto ao ser atropelado em Goiânia após programa em motel (Foto: Arquivo pessoal)
Walter foi morto ao ser atropelado em Goiânia após programa em motel (Foto: Arquivo pessoal)

O crime aconteceu na noite de sexta-feira (18), na Avenida Perimetral e até então era tratado como um acidente de trânsito. Porém, a polícia recebeu uma denúncia anônima e começou a investigar a morte como homicídio.

Raul foi preso na segunda-feira (21), em casa. Ele contou à polícia que conheceu Walter pela internet há cerca de dois meses e que esse já era o terceiro programa que eles tinham combinado. Porém, ao final do encontro, os dois tiveram uma discussão.

“Eles discutiram, segundo o Raul Victor, pelo fato do Walter ter tirado o preservativo na hora da relação sexual. Na hora do pagamento, ele disse que não iria pagar e teria afirmado: ‘Eu vou te dar, na verdade, um presente. É o vírus [HIV] que está dentro de você'”, contou. Em sua apresentação à imprensa nesta terça-feira (22), o rapaz cobriu o rosto e ficou em silêncio.

Durante sua apresentação, Raul tapou o rosto e preferiu ficar em silêncio (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Durante sua apresentação, Raul tapou o rosto e preferiu ficar em silêncio (Foto: Sílvio Túlio/G1)

Os dois saíram do motel ainda brigando e alguns metros depois, o estoquista desceu do carro. O garoto de programa alega que Walter pegou um tijolo para acertar o veículo e então resolveu atropelá-lo sem prestar socorro em seguida. Foram encontradas marcas de sangue da vítima cerca de 80 metros de distância do atropelamento. No entanto, ainda está sendo investigado se a vítima foi arrastada pelo carro do suspeito ou de outra pessoa.

O veícuolo usado no crime, um GM Corsa de cor branca, pertence ao irmão de Raul e foi apreendido na casa do pai dele já com o para-brisas – danificado no dia do assassinato – consertado.

O delegado disse que ainda não é possível confirmar se Walter era soropositivo e se Raul também teria sido contaminado pela doença.

O suspeito deve responder por homicídio. Se for condenado, pode pegar até 30 anos de prisão.

Mãe de Walter negou que filho era portador da doença: 'É mentira' (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Mãe de Walter negou que filho era portador da doença: ‘É mentira’ (Foto: Sílvio Túlio/G1)

Mãe nega doença

A família de Walter esteve na delegacia. Muito abalada e chorando copiosamente, a mãe dele, a aposentada Jorcelina Pereira da Silva, de 72 anos, cobrava Justiça e negou que o filho tinha Aids.

“É mentira. Meu filho se cuidava muito”, afirmou.

Segundo a idosa, o estoquista já é divorciado e deixa um filho de 21 anos e uma neta, de 1. Ela disse que descobriu, pelo celular do filho, que o crime foi cometido por conta de R$ 70, valor cobrado pelo programa.

A vítima trabalhou durante oito anos em uma indústria farmacêutica em Catalão, no sudeste de Goiás. Porém, havia perdido o emprego e vivia há um ano com a mãe, em Goiânia.

“Você não imagina o que estou passando. Não como e não durmo. Minha vida é só chorar. Eu quero Justiça”, desabafou.

Carro usado no atropelamento foi apreendido pela polícia e será periciado (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Carro usado no atropelamento foi apreendido pela polícia e será periciado (Foto: Sílvio Túlio/G1)
 G1/GO

Homem coloca fogo em casa com mulher e filhos dentro após discussão

Carro, garagem e quarto do casal ficaram destruídos. Ninguém ficou ferido.

Um homem de 41 anos colocou fogo na casa com a mulher e o filho dentro, em Guapó, na Região Metropolitana de Goiânia. Segundo os moradores, o crime aconteceu no domingo (13) após uma discussão entre o casal. A garagem, um quarto e um carro ficaram destruídos, mas ninguém se feriu.

A mulher, que não quis mostrar o rosto, disse que estava em casa com a filha de 11 anos e o filho, de 18, quando o marido chegou em casa de madrugada e, depois de um desentendimento, quebrou a televisão e, em seguida, colocou fogo no carro e quarto do casal, que ficaram destruídos.

“Televisão, meu jogo de quarto tudo, não tenho mais nada. Minha roupa, a única coisa que eu estou é com essa aqui do corpo”, relatou.

O casal morava com os filhos no imóvel há mais ou menos 15 anos. Segundo os parentes, os dois já tinham discutido anteriormente, mas nunca chegado a tal ponto. A mulher chegou a pedir separação. O homem não aceitou e incendiou a residência.

O filho mais velho do casal, que também não quis ter a identidade relevada, disse que o pai está desempregado e que, com isso, o comportamento dele mudou. “Ele não estava mais exercendo o papel de pai, só sabia beber, fumar”, contou.

As chamas chegaram a dois metros de altura e destruíram parte do telhado. Os vizinhos, com a ajuda dos policiais, conseguiram apagar os incêndios até a chegada dos bombeiros. “A gente entrou no imóvel para retirar dois botijões de gás que estavam na cozinha e poderiam provocar uma grande explosão e comprometer os imóveis vizinhos”, disse o sargento da PM Emanuel Erik.

O homem fugiu do local ao perceber que a Polícia Militar estava chegando. O G1 tentou contato com a delegacia da cidade, mas as ligações não foram atendidas até a publicação dessa reportagem.

 G1/GO

Aposentado é preso no DF suspeito de estupro e exploração de menores

Vítimas relataram à Polícia Civil que recebiam celulares e dinheiro após encontros em motéis. Delegado investiga se mãe de duas das meninas era conivente com atos.

Um aposentado de 72 anos foi preso, nesta quarta-feira (9), em Brasília, suspeito de abusar e explorar sexualmente de meninas entre 9 e 16 anos em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. O pai de uma das vítimas fez a denúncia à Polícia Civil após perceber que a filha estava com um celular novo e contou que havia recebido o aparelho de um idoso que encontrou em um motel. Mãe de duas das vítimas também é investigada suspeita de ser conivente com os atos.

O delegado responsável pelo caso, Daniel Marcelino, afirmou que já foram identificadas cinco vítimas do idoso. Segundo o investigador, as meninas relatavam que ele pagava entre R$ 50 e R$ 200 ou dava aparelhos eletrônicos como pagamento, além de pedir que elas levassem outras garotas.

Em depoimento à Polícia Civil, ele admitiu ter se encontrado apenas com duas meninas, que ele acreditava que fossem maiores de idade. Além disso, ele relatou que as conheceu por meio de uma amiga em comum.

“No interrogatório, ele disse que não conhecia a maioria das vítimas, que só reconhecia duas delas que ele disse que achou que eram maiores de idade. Ele contou que conheceu as meninas através de uma amiga, trocou telefones e marcavam esses encontros. Ele alega que essa pessoa que os apresentou é uma adulta, mas ainda vamos investigar”, disse.

Marcelino esclareceu que ainda não é possível determinar exatamente há quanto tempo ele agia. Conforme o delegado, ele está detido por mandado de prisão temporária na Casa de Prisão Provisória de Luziânia.

“Ainda estamos investigando com quais e quantas delas é caracterizado o crime de estupro de vulnerável e em quais casos houve exploração sexual. Se for condenado por esses crimes, ele pode pegar até 40 anos de prisão”, afirmou.

Mãe suspeita

A mãe de duas das vítimas também foi ouvida na delegacia nesta quarta-feira, porque tinha conhecimento dos atos, segundo o delegado. Marcelino explicou que ela soube que as filhas adolescentes haviam se encontrado com um aposentado em um motel e recebido dinheiro.

“Ela conta que as filhas chegaram a dar um pouco do dinheiro para ela e ela usou o valor para pagar algumas contas. Ainda vamos apurar se essa mulher vai responder por algum crime, porque, mesmo sabendo disso não tomou nenhuma atitude, se omitiu quando deveria agir. Estamos vendo ainda a questão da responsabilização dela”, declarou.

G1/GO

Caminhão com 9 mil litros de produtos químicos bate em gado, e carga cai perto de córrego

Motorista e passageiro tiveram ferimentos e foram atendidos por bombeiros, em Abadia de Goiás.

Um caminhão que transportava cerca de nove mil litros de produtos químicos bateu em um rebanho de bovinos, saiu da pista, e a carga caiu perto de um córrego, às margens da BR-060, nesta quarta-feira (9), em Abadia de Goiás, na Região Metropolitana da capital. Segundo o Corpo de Bombeiros, o motorista e o passageiro tiveram ferimentos leves e foram atendidos no local.

O acidente aconteceu por volta das 5h30 desta quarta-feira no km 186 da rodovia. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo, um Mercedes Benz, saiu de Aparecida de Goiânia e levava os produtos para Mineiros, na região sudoeste de Goiás. O motorista relatou à polícia que atropelou seis bovinos, e acabou saindo da pista.

O caminhão transportava nove mil litros de produtos de limpeza, distribuídos em tambores de 200 linhos. A maioria da carga foi perdida.

Conforme informou a corporação, equipes do Corpo de Bombeiros avaliam se houve dano ambiental causado pelo derramamento dos compostos químicos. Segundo a PRF o trânsito não foi prejudicado.

G1/GO

Planalto inicia exoneração de aliados de deputados que traíram Temer

Mais de 20 nomes estão sob análise do Planalto, diz jornal.

O governo deve publicar, ainda nesta semana, uma série de exonerações de servidores que foram indicados por deputados que votaram a favor da continuidade da denúncia contra o presidente Michel Temer.

De acordo com a coluna Painel, do site do jornal Folha de S. Paulo, mais de 20 nomes são analisados pelo governo. A previsão é de que as lideranças da base aliada substitutos para os servidores que serão cortados.

O deputado Beto Mansur levará ao Planalto a lista infiéis na votação da denúncia contra o presidente nesta terça-feira (8). O parlamentar fará um comparativo com a estimativa de apoio que o governo tinha para a reforma da Previdência antes do recesso.

Ainda segundo o jornal, vários deputados tentaram fazer um último apelo contra as exonerações, pedindo que Temer considerasse o “histórico” de parceria e não apenas o posicionamento no dia da votação.

Noticias ao Minuto

Sanfoneiro da dupla Racyne e Rafael, Felipe Melo é morto a facadas após briga

Segundo a PM, músico de 20 anos foi esfaqueado após interferir na discussão de um casal em um bar. Suspeito foi preso e, conforme a corporação, confessou o crime.

O sanfoneiro Felipe Divino Mendonça de Melo, de 20 anos, que trabalha com a dupla sertaneja Racyne e Rafael, foi morto a facadas em Goiânia. Segundo a Polícia Militar, o artista foi assassinado após tentar intervir na briga entre um casal, em um bar no Setor Santo Hilário. O suspeito do crime, Jackson da Silva Guimarães, de 37 anos, foi preso no mesmo bairro. A corporação disse que ele confessou o crime.

O homicídio ocorreu na noite de domingo (6). De acordo com o subtenente Paulo César de Castro Gomes, Felipe viu Jackson discutindo com a mulher e resolveu interceder, mesmo sem conhecer o casal.

“Houve uma confusão e ele acabou sendo ferido na barriga. Ele saiu do local a pé em busca de socorro, mas acabou não resistindo e morreu”, disse.

O corpo só foi encontrado na manhã desta segunda-feira (7), em uma calçada do Setor Recanto das Minas Gerais, vizinho ao Santo Hilário, cerca de dois quarteirões de onde ocorreu a briga. Testemunhas o localizaram e chamaram a PM. Algumas delas repassaram as características do suspeito, que foi localizado em sua casa.

“Quando chegamos ele estava com a faca em punho, mas conseguimos detê-lo. Ele nos disse que estava com receio de que fossem outras pessoas querendo linchá-lo por conta do homicídio, uma vez que ele já tinha sido agredido no bar”, afirmou o policial.

O corpo de Felipe está no Instituto Médico Legal (IML) à espera da liberação.

Felipe Melo durante show com a dupla Racyne e Rafael, com quem trabalhava (Foto: Divulgação)
Felipe Melo durante show com a dupla Racyne e Rafael, com quem trabalhava (Foto: Divulgação)

G1/GO

Acidente entre dois carros deixa quatro mortos na BR-060

PRF informou que batida aconteceu após VW Polo fazer conversão irregular e ser atingido por um Ford Fusion. Vítimas foram arremessadas para fora do veículo.

Quatro pessoas morreram na noite de domingo (6) em uma batida entre dois carros na BR-060, em Acreúna. A Polícia Rodoviária Federal informou que o acidente aconteceu após uma conversão irregular.

As vítimas estavam em um VW Polo. O motorista tentou fez a manobra irregular e foi atingido por um Ford Fusion, que seguia no sentido oposto. Com o impacto, os ocupantes do primeiro veículo, dois homens de 65 e 61 anos, uma mulher, de 51, e um adolescente, de 13, foram arremessados para fora do carro.

Os adultos morreram no local. O garoto chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levada para Indiara, mas não resistiu aos ferimentos.

Os ocupantes do Ford Fusion, dois estudantes de odontologia, de 28 e 23 anos, tiveram ferimentos leves e também foram atendidos pelo Samu.

G1/GO

Dono de posto é preso suspeito de receptar carga de combustíveis roubada

Empresário, que nega acusações, teve estabelecimento interditado por tempo indeterminado. Polícia recuperou carregamento, avaliado em R$ 120 mil, e o devolveu ao proprietário.

O dono de um posto foi preso suspeito de receptar uma carga de combustíveis, avaliada em R$ 120 mil, que havia sido roubada, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, o empresário Márcio Adriano Espíndola participava do esquema, fato negado por ele. O estabelecimento, que fica no Setor Aeroporto, foi interditado pela Secretaria da Fazenda por tempo indeterminado.

A prisão ocorreu na quinta-feira (3). Segundo o delegado Alexandre Bruno Barros, titular da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), o carregamento foi roubado no Jardim Novo Mundo. Os criminosos liberaram o motorista horas depois e ele acionou a polícia.

De acordo com a polícia, o posto do suspeito estaria recebendo a carga de gasolina, etanol e diesel que foi roubada.

“Nós fizemos todas as diligências necessárias dentro daqueles investigados que nós já tínhamos estabelecido como possíveis compradores dessa carga de combustível roubado e através de filmagens de circuito externo de estabelecimentos comerciais nós conseguimos chegar até esse posto”, explica.

O preso foi autuado por receptação qualificada, crime inafiançável. Ele está detido na Central de Flagrantes, na capital.

O carregamento recuperado foi devolvido ao proprietário.

G1/GO