TRE convoca novas eleições para prefeito e vice de Niquelândia, em, Goiás

Novo pleito foi marcado para 3 de junho. O então prefeito, Valdeto Ferreira, foi cassado por improbidade administrativa.

O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás marcou novas eleições para prefeito e vice-prefeito de Niquelândia, no norte de Goiás, para o dia 3 de junho. O pleito foi convocado após a chapa do então prefeito Valdeto Ferreira (PSB), ter o mandato cassado em fevereiro deste ano por improbidade administrativa em uma gestão anterior.

Segundo a Justiça Eleitoral, enquanto prefeito da cidade entre 1993 e 1996, Valdeto firmou um contrato para reforma de escolas no último ano de mandato. Porém, ao deixar o cargo, o político não conseguiu justificar o uso da verba destinada à educação municipal. A suspeita é de enriquecimento ilícito. Com isso, o Tribunal de Contas da União reprovou suas contas.

A reportagem tentou contato por telefone com o político desde as 9h de terça-feira (8), mas as ligações não foram atendidas. O G1 não conseguiu apurar junto ao TSE e TRE qual o valor da verba recebida e que não foi prestada conta do uso.

Valdeto foi eleito com 46,11% dos votos e assumiu em janeiro de 2016. Outros três políticos disputaram o processo. Sua diplomação foi sob júdice, pois ele esperava o julgamento do processo na Justiça Eleitoral.

Com a cassação da chapa, o vice-prefeito, Joscelino Correa das Neves (SD), também foi afastado. Pela decisão, Valdeto teve os direitos políticos cassados por oito anos e fica impedido de fazer contratos com o poder público.

Na segunda-feira (7), o desembargador Carlos Escher determinou que os partidos políticos têm até o dia 11 de maio para escolher e registrar os candidatos que disputarão a nova eleição.

Com relação aos eleitores, estarão aptos a participar do processo todos aqueles que estão em situação regular e com domicílio eleitoral em Niquelândia até o dia 3 de janeiro deste ano.

Atualmente a cidade é administrada pelo presidente da Câmara de Vereadores, Visconde Vieira (PSDC). A reportagem entrou em contato com o gabinete do vereador, mas ele não estava no local. 

Valdeto Ferreira, do PSC, foi prefeito de Niquelândia, Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

G1tocantins

Acidente deixa pastor morto, e filho dele ferido em Goiás

Carro deles bateu de frente com caminhão. Motorista do segundo veículo saiu ileso, segundo PRF.

Um pastor morreu e o filho dele ficou ferido após acidente na BR-364, em Mineiros, no sudoeste de Goiás. Nomes e idade ainda não divulgados.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Fiat Palio em que os dois estavam bateu de frente a um caminhão e o motorista do segundo veículo saiu ileso.

O jovem ferido foi levado à Unidade de Pronto Atendimento da cidade, atendido e liberado, pois tinha ferimentos leves.

Ainda segundo a PRF, a pista no local é simples. Segundo a corporação, o carro das vítimas invadiu a pista contrária no momento do acidente, mas não é possível dizer o que levou à saída. O acidente ocorreu na noite de terça-feira (20).

A PRF informou ainda que o motorista do caminhão, que saiu ileso do acidente, passou por teste do bafômetro, que confirmou que ele não havia ingerido bebida alcoólica antes de dirigir. Ele também foi levado à Delegacia da Polícia Civil da cidade, ouvido e liberado.

G1 Goiás 

Morre 8ª paciente após surto de H1N1 no Hospital Vila São Cottolengo, em Goiânia

Rosa Maria dos Santos, 54, era uma das três diagnosticadas com influenza A que estavam no Hugo; além dela, outros sete pacientes morreram em 9 dias, mas as causas não foram confirmadas.

Ocorreu, no domingo (11), a oitava interna do Hospital Vila São Cottolengo após um surto de influenza A, causado pelo vírus H1N1 na unidade, em Trindade, na Região Metropolitana da capital.

Rosa Maria dos Santos, de 54 anos, era uma das três pacientes diagnosticadas com o vírus da doença e estava internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgências de Goiânia.

Além dela, outros sete pacientes da unidade morreram em um prazo de nove dias, mas as causas das mortes deles não ainda foram confirmadas.

Em nota, a assessoria de comunicação da Vila São José Bento Cottolengo, em Trindade, informou que a morte foi ocasionada por sepse, que “pode ter sido agravada por complicações do quadro de H1N1, já que o paciente havia sido diagnosticado com a doença.” A unidade disse que aguarda vaga para que outro paciente seja encaminhado a uma UTI.

De acordo com a assessoria de imprensa do Hugo, Rosa Maria havia sido internada por conta de uma infecção pulmonar.

Ela estava em estado grave, em tratamento em uma UTI, respirando com ajuda de aparelhos, e morreu por volta das 17h40 de domingo.

Outros três internos da Vila São Cottolengo seguem internados no Hugo. Os pacientes têm 39, 43 e 50 anos, estão em estado grave e não possuem, segundo o hospital, previsão de alta.

O Hospital Vila São Cottolengo atende atualmente a 320 pessoas. Entre elas estão crianças, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social e comprometimento da saúde mental e motora.

Mortes

As outras 7 mortes ocorreram entre os dias 24 de fevereiro e 5 de março. O hospital informou, no sábado (10) que “não era possível informar se os óbitos estão diretamente relacionadas com o H1N1” identificado nos três pacientes hospitalizados.

De acordo com o diretor da unidade, Sandro Gomes Albino, das sete mortes, quatro foram motivadas por pneumonia.

Um caso encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO) teve resultado negativo para H1N1. Os outros dois óbitos foram por outras causas não informadas.

Por sua vez, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou em nota divulgada no sábado que ainda não é possível afirmar o motivo das sete mortes.

Conforme o órgão, elas seguem sob investigação. As amostras já foram encaminhadas para um laboratório e não há prazo para que os laudos fiquem prontos.

A Secretaria de Saúde de Trindade também acompanha o caso. Em nota, a Vigilância Epidemiológica da cidade informou que acompanha a evolução dos pacientes e aguarda o resultado dos laudos.

Segundo a SES, após as análises apontarem três casos de Influenza A pelo vírus H1N1, medidas de tratamento foram adotadas. Entre elas está a quimioprofilaxia com o medicamento tamiflu.

O surto da doença foi confirmado por uma nota informativa divulgada pelos técnicos responsáveis pela investigação.

G1 Goiás

Empresário é morto com cacos de vidro dentro de quarto em motel

Namorada também estava no local e teve vários ferimentos pelo corpo.

Um empresário foi morto dentro do quarto de um motel em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, na noite deste domingo (4).

Ele teve várias perfurações no pescoço aparentemente feitas por caco de vidro de garrafas deixadas no quarto.

Segundo a Polícia Civil, a namorada dele estava no local e também ficou ferida.

Segundo apurado, os investigadores suspeitam que o casal estava no quarto quando se desentenderam.

A mulher foi encontrada no local com vários ferimentos pelo corpo. Ela foi levada para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Não há informações sobre o quadro de saúde dela. A polícia investiga a motivação do crime.

Noticias ao Minuto

Homem é condenado a 125 anos de prisão por estuprar a filha por dez anos em Goiás

Vítima teve quatro filhos com o pai. Mãe da garota também pegou 45 anos de detenção por ser conivente com os atos.

Um homem de 52 anos foi condenado a 125 anos de prisão por estuprar a filha por dez anos em Itaberaí, na região central de Goiás. Já a mãe dela pegou 46 anos de detenção por ter sido omissa quanto aos abusos. A vítima teve quatro filhos com o próprio pai.

A sentença é do juiz Gustavo Braga Carvalho. Além da prisão do casal, o magistrado determinou que eles paguem R$ 200 mil de indenização por danos morais à vítima.

Carvalho ainda condenou um amigo da família a oito anos de reclusão no regime semiaberto por ajudar a encobrir o crime. Ele registrou no nome dele os filhos que a vítima teve com o pai.

Abusos

Os abusos começaram em 2002, quando a vítima tinha 11 anos, sob violência e ameaças de morte até a primeira gravidez, em 2006. Ao ser constatada a gestação, ela foi submetida à força a uma tentativa frustrada de aborto.

A denunciante revelou que os estupros aconteceram mesmo quando ela estava grávida e durante o resguardo. Após o nascimento do segundo filho, os abusos cessaram por alguns meses, mas voltaram a acontecer até 2012.

“Nota-se, de forma clara, períodos de cessação delitiva. Ali, com apoio no diário escrito pela jovem, onde ela especifica datas e, inclusive, os locais das agressões, torna-se passível a determinação mais precisa das séries de crimes praticados pelo réu no curso de tempo examinado separadamente”, explica o juiz na decisão.

Ao longo de uma década, a vítima engravidou seis vezes, sendo que ocorreram dois abortos. A jovem só teve coragem de denunciar o pai aos 23 anos. Exames de DNA comprovaram a paternidade das crianças.

De acordo com o relato da vítima, a mãe tinha conhecimento dos estupros, mas não participava dos atos. Para o magistrado, a mulher falhou no dever de resguardar os direitos da filha: “Total inércia no sentido de proteger a liberdade e a dignidade sexuais e psicológica da vítima, levando à supressão da dignidade e do direito à vida e à segurança pessoal da jovem”.

G1 Goiás

Acidente com ônibus que saiu do Tocantins destino Goiás, deixa nove feridos

Entre os que se machucaram está uma criança de 3 anos. Segundo os bombeiros, por causa da neblina, o motorista do coletivo não viu que um caminhão estava parado ocupando parte da pista.

Um acidente com um ônibus deixou nove passageiros feridos na GO-080, entre São Francisco de Goiás e Petrolina, na região central do estado, nesta terça-feira (6). Entre eles está uma criança de 3 anos.

O ônibus da empresa Rápido Marajó transportava 19 passageiros e saiu de Dianópolis, no Tocantins, em direção a Goiânia. O acidente aconteceu cerca de 100 km antes do destino, por volta das 6h.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um caminhão que transportava uma máquina agrícola ficou sem combustível. Por isso, o caminhoneiro teve de parar o veículo que, por ser largo, ocupava o acostamento e parte da pista.

Segundo o relato do motorista do ônibus aos bombeiros, ele trafegava pela pista da direita e não viu o caminhão parado, pois havia muito neblina no momento. Quando visualizou o caminhão, o condutor não conseguiu desviar totalmente.

“A lateral do ônibus saiu pegando nas lâminas do trator. Pegou a lateral todinha, saiu cortando a lataria, cadeiras”, detalhou o comandante do Corpo de Bombeiros em Jaraguá, major Ézio Antônio de Barros.

Máquina agrícola que estava sobre o caminhão tombou após a batida na GO-080, entre São Francisco e Petrolina (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

Com o impacto, a máquina agrícola se deslocou para a cabine do caminhão, mas o motorista não se feriu. “O condutor estava em cima da carroceria pegando combustível do trator para por no caminhão. Ao ver quer o ônibus não ia parar, ele pulou”, contou o major.

Instrutor de motorista da Rápido Marajó, Elder José Francisco da Silva informou que os passageiros que não se machucaram já foram levados para Goiânia. Ele disse ainda que a empresa está prestando a devida assistência aos feridos.

Feridos

Os bombeiros explicaram que duas mulheres ficaram gravemente feridas, foram socorridas no local e levadas para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia. Como os nomes delas não foram divulgados, a unidade de saúde não conseguiu localizá-las para informar o estado de saúde das pacientes.

Os outros sete feridos foram levados ao Hospital de Jaraguá. De acordo com o médico Jimmy Joy Campos, um paciente tem estado regular e será transferido para outra unidade de saúde. Os demais estão bem, mas precisam de mais cuidados.

“É bom o estado deles, não correm risco de vida, mas temos que medicar e deixá-los em observação”, explicou o médico.

Lâminas da máquina agrícola cortaram a lateral do ônibus em acidente na GO-080 (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

G1 Goiás

Jacaré é filmado andando em calçada de avenida em Porangatu Goiás

Gravação foi feita após uma forte chuva que transbordou lago da cidade; segundo autor, bicho voltou para água sozinho.

Um jacaré foi visto andando por uma avenida de Porangatu, na região norte de Goiás, logo após uma forte chuva que transbordou lago da cidade.

De acordo com ele, o animal voltou para a água sem que fosse preciso chamar o Corpo de Bombeiros. Uilton fica surpreso de ver o réptil andando tranquilamente por uma via movimentada da cidade.

“Bora, ‘jaca’! Olha o tamanho do ‘jaca’! Moço, que doideira!”, diz o morador surpreso com a presença do animal na via.

O animal foi flagrado por volta das 20h de sábado (3), na Avenida Brasília, no Centro de Porangatu. O local fica próximo à Lagoa Grande, um dos símbolos da cidade, que transbordou durante uma forte chuva.

A suspeita é que o animal tenha saído do seu habitat durante o transbordamento do local.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, quem flagrar algum animal silvestre no ambiente urbano deve ligar para a corporação, não tentar capturá-lo por conta própria e manter a devida distância do bicho, já que ele pode reagir e até atingir as pessoas.

G1 Goiás

Dona de casa é presa suspeita de matar marido e jogar corpo em cisterna com ajuda de filho

Segundo a PM, o caminhoneiro Francisco das Chagas, de 41 anos, foi morto com um golpe de machado na cabeça, em Santo Antônio de Goiás.

Uma dona de casa de 44 anos foi presa, no sábado (3), suspeita de matar o marido, Francisco das Chagas, de 41 anos, com um golpe de machado, em Santo Antônio de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia.

Segundo a Polícia Militar, o filho dela, de 27 anos, e o ex-companheiro, de 57, também foram detidos por ajudar a mulher a jogar o corpo da vítima na cisterna de uma fazenda da cidade.

De acordo o cabo Rafael Vitor, da PM, o crime foi descoberto depois que a mãe da vítima visitou a cidade para visitar o filho, que não dava notícias desde o início de dezembro do ano passado.

O policial disse que a esposa de Francisco se contradisse, criando uma versão do desaparecimento para a sogra, outra para a polícia e uma terceira para a empresa onde ele trabalhava como caminhoneiro.

“Diante da contradição, ela foi questionada e acabou confessando que matou o homem durante uma briga. Deu uma machadada na cabeça dele, e quando viu que tinha morrido, colocou ele na garagem de casa e mais de 24h depois chamou o ex e o filho para, juntos, desovarem o corpo na cisterna de uma fazenda”, contou o policial.

Os três foram presos na noite de sábado, mais de um mês depois do crime, ocorrido no dia 2 de dezembro do ano passado, na casa em que a mulher, a vítima e dois filhos crianças moravam, na Vila Campos, em Santo Antônio de Goiás.

Segundo a PM, Francisco e a mulher se desentenderam quando ele havia chegado do trabalho, e ela acabou o atingindo com um machado.

“Ela confessou que pegou o corpo, arrastou e colocou sentado em uma cadeira, enquanto pensava em como se ver livre. A vítima foi enrolada em uma lona, no dia seguinte, e foi levada pelos três até uma casa abandonada, na zona rural da cidade, onde o jogaram nesta cisterna”, revelou o PM.

Após a confissão da mulher, a Polícia Militar foi até o local onde ela disse ter escondido o corpo e localizou a vítima, enrolada em uma lona azul, no fundo da cisterna. O Corpo de Bombeiros foi acionado para retirar o corpo do local e Polícia Técnico-Científica realizou a perícia no local.

O corpo foi retirado e levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia.

O site não conseguiu contato com a defesa dos três suspeitos.

O caso é investigado pela delegacia da Polícia Civil de Nerópolis, também na Região Metropolitana da capital.

Corpo foi levado para fazenda abandonada em Santo Antônio de Goiás (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

G1 Goiás

Idoso morre após carro ser atingido por caminhão na GO-164

Segundo os bombeiros, o motorista, de 90 anos, não parou no trevo. Com o impacto, o automóvel ficou destruído e quase se quebrou ao meio.

Um idoso de 90 anos morreu neste sábado (3) em um acidente entre o carro que ele conduzia e um caminhão na GO-164, em Quirinópolis, na região sudoeste de Goiás.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o homem ficou preso às ferragens do automóvel, que ficou destruído.

Os bombeiros contaram que o idoso seguia pela Avenida Brasil em um Volkswagen Gol. No trevo com a GO-164, o motorista não parou e foi atingido pelo caminhão, que seguia pela rodovia no sentido de Quirinópolis a Paranaiguara.

“O caminhão atingiu o Gol na lateral. O impacto foi muito forte, o banco do motorista ficou em cima do banco do passageiro. O carro quase se dobrou ao meio. Precisamos de um desencarcerador para tirar o corpo”, contou ao tenente Roberto Cézar Lima Posta.

O caminhoneiro, de 29 anos, não ficou ferido. O acidente deve ser investigado pela Polícia Civil.

Caminhão bateu contra a lateral do carro na GO-164 (Foto: Corpo de Bombeiros/ Divulgação)

G1/Goiás

 

 

STJ volta atrás e mantém decisão de mandar presidente do Atlético-GO a júri por morte de radialista

Ministro Lewandowski voltou atrás e, em nova determinação, atende pedido da Procuradoria Geral da República. Valério Luiz foi morto a tiros quando saía da rádio onde trabalhava, em Goiânia.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski reconsiderou e decidiu por enviar o presidente do Atlético-GO, Maurício Borges Sampaio e outros três homens, a júri popular pela morte do radialista Valério Luiz. O crime ocorreu em 2012, em Goiânia. O acusado afirmou que vai recorrer.

Lewandowski havia negado recurso da defesa que pedia a anulação do júri popular, mas na decisão proferida no último dia 18 de dezembro ele anulou o pedido. Atendendo a nova solicitação da Procuradoria Geral da República, ele reviu mais uma vez o processo e determinou que Sampaio vá a júri popular.

Em novo documento assinado pelo ministro, na quinta-feira (1º), ele voltou atrás da última decisão, que anulava a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) e determinava que Sampaio não fosse a júri popular.

No texto atual, ele admite ter mudado a forma de ver os fatos após nova argumentação da Procuradoria-Geral da República. “Na espécie, e agora diante de todos os elementos do caso concreto, penso que, de fato, a sentença de pronúncia preenche os requisitos legais, ao tratar sobre a materialidade e a autoria”, escreveu.

Maurício Sampaio se mostrou indignado com a nova determinação e disse que se sente extremamente injustiçado.

“Eu me sinto incrédulo, como uma pessoa dá uma decisão e reforma em seguida? A pressão é muito forte no Judiciário. O que eu peço é que se dê condições para que eu possa provar minha inocência. Estou sendo escrachado e nunca fui ouvido por nenhum juiz. Respeito todas as decisões, mas vou provar a minha inocência”, disse.

Morte de Valério

O crime aconteceu em 5 de julho de 2012, logo depois de Valério Luiz deixar a Rádio Jornal 820, no Setor Serrinha, em Goiânia. Ele foi atingido por seis tiros.

O juiz Lourival Machado, da 2ª Vara dos Crimes Dolosos contra a Vida, mandou Sampaio, a júri popular pelo crime de homicídio qualificadopor motivo torpe mediante recompensa e adoção de meio que impossibilitou a defesa da vítima. Ele é acusado de ser o mandante do crime

Valério Luiz de Oliveira morreu aos 49 anos, em Goiânia (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Denúncia

De acordo com a denúncia, o crime teria sido motivado pelas críticas que o jornalista fazia à diretoria do time de futebol. O documento destaca que os comentários geraram entre Sampaio e Valério Luiz “acirrada animosidade e ressentimento” por parte do acusado.

Além de Sampaio, também foram acusados de envolvimento no crime: Urbano de Carvalho Malta, Ademá Figueiredo, Marcus Vinícius Pereira Xavier e Djalma da Silva. No entanto, a assessoria da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) informou ao G1 que nenhum deles está preso.

G1 Goiás