Câmara Municipal de Montividiu do Norte Goiás, entregou certificado de Honra ao Mérito à quatro pessoas

O Poder Legislativo e a sociedade sentem-se orgulhosos em homenagear estas pessoas que muito fez pelo município durante toda sua trajetória.

A sessão solene aconteceu na manhã desta sexta-feira (08), no plenário da Câmara Municipal Thalmires Carneiro Cardoso no Centro da cidade.

Com o recinto lotado, a Câmara Municipal de Montividiu entregou quatro (4) diplomas de Honra ao Mérito, para personalidades que vêm contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do município.

Geraldo Leite Pimentel, prefeita Cirinha da Farmácia, deputado Júlio da Retífica e Luiz Raimundo de Souza.

 

Nesse sentido, foram homenageados: Geraldo Leite Pimentel (Geraldo Furtado), Luiz Raimundo de Souza, a prefeita Jacira Martins Fernandes Paiva (Cirinha da farmácia) e o deputado Júlio Sergio de Melo (Júlio da Retífica).

O presidente da Câmara Neurivan Barbosa do Vale (Dêga), disse que o projeto partiu em comum acordo com os colegas ao decidir homenagear os convidados.

Como é seu último mês como presidente, quer deixar a Casa organizada e com todas as contas pagas. Agradeceu todos seus colegas vereadores e os convidados confiante de dever cumprido.

O presidente da Câmara Neurivan Barbosa (Dêga), ao lado da prefeita Cirinha.

Na ocasião, o presidente do Legislativo Dêga, afirmou que foi um ano de muita luta, trabalho, conquistas, debates, reuniões e audiências, em que buscou o melhor para a comunidade de Montivididu. “Encerramos o nosso mandato com um balanço altamente positivo. Os números falam por sí só, foi um ano muito produtivo, baseado no volume de projetos indicados e votados e no número de proposituras dos vereadores, uma pena que a verba foi pouca para ter feito um trabalho melhor”, concluiu.

Prefeita homenageda Cirinha da Farmácia, vice-prefeito Vanderlei da Nogueira e vereador Dêga

Um dos homenageados com o diploma de Honra ao Mérito, foi o deputado Júlio da Retifica, por ser o representante da região norte na Assembléia Legislativa, e sempre lembrar de Montividiu. Recebeu o apelido de “Leão do Norte”, pelos moradores, por cuidar desta região. “É com muita satisfação que recebo na Câmara Municipal de Montividiu do Norte uma homenagem de Honra ao Mérito, uma das mais alta condecoração oferecida pelo Legislativo Municipal, como forma de reconhecer pessoas e entidades que contribuem com o avanço da sociedade e a melhoria das condições de vida da população deste município”, pontuou.

Prefeita Cirinha e o deputado Júlio da Retífica Bandeirantes.

A entrega do título foi feita pelo vereador José Antônio dos Santos(PSDB), durante sessão presidida pelo presidente da câmara, Neurivan Barbosa do Vale ( PPS) e no plenário, estavam amigos e autoridades como a prefeita Cirinha da farmácia (PTB), vereadores, e demais lideranças da região.

Continuou o deputado: “Quero agradecer a todos que colaboraram com nosso mandato, sem o companheirismo e dedicação de todos em especial a prefeita Cirinha que sempre vai em busca de recursos para o município, parte de nossas conquistas não seriam possíveis. É preciso batalhar a cada dia para garantir à população mais segurança, educação e serviços de saúde com qualidade, pois, o papel do político é atuar em defesa de todos”, disse Júlio da Retífica em seu discurso.

Deputado Júlio recebendo os parabéns da prefeita Cirinha.

A prefeita Cirinha da Farmácia, como é conhecida, é filha de Montividiu do Norte, pois sempre morou no local com seus pais e constituiu sua família.

Ao lado do seu esposo, tem uma história de uma cidadã que sempre colocou à disposição de servir ao próximo.

Ela foi homenageada, por ser a primeira mulher a ter o cargo como prefeita no município. “Me sinto muito feliz e honrada por estar recebendo este Diploma de Honra ao mérito, confesso que não esperava. Graças a Deus estamos indo bem na nossa administração, mesmo com muitas dívidas e dificuldades, conseguimos fazer um poço artesiano no Assentamento Santa Júlia, com dinheiro próprio, lá não tinha água e precisávamos atender aquela comunidade. Enfim, fizemos várias outras obras, e vamos fechar o ano com a folha de pagamento em dia”, finalizou.

 

Os outros homenageados também expressaram a alegria de serem lembrados pela Câmara de Montividiu e agradeceram seus familiares.

Além dos homenageados e suas famílias, estiveram presentes no evento os vereadores da Casa, o vice-prefeito Vanderlei da Nogueira, o vereador de Palmeiropolis Fábio Gonçalves, a comunidade e autoridades civis e eclesiásticas.

Os pais e a filha da  prefeita Cirinha, Jacilene Martins, dona Antônoia Martins Fenandes e seu Jaci Fernandes.

O presidente encerrou o evento e em seguida ofereceu um delicioso café da manhã.

VEJA MAIS FOTOS

Da redação

Corpo de vereador é encontrado com tiro na cabeça em Goiás

Wilson Portilho estava desaparecido desde segunda-feira (4).

O corpo do vereador licenciado e atual secretário de Desenvolvimento Econômico e Social de Goianésia, Wilson Portilho, 48 anos, foi encontrado com um tiro na cabeça nesta quarta-feira (6) no Distrito de Cirilândia, que pertence a Santa Isabel. 

Wilson estava desaparesido desde segunda-feira (4), quando teria passado pela prefeitura e saiu do local com um funcionário.

Segundo informações preliminares, Wilson teria deixado esse funcionário na casa dele e depois não foi mais visto. Ele estava usando um carro oficial da prefeitura.

As investigações sobre a morte do vereador estão a cargo do delegado regional Marco Antônio Maia, que não deu detalhes da investigação, mas ele já teria conversado com a esposa do vereador, que deixa, além da mulher, dois filhos. 

Eleito vereador em Goianésa nas eleições de 2016, Wilson Portilho é de família tradicional no município e já foi presidente do Sindicato Rural. 

Diário do Norte

Jovem é preso suspeito de abusar e manter adolescente em cárcere privado em Goiás

Vítima contou à polícia que também era agredida e ameaçada pelo rapaz. Na casa foram encontradas munições e porções de drogas.

Uma adolescente de 15 anos foi resgatada na noite de terça-feira (5) de uma casa onde era mantida em cárcere privado no setor Nova Esperança, em Goiânia. A vítima relatou aos policiais que era agredida e abusada por um jovem de 20 anos. O suspeito foi preso em flagrante.

A Polícia Militar conseguiu resgatar a adolescente após receber uma denúncia de que um imóvel estava sendo usado como ponto para tráfico de drogas. “Quando chegamos, ouvimos os pedidos de socorro. A equipe arrombou a porta e encontrou a menor. Ela nos informou que o suspeito limitava sua comida e bebida, a agredia, fazia atos libidinosos sem o seu consentimento, ameaçava furar os olhos dela, cortou o cabelo dela”, relatou o tenente Guilherme Gonzaga.

Na casa, com o suspeito, a polícia achou munições, porções de maconha e crack. Todo o material foi apreendido. O jovem e a vítima foram levados para a Central de Flagrantes.

Segundo a Polícia Civil, a jovem era mantida em cárcere privado há três meses. Ela tinha medo de fugir, pois o suspeito ameaçava matar sua família. Ela foi levada ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exames.

“De um lado, ela se sente aliviada, mas por outro, ela ainda está muito abalada”, disse o delegado Antônio Ferreira.

O suspeito foi autuado por posse de munições, tráfico e cárcere privado.

G1/Goiás

Padrasto confirma ao juiz que matou menino asfixiado em Goiânia a pedido da mãe

Jeannie Oliveira diz que ex assassinou o filho dela porque não aceitava o fim do relacionamento; corpo de Jorginho, de 9 anos, foi encontrado em um matagal em maio deste ano.

O padrasto de Antônyo Jorge Ferreira da Silva, de 9 anos, acusado de matar o menino asfixiado, voltou a dizer durante audiência, na terça-feira (5), que cometeu o crime a pedido da mãe, em Goiânia. Renato Carvalho Lima deu detalhes sobre como matou Jorginho. Ao ser ouvida, Jeannie da Silva chorou, disse que foi enganada e que acredita que o ex assassinou o filho dela por não aceitar o fim do relacionamento.

A audiência ocorreu de portas fechadas, na tarde de terça-feira, no Fórum de Goiânia. Renato e Jeannie, que estão presos, chegaram escoltados pela polícia. O depoimento dos dois durou cerca de duas horas. Várias testemunhas já foram ouvidas e novos depoimentos ainda devem ser marcados.

O crime ocorreu no dia 19 de maio, no Setor Nunes de Morais. Dois dias depois, Renato e Jeannie foram até a Polícia Civil para registrar um falso desaparecimento. A mãe afirmou à Polícia Civil que o filho tinha sido sequestrado. No entanto, ela e o então namorado entraram em contradição, o casal passou a ser suspeito do crime e, no mesmo dia, Renato confessou que matou Jorginho estrangulado a pedido de Jeannie.

Conforme apuração, durante a audiência Renato, que já tinha confessado o crime à Polícia Civil, voltou a confirmar a autoria, mas entrou em contradição sobre horários e sobre como planejou o crime. Já Jeannie disse ao juiz que acredita que o crime tenha sido cometido porque o ex sentia ciúmes da relação dela com o filho, além de não aceitar o término da relação.Antônyo Jorge Ferreira foi morto asfixiado pelo padrasto, segundo a Polícia Civil (Foto: Divulgação/Polícia Civil

A avó da vítima e mãe de Jeannie, Rosângela Raniel da Silva, compareceu ao local. Chorando muito no corredor, a mulher reforçou a versão da filha. “Eu não durmo direito, não como direito, só pensando nisso. Porque a menina dentro da cadeia, e o menino morto. Este monstro fez isso para se vingar dela”, desabafou.

A defesa dos acusados não quis gravar entrevista.

Imagens divulgadas pela Polícia Civil mostram Renato explicando que matou Jorginho asfixiado e colocou o corpo em uma caixa de papelão. Em seguida, abandonou em uma matagal. “Passei um lençol no pescoço dele, abracei e dei um mata-leão, enforquei até ele ficar sem ar”, disse na gravação. Em outros vídeos, o padrasto aparece a caminho do chaveiro e volta passeando com o enteado em direção ao local onde ele foi morto. 

Mãe e padrasto presos suspeitos de matar garoto são apresentados pela polícia, em Goiânia

Denúncia

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) denunciou o casal no dia 6 de junho deste ano. De acordo com a denúncia, o crime foi motivado por um motivo fútil. “Consta no processo que a mãe estava doente e enfrentaria um longo tratamento e, por isso, não teria, não queria, continuar cuidando do filho e arquitetou toda a morte, que foi executada pelo namorado”, disse o promotor. 

Conforme o documento emitido pelo MP-GO, o casal é denunciado pelos crimes de homicídio, ocultação de cadáver e comunicação falsa de crime. Segundo o órgão, a mulher pediu ao companheiro que matasse o menino.

Para a defesa de Jeannie, no entanto, ela é inocente. “Todas as testemunhas falaram que ela não tem envolvimento no crime. Então acreditamos na absolvição dela”, explicou a advogada Rosângela Borges de Freitas.

Já o advogado que representa Renato disse apenas que o cliente confessou o crime e que não tinha outras informações sobre o caso para passar no momento.

G1 Goiás

Dona Valdecy comemorou seu aniversário rodeada da família e amigos em Trombas Goiás

O evento reuniu amigos íntimos e familiares para comemorar o aniversário de 78 anos com alegria em grande estilo.

O último sábado (25) foi de festa na chácara de uma das filhas de dona Valdecy Pereira de Oliveira, Nilva Barbosa, que fica localizada em Trombas Goiás.

O evento marcou os 78 anos de dona Valdecy, uma mulher forte, guerreira, que sempre teve como característica a humildade, um exemplo de vida, sendo seguido por sua geração.

Carinhosamente rodeada e amada por todos, ela disse estar feliz pelo momento especial, todos juntos comemorando seu aniversário.

Chorou ao falar do filho Edson Souza, falecido em dezembro de 2007. Ela disse que lembra sempre do filho querido, principalmente quando a família se reúne e olha em volta e não vê a presença dele.

Mesmo assim conteve as lagrimas e entrou no clima de diversão, muita comida boa e gente bonita.

Com a participação dos seus parentes, filhos, nora, genro, netos e amigos, todos viveram momentos de emoção e felicidades.

Exemplo de vida, natural de Angical Bahia e mudou para Ceres Goiás ainda mocinha, e para o município de Trombas no ano de 1970, casou-se com José Souza Oliveira, em Itapaci Goiás, e desta união tiveram cinco (5) filhos são eles: Nilva Barbosa, Nilma Barbosa, Nilson Souza Oliveira, Edson Souza (in memorian), e Evildo Souza Oliveira.

Até hoje a família chora a morte de Edson Souza Oliveira, falecido em 2007.

Da esquerda para direita os filhos: Nilma Barbosa, Evildo de Souza, Dona Valdecy ao centro, Nilson Souza e Nilva Barbosa.

Quando veio para a cidade de Trombas Goiás, já tinham todos os filhos, e eles vieram juntos.

Dos filhos nasceram 11 netos e 11 bisnetos, um dos bisneto ainda vai nascer, descendente do neto Eurizan Barbosa Junior, ela contou a nossa equipe toda orgulhosa.   

Dona Valdecy mora até hoje em Trombas na mesma casa onde viveu com o marido.  Ela disse que ficou viúva e nunca mais se casou.

Com dedicação vive com seu filho Nilson Souza, e procura estar sempre presente em volta da família dos quais muito se orgulha.

Foi um evento onde o respeito, admiração e a receptividade esteve em primeiro lugar, com almoço acompanhado de um delicioso churrasco, enfeitado com o tema da “Abelha Rainha”.

Veja a galeria de fotos

Estiveram presentes no evento o presidente da Câmara de Montividiu do Norte Goiás, Neurivan Barbosa do Vale (Dêga) e a secretária de saúde do município Jacilene Martins. 

Da redação/Fotos jornalista Rozineide Gonçalves

Dois motoristas morrem carbonizados após acidente na BR-020

Segundo PRF, eles conduziam dois caminhões, que pegaram fogo após colidirem. Um deles carregava inseticidas e o outro, bananas.

Dois homens, ainda não identificados, morreram carbonizados na madrugada desta sexta-feira (24), na BR-020, em Flores de Goiás, região nordeste do estado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), eles conduziam dois caminhões, que bateram e pegaram fogo logo em seguida.

Ainda conforme a corporação, um dos veículos carregava inseticidas para lavouras de algodão enquanto o outro transportava bananas. Ambos ficaram completamente destruídos. Ainda não se sabe as circunstâncias da colisão.

Após a batida, que ocorreu por volta das 4h50, a pista chegou a ficar completamente interditada. Na ocasião, formou-se engarrafamento de 10 km em um dos lados e 6 km no outro.

Porém, por volta das 14h, parte da estrada foi liberada para tráfego no modelo “pare/siga”.

Carga de bananas de um dos caminhões ficou espalhada pela pista (Foto: PRF/Divulgação)
Corpo de Bombeiros esteve no local para apagar as chamas dos veículos (Foto: Aline Caetano/Arquivo pessoal)
Carga de bananas de um dos caminhões ficou espalhada pela pista (Foto: PRF/Divulgação)

G1/Goiás

 

 

Garoto morre após se afogar enquanto nadava no Lago em Goiás

Tio do adolescente, de 16 anos, acredita que ele teve uma má digestão após entrar na água. Os próprios familiares encontraram o corpo.

O corpo do estudante Jean Lucas Araújo da Silva, de 16 anos, foi encontrado no Lago Corumbá IV, em Abadiânia no Entorno do Distrito Federal. Os próprios parentes localizaram a vítima. Segundo o marceneiro Eucimar Araújo da Silva, de 49 anos, tio do adolescente, ele se afogou enquanto nadava no local.

De acordo com Eucimar, o jovem ficou cerca de 20 minutos dentro da água se afogando. O corpo foi encontrado no domingo (19). Ele contou ainda que o sobrinho costumava ir ao local aos finais de semana e sabia nadar.

“A questão é que parece que ele havia comido muito, sentiu uma má digestão e não conseguiu subir de novo para respirar”, afirmou.

Segundo a Polícia Técnica Cientifica de Anápolis, o laudo com as causas do acidente deve sair em 10 dias.

O corpo do jovem foi sepultado na tarde desta segunda-feira (20), no Cemitério Park na região da Vila Mariana em Anápolis.

G1/Goiás

Mãe e padrasto são presos suspeitos de espancar criança de 2 anos até a morte, em Goiás

Casal registrou ocorrência dizendo que criança morreu em decorrência de acidente de moto. Porém, investigação apontou lesões de agressões e comprovou que vítima foi estuprada.

A mãe e o padrasto do menino Bruno Diogo Dias Ferreira, de 2 anos e 8 meses, foram presos suspeitos de espancar a criança até a morte, em Goiânia.

De acordo com a Polícia Civil, o casal chegou a registrar um boletim de ocorrência dizendo que a criança tinha morrido em uma unidade de saúde em decorrência de um acidente de trânsito. Porém, a investigação apurou que existiam lesões em todo o corpo da vítima e um laudo comprovou que ela foi estuprada.

Bruno morreu no último dia 3 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Itaipu, na capital. Na ocasião, a mãe, Bruna Lucinda Batista Ferreira, de 28 anos, e o padrasto, Gedeon Alves dos Santos, de 24, chegaram pedindo socorro dizendo que o menino se recuperava de uma cirurgia após sofrer um acidente de moto com uma tia.

Na época, o Conselho Tutelar foi acionado e recebeu denúncias de que o menino era vítima de maus-tratos e constantemente agredido. Assim, o órgão procurou a Polícia Civil e o caso passou a ser apurado pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), que solicitou laudos sobre a morte de Bruno.

“Diante dessas suspeitas, instauramos a investigação. Laudos mostraram que ele tinha lesões em todos os lugares. O fígado foi dilacerado, o pâncreas partido ao meio e tinham várias lesões na cabeça”, disse o delegado Danillo Proto, responsável pelo caso.

Prisão

A mãe e o padrasto foram presos na última terça-feira (14) depois de fugir de casa. Antes, segundo a polícia, eles incendiaram o imóvel em que moravam na tentativa de esconder provas do crime e falar que o fogo foi colocado por vizinhos.

O delegado diz que, ao ser questionado sobre a morte de Bruno, Gedeon confessou o crime com frieza, inclusive confessando que usou um amassador de legumes para estuprar a vítima. Proto afirmou que, apesar da mãe negar, ela sabia das agressões e foi conivente com o assassinato do filho.

Ao ser apresentada na delegacia, na manhã desta segunda-feira (20), Bruna negou qualquer envolvimento com o crime. “Eu não sabia que ele ia fazer isso. Eu já vi ele batendo no meu filho duas vezes e eu falei que se ele fizesse de novo eu ia largar dele. Eu errei em confiar nele. Agora só sinto ódio dele. Estou como monstra aqui, mas eu não fiz nada disso”, se defendeu.

Já Gedeon confirmou o assassinato e disse que não sabe o motivo de tê-lo cometido. “Não sei por que fiz isso. Bati nele em um momento de raiva”, afirmou.

O padrasto relatou que já tinha agredido a criança outras vezes. “Já bati usando um monte de coisas que não podia. Dessa vez eu usei esse pilão, bati na cabeça dele. Aí depois eu coloquei o pilão dentro dele”, narrou, se referindo ao estupro.

O casal vai responder por homicídio triplamente qualificado e incêndio. Além disso, Gedeon também vai responder por estupro de vulnerável.

Revolta

Vizinhos do casal acompanharam a apresentação dos presos na delegacia e estavam revoltados.

“Ela sabia de tudo. A gente via as agressões e falava que se ela não quisesse criar, que desse pra gente, que a gente cuidava. Ela é culpada, é um monstro”, reclamou a servente Monica Rodrigues de Oliveira.

 G1/Goiás

Motorista morre após batida de frente entre carro e caminhão em Goiás

Chovia no momento do acidente, que aconteceu em ponto onde é proibido ultrapassar. Rodovia está interditada para socorro das vítimas e retirada dos veículos.

Um motorista de 46 anos morreu na manhã deste domingo (19) após uma batida de frente entre o carro que dirigia e um caminhão bitrem na BR-364, na zona rural de Jataí, no sudoeste de Goiás. A pista ficou totalmente interditada até que o resgate das vítimas seja concluído e os veículos, retirados.

De acordo com a Central de Informações Operacionais da Polícia Rodoviária Federal (PRF), chovia no momento da batida, que aconteceu em um ponto de faixa contínua, onde é proibido fazer qualquer ultrapassagem. A colisão aconteceu no centro da rodovia, que é de pista simples. Ainda não é possível determinar qual dos condutores invadiu a pista contrária.

O caminhão estava carregado de farelo de soja e tombou após a colisão. O motorista do Fiat Uno morreu no local. Já o caminhoneiro foi socorrido e levado para um hospital em Jataí. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele.

A pista foi interditada nos dois sentidos até que todo o trabalho de resgate e limpeza seja feito. A previsão é que a liberação aconteça por volta de 12h.

Batida entre carro e caminhão deixa um morto em Jataí (Foto: Gabriela Guimarães/TV Anhanguera)

 G1/Goiás

Após desbloqueios em distribuidoras, sindicato luta para abastecer postos de combustíveis em Goiás

Segundo representante, caminhões irão ser abastecidos e circularão em horário excepcional. Dos sete polos obstruídos por protesto contra alta nos preços, apenas um segue fechado.

Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto) deve realizar, a partir da madrugada de quinta-feira (16), uma espécie de força-tarefa para abastecer os postos de combustíveis de Goiás. De acordo com o órgão o intuito é tentar voltar a enviar o produto após bloqueios em distribuidoras durante protesto contra a alta nos preços. Dos sete polos em que havia impedimento, apenas um segue obstruído.

Conforme o representante do Sindiposto, Antônio Carlos de Lima, as distribuidoras vão operar em horário especial para poder normalizar a situação. No último balanço, divulgado na tarde desta quarta-feira (15), 60 cidades tinham falta de algum combustível, sendo que 15 não tinham nem etanol nem gasolina. O ato é organizado por motoristas, caminhoneiros, taxistas, mototaxistas e motoristas de aplicativos de transporte particular.

“Vamos fazer uma força-tarefa para tentar despachar 700 caminhões amanhã [quinta-feira] entre 3h e 19h. Isso é a capacidade máxima que temos em termos de logística no momento. Mesmo assim, ainda não vai suprir a necessidade de todo o estado”, disse Lima..

Lima prevê que, se os desbloqueios forem mantidos, a previsão é que todos os postos tenham combustíveis em quantidades satisfatórias na sexta-feira (17).

O ato começou na madrugada de segunda-feira (13). Em três dias de protesto e impedimento nas distribuidoras, a TV Anhanguera apurou que mais de 2 mil caminhões deixaram de ser rodar. Além disso, cerca de 46 milhões de litros de combustíveis deixaram de circular.

O Sindposto estima que o protesto causou um prejuízo de cerca de R$ 40 milhões ao setor.

 Liberação

Após liminares, os manifestantes deixaram nesta manhã três dos sete polos de distribuição de combustíveis, sendo dois em Senador Canedo e um em Goiânia. As outras foram desocupadas na parte da tarde por ação policial. Até às 20h desta quarta, os manifestantes bloqueavam a entrada de somente uma distribuidora, no Jardim Novo Mundo, na capital.

Apesar dos desbloqueios, segundo o Sindiposto, 90% das distribuidoras não tiveram expediente em virtude do feriado. O restante conseguiu carregar e liberar poucos caminhões carregados. Além de Goiás, as distribuidoras também fornecem o produto para os estados de Mato Grosso, Bahia e Tocantins.

Com o bloqueio, muitos postos de Goiânia e em cidades do interior ficaram sem gasolina e etanol. Motoristas enfrentaram longas filas para tentar abastecer. Além da espera, os clientes enfrentam altos preços no litro da gasolina, que pode chegar a R$ 4,99.

O advogado do movimento, Vinícius Pedro Giacomini Biazus, informou que deve entrar com recurso contra as três liminares. “Devemos recorrer ainda hoje, é questão de tempo”, disse.Ação contra os postosPostos de combustíveis ficaram sem etanol e gasolina em Goiânia (Foto: Guilherme Mendes/TV Anhanguera)

Por causa do preço do etanol, a Superintendência Estadual de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon-GO) propôs uma ação contra 60 postos de combustíveis suspeitos de aumento abusivo no valor do combustível. Segundo o órgão, alguns estabelecimentos tiveram lucro de até 120% em Goiânia. O reajuste também influencia no valor da gasolina.“A elevação do etanol sem justa causa está mantendo o preço da gasolina do jeito que está, elevado desta forma por falta de opção do consumidor de buscar o outro combustível”, afirma a superintende do Procon-GO, Darlene Araújo.

A Polícia Civil está investigando a formação de cartel entre postos de combustíveis de Goiânia. Segundo a corporação, o processo está em andamento na Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra o Consumidor. O Procon também acredita nessa prática. 

ICMS

Os manifestantes reclamam do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que é de 30% para a gasolina e de 25% para o etanol. Eles também protestam contra a prática de cartel entre os postos, padronizando os preços. Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), Goiânia tem o valor médio do litro da gasolina mais caro do país.

Em nota divulgada na segunda-feira, a Secretaria da Fazenda negou que o aumento dos preços ocorreu por causa do ICMS cobrado dos postos. “Embora a alíquota do ICMS de combustível seja aparentemente elevada, ela está em linha com a tributação que diversos estados brasileiros praticam. Grande parte deles cobra entre 25% e 31%”.

Ainda de acordo com a secretaria, a “última alteração da alíquota de gasolina fará dois anos em janeiro, que passou de 27% para 28%, mais os 2% de contribuição do Fundo Protege.

De lá para cá, no entanto, vários aumentos de preços foram repassados ao consumidor. Além disso, existem diversos benefícios fiscais que diminuem a carga tributária do etanol (25%), diesel (16%) e etanol anidro (que é misturado à gasolina). No caso do etanol, a maioria das usinas também tem o benefício somado do Produzir, resultando em carga tributária real entre 9% e 11%.” 

O representante do Sindiposto afirma que não existe essa prática criminosa no setor. “Para ter cartel, tem que ter combinação prévia, dolosa e com fim de manipular mercado. Até hoje nenhum dono de posto foi condenado por cartel no estado de Goiás. Na Justiça não se prova a combinação prévia, dolosa e com fim de manipular mercado”, justificou Lima.

G1/GO