Acidente próximo à Uruaçu tirou a vida de uma pessoa de Palmeirópolis neste final de semana

Valdeci Pires era de uma família tradicional em Palmeirópolis.

Um acidente na noite do último domingo, 26, na BR-153, próximo à Uruaçu, tirou a vida de Valdeci Pires de 54 anos.De acordo com informações da PRF (Polícia Rodoviária Federal), a vítima dirigia uma Toyota Hilux quando colidiu contra a lateral de um caminhão. Ainda segundo a polícia a colisão aconteceu durante uma ultrapassagem proibida.

O condutor durante a ultrapassagem teria percebido um veículo na pista contrária, tentou frear para retornar para a sua ‘mão’, mas acabou colidindo.

Após a colisão, a caminhonete de Valdeci perdeu o controle e bateu contra uma árvore, ele morreu na hora, estava sozinho no veículo.

A PRF ainda informou que o último final de semana foi violento nas rodovias federais que cortam o estado de Goiás. O balanço da instituição destacou 16 acidentes entre os dias 24 e 26 de novembro, com 17 feridos e 4 mortes. Todas as mortes aconteceram em acidentes provocados por ultrapassagens em locais proibidos.

Para o inspetor da PRF Newton Morais, agora com o aumento de volume das chuvas, o motorista tem que redobrar a atenção, principalmente em rodovias de faixa simples. “Chama atenção nestes casos que muitos condutores acabam realizando ultrapassagens em lugares proibidos e, para retornar com certa pressa para a sua faixa, acabam acelerando e, com a pista molhada, é um fator positivo para a perda de controle dos veículos”.

Newton ainda ressalta que nos acidentes com feridos, muitas das vítimas estavam em motocicletas e o abuso da velocidade também contribuiu para as ocorrências.

Valdeci Pires era irmão do ex-vereador de Palmeirópolis José Adão. Era um homem trabalhador e tinha muitos amigos.

A cidade de Palmeirópolis sentiu muito pela morte de Valdeci Pires. Um homem batalhador e de um coração gigante na hora de ajudar as pessoas. 

Toda família está de luto e choram pela partida inesperada dele.

No mês de maio Valdeci perdeu seu filho Lindomar Pires, também vítima de acidente de transito próximo a Palmeirópolis, seis (6) meses depois foi vez dele. Muita tristeza para a família.

Quando os bombeiros chegaram Valdeci já estava sem vida. Foto divulgação PRF.

Da redação com informações de vallenews

 

Governador do Tocantins é condenado pela Justiça e pode perder o cargo

Marcelo Miranda (PMDB) foi condenado no mesmo caso que levou a cassação dele em 2009. Governador ainda pode recorrer da sentença.

O Governador do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), foi condenado a perda de função pública e a devolver mais de R$ 25 milhões que teriam sido desviados da saúde no estado.

O caso é o mesmo que levou a cassação de Miranda em 2009. A nova sentença da Justiça sai nove anos após o começo do processo que é sobre a contratação de uma empresa para administrar hospitais no estado.

O governador ainda pode recorrer da sentença e, portanto, segue no comando do Palácio Araguaia. A condenação é por improbidade administrativa. O caso corre na Justiça desde 2008 e se refere à contratação sem licitação da Oscip Brasil para gerir os hospitais estaduais, além do desvio de recursos públicos da saúde nos anos de 2003 e 2004.

Se for condenado definitivamente, além de perder o cargo, Marcelo Miranda pode ter os direitos políticos suspensos por sete anos. Além de ser obrigado a devolver o dinheiro que teria sido desviado, pagar uma multa equivalente a 100 vezes o salário atual dele como governador e ficar proibido de fazer contratos com o poder público.

A empresa em questão teria sido criada menos de dois anos antes de assumir o controle de 14 hospitais no estado. A suspeita do Ministério Público Federal é que a empresa não tinha capacidade técnica de realizar o serviço.

O laudo autorizando a empresa a participar da licitação foi assinado por Henrique Barsanulfo Furtado e Petrônio Bezerra Lola, na época secretário e subsecretário de Saúde respectivamente. Petrônio morreu em 2016.

O Governo do Tocantins disse que ainda não foi intimado da decisão e que vai recorrer assim que for notificado. Ainda estamos tentando contato com a defesa de Henrique Barsanulfo.

G1/TO

Ricardo Ayres vai propor nomes em vez de números para avenidas da capital

De início, a nova nomenclatura vai ser utilizada em avenidas criadas na região sul com a Revisão do Plano Diretor; a mudança dos nomes de avenidas antigas pode entrar na discussão.

O secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano de Palmas, Regularização Fundiária e Serviços Regionais, Ricardo Ayres, convocou para esta quarta-feira, 29, os membros que compõe o Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação para participarem de reunião que discutirá a nomenclatura de futuras avenidas instaladas em Palmas.

Ricardo disse que defende o nome de pessoas e de “coisas” para nomear avenidas que serão construídas na região sul a partir da “Revisão do Plano Diretor”.

“A Revisão do Plano Diretor prevê a criação de avenidas na alça viária Sul, e que em razão disso, vamos fazer uma reunião para debater o assunto. Em vez de dar números, dar nomes as avenidas” ressaltou o secretário.

Ricardo sinalizou, ainda, que por se tratar de um momento que em que a atualização do plano diretor será debatida, a comissão deve discutir a mudança de números das avenidas existentes, também, para nomes ou coisas.

Segundo o secretário, para “facilitar mais os endereços”. Sobre possíveis nomes, relatou que sua equipe já recebeu algumas sugestões.  

T1noticias

Dona Valdecy comemorou seu aniversário rodeada da família e amigos em Trombas Goiás

O evento reuniu amigos íntimos e familiares para comemorar o aniversário de 78 anos com alegria em grande estilo.

O último sábado (25) foi de festa na chácara de uma das filhas de dona Valdecy Pereira de Oliveira, Nilva Barbosa, que fica localizada em Trombas Goiás.

O evento marcou os 78 anos de dona Valdecy, uma mulher forte, guerreira, que sempre teve como característica a humildade, um exemplo de vida, sendo seguido por sua geração.

Carinhosamente rodeada e amada por todos, ela disse estar feliz pelo momento especial, todos juntos comemorando seu aniversário.

Chorou ao falar do filho Edson Souza, falecido em dezembro de 2007. Ela disse que lembra sempre do filho querido, principalmente quando a família se reúne e olha em volta e não vê a presença dele.

Mesmo assim conteve as lagrimas e entrou no clima de diversão, muita comida boa e gente bonita.

Com a participação dos seus parentes, filhos, nora, genro, netos e amigos, todos viveram momentos de emoção e felicidades.

Exemplo de vida, natural de Angical Bahia e mudou para Ceres Goiás ainda mocinha, e para o município de Trombas no ano de 1970, casou-se com José Souza Oliveira, em Itapaci Goiás, e desta união tiveram cinco (5) filhos são eles: Nilva Barbosa, Nilma Barbosa, Nilson Souza Oliveira, Edson Souza (in memorian), e Evildo Souza Oliveira.

Até hoje a família chora a morte de Edson Souza Oliveira, falecido em 2007.

Da esquerda para direita os filhos: Nilma Barbosa, Evildo de Souza, Dona Valdecy ao centro, Nilson Souza e Nilva Barbosa.

Quando veio para a cidade de Trombas Goiás, já tinham todos os filhos, e eles vieram juntos.

Dos filhos nasceram 11 netos e 11 bisnetos, um dos bisneto ainda vai nascer, descendente do neto Eurizan Barbosa Junior, ela contou a nossa equipe toda orgulhosa.   

Dona Valdecy mora até hoje em Trombas na mesma casa onde viveu com o marido.  Ela disse que ficou viúva e nunca mais se casou.

Com dedicação vive com seu filho Nilson Souza, e procura estar sempre presente em volta da família dos quais muito se orgulha.

Foi um evento onde o respeito, admiração e a receptividade esteve em primeiro lugar, com almoço acompanhado de um delicioso churrasco, enfeitado com o tema da “Abelha Rainha”.

Veja a galeria de fotos

Estiveram presentes no evento o presidente da Câmara de Montividiu do Norte Goiás, Neurivan Barbosa do Vale (Dêga) e a secretária de saúde do município Jacilene Martins. 

Da redação/Fotos jornalista Rozineide Gonçalves

Gaguim convidou os deputados para a votação no plenário da Medida Provisória que permite o parcelamento de dívidas

Atuação Parlamentar Deputado Carlos Henrique Gaguim.

O Deputado Federal, Carlos Henrique Gaguim, Podemos-TO, ontem, 27, conclamou os deputados para a votação no plenário da Medida Provisória 793/17, que permite o parcelamento, com descontos , de dívidas de produtores rurais (pessoas físicas, cooperativas e intermediários) e, ainda, diminui em 40% a contribuição social sobre a receita bruta devida pelo setor a título de contribuição previdenciária dos trabalhadores rurais.

Apesar de todo o esforço do vice líder do governo, Gaguim, registraram o voto apenas 197 deputados, quando o número de deputados federais necessário para validar uma votação nominal é de 257 votos.

Gaguim explicou: “Mais uma vez os deputados não atenderam a convocação do Presidente Rodrigo Maia não tendo quórum para a votação nesta segunda-feira. Todas as segundas eu estou cedo aqui e poucos são os deputados presentes nesta Casa. Agora, perdemos a oportunidade de votar esse projeto tão importante para os produtores rurais.”

“Fico triste, pois a agricultura é o segmento que alavanca nossa economia e quando nós deixamos de votar uma matéria tão importante como esta, estamos perdendo a oportunidade de melhorar a economia do país.” Finalizou Gaguim.  

Segundo o projeto de lei de conversão, a contribuição, que passa de 2% para 1,2% da receita bruta não incidirá sobre mudas, sementes, sêmen para reprodução animal, cobaias e produção rural destinada ao plantio ou ao reflorestamento. A nova alíquota valerá a partir de 1º de janeiro de 2018.

Ascom deputado Gaguim

 

Parentes de mortos por leishmaniose visceral relatam demora no diagnóstico da doença

Em Gurupi, duas pessoas morreram nos últimos dias. Em todo o Tocantins, 203 casos foram confirmados, entre janeiro e novembro deste ano.

Parentes de duas pessoas que morreram vítimas de leishmaniose visceral, conhecida no Tocantins como calazar, relataram a demora no diagnóstico da doença.

O morador de Gurupi Alessandro Souza relembrou o sofrimento da mãe, a dona de casa Valnice Maria Pereira de Sousa Mendes, de 54 anos, à procura de respostas para os sintomas. Ela morreu na última quinta-feira. 

“Ela começou com falta de apetites, começou a emagrecer. Ela estava fazendo exames na cidade. Ela consultava e os médicos pediam um exame, outro, mas nunca pediam o de calazar. Ela, então, ficou internada durante 37 dias, e eles vieram a pedir o exame de calazar com 25 dias que ela estava internada. Acho que demorou muito”, argumenta Alessandro.

A dona de casa Iranilde Pereira perdeu o filho de 29 anos neste mês. Bonfim Pereira de Souza também morreu vítima da doença. Ela conta que os médicos demoraram a descobrir que ele estava com a doença. “Demorou muito ele conseguir ser atendido pelo tratamento. Ele já estava muito fraco”.Valnice Maria, de 54 anos, morreu vítima de leishmaniose viceral.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, este ano foram registrados em Gurupi 20 casos confirmados da doença. No ano passado foram cinco. Em todo o estado, 203 casos foram confirmados. No ano passado, foram 228.

Em Gurupi, a população está preocupada. Várias ações de combate e controle da doença estão sendo realizadas. “Tem que ter consciência, a população tem que estar cuidando dos seus quintais. Aí sim o problema vai ser resolvido. A parte de prevenção, o Centro de Zoonozes está fazendo”, explica o coordenador do CCZ de Gurupi, Henrique Alencar.

A Secretaria Estadual da Sáude não respondeu aos questionamentos sobre a demora no diagnóstico.

Outros casos

Em agosto, um bebê de 10 meses morreu com a doença após ser transferida para Palmas. A menina morava no bairro Jardim dos Buritis, onde pelo menos outras três crianças estavam fazendo tratamento contra a doença.

A doença é transmitida pelo mosquito-palha e também teve registros em outras regiões do Tocantins. Em Tocantinópolis, por exemplo, 50 casos suspeitos foram notificados até agosto, sendo que pelo menos 10 já foram confirmados.

A doença

O calazar é uma doença transmitida pelo mosquito-palha ou birigui. Ao picar, ele introduz na circulação do hospedeiro o protozoário Leishmania Chagasi. O número da doença aumenta, geralmente, por causa do grande número de cachorros infectados. Isso porque os animais são hospedeiros da doença. 

G1/Tocantins

Carreta com eucalipto atinge carro, tomba e causa congestionamento na TO-126

Acidente foi em São Miguel do Tocantins, no norte do estado. Carga ficou espalhada na pista e motorista do veículo atingido teve apenas ferimentos leves.

Uma carreta carregada com eucalipto tombou e prejudicou o trânsito na TO-126 , em São Miguel do Tocantins, município da região norte do estado. Os policiais informaram que o acidente, por volta das 9h30 desta segunda-feira (27), causou congestinamento, já que a avenida ficou parcialmente interditada. Uma pessoa teve ferimentos leves.

Carreta tombou e atravessou rodovia (Foto: Divulgação)

De acordo com a Polícia Militar (PM), o trânsito ficou extremamente lento por cerca de 1 hora. Um veículo pequeno foi atingido e arremessado para fora da pista, mas o condutor sofreu apenas ferimentos leves. O motorista da carreta não ficou ferido.

Segundo a polícia, a carreta tinha três compartimentos e uma delas ficou no atravessada na rodovia. Com o impacto, parte da carga ficou espalhada na rodovia.

A ocorrência durou pelo menos quato horas. A perícia esteve no local e vai investigar as causas do acidente.

Motorista de veículo atingido teve ferimentos leves (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

 

G1/Tocantins

Ponte ameaça cair e alunos precisam descer de veículo e atravessar a pé no sul do Tocantins

Para evitar acidente, estudantes descem do veículo e atravessam a pé. “É arriscado para a gente passar todo os dias carregando vidas”, diz o motorista.

Uma ponte de madeira é um dos principais acessos para 10 propriedades na zona rural de Gurupi. Mas a estrutura começou a cair e os moradores da região temem que ela caia. O lugar é rota para o transporte escolar e para evitar acidente, os alunos precisam descer do veículo e atravessar a pé.

“Está muito perigoso. É arriscado para a gente passar todo os dias carregando vidas”, diz o motorista Jeciclei Moreira.

Os pais temem que a situação piore. “Eu fico com medo pelo meu filho vir porque é perigoso. Ninguém toma providência. Tem que arrumar porque o trajeto é esse”, reclama Tatiane Xavier.

O pecuarista Dirceu Romera precisa passar pelo local todos os dias e não está mais confiante na estrutura de madeira. “A maioria está podre e a parte de concreto está rachada em baixo. Ela não caiu porque tem um pau atravessado que fica sustentando, senão já tinha caído. Para caminhão pesado é um risco”, diz.

Segundo os moradores da região, a situação da ponte começou a piorar depois que uma viga caiu quando um caminhão tentou passar. O veículo ficou preso e só foi retirado com a ajuda de um trator. O problema pode ficar ainda pior porque outras vigas ameaçam cair, pois estão deterioradas por cupins. Além disso, também há madeiras podres.

A dona de casa Salete do Nascimento não arrisca e desce da motocicleta para atravessar. “Eu sempre desço porque eu tenho medo de cair no buraco”, conta.

Em baixo da ponte tem problema também. Uma das cabeceiras de concreto está rachada e isso tem preocupado o trabalhador rural Jailson Santana. “Tem que fazer alguma coisa, é uma estrada bem movimentada. É um risco porque chega a passar mais de 30, 35 mil toneladas”, afirma.

Em nota, a Prefeitura de Gurupi informou que a recuperação da ponte começará nesta terça-feira (28) e até quinta-feira (30) estará pronta.  

G1/Tocantins

Pais de bebê que teve braço e clavícula quebrados durante parto denunciam caso

Após passar duas semanas no hospital, bebê se recupera em casa. Promotora quer que Pedro Miguel passe por uma avaliação para saber se houve sequela.

s pais do bebê Pedro Miguel, que teve o braço e a clavícula quebrados durante um parto na Maternidade Dona Regina, em Palmas, denunciaram o caso ao Ministério Público Estadual, que está apurando o que aconteceu. O parto foi realizado no dia 23 de outubro. Após passar mais de duas semanas internado no hospital, o menino está em casa se recuperando.

A promotora de Justiça Ceres Rezende diz que já ouviu a equipe médica responsável pelo parto. “Os médicos falaram que deveria ser não só o ultrassom que define qual o tipo de parto, mas toda uma avaliação. Mas que poderia também ter um erro no ultrassom, que embora não seja uma coisa exata, pode ter havido um erro porque a diferença foi muito grande e resultou em uma lesão na criança e na mãe”, explicou. 

Caso do bebê que teve braço quebrado durante o parto está sendo investigado

Agora, o MPE quer que o bebê passe por uma avaliação médica. Além disso, a promotoria espera que o Conselho Regional de Medicina e a Secretaria Estadual de Saúde apurem o que de fato aconteceu.

“Independente de tudo isso, nós vamos abrir um procedimento para acompanhar não só a criança, mas se a mãe vai necessitar de outras cirurgias. Neste caso, nós vamos entrar com ação para que eles tenham todo o acompanhamento”, disse a promotora.

Enquanto isso, o bebê se recupera em casa. A mãe Lorena Amaral conta que ele ficou internado durante uma semana. Foi liberado, voltou para casa, mas depois teve infecção no umbigo e precisou ficar mais uma semana no hospital.

Um erro no peso do bebê teria complicado o parto. Antes do nascimento, a equipe médica disse que ele tinha 2,8 quilos, mas Pedro nasceu com 4,6 quilos.

Violência obstétrica

Nesta segunda-feira (27), servidores das maternidades públicas do estado realizam o Dia D de Combate à Violência Obstétrica. O objetivo é orientar sobre os direitos que as mulheres têm na hora do parto.

A gerente de Média e Alta Complexidade da Secretaria Estadual da Saúde, Raquel Marques, explicou que a violência engloba desde as agressões verbais até a posição da mulher no momento de dar à luz.

“Agressões verbais, frases, comentários constrangedores, desrespeitosos, como: ‘Não chore, não grite senão você vai ficar aí sozinha’. Esses tipos de comentários se configuram violência obstétrica e tudo aquilo que é negligenciado no momento do parto quando eu retiro da mulher aquilo que é garantido por lei”, argumenta.

Raquel diz que a mulher tem direito de levar um acompanhante e escolher, tanto o tipo de parto, quanto a posição. “A mulher pode parir de cócoras, sentada, em pé. As evidências científicas mostram que aquela posição antiga que a mulher é colocada em posição ginecológica, com as pernas amarradas não é a ideal, outras posições são melhores para fazer força”.

G1/TO

Mulher invade rodovia e morre atropelada junto com homem que tentou salvá-la

Motorista de caminhão disse à PRF que mulher sentou no meio da BR-153; homem tentou retirá-la, mas os dois foram atingidos. Caso aconteceu perto de Guaraí.

Um homem e uma mulher, que ainda não foram identificados, morreram após serem atropelados por um caminhão perto de Guaraí na noite deste domingo (27). Segundo o motorista do veículo, os dois estavam sentados às margens da rodovia, ao lado de uma bicicleta. Quando o caminhão se aproximou, a mulher teria ido para o meio da pista. O homem correu para salvá-la, mas os dois foram atropelados.

O motorista ainda informou à Polícia Rodoviária Federal que tentou desviar dos dois, mas não conseguiu. O homem morreu no local do acidente. A mulher foi socorrida por populares, mas não resistiu e morreu antes de chegar ao hospital.

Até o momento as vítimas não foram identificadas. Segundo a PRF, o caminhão tinha um peso total de 48 toneladas. 

G1/Tocantins