Van de transporte escolar pega fogo, e crianças saem ilesas

Motorista conseguiu tirar os 15 passageiros a tempo e ninguém se feriu.
Veículo, que não tinha seguro, ficou completamente destruído, em Luziânia.

Uma van de transporte escolar que levava 15 alunos pegou fogo em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Imagens mostram que as chamas se alastraram rapidamente e destruíram o veículo. De acordo com testemunhas, o motorista conseguiu salvar todos os passageiros. Ninguém se feriu.

“O motorista desceu para olhar o que era porque estava saindo fumaça e, no que viu que ia pegar fogo, tirou as crianças e todo mundo saiu. Começou a pegar fogo rapidamente. A gente  tentou apagar com extintor mas não deu jeito”, relatou a estudante Hérica Maria Lima, que presenciou o incidente.

Na gravação, é possível ouvir o desespero de quem estava nas proximidades. Um homem teme pela explosão do veículo, que não ocorreu: “Sai de perto. Vai explodir. Sai de perto”.

O Corpo de Bombeiros teve de ser acionado para apagar as chamas. Sem possibilidade de conserto, a carcaça da van foi levada até um ferro-velho da cidade.

O proprietário do veículo, que preferiu não ser identificado, disse apenas que a van passou por manutenção na parte elétrica há uma semana. Ele destacou ainda que a van não apresentava nenhum problema e não tinham seguro.

G1 Goias

Justiça autoriza frigorífico embargado em Gurupi a retomar compra de gado

Cooperfrigu foi um dos alvos da operação Carne Fria, do Ibama.
Investigação diz que frigorífico comprou gado em áreas de desmatamento.

Frigorífico em Gurupi foi autuado por compra em áreas desmatadas (Foto: Heitor Moreira/TV Anhanguera)

A Justiça Federal do Tocantins retirou o embargo ao frigorífico Cooperfrigu, de Gurupi, no sul do estado. O Ibama havia proibido o estabelecimento de comprar novos lotes de animais para a produção da carne na última quarta-feira (22). A operação que levou à interdição, batizada de Carne Fria, investiga a compra de gado de pecuaristas que desmataram ilegalmente a Amazônia por parte de frigoríficos no Tocantins e no Pará.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) deflagrou a Carne Fria na semana passada. Dois frigoríficos foram autuados no Tocantins, o Cooperfrigu, de Gurupi e o Plena Alimentos, de Paraíso do Tocantins. Empresários e fazendeiros do Pará, do Tocantins, Mato Grosso e de Goiás estariam envolvidos.

Segundo o chefe substituto da Divisão Técnica do instituto, Sandoval Santos, os frigoríficos teriam comprado gado de áreas do Pará que estão irregulares. “Primeiro estas áreas foram embargadas por desmatamento. Elas deveriam se regularizar, o que não aconteceu. Depois, foram mais uma vez notificadas por descumprir o primeiro embargo”.

Na decisão, o juiz federal Eduardo de Assis, de Gurupi, determinou que o frigorífico deve se comprometer a não adquirir gado de áreas com problemas como os identificados na Carne Fria. Para o juiz, o embargo ao Cooperfrigu poderia gerar prejuízos para a cadeia produtiva do estado e diz que ainda não há provas de que “parte significativa do gado abatido pelo frigorífico tinha/tem origem em área desmatada irregularmente”.

A decisão é liminar e ainda cabe recurso, o Ibama diz que ainda não foi notificado sobre a decisão e que só vai se manifestar depois que isso acontecer.

G1 To

Jovem morre após perder controle de motocicleta e bater em cerca de arame

Acidente aconteceu na zona rural de Aliança do Tocantins.
Vítima morreu no local e causas do acidente serão investigadas.

Um jovem morreu na tarde desta segunda-feira (27) após perder o controle de uma motocicleta e bater em uma cerca de arames. O acidente aconteceu em uma estrada vicinal próximo de Aliança do Tocantins, sul do estado.

A vítima foi identificada pela polícia como Edison Soares da Conceição, 23 anos. O jovem morreu no local. A moto em que ele estava foi apreendida e está no pátio da Polícia Militar de Aliança e a perícia vai apontar as causas do acidente.

O corpo foi levado para uma funerária e liberado para a família.

G1/To

Família diz que hospital vazou notícia da morte de vereador após bariátrica

Irmão de Jaime Ferreira afirma que informação circulou em redes sociais.
Político de Senador Canedo morreu após ficar 8 dias em UTI, em Goiânia.

 

A família vereador de Senador Canedo Jaime Ferreira (PROS), de 28 anos, que morreu após fazer uma cirurgia bariátrica, em Goiânia, denuncia que o Hospital Samaritano, onde o procedimento foi realizado, divulgou a informação sobre a morte antes que os parentes fossem devidamente comunicados. Irmão do parlamentar, Jamilton Neres de Oliveira disse que o assunto já era divulgado em redes sociais pelo menos uma hora antes da oficialização.

“Um enfermeiro da UTI [Unidade de Terapia Intensiva] me ligou por volta das 20h30 de sexta-feira [24]. Ele disse que a gente deveria ir até o hospital com os documentos do Jaime, pois ele não tinha resistido. Foi quando eu tentei falar com a minha mãe e ela já estava sabendo. Algumas pessoas viram a notícia circulando nas redes sociais, desde às 19h30 daquela data, e já tinham ido lá na casa dela. Foi uma situação muito difícil”, relatou.

Jamilton disse que, como o irmão era uma pessoa pública, muita gente ligava no hospital para saber sobre o estado de saúde dele. No entanto, família já tinha proibido a unidade de passar qualquer informação. “Eu mesmo pedi isso pessoalmente e pedi que não falassem nem mesmo com familiares por telefone. Não queria que o assunto ficasse circulando por aí, mas, infelizmente, vazaram logo a notícia da morte”, reclamou.

O jornal entrou em contato com o Hospital Samaritano, nesta segunda-feira (27), e a gerente de pessoas Marina Rosa confirmou que um enfermeiro ligou para a família após a morte do vereador, na noite de sexta-feira. No entanto, ela ressalta que o funcionário pediu para que os parentes comparecessem com os documentos, mas não falou que o parlamentar tinha morrido.

“Não avisamos sobre morte por telefone, pois os familiares ficam muito abalados. Assim, o funcionário pediu que eles viessem até o hospital, mas, quando eles chegaram, já sabiam que ele tinha falecido. Ainda não sabemos o que aconteceu, como essa informação vazou, mas a situação está sendo apurada. Além disso, estamos reforçando a proibição aos funcionários sobre o uso de celular nas dependências do hospital, exatamente para que esse tipo de situação não ocorra”, ressaltou Marina.

Já a assessoria de imprensa do Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) destacou que soube do vazamento da informação sobre a morte do vereador pela imprensa e que vai apurar a conduta do hospital.

Jamilton diz que a família ainda estuda se vai entrar com uma ação contra a unidade de saúde. “É inaceitável que o hospital tenha uma conduta dessas. Imagina só como foi para minha mãe receber a notícia da morte desse jeito, por rede social. Não queremos que isso se repita com mais ninguém”, afimrou.

É inaceitável que o hospital tenha uma conduta dessas. Imagina só como foi para minha mãe receber a notícia da morte desse jeito, por rede social”
Jamilton Oliveira, irmão de Jaime Ferreira

Morte
O vereador morreu após ficar oito dias internado na UTI do Hospital Samaritano. Segundo o irmão, a cirurgia de redução do estômago foi realizada no último dia 14. Dois dias depois, Jaime apresentou um sangramento e precisou ser operado novamente.

“Depois disso ele voltou para o quarto e, aparentemente, estava bem.  No entanto, apresentava uma tosse e falta de ar. Foi quando, no dia 17, ele acabou indo para a UTI, onde ficou até a última sexta-feira, quando morreu”, contou o irmão.

Segundo Jamilton, durante o período de internação, o médico que fez a cirurgia chegou a dizer que Jaime estava indo bem e que, inclusive, teria alta médica.

“Até agora não sabemos o que aconteceu de verdade, pois não conseguimos falar com o médico. Mesmo enquanto meu irmão estava na UTI a gente tinha dificuldade em saber dele qual era a situação. Ele nunca nos acompanhava durante as visitas e era muito difícil encontrá-lo no hospital. Isso é o que deixa a gente indignado, pois em uma das poucas vezes que ele falou conosco disse que o Jaime estava bem”, reclamou.

O irmão revelou que o vereador sabia que o procedimento era de alto risco, mas mesmo assim quis ser operado. “Ele fez todos os exames pré-operatórios e estava bem, eu mesmo o acompanhei durante os exames. Mesmo assim, a gente tentou convencê-lo de que ele não precisava da cirurgia, que podia emagrecer fazendo exercícios, mas ele tinha a personalidade forte e queria de todo jeito. Por isso decidimos apoiá-lo”, contou.

Jamilton destacou que ainda espera que o hospital e o médico contatem família para explicar o que aconteceu. “A princípio o que houve foi uma fatalidade, mas ainda precisamos saber de tudo o que aconteceu, todos os detalhes do atendimento dele, para ter uma real noção do que aconteceu. Até agora ninguém nos procurou para falar nada”, disse.

Desejo por emagrecer
Jamilton diz que o irmão pesava 115 kg e tinha 1,75 metro de altura. Para ele, o irmão não estava gordo, mas ainda assim encontrou na cirurgia uma forma de emagrecer rapidamente. “Ele sempre quis fazer a cirurgia, não conseguimos tirar isso da cabeça dele, infelizmente”, lamentou.

Amigos e colegas de trabalho de Jaime já tinham dito que ele era sedentário e não praticava esportes. “Eu falava para ele parar com isso, que ele não estava tão gordo assim. Todo muito até fez uma campanha e disse que ia caminhar com ele, mas ele dizia não. Fomos todos contra [a cirurgia], pois foi tudo muito rápido, mas ele tinha uma coisa de querer resolver as coisas em menos de 15, 20 dias. Aí aconteceu isso”, contou Solange Gouveia.

Durante o velório e enterro do corpo do parlamentar, que foi realizado no último sábado (25), todos estavam inconformados com a morte. “Ele era muito querido na cidade. Além de vereador, era professor, então, conhecia muita gente. Ninguém consegue acreditar ainda”, destacou Jamilton.

O prefeito de Senador Canedo, Divino Lemes (PSD), também lamentou a morte de Jaime. “Ele era muito querido, muito trabalhador. Não é porque faleceu, mas era mesmo muito trabalhador”, ressaltou.

Histórico
Jaime estava no seu primeiro mandato como vereador. Segundo a assessoria da Prefeitura de Senador Canedo, ele foi eleito como suplente do vereador Sérgio Bravo Jr (PROS), que assumiu a Secretaria de Esporte e Lazer. Assim, o parlamentar tomou posse do cargo.

Nascido em São Paulo, Jaime se mudou para Senador Canedo em 2002. Em novembro de 2006, aos 17 anos, começou a ministrar aulas como aluno substituindo um professor na escola onde foi velado. No ano seguinte, começou a cursar biologia e química e continuou a lecionar.

Anos depois, ao lado de irmãos, fundou uma rede de escolas na cidade, que mais tarde também passou a contar com a primeira faculdade e instituto de pós-graduação do município. Ele era solteiro.

Segundo amigos, Jaime era apaixonado pela sala de aula. “Ele foi um professor que, na sua extravagância, era ousado. Então ele fez diferença, ele fez história na Educação de Senador Canedo. A sua busca sempre foi pelo crescimento da Educação”, contou a ex-colega de trabalho do vereador, Rosana Rodrigues.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

G1/Goias 

Pedreiro conta como achou recém-nascido: ‘Caixa estava mexendo’

Samu foi acionado e fez os primeiros atendimentos a bebê, que passa bem.
Conselho Tutelar diz que agora procura por família do menino, em Goiás.

O pedreiro Edmilson Xavier conta que foi ele quem encontrou um recém-nascido dentro de uma caixa de papelão no Parque Veiga Jardim, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, na manhã de domingo (26). Segundo ele, ao chegar para trabalhar em uma construção, percebeu o pacote em um lote baldio e decidiu checar do que se tratava. Foi quando encontrou o bebê.

“Quando eu cheguei avistei essa caixa, que estava suja de sangue e estava mexendo. Depois, quando eu encostei mais, ouvi o choro e percebi que era de bebê”, relatou.

Após encontrar o recém-nascido, Edmilson acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), por volta das 8h40. De acordo com o médico Frederick Bener, a criança ainda estava envolta pela placenta, o que indica que tinha nascido horas antes.

“A criança estava molhada, dentro da caixa, ainda com a placenta. É um menino, que estava bem ativo, chorando”, lembra.

Ainda segundo o médico, o bebê aparentemente nasceu por volta das 40 semanas de gestação. “Ele está bem forte e saudável”, destacou.

Depois dos primeiros socorros, a criança foi levada para a Maternidade Marlene Teixeira, em Aparecida de Goiânia. O diretor geral da unidade, Denysson José Morais Lopes, também confirmou que a o menino passa bem. “É uma criança de 3,8 quilos, com 53 centímetros, cabelos pretos e branquinho”, relatou.

Lopes diz que o hospital registrou um boletim de ocorrência e avisou o Conselho Tutelar sobre o caso. “Agora esperamos que a família desse bebê seja achada e que tudo se acerte”, ressaltou.

Já a conselheira tutelar Maria Luiza Brandão Lobo diz que agora o objetivo é encontrar a família do bebê. “A mãe dessa criança, se em um momento de desespero, a deixou lá, tem todo o direito de voltar atrás. Ela deve procurar o Conselho Tutelar ou o Juizado da Infância e Juventude. O direito dela não será negado”, explicou.

O bebê permanece na maternidade na manhã desta segunda-feira (27) e passa bem. Depois de receber alta, ele será levado para a sede do Conselho Tutelar.

O motorista do Samu Vitalino Pereira Rocha, que já atua há 12 anos fazendo os mais diversos tipos de socorro, diz que ficou emocionado com a situação. “A primeira coisa que a gente pensa é nos filhos da gente. Aí tem que juntar o profissionalismo com o lado de pai para dar o melhor suporte à criança”, disse.

Recém-nascido foi achado ainda com a placenta em caixa de papelão (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Recém-nascido foi achado ainda com a placenta em caixa de papelão (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

G1/Goias

Trio é detido por tráfico de entorpecentes em Arraias, Nova Olinda e Palmas

 

A Polícia Militar apreendeu drogas dentre elas, mais de mil comprimidos de anfetaminas, e diversos produtos sem procedência, neste sábado, 25, nos municípios de Arraias, Nova Olinda e Palmas. Dois homens e uma mulher foram detidos por tráfico de entorpecentes.

Arraias

A Polícia Militar foi acionada via uma denúncia anônima que informava que um homem transportava drogas dentro de um ônibus com destino a Arraias. As drogas seriam comercializadas no referido município, segundo a denúncia.

Sendo assim, os policiais militares interceptaram o veículo na rodovia TO-050 km 436, e identificaram o indivíduo por meio das características repassadas. Debaixo do seu assento foram encontrados 99 gramas de crack e 469 gramas de maconha. O autor confessou que comercializaria os entorpecentes no local.

O indivíduo foi detido e conduzido à Delegacia de Polícia Civil.

Nova Olinda

Novamente por meio de uma denúncia, os policiais militares da cidade de Nova Olinda iniciaram diligências e abordaram um indivíduo de 21 anos que portava papelotes de crack e cocaína e a quantia de R$ 65 reais em dinheiro. Com ele havia ainda 1.065 comprimidos de anfetaminas. O autor foi detido por tráfico de drogas e os materiais apreendidos foram apresentados na Delegacia de Polícia.

Palmas

No setor Aureny III, em Palmas, a equipe de policiais militares da Força Tática do 6º Batalhão em Palmas detiveram uma mulher de 30 anos que estava em posse de R$ 131 reais em espécie, 35 papelotes de maconha e um de cocaína. A autora ainda portava duas furadeiras, três relógios, um forno micro-ondas, uma TV 32 polegadas, uma maquita de construção civil e uma câmera fotográfica. Todos sem procedência.

A envolvida, os produtos e as drogas foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil para as devidas providências legais.

Fonte: pmtocantins

Por: Lara Tavares

Ciro diz que não será candidato se Lula for: ‘Não tenho vontade’

Um dos possíveis presidenciáveis para 2018, ele também afirmou que não será vice de ninguém.

Candidato à Presidência da República em 1998 e 2002, Ciro Gomes (PDT-CE) volta a ter seu nome como um dos possíveis candidatos às próximas eleições. Em entrevista divulgada nesta segunda-feita (27), ele falou sobre a possibilidade, mas deixou claro que não será vice do Lula, como também já foi cogitado. “Serei bastante categórico: não serei vice de ninguém”.

Ele, inclusive, chegou a dizer que a eleição de Lula seria um desserviço para o país. “Temos longa história de parcerias e diferenças. Votei nele em 1989 [no segundo turno], 2002 e 2006. Na Dilma em 2010 e 2014. Entretanto, acho que nesse momento a candidatura do Lula desserve a ele e ao país. Na melhor das hipóteses, ganha e projeta essa confrontação odienta que está rachando o país. Mas a probabilidade de polarizar e perder é muito alta”, considerou.

Ele também deixou claro que, se o Lula for candidato, ele não entrará no páreo. “Não tenho a menor vontade de ser candidato se o Lula for. Menos em homenagem a ele e mais porque a tendência é ele polarizar o processo. E eu ficar falando de modelo econômico… Vou ter um papel nobre, vou lá para meus 12%, 15% no mínimo, mas daí dizer para o povo que acredito que vou ser presidente… Não consigo mentir desse jeito”.

Questionado pela Folha de S. Paulo se, agora, seria a vez de o PT apoiá-lo, ele disse não acreditar, mas defendeu a apresentação de uma nova liderança. “A natureza do PT, e é legítimo isso, é ter candidato próprio. Talvez o ideal fosse apresentar uma nova liderança”.

Ciro Gomes também falou sobre outros possíveis candidatos. Disse que, embora seja a única candidata que apareça, nas últimas pesquisas, com chances de vencer o Lula, Mariana Silva não tem visão administrativa. “Marina é uma boa pessoa. Mas não tem visão administrativa. Hostiliza, no simbólico, o agronegócio, a mineração. Evidentemente nada autoriza nenhum deles a nenhum tipo de abuso. Mas o descuido da Marina com a vida real faz com que ela apresente, como sua única proposta que conheço concreta, uma aberração, que é a independência do Banco Central”, afirmou.

Já sobre Bolsonaro, Ciro Gomes acredita que ele presta um serviço ao Brasil. “Sem ele, esse eleitorado do antipetismo se concentrava todo no PSDB”. E analisou a ascensão de um candidato extremista. “Esse pensamento sempre existiu. O que fez foi sair do armário, pela debacle do PT. Nós do mundo progressista deixamos parte da população imaginar que nosso apreço aos direitos humanos parece contemporizar com a impunidade. Há pessoas que imaginam soluções toscas, que veem muita verdade em ‘bandido bom é bandido morto’.

Conhecido por sua língua afiada, Ciro também não poupou o atual presidente do Brasil, Michel Temer. “Ele, para além de ser essa coisa constrangedora de chefe de quadrilha, sendo um velho e notório malversador de dinheiros públicos, virou chefe de um governo de patetas”, disparou.

João Doria, prefeito de São Paulo, também não foi poupado. “Conheço [Doria] de longuíssima data. O antipolítico, o empresário… Tem dois probleminhas básicos [nessa imagem]. Doria foi chefe da Embratur no governo Sarney. Saiu debaixo de muitas irregularidades no Tribunal de Contas da União e foi violentamente criticado por uma propaganda do turismo brasileiro com bundas de mulher na praia, estimulando claramente o turismo sexual. A segunda coisa: Doria reforçou muito a grande fortuna dele, do liberal, com dinheiro público dos governos do PSDB de Minas e SP, por exemplo”.

Perguntado sobre a Lava Jato e o juiz Sérgio Moro, Ciro continuou “atirando”. “O exibicionismo midiático, ir ao Facebook agradecer o apoio de todos, as gravatinhas borboletas em todo tipo de solenidade, a confraternização descuidada com possíveis réus, a fraude com a gravação da presidente [divulgação do grampo de ligação entre Dilma e Lula] – o que nos EUA é considerado traição e gera até pena de morte, só para ter a relativização dessa leviandade. Isso tudo semeia a semente de matar essa coisa importante que seria a Lava Jato, que ainda pode ser o momento de virada na impunidade. Mandar prender um blogueiro, tem uma coisa patológica nisso. Não falo com prazer, falo com dor”.

Noticias ao Minuto

Veja opções para fazer pé-de-meia e não depender da aposentadoria do governo

Economistas explicam quais as melhores formas de aplicações para ter boa reserva no futuro

Com as mudanças propostas pela reforma da previdência, em tramitação no Congresso Nacional, as regras para conseguir a aposentadoria farão com que os trabalhadores entrem em uma nova dinâmica de contribuição.

Para as pessoas que estão preocupadas com o tempo que precisarão contribuir para conseguir o benefício (pode chegar a 49 anos de contribuição para ter o benefício integral), há outras alternativas para fazer o pé-de-meia a partir de agora.

A professora de economia do Insper Juliana Inhasz afirma que, independentemente da forma que o trabalhador escolha para guardar dinheiro, quanto antes começar a criar a reserva de recursos, melhor.

Segundo ela, criar o hábito de poupar desde o início da carreira pode fazer diferença no futuro.

— Quando a pessoa estiver no auge da carreira, com salários maiores e sem gastos com educação, ela vai ter o hábito de guardar e conseguirá economizar valores maiores. Parece que não muda nada começar a guardar esse ano ou ano que vem, mas na prática a diferença é enorme.

Para a especialista, poupar pensando no futuro — na aposentadoria — exige planejamento. Juliana explica que o trabalhador deve levar em conta quanto pode poupar por mês e, além disso, cortar gastos supérfluos.

Investir o dinheiro em títulos do Tesouro Direto, pensando em recuperar o dinheiro a longo prazo, é uma das alternativas para guardar uma boa poupança. Juliana afirma que o ideal é que o trabalhador aplique toda a grana que sobrar ao final do mês nesta aplicação — como se estivesse pagando a parcela de uma conta.

Capital protegido

A professora da FGV (Fundação Getulio Vargas) Myrian Lund afirma que o trabalhador deve optar por uma forma de investimento atrelada à inflação, porque fornece um índice de rendimento mais interessante. Dessa forma, haverá sempre um ganho real de recursos.

 

— A pessoa também tem que procurar um fundo com vencimento mais próximo da data que quer se aposentar.

Outra opção indicada pelas especialistas é a contratação de uma previdência privada, principalmente indicada para as pessoas menos disciplinadas financeiramente.

Juliana explica que a diferença entre a previdência e a compra de um título do Tesouro Direto, por exemplo, é que a primeira opção tem uma instituição financeira como mediadora.

— Quando você compra o Tesouro Direto, você paga uma taxa. Já quando compra uma previdência, tem a taxa de administração, a de saída, referente ao momento que se deixa o plano. Além disso, existe uma taxa de carregamento para quando a pessoa quiser trocar de entendida financeira.

Myrian adverte que, para a previdência privada valer a pena, é importante analisar qual o valor da taxa de administração do serviço, que não deve ser maior do que 1%. Este valor é cobrado pelas companhias para fornecerem o serviço para o cliente.

— O banco vai cobrar 0,4% ou 0,5% de taxa de comissão mais cerca de 0,3% de taxa de custódia, totalizando cerca de 0,8% de taxa de administração. Quando aplico no Tesouro sem intermédio de instituições financeiras, eu pago 0,8% da rentabilidade, por isso que se a taxa for muito maior de 1% não vale a pena.

A professora da FGV também indica os fundos imobiliários para garantir a aposentadoria no futuro, pois, com menos de R$ 1.000, é possível montar uma carteira do fundo interessante, com boa rentabilidade. O comprador terá um rendimento mensal que pode ser aplicado para render mais. 

— A vantagem é que quando você compra o fundo, você vai ter renda mensal. Você é um “dos donos” do empreendimento que está “comprando”.(Fonte:R7)

Criança de 11 anos sequestrada em Goiás é resgatada no Sul do Piauí

Vítima estava desaparecida desde quarta-feira (22), quando saiu para escola.
Suspeito do sequestro foi preso e alegou ter um relacionamento com a menor.

Um homem de 40 anos suspeito de sequestrar uma menina de 11 anos na cidade de Ipameri, em Goiás, foi preso na noite dessa sexta-feira (24) em Oeiras, Sul do Piauí. Em depoimento à polícia, ele alegou que tinha um relacionamento amoroso com a menor desde dezembro do ano passado e durante o cárcere privado manteve relações sexuais com a vítima.

Conforme a Polícia Civil, a criança estava desaparecida desde quarta-feira (22), quando saiu para ir à escola a pé e não chegou ao destino. Testemunhas relataram ter visto a menina acompanhada do auxiliar de serviços gerais, que é conhecido da avó da vítima e natural de Oeiras.

“Após a família perceber o desaparecimento da menina e buscas na região, a polícia de Ipameri pediu ajuda a Polícia Militar do Piauí, por acreditar que o suspeito teria vindo ao estado. Em apenas duas horas, o Núcleo de Inteligência da Delegacia de Oeiras localizou e prendeu o auxiliar de serviços gerais e resgatou a criança em uma casa próximo à subestação de energia da cidade”, informou tenente-coronel John Feitosa, relações públicas da Polícia Militar.

Em estado de choque, a menor foi encaminhada para acompanhamento do Conselho Tutelar de Oeiras e a família da vítima acionada. O suspeito encontra-se preso na Delegacia de Oeiras e deve responder por estupro, sequestro e cárcere privado.

Entenda o caso
A menina de 11 anos desapareceu após ser vista pegando um mototáxi com um conhecido da família, em Ipameri, no sudeste de Goiás. Segundo a mãe da menina, Simone Theodoro Freitas, a filha está sumida desde quarta-feira (22). A Polícia Civil e a Polícia Militar investigam o caso à procura da criança.

A mãe da garota relatou que a família esteve em uma festa de Natal na casa do homem a convite de um amigo do avô da menina. Ela acredita que o suspeito pode ter enganado a menina para levá-la.Fonte:G1

Delegacia de Polícia da cidade de Oeiras (Foto: Patrícia Andrade/G1)
Delegacia de Polícia da cidade de Oeiras (Foto: Patrícia Andrade/G1)

Deputado José Vitti escapa ileso de queda de helicóptero em Goiânia

Presidente da Assembleia Legislativa estava com um assessor e o piloto.
Aeronave caiu de uma altura de cerca de 20 metros ao tentar decolar.

Um helicóptero que levava o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o deputado estadual José Vitti (PSDB), sofreu um acidente ao tentar decolar do Autódromo de Goiânia, na manhã de sexta-feira (24). A aeronave estava a cerca de 20 metros de altura, quando apresentou uma falha e caiu. Apesar do susto, o parlamentar não ficou ferido.

A fonte tentou falar com o deputado, na manhã deste sábado (25), mas a assessoria de imprensa informou que ele não vai comentar o assunto por enquanto.

No entanto, em uma nota, a assessoria explicou que, além de Vitti, também estavam na aeronave um de seus assessores e o piloto. Todos escaparam ilesos.

“O acidente aconteceu logo após a decolagem, por uma falha no motor, e a aeronave caiu de uma altura aproximada de 20 metros. O piloto conseguiu controlar o helicóptero, minimizando a queda, ao usar as rotações finais da hélice”, destacou o texto.

A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou  que houve um acidente com o helicóptero por volta das 8h40 de sexta-feira. A corporação disse o caso será apurado pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).Fonte:G1