Caminhão é flagrado levando inseticida junto com mamadeiras e chupetas

Caso foi na BR-153 próximo a Paraíso do Tocantins na tarde desta quinta-feira (26). Produto é tóxico e não estava embalado corretamente, segundo a PRF.

A Polícia Rodoviária Federal encontrou mais de 11 mil quilos de inseticida sendo transportado junto com produtos infantis como chupetas e mamadeiras na BR-153. O flagrante foi na tarde desta quinta-feira (26) na região de Paraíso do Tocantins, a 70 quilômetros de Palmas.

De acordo com a PRF, os cilindros não estavam embalados corretamente. O gás é inflamável, tóxico e não pode ser transportado junto com produtos destinados ao consumo humano. Na carga também havia equipamentos de laboratório.

O Regulamento de Transporte de Produtos Perigosos prevê que este tipo de gás deve ser levado em um compartimento separado dos outros tipos de carga, para que não contamine tudo em caso de vazamento.

O motorista não foi detido, mas teve que assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência. O caso foi enviado para o Ministério Público Estadual para que analise quais providências pode tomar contra a transportadora e o condutor.

Segundo a PRF, os produtos saíram de São Paulo e tinham como destino Manaus. Os inseticidas continuam retidos no posto da polícia em Paraíso. A Vigilância Sanitária Estadual ainda deve definir o que vai fazer com os produtos.

Flagrante foi na BR-153 perto de Paraíso do Tocantins (Foto: Divulgação/PRF)Flagrante foi na BR-153 perto de Paraíso do Tocantins (Foto: Divulgação/PRF)

Flagrante foi na BR-153 perto de Paraíso do Tocantins (Foto: Divulgação/PRF)

G1 Tocantins.

Casal de irmãos é detido suspeito de matar e arrancar orelha de mulher em Anápolis

Segundo Polícia Civil, eles são parentes de envolvidos em chacina que ocorreu na cidade há cinco anos. Corporação apurou que crime foi motivado por vingança.

Uma jovem de 20 anos e o irmão dela, de 17, foram detidos suspeitos de planejar a morte e assassinar Luciene Avelina Lima, de 43 anos, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. O delegado Cleiton Lobo, responsável pela investigação, disse que o crime foi planejado pela presa e executado pelo adolescente apreendido, que também cortou a orelha da vítima. Segundo as investigações, os investigados são enteados de envolvido em chacina que ocorreu na cidade há cinco anos.

O crime ocorreu na madrugada de terça-feira (24) e os irmãos foram detidos no fim da tarde do mesmo dia. Eles não apresentaram advogados, mas de acordo com o delegado, a jovem negou a participação e o menor confessou.

“A jovem costumava realizar roubos e exigia que a vítima, que também era sua vizinha, guardasse esses produtos de assaltos na casa dela. Quando a vítima se negou a fazer isso, a autora a ameaçou de morte”, disse o delegado.

Cleiton contou ainda que outras pessoas que participavam dos roubos com ela foram presas e ela perdeu o apoio que precisava para cometer o homicídio, até que o irmão foi liberado do centro de internação onde estava detido e concordou em ajudar. Conforme as investigações, o rapaz ganhou a confiança da vítima, entrou na casa dela de madrugada, a golpeou com um cabo de faca várias vezes e arrancou a orelha dela.

“O autor ainda saiu com a orelha guardada no boné, até que foi preso mais tarde por tentativa de assaltar duas meninas no transporte coletivo. Ele depois confessou o crime e levou a polícia até o local onde havia descartado a orelha”, completou Lobo.

As investigações apontaram que, além de matar e cortar a orelha da vítima, o adolescente levou um aparelho de som o celular dela. Portanto, a Polícia Civil deve indiciar a jovem por latrocínio e corrupção de menores e o irmão dela por ato infracional análogo a latrocínio. Ela pode ficar presa por até 30 anos e ele pode ficar apreendido por até 3.

G1 Tocantins.

Motorista é condenado a indenizar viúva após matar motociclista em acidente

Homem também terá que pagar pensão para a mulher da vítima. Acidente foi em 2007, na região norte de Palmas, mas foi julgado quase 11 anos após a morte.

O motorista responsável pelo acidente que causou a morte de Élcio Pereira Costa, em 2007, foi condenado pela Justiça a pagar uma pensão à esposa da vítima e uma indenização de R$ 50 mil. O caso foi julgado nesta quarta-feira (26), quase 11 anos após o acidente. Além disso, o condenado ainda pode recorrer.

Conforme a decisão, José Adair Rodrigues dirigia pela contramão e em alta velocidade, quando atingiu a motocicleta em que estava a vítima. O acidente aconteceu na avenida LO 08, próximo da Arno 32 (antiga 305 Norte). Na época, a vítima tinha 44 anos e deixou três filhos, sendo um menor de idade.

Após o acidente, ainda segundo consta na decisão, o motorista saiu do local sem prestar socorro e no carro dele a perícia encontrou bebida alcoólica.

Na sentença, o juiz José Carlos Tajra Reis Júnior determinou o pagamento de pensão mensal à viúva. “Fica arbitrada em 2/3 do salário mínimo vigente à época, iniciando-se da data do evento até seu falecimento, ou a data em que a vítima completaria 65 anos, o que ocorrer primeiro”, decidiu.

Além da pensão, o motorista terá que pagar uma indenização de R$ 50 mil corrigida à época do acidente. “Deve ser sopesado o fato de que o requerido, além de trafegar na contramão, possuía bebida alcoólica no interior do veículo, com enormes indícios de sua ingestão, agravando bastante sua culpabilidade no evento”, afirmou o juiz.

O réu não tem advogado neste caso e não se manifestou no processo. O G1 não conseguiu contato com José Adair Rodrigues.

G1 Tocantins.

Menino de 11 anos sai para brincar em córrego com amigos e morre afogado

Acidente aconteceu próximo do setor Costa Esmeralda, em Araguaína, norte do Tocantins. Menino estaria brincando com o irmão mais novo e outras duas crianças.

 

Suspeito de furtar R$ 750 mil em gado de fazenda em GO é preso no Tocantins

Suspeito foi detido em Gurupi, na região sul do Tocantins. Rebanho de gado foi recuperado no estado de São Paulo; grupo teria usado seis carretas para levar 420 animais.

Dois meninos são baleados por criminosos na porta de casa durante madrugada

Crime ocorreu em Sampaio, na região norte do estado. Avó contou que meninos tinham saído para ir ao banheiro no quintal da casa.

Dois meninos de 10 e 12 anos foram baleados na porta de uma casa em Sampaio, na região do Bico do Papagaio. Segundo a Polícia Militar, as vítimas foram levadas para o Hospital Regional de Augustinópolis e passam bem. Nenhum suspeito foi preso e ainda não se sabe a motivação do crime.

O crime aconteceu durante a madrugada desta quarta-feira (25). A avó dos meninos contou à polícia que as crianças saíram para ir ao banheiro no quintal da casa e depois sentaram em um banco.

Nesse momento, dois indivíduos encapuzados saíram de um beco com uma arma de fogo e começaram a atirar em direção aos meninos.

O adolescente de 12 anos foi atingido no pé esquerdo. O menino de 10 anos foi ferido no pé direito, braço esquerdo e no tórax. Os suspeitos fugiram do local e nenhum suspeito foi localizado até o momento.

O caso foi encaminhado para a Polícia Civil. Até o momento não se sabe o motivo do crime.

G1 Tocantins.

Carro capota após ser atingido por caminhonete em avenida de Palmas

Testemunhas disseram que mulher saiu ilesa do acidente. Caso aconteceu na avenida LO-01, na Arse 12 (antiga 104 Sul).

 

Polícia termina inquérito sobre assassinatos três anos após acusado morrer

Deuziano da Silva Milhomem era suspeito de matar duas pessoas em um bar de Araguaína após uma discussão. Crime foi em 2014 e suspeito foi morto em 2015, mas o inquérito ainda estava em aberto.

A Polícia Civil de Araguaína, no norte do Tocantins, terminou o inquérito sobre o duplo assassinato registrado em um bar no setor Maracanã em novembro de 2014. As vítimas foram Gerson Luiz nunes da Silva e Marislene de Sousa Aguiar e teriam sido mortas durante uma discussão motivada por ciúmes. O acusado do crime é Deuziano da Silva Milhomem, mas ele morreu em 2015.

Segundo a investigação, os três envolvidos estavam em um bar quando Milhomem começou a discutir com Marisete. Silva teria tentado ajudar a amiga e por isso acabou sendo morto. Na época, a Polícia Militar informou que a mulher trabalhava como garota de programa e esta teria sido a origem da briga.

Já a morte de Milhomem, ainda de acordo com a Polícia Civil, teria relação com um assalto. Ele teria roubado uma motocicleta no dia 11 de junho de 2015 e sido assassinado horas depois. Não há informações sobre se há suspeitos presos por este crime.

O inquérito foi enviado a Justiça, que deve avaliar se vai arquivar o processo ou pedir novas diligências.

G1 Tocantins.

Moradores recusam visita de agentes do CCZ após funcionário ser preso

Homem preso por assaltos a bancos não trabalhava diretamente no Centro de Controle de Zoonoses, segundo o município. Secretaria afirma que não há motivo para receio da população.

Muitos moradores de Palmas não têm deixado os agentes do Centro de Controle de Zoonoses entrar nas casas. Isso atrapalha o combate de doenças como a dengue. O motivo é que um funcionário público da Prefeitura de Palmas, que seria funcionário do CCZ, foi preso na semana passada. Com isso, parte da população ficou com receio.

Segundo a coordenadora de Vigilância e Controle de Zoonoses, Lara Melo, a população não precisa ficar com medo de receber os agentes de endemias.

“Não precisa ter resistência porque todos os nossos agentes de combate a endemias são capacitados para fazer esse trabalho. Eles visitam sempre e estão caracterizados para fazer essa atividade. Vão portar a camisa com o nome ACE, a calça com a sigla do CCZ, além do crachá e bolsa identificada”, afirmou.

Ainda de acordo com a coordenadora, o servidor preso pela polícia não trabalhava diretamente no controle de zoonoses. “Ele era da Secretaria Municipal de Saúde, mas não trabalhava na gerência do CCZ. Ele ia lá às vezes realizar um tipo de trabalho, mas nunca chegou a fazer nenhuma inspeção domiciliar”, afirmou.

Durante as visitas domiciliares, os agentes inspecionam tudo que pode se transformar em um criadouro do mosquito. Além de orientar os moradores sobre os cuidados do dia a dia.

“Tem que receber. É um cuidado muito importante para nós. Eles entram no quintal para ver sem tem água parada, se tem mosquito. Nós precisamos isso. Todo mundo deve abrir as portas e atender”, comentou a aposentada Vera Lúcia Áurea.

G1 Tocantins.

Suspeito de assassinato é preso após ir a velório e enterro da vítima no TO

Moradores de Xambioá dizem que Acácio Pereira ficou ao lado do corpo e até chorou. José Reis de Souza, de 64 anos, foi morto a tiros numa chácara, na zona rural da cidade.

 

Um suspeito de matar a tiros José Reis de Souza, de 64 anos, foi preso nesta terça-feira (24), em Xambioá, no norte do Tocantins. O crime aconteceu no último fim de semana.Segundo os moradores da cidade, Acácio Pereira de Souza, de 34 anos, foi ao velório e ao enterro da vítima, ficou ao lado do corpo e até chorou.

Um morador da cidade que foi ao velório contou ao G1 que viu o suspeito. “Ele ficou no velório, acompanhou o enterro até a cova fechar, como se nada tivesse acontecido. Parentes do idoso tiraram foto dele ao lado do corpo”, contou.

O idoso foi encontrado morto no último domingo (22), na casa onde morava, na zona rural da cidade. Após o assassinato, a Polícia Civil pediu a prisão temporária do suspeito. Ele foi capturado numa casa, na rua Justiniano Pereira.

Com ele, os policiais civis encontraram vários itens roubados, como capacete, uma guitarra, um par de botinas e documentos pessoais, objetos da vítima. Ele foi levado para a cadeia de Xambioá.

Entenda

Segundo a Polícia Civil, no último domingo, um vizinho percebeu a ausência de Sousa e foi até a casa da filha dele para avisar que a vítima não tinha saído de casa para jogar milho às galinhas, como de costume.

A filha foi até casa do pai, olhou pela janela e viu que ele estava morto. Sousa foi assassinado a tiros. No dia anterior o vizinho o viu tocando violão com um homem, que seria Acácio. Momentos depois, o suspeito saiu do local levando a motocicleta da vítima.

G1 Tocantins.