Bebê morre após dar entrada em hospital de Gurupi para tratar queimadura no braço

A Secretaria Estadual da Saúde disse que a direção do hospital vai apurar o caso. Pais alegam que situação da criança piorou após ela tomar um medicamento na veia.

Uma criança deu entrada no Hospital Regional de Gurupi, sul do Tocantins, com uma queimadura no braço, mas acabou morrendo. Segundo os pais, Júlio Henrique Barbosa Ferreira começou a sentir mal após uma medicação que teria recebido na unidade. 

A Secretaria Estadual da Saúde lamentou a morte. Disse ainda que a direção do hospital vai instalar uma sindicância para apurar o caso.

A mãe Fabiana Ferreira conta que o bebê de um ano e seis meses se queimou em casa com um ferro de passar roupas. A queimadura de segundo grau afetou em parte o braço direito. Segundo ela, a criança não parava de chorar, e por isso procurou o hospital. Júlio deu entrada na unidade às 20h da última sexta-feira (11), e morreu menos de 24 depois. A mãe disse que ele piorou após tomar um medicamento na veia.

“Injetaram no soro e colocaram na veia dele. Eu saí do quarto e chamei meu marido. Quando ele entrou, ele estava em pé na maca e chamou: ‘Papai’. Ele chegou perto, o nenem encostou a cabeça no ombro dele e desmaiou, deu uma parada cardíaca”.

O pai do menino, Júlio Barbosa, disse que não suspeitava que a criança fosse alérgica a alguma medicação e que, apesar dos médicos terem perguntado sobre alguma restrição, nenhum teste foi feito.

“A gente veio para tratar só da queimadura. Meu filho chegou aqui nos meus braços, só chorando. Chegou bom, normal e eu achei que iria só passar uma pomada ou um remedinho e a gente iria voltar para casa no mesmo dia. Meu filho nunca tinha sido internado, eu não sabia que ele tinha alergia a algum medicamento”.

Os pais alegam que o hospital não teria dado a assistência devida a criança, já que a maternidade não conta com uma UTI neonatal. “Meu filho estava precisando ir para uma UTI e ninguém resolvia nada. Uma cidade dessa, desse tamanho, não tem uma UTI para criança?”, questionou a mãe.

Segundo consta na declaração de óbito, Júlio sofreu paradas respiratória e cardíaca, um edema agudo no pulmão e um choque anafilático.
G1/TO

Após morte de bebê, prefeitura intensifica combate ao calazar em Gurupi

Equipes do CCZ vão visitar casas e aplicar inseticidas no setor Jardim dos Buritis, onde a criança morava. Ações serão realizadas durante todo o mês.

Depois de registrar casos de calazar em Gurupi, sul do Tocantins, a prefeitura vai intensificar ações de combate à doença. Nesta quinta-feira (10) começa o mutirão de conscientização. No decorrer do dia, serão realizadas palestras nas escolas. Nesta sexta-feira (11), equipes do CCZ vão até o setor Jardim dos Buritis, onde percorrerão as casas para falar sobre a importância de manter a cidade limpa. Foi nesta região que uma bebê de 10 meses adquiriu leishmaniose visceral e morreu. Outras três crianças estariam fazendo tratamento por causa da doença. 

As ações seguem no sábado (12), quando será feita a coleta de sangue em cães para diagnóstico do calazar. O local de encontro será na escola Domingos Barreira Amorim, das 8h às 13h. O resultado estará disponível a partir de segunda-feira (14), e em caso de negativo pode ser agendado a castração dos animais para as famílias de baixa renda.

Já na segunda-feira começa o trabalho de bloqueio químico vetorial com inseticida em todas as casas do setor Jardim dos Buritis. Ele deve combater o mosquito num período de 4 meses. Esse trabalho deve demorar cerca de 30 dias. Eles devem percorrer as 954 casas do setor.

G1/TO

Dois são presos com drogas escondidas nos bancos e porta-malas de carro

Um dos homens se apresentou como motorista da Uber e mora em Goiânia. Ele foi levado para a Casa de Prisão Provisória de Gurupi.

Dois homens foram presos na madrugada desta quarta-feira (9) por suspeita de tráfico de drogas na BR-153, em Gurupi, sul do Tocantins. No carro, a Polícia Rodoviária Federal encontrou tabletes de cocaína e maconha escondidos nas portas, nos estofados dos bancos e no porta-malas do veículo. O motorista disse ser funcionário da Uber em Goiás.

A Polícia Civil disse que os dois foram levados para a Casa de Prisão Provisória de Gurupi. Durante o depoimento, o motorista confirmou que trabalha para o aplicativo em Goiânia (GO). No celular, policiais encontraram áudios com conversas que comprovam que ele tinha sido pago para levar a droga até Santana do Araguaia (PA).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os homens foram abordados durante um patrulhamento. Após uma fiscalização no carro, foram encontrados quase 2 quilos de substância semelhantes à cocaína, cerca de 5 quilos de maconha e uma porção de substância análoga à cloridrato de cocaína.

G1 procurou a empresa para saber se o homem terá o cadastro excluído do aplicativo e aguarda resposta.

G1/TO

Pátio da PRF em Gurupi acumula mais de 200 veículos abandonados

Automóveis permanecem no local por causa de irregularidades ou após envolvimento em acidentes. Saiba como fazer a retirada.

O pátio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Gurupi, no sul do Tocantins, está acumulando veículos que foram abandonados pelos donos. Segundo os policiais, mais de 200 automóveis estão no local por causa de acidentes ou apreensões por irregularidades.

No local há carros, motocicletas, caminhões e até ônibus parados ao ar livre sem proteção. O posto da PRF fica na BR-153. Para solicitar a retirada do veículo é preciso pagar a guia de recolhimento disponível no site da PRF

Uma portaria do Ministério da Justiça permite a cobrança de diárias para a permanência dos veículos no local. A medida é forma de pressionar os donos fazerem a retirada. O valor das diárias das motocicletas é de R$ 23,03. O custo para retirar veículos de até 3,5 toneladas é R$ 38,50 e para veículos superiores a esse peso a taxa cobrada é de R$ 140,72.

O policial Joaquim Franco garante que todos os casos são analisados individualmente antes de serem retirados. “Grande parte não teve condições de circular e o dono não procurou mais. Alguns também estão aqui por problemas judiciais”, explica.

G1/TO

Bebê de 10 meses morre com calazar em hospital de Palmas

Isadora Moreira morava em Gurupi e foi transferida para capital depois do diagnóstico de leishmaniose. Vizinhos estão assustados com o aumento dos casos da doença.

Uma bebê de apenas 10 meses morreu com calazar em Palmas. Isadora Moreira dos Santos morava em Gurupi e foi transferida para capital quando foi diagnosticada com leishmaniose. A mãe, Deuzilene Moreira dos Santos, disse que a filha começou a sentir os sintomas ainda no fim do mês de julho, quando ela procurou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

“Percebi que ela estava ruim e procurei a UPA, de lá ela foi para o regional de Gurupi e depois encaminhada para Palmas.” Deuzilene disse ainda que a filha também estava com anemia. “Abriram ela, colheram material dos órgãos e constataram que ela tinha anemia falciforme, mas também o calazar. Eu não sabia que ela tinha anemia.”

A morte de Isadora na madrugada do último sábado (5) deixou os moradores assustados. Segundo eles, outras três crianças do bairro Jardim dos Buritis estão fazendo o tratamento contra o calazar. “Estou muito preocupado porquê eu tenho minhas crianças. Que os órgãos públicos aqui da cidade tomem alguma providência”, disse a dona de casa Floraci Alves de Sousa que tem seis netos que moram com ela.

A veterinária Camila Martins Lopes fez um levantamento colhendo material para exame de 127 cães de Gurupi. De acordo com ela, 60% tiveram resultado positivo para doença, número que pode ser considerado preocupante.

“O que preocupa é que os proprietários não estão procurando o tratamento ou realizando a eutanásia nos animais. Ele tem essas duas opções: ou faz eutanásia para que a doença não seja transmitida, para o animal não ficar portador, ou fazer o tratamnento”, explicou.

A Prefeitura de Gurupi informou que vai realizar uma ação de combate à doença no bairro Jardim dos Buritis.

G1/TO

Mulher morre carbonizada e crianças são salvas por motorista após carro capotar no TO

Veículo caiu de uma altura de dois metros, perto do povoado Trevo da Praia, em Gurupi. As três crianças foram retiradas pelo tio que conduzia o veículo.

Uma mulher morreu carbonizada após um carro pegar fogo perto do povoado Trevo da Praia, no município de Gurupi, sul do Tocantins, neste domingo (6). Segundo o Corpo de Bombeiros, Lizane Pereira estava no veículo com os três filhos e o irmão Janilton Pereira, que dirigia o automóvel. O condutor conseguiu sair e salvar os sobrinhos. Uma menina teve queimaduras graves e foi levada para o Hospital Regional da cidade.

Os Bombeiros informaram que o motorista trafegava por uma estrada vicinal quando, ao chegar em uma curva, perdeu o controle da direção, saiu da pista e capotou. O veículo caiu de uma altura de dois metros.

Ainda segundo as informações, o condutor, mesmo ferido, saiu do carro e retirou as três crianças, mas não conseguiu salvar a irmã. O carro foi tomado pelo fogo e ela morreu no local.

Os Bombeiros retiraram o corpo e levaram para o IML da cidade. O motorista e uma das crianças foram encaminhados para o hospital, onde seguem internados.

G1/TO

Feirantes acionam Defensoria após serem removidos de feira livre em Gurupi

Eles foram removidos por causa de obra de revitalização da praça de alimentação e instalado no Mercado Municipal, sem estrutura.

A revitalização da praça de alimentação de uma feira livre, uma das principais de Gurupi tem causado preocupação para os feirantes. Ele chegaram a acionaram a Defensoria Pública.

Em uma área isolada por tapumes ao lado da Feira Livre de Gurupi é onde funcionava há mais de 15 anos, a praça de alimentação, e é onde está prevista uma obra para implantação de nove novos boxes de lanchonetes e restaurantes.

Tudo foi demolido e os comerciantes removidos do local. A alternativa apresentada pela prefeitura, até a conclusão da obra, foi a instalação provisória deles no Mercado Municipal, o que vem gerando preocupação.

“Estava com muito bicho morto dentro. Uma pessoa veio limpar para mim, uma sujeira horrível”, diz a feiranteVirginia Bezerra.

Virginia não quis tocar o restaurante no Mercado Municipal que hoje só concentra comerciantes de grãos, utensílios domésticos e rações animais. O prédio é um galpão antigo, inaugurado há décadas como um Centro de Abastecimento. São 22 boxes, muitos deles desativados. As péssimas condições de conservação são visíveis. No teto tem muita sujeira feita por bombos e lâmpadas queimadas.

Não é apenas a questão da higiene. Tem a fragilidade da segurança com portas bastante deterioradas. Tudo improvisado, o ambiente é escuro. A feirante Noeli Golzer teve que recorrer a um tapume para separar a cozinha do restaurante.

“Os clientes tem dificuldade para encontrar a gente aqui, os estapo também não é bom porque ficou apertado, sem contar que as portas também não funcionam”, reclama.

A feirante Jaqueline Rodrigues Barreira se recusou a instalar a lanchonete no box do mercado e para não suspender o atendimento pediu emprestado este ponto perto da feira.

“Não teve condições de trabalhar porque a primeira coisa que eles exigem é o alvará de funcionamento . Também não tinha água, nossos pontos estavam desorganizados, totalmente sem estrutura de trabalho”, afirma.

No caso da pastelaria da feirante Deidianny Couto Amorim, o ponto comercial veio parar no estacionamento do mercado. Ela conta que perdeu clientela e soma outros prejuízos com a demolição do ponto que havia acabado de receber reparos na estrutura para se adequar as exigências da Vigilância Sanitária.

Outra preocupação dos feirantes é com o que prevê o projeto: já que teriam sido informados de que na área onde ficava a praça de alimentação deles, serão construídas salas comerciais. Para cobrar esclarecimentos da prefeitura, eles procuraram a Defensoria Pública.

“O que os feirantes reclamaram junto a Defensoria foi a preocupação já que foram retirados do local por uma notificação da prefeitura com cinco dias de prazo, indicando que seria feito uma reforma, uma construção de boxes padronizados para eles, com uma melhor estrutura. Só que no incio do mês de julho, eles estiveram no local verificando isso e não exisitira essa contrução de novos boxes. Nós solicitamos que prefeitura encaminhasse essa solicitação e indicasse onde seria os boxes e a prefeitura não fez isso. Por isso nós entramos com uma demanda judicial para que o juiz obrigasse o muncípio a presentar a documentação que a gente precisava. O juiz deu essa liminar determinando que o município apresentasse em 24h. Isso foi feito na sexta-feira e agora começa uma fase de análise dessa documentação”, explica a defensora pública Lara Gomide.

A defensora disse que vai avaliar detalhadamente o projeto. “Vamos ficar de olho até para prevenir danos aos feirantes que foram as pessoas impactadas.”

A Secretaria da Produção, Cooperativismo e Meio Ambiente de Gurupi informou que, ao fim da primeira etapa de revitalização da feira vão ser entregues 54 salas para abrigar os feirantes. A segunda etapa de obras, segundo a secretaria, deve ser iniciada em180 dias.

 G1/TO

Corpo de mulher é encontrado em córrego de Gurupi

De acordo com a Polícia Militar, a vítima estava sem roupas e apresentava lesões em um dos olhos e na cabeça.

O corpo de uma mulher foi encontrado na manhã desta quinta-feira (20), no córrego Dois Irmão em Gurupi, no sul do Tocantins. De acordo com a Polícia Militar, a vítima apresentava lesões em um dos olhos e na cabeça.

Conforme a PM, a mulher que teria aparentemente 40 anos, estava sem roupas e, portanto, sem documentos que pudessem identificá-la. A polícia foi acionada por pessoas que passavam pela rodovia e viram a vítima. O Corpo de Bombeiros também esteve no local.

Ainda de acordo com informações da PM, pelo estado do corpo, o crime teria acontecido recentemente. A mulher foi levada para o Instituto Médico Legal e até o momento ninguém apareceu para identificá-la.

G1/TO

Dois suspeitos de assalto a banco em Gurupi são presos em Araguaína

Assalto a agência do Banco do Brasil aterrorizou a cidade. Até o momento seis pessoas foram presas.

Polícia Civil prendeu dois homens de 25 e 32 anos, suspeitos de participarem do assalto ao banco do Brasil em Gurupi, no sul do estado. O assalto aconteceu no dia 11 deste mês. A prisão foi realizada na tarde desta segunda-feira (26), em Araguaina, norte do Tocantins. Até o momento seis pessoas foram presas.

Os homens foram localizados em uma casa no Conjunto Residencial Patrocínio. No local, a polícia encontrou R$ 1.215 mil em espécie, uma pistola calibre 380 com um carregador e vinte munições intactas, dois aparelhos celulares, cartões bancários e anotações diversas.

No último domingo (25), duas pessoas foram presas em Parauapebas (PA). Na casa de uma delas, uma jovem de 24 anos, a polícia encontrou uma arma de fogo de calibre restrito, várias munições e R$ 3.630 em espécie. Também foi dado cumprimento à mandado de prisão contra um homem, encontrado na casa da mulher.

Durante a ação da polícia, houve confronto e um dos suspeitos, conhecido como “Tarzan”, foi morto. Segundo a Polícia Civil, ele era um assaltante de banco procurado nacionalmente e de extrema periculosidade. Era mentor de diversos roubos à instituições bancárias na região centro-norte do país.

Na casa de “Tarzan”, a polícia encontrou uma arma de fogo, dinheiro, um veículo roubado, roupas, calçados e luvas idênticos aos utilizados na ação em Gurupi.

Na última sexta-feira (23), um homem de 33 anos já havia sido preso em Goiânia (GO), suspeito de participação no assalto. Com ele foi encontrado um veículo semelhante à que foi utilizado na ação, R$ 3.410 em espécie e um aparelho celular.

Segundo a Polícia Civil, a prisão dele ainda não havia sido divulgada por motivos estratégicos, já que várias diligências ainda estavam sendo realizadas nos estados de Goiás, Pará e Tocantins.

No dia 14 deste mês, um homem tem 44 anos foi detido no setor Sol Nascente, em Gurupi. Ele tinha um mandado de prisão pendente por participar do assalto a um carro forte em Barreira (BA) em 2016.

Até o momento seis pessoas já foram presas pela Polícia Civil do Tocantins em razão da investigação que apura o roubo ocorrido ao Banco do Brasil de Gurupi, a qual é conduzida pela Delegacia Especializada em Investigações Criminais, Núcleo Sul (Deic Sul). Além das prisões, foram apreendidas três armas de fogo, várias munições, R$ 9.892,75 em dinheiro e vários objetos relacionados o roubo ocorrido em Gurupi.

Entenda

Criminosos invadiram a cidade, explodiram a agência do Banco do Brasil, fizeram reféns e incendiaram veículos. Depois fugiram dando tiros. Algumas lojas tiveram as vidraças quebradas. A ação é conhecida como crime do “novo cangaço”. Os assaltantes invadiram a cidade, roubam e fogem deixando pânico e destruição.

A PM disse que algumas pessoas foram feitas reféns, dentre elas, cinco homens. Eles foram liberados em uma estrada vicinal conhecida como Baliza. Informou ainda que quatro veículos estacionados perto do banco foram incendiados, sendo três carros e uma motocicleta.

Após a ação, os criminosos fugiram e abandonaram duas caminhonetes, com placas de Teresina (PI) e Mossoró (RN), e um caminhão, com placas de Goiânia, às margens da BR-153, em Cariri do Tocantins. Depois, entraram numa mata. No caminhão, com placas de Goiânia, foram encontrados dinheiro e explosivos. A polícia contabilizou o dinheiro e somou R$ 5,4 milhões.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Tocantins, o dinheiro passou por perícia e foi devolvido ao banco. As investigações continuam e são realizadas pela Delegacia Especializada em Investigações Criminai, com apoio da Polícia Civil de Palmas.

G1/TO

Menino de 12 anos é apreendido pela polícia suspeito de tráfico de drogas

Com ele foi encontrada uma bolsa com porções de maconha e R$ 20. Menino encontrado no centro de Gurupi, sul do estado, e levado para a delegacia junto com o avô.

Uma criança de 12 anos foi apreendida em Gurupi, no sul do estado, suspeita de envolvimento com tráfico de drogas. A Polícia Militar disse que encontrou uma bolsa pequena com o menor e dentro dela havia seis porções de maconha, além de R$ 20.

A polícia disse que estava fazendo patrulhamento pelo centro da cidade e encontrou a criança em atitude suspeita, próximo de uma pista de skate.

De acordo com a polícia, ao perceber a aproximação da polícia o menino jogou a bolsa com a droga e correu. Ele foi abordado e dentro da bolsa os policiais encontraram a droga e o dinheiro.

A criança foi levada para a Delegacia de Polícia acompanhada do avô. O Conselho Tutelar de Gurupi informou que não foi acionada pela PM.

G1/To