Rozineide Gonçalves

É possível ser ‘gordo’ e ao mesmo tempo estar em boa forma?

Mais de a metade da população brasileira (52,5%) está acima do peso. Deste percentual, 17,9% são obesos – segundo uma pesquisa divulgada no ano passado pelo Ministério da Saúde.

Mas será que essas dezenas de milhões de brasileiros estão correndo riscos de saúde?

Um dos indicadores mais comuns utilizados por especialistas para avaliar se uma pessoa tem ou não um peso saudável é o Índice de Massa Corporal (IMC).

O IMC se baseia no seguinte cálculo: o peso da pessoa é dividido pelo quadrado de sua altura.

De acordo com os especialistas, indivíduos com IMC entre 18,5 e 24,9 têm peso normal. Uma pessoa está acima do peso quando seu IMC atinge 25,0. E indivíduos com IMC a partir de 30,0 são classificados como obesos.

Estamos acostumados à ideia de que ser gordo é prejudicial para a saúde. No entanto, alguns indivíduos com IMC alto estão expostos a riscos relativamente baixos no que diz respeito ao desenvolvimento de doenças sérias – como diabetes ou doenças cardíacas.

E pessoas com baixo IMC, por sua vez, podem, às vezes, correr altos riscos de desenvolver problemas de saúde.

Há quem argumente que o IMC, um indicador criado no século 19, não se adequa mais aos nossos tempos. E pesquisas sugerem que talvez haja outros, mais precisos, indicadores de saúde disponíveis.

IMC X cintura

O IMC não faz distinção entre gordura, músculo e osso. Então, pessoas musculosas podem apresentar um IMC alto, embora tenham pouquíssima gordura em seus corpos.

Idosos, por sua vez, tendem a perder musculatura à medida que envelhecem. Portanto, podem apresentar IMC mais baixo, enquadrando-se na categoria “saudável”, mesmo que tenham altas concentrações de gordura em seu corpo.

O IMC também não leva em consideração a localização da gordura no organismo. Pesquisas indicam que pessoas que possuem excesso de gordura na região da cintura correm riscos mais altos de sofrer de doenças do que as que acumulam gordura nas coxas e na região glútea.

Ou seja, o tamanho da cintura pode ser uma melhor forma de monitorar sua saúde do que o IMC – mas também tem suas limitações como indicador da saúde de um indivíduo. Por exemplo, ele não é recomendado na avaliação da saúde de crianças, já que não leva em consideração a altura da pessoa.

Além disso, o tamanho da cintura tende a aumentar com a idade. E não deve ser usado como indicador de saúde durante a gravidez.

E ele tem de ser ajustado para uso em certas etnias. Por exemplo, homens do leste e do sul da Ásia são mais suscetíveis ao diabetes do que caucasianos com a mesma medida de cintura.

Exercícios aeróbicos

Há ainda um outro indicador de saúde, bastante preciso, que não se baseia no tamanho ou na forma do corpo.

Trata-se do teste VO2max, que mede a quantidade de oxigênio que seu corpo utiliza quando você se exercita vigorosamente.

Esse teste é bastante útil para medir a saúde aeróbica de uma pessoa. Estudos revelaram que pessoas com índices mais altos de saúde aeróbica tendem a viver mais.

Exercícios aeróbicos são todo tipo de atividade física que, por meio de movimentos rápidos e ritmados, provoca a oxigenação das células musculares, elevando o consumo de calorias.

Qualquer que seja o seu IMC, ou o tamanho da sua cintura, exercícios aeróbicos regulares são uma boa opção para você ficar em forma.

Mas se o seu estilo de vida ainda não permite que você adote um programa regular de exercícios, não desanime. Cuidar do jardim, ir de bicicleta ao trabalho ou caminhar (em vez de dirigir) já são um começo.

Lembre-se: qualquer atividade que deixe você ligeiramente ofegante já ajuda a melhorar sua saúde aeróbica.(fonte:bbc notícias)

Ex-goleiro Bruno se casa com dentista na prisão em MG

Condenado pela morte de sua ex-amante, Eliza Samúdio, Bruno se casou com a dentista Ingrid

O ex-goleiro Bruno Fernandes de Souza, condenado pela morte de sua ex-amante Eliza Samudio, em 2010, se casou no último final de semana.

Em cerimônia realizada nas dependências da Apac (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado), em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, Bruno oficializou no sábado (18) o casamento com a dentista Ingrid Calheiros. Eles se conheceram durante o processo sobre o caso.

Bruno e seu amigo e braço direito, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, foram condenados em 2013 a 22 anos e 15 anos de prisão, respectivamente, pela morte de Eliza. Segundo o TJ (Tribunal de Justiça) de Minas Gerais, além de Bruno, outro preso se casou no mesmo dia no local, mas não há imagens de nenhum dos atos.

A cerimônia religiosa, com efeito de civil, foi realizada pela manhã por membros da Igreja Quadrangular, acompanhada apenas por poucos familiares e amigos do noivo, selecionados pela direção da Apac, e por uma banda de louvor. Após o ato, os presentes foram servidos de um almoço, preparado por detentos do regime semiaberto e voluntários -o cardápio não foi revelado.

Visitas íntimas na unidade são liberadas a cada 15 dias, desde que o preso siga pré-requisitos, como ter documentação em dia, ser casado ou comprovar relação estável e apresentar exames preventivos.

À época do crime, Bruno era goleiro titular do Flamengo. Famoso e rico, ele afirmou que a ex-amante dizia que estava grávida dele e tentava extorqui-lo. Eliza Samudio foi assassinada aos 25 anos em Vespasiano. O corpo dela nunca foi encontrado. Segundo a Promotoria, a modelo foi morta por cobrar pensão para o filho que teve com o goleiro.

PENA AUMENTADA
Em outubro do ano passado, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) aumentou a pena de Bruno pelos crimes de sequestro, lesão corporal e constrangimento ilegal de Eliza.

Após recurso do Ministério Público do Rio de Janeiro, o STJ decidiu que, para esses crimes, Bruno deveria cumprir dois anos e três meses de prisão, e não um ano e nove meses, como decidido anteriormente. Macarrão também teve a pena por sequestro reformada de um ano e dois meses para um ano e quatro meses.

ENTENDA O CASO
O goleiro Bruno Fernandes conheceu Eliza Samudio durante um churrasco no Rio de Janeiro em maio de 2009. Meses depois, Eliza ficou grávida de Bruno Samudio. Segundo a Promotoria, ao tomar conhecimento da gestação, o goleiro “propôs um acordo financeiro” para que Eliza abortasse o feto.

Com a recusa, o goleiro Bruno passou a arcar com algumas despesas de Eliza e, em julho de 2009, ele a ameaçou de morte durante um encontro em um hotel no Rio de Janeiro. Um mês depois, eles se encontraram novamente no Rio e Bruno a agrediu fisicamente -puxando-a pelos cabelos.

Em outubro de 2009, Bruno se encontrou com Eliza e a agrediu com dois tapas no rosto dentro carro. Além de Bruno, Macarrão e um outro indivíduo não identificado entraram no veículo. Segundo a Promotoria, Bruno estava armado e a manteve prisioneira durante algumas horas. Ao deixá-la em casa, na Barra da Tijuca, Bruno a obrigou a ingerir comprimidos e um líquido desconhecido.

Eliza ficou cerca de 12 horas dopada e, quando acordou, registrou o caso na delegacia. Após o episódio, Eliza mudou-se para a casa de uma amiga em São Paulo. Em fevereiro de 2010, Eliza deu à luz a Bruno Samudio e voltou a entrar em contato com o goleiro para que ele reconhecesse a paternidade de Bruno e pagasse uma pensão. Na época, Bruno era jogador do Flamengo, um dos principais clubes de futebol do país.

Em maio de 2010, Eliza foi convidada por Bruno para ir até o Rio para que eles conversassem sobre a realização do teste de DNA e sobre o pagamento de pensão alimentícia. Na ocasião, o goleiro também havia prometido dar um imóvel em Belo Horizonte (MG) a Eliza.

Eliza e o filho foram para o Rio e, em junho de 2010, foram sequestrados por Macarrão e pelo adolescente Jorge Luiz Lisboa Rosa (que estava escondido no bagageiro carro). Segundo investigações, o crime ocorreu a mando do goleiro Bruno, após acordo com Zezé e Bola. Macarrão e Rosa foram os responsáveis por buscar Eliza no hotel e levá-la ao encontro de Bruno, na Barra da Tijuca.

Durante o trajeto, Rosa deixou o porta-malas e apontou uma arma para Eliza: “Você perdeu, Eliza”. Ao chegar a casa de Bruno, sua amante Fernanda Gomes de Castro auxiliou Macarrão e Rosa a manter as vítimas no cativeiro. Dayane também ajudou a vigiar Eliza no cativeiro até a sua morte no dia 10 de junho de 2010. O corpo dela nunca foi encontrado. (fonte:o popular)

Morte pode ter sido por preço de combustível

Assassinato de empresário teria sido encomendado por R$ 350 mil; presidente de Sindiposto nega envolvimento

Um crime encomendado ao custo de R$350 mil. Esse foi o valor que a polícia chegou após investigação em relação ao assassinato do empresário do ramo de combustíveis Wenceslau Leobas, 77 anos, em janeiro deste ano. em Porto Nacional. A conclusão do inquérito aponta que o principal motivo do crime seria a discordância do empresário em alinhar o preço do combustível.

Conforme o inquérito, o mandante do homicídio é o empresário e presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Estado do Tocantins (Sindiposto-TO), Eduardo Augusto Rodrigues Pereira. Na denúncia, Leobas e outro empresário do ramo em Porto Nacional, Helvécio Coelho Rodrigues, estavariam sendo ameaçados por Pereira. Com medo, Coelho passou a andar com segurança 24 horas por dia. Marilene Batista dos Santos foi testemunha ocular do homicídio. De acordo com a oitiva, a testemunha informou estar sendo coagida e perseguida, com pessoas vigiando sua casa.

Segundo o relatório do Ministério Público Estadual (MPE), a vítima praticava preços abaixo do mercado e tinha a intenção de construir um posto de combustíveis em Palmas, “inclusive já com licença prévia, licença de instalação e o projeto de combate a incêndio aprovado pelo Corpo de Bombeiros”, aponta o documento.

O inquérito cita ainda, em interceptações telefônicas, conversas entre Pereira e autoridades da Capital e de Porto Nacional, onde o crime aconteceu, como o ex-vereador da Capital Ivory de Lira e o vereador de Porto Nacional Geylson Neres Gomes. “O que consta no processo é que o acusado tinha forte poder econômico e trânsito, tanto no seio político de Porto Nacional, quanto de Palmas, inclusive constam interceptações dele conversando com um vereador em Porto Nacional, outras interceptações citando, com palavras chulas, deputados, falando em si com vereadores ou ex-vereadores de Palmas acerca desse assunto pertinente a combustíveis”, afirmou o promotor Abel Andrade Leal Júnior.

Pagamento

Os valores pagos aos executores do assassinato, Alan Sales Borges, 34 anos, e José Marcos Lima, 40 anos, a priori, chegaram a R$ 33 mil, afirmou o delegado da Polícia Civil Hudson Guimarães Leite. “Esses pagamentos, inicialmente, eram feitos de aporte à família, em dinheiro. Há uma ligação clara e evidente de que eles estão recebendo dinheiro, pelo menos R$ 3 mil naquela data do suporte financeiro. E também os presos no presídio estavam recebendo suporte financeiro, primeiro um celular no presídio é absolutamente caro e eles tinham celular a disposição 24 horas por dia”, explicou.

O inquérito aponta ainda interceptações telefônicas entre a esposa de um dos réus com um sargento da Polícia Militar Elias Ribeiro de Souza, o que supõe participação dele no que se refere ao conhecimento da negociação.

As informações foram repassadas durante coletiva na manhã de ontem na sede do MPE, em Porto Nacional, e contou com a presença dos promotores de Justiça Vinícius de Oliveira e Silva e André Ricardo Fonseca Carvalho.

Defesa

Em nota, Pereira nega a participação no crime. “Não conheço as pessoas nele envolvidas diretamente, nada sei a respeito de supostos pagamentos e não há qualquer correlação entre a minha atividade comercial e os fatos constantes da denúncia”, explicou, ressaltando que na época do crime surgiram comentários que envolviam o seu nome e de sua família, razão pela qual se interessou em saber o que era dito.

Amastha

No relatório final do inquérito, o nome do prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), também foi citado entre um dos políticos que o acusado teria contato. Amastha procurou uma delegacia de em Palmas, na tarde de ontem, para esclarecer que apesar da vítima ter se dirigido à gestão acompanhada de políticos, em todas as oportunidades foi esclarecido que a análise do seu empreendimento passaria apenas por critérios técnicos. “É com muita indignação que tomamos conhecimento. Não entrei na política para isso e não admito que malfeitores coloquem o meu nome em suas bocas para proveito próprio e de seus atos”, disse o prefeito em nota à imprensa.

Morte

No dia 28 de janeiro, por volta das 6h30, Wenceslau Leobas foi atingido com um tiro no pescoço em frente sua casa, em Porto Nacional. Ele ficou até internado por 16 dias, vindo a falecer em decorrência das lesões sofridas.(fonte:jornal do tocantins)

Valdemar Júnior pede melhorias na TO-296

O deputado Valdemar Júnior (PMDB) apresentou na sessão da manhã desta terça-feira, 21, um requerimento que teve sua urgência aprovada pelos parlamentares. Por meio da matéria, o deputado solicita ao Governo do Estado o patrolamento e encascalhamento da rodovia TO-296, que liga os municípios de Combinado e Arraias, e passa pelos povoados Jacaré e Cana Brava.

“Solicito as melhorias em caráter de urgência, pois a estrada está em péssimas condições, o que tem impedido o escoamento da produção da região e dificultado o transporte escolar”, alegou.

O parlamentar afirma que a precariedade da estrada tem provocado insegurança aos condutores pela grande quantidade de valas e buracos, o que pode provocar acidentes no trecho.

Valdemar destacou, por fim, que a via serve como importante intercâmbio comercial entre as sedes dos municípios e dos vários povoados da região Sudeste.

Elpídio Lopes.
Foto: Benhur de Sousa

Obras paralisadas são tema de reunião em Comissão

A conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Dóris Coutinho, e o secretário da Infraestrutura, Sérgio Leão, compareceram à Assembleia e prestaram esclarecimentos aos deputados sobre obras públicas paralisadas na tarde desta terça-feira, 21. A reunião da Comissão de Administração, Trabalho, Defesa do Consumidor, Transporte, Desenvolvimento Urbano e Serviço Público foi solicitada pelo deputado Zé Roberto (PT), que também a presidiu.

Em seu pronunciamento inicial, a conselheira relatou que não há controle das obras paralisadas no Estado do Tocantins já que os responsáveis não atualizam o Sistema Integrado de Controle e Auditoria Pública (Sicap) desde 2012. Baseada em dados desse ano, Dóris apresentou um relatório que informa que mais da metade delas são nas áreas de transporte e habitação. A metade na administração Marcelo Miranda.

A conselheira criticou as autoridades por não cumprirem o artigo 45 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) que determina que o Executivo envie para o Legislativo relatório sobre projetos em andamento antes dos representantes apreciarem a Lei de Diretrizes Orçamentárias a cada ano. “Uma verdadeira pedalada”, conforme chamou Dóris.

A reunião também contou com a detalhada demonstração de alguns contratos paralisados por problemas financeiros do Executivo, deficiências de projeto e execução como superfaturamento de pagamento por serviços não realizados ou execução de serviços com qualidade deficiente.

Em resposta, o secretário comentou cada contrato caso a caso e afirmou que, ora, alguns já foram retomados, ora, se tratavam de contratos firmados em outros governos. Sérgio disse que o Tribunal de Contas é um órgão parceiro a quem a Secretaria consulta em caso de dúvida legal.

Glauber Barros.
Foto:Koró Rocha.

Em Cariri, equipe da Força Tática apreende motos utilizadas em roubo

Policiais militares da Força Tática, na noite deste sábado,18, apreenderam duas motocicletas com restrição de furto/roubo do Estado de Goiás, sendo elas uma motocicleta Honda CG 150 Titan, cor vermelha, placa NFX-5418 de Goianésia-GO e uma motocicleta Honda XRE 300, cor preta, placa NVU-5686 de Goiânia-GO, as quais foram utilizadas na prática de roubo no Município de Cariri.

Após ser acionada, uma equipe da força tática se deslocou ao município de Cariri para averiguar a ocorrência de um roubo em uma residência, sendo este praticado por dois indivíduos.

Diante das informações colhidas no local, os militares se deslocaram até uma residência os suspeitos se encontravam, momento este que, ao perceberam a aproximação da rádio patrulha, empreenderam fuga pelos fundos da residência.

No local, os suspeitos abandonaram duas motocicletas, que ao ser realizado consulta via sistema INFOSEG, foi constatado o registro de furto/roubo de ambas no Estado de Goiás.

As motocicletas recuperadas foram apresentadas na Delegacia Central de Flagrantes para os procedimentos legais.

Ascom 4º BPM

Projeto Papa Pilhas da FACIT é implantado na Brasgut

Idealizadores do projeto Papa Pilhas, os alunos do curso de Administração da Faculdade de Ciências do Tocantins – FACIT deram início à terceira fase da campanha de recolha de pilhas e baterias para a destinação correta. Nesta nova etapa, o Papa Pilhas passa a ser implantado nas empresas interessadas em contribuir com o projeto ambiental. No último sábado, 18, acompanhados do professor e coordenador do projeto, Rogério dos Reis Brito, os acadêmicos instalaram os coletores e os banners informativos no Laticínios Brasgut, empresa araguainense atuante há mais de 10 anos no mercado.

José Moreira Barreto, proprietário, fez questão de frisar que parceria entre a Brasgut e a Facit será duradoura e benéfica para ambas as partes. “Somos parceiros há bastante tempo, já fizemos palestras na faculdade, por isso essa relação sempre será proveitosa e trabalharemos para que ela dure por vários anos”, comentou o Sr. Moreira.

Conscientização

O projeto Papa Pilhas nasceu devido a necessidade de mostrar às pessoas como fazer o descarte consciente de pilhas e baterias usadas. Os materiais são feitos de metais pesadas, não biodegradáveis, e com conteúdo altamente tóxico. Em contato com o meio ambiente, os metais contaminam o solo e lençóis freáticos colocando em risco a vida da comunidade. “O intuito do projeto é evitar que danos maiores sejam causados à natureza”, explicou Ana Paula Faustino, acadêmica do quarto período de Administração.

Patrícia Gomes, do terceiro período, lembrou que a grande proposta do projeto é buscar a participação ativa da comunidade, orientá-la de que existe um local específico para jogar fora pilhas e baterias. “Não é saudável descartar esse material no lixo doméstico, ele pode contaminar um bairro inteiro”, explicou a aluna de ADM.

Primeiras Fases

A primeira fase do projeto foi implementada no campus I da FACIT, a segunda no Campus II e a terceira, iniciada no último sábado, contemplará empresas interessadas. Segundo o professor Rogério, em breve mais coletores de baterias serão instalados em duas empresas de Araguaína. “São lugares onde poderemos divulgar o projeto promovido pela Facit e alcançar cada vez mais pessoas. Espero que em breve possamos vir recolher os coletores repletos de material para descarte”.

Recolhimento do material

A quarta fase do projeto consiste no contato com uma empresa de São Paulo especializada no recolhimento desde material. Para isso é preciso que 1,5 toneladas de pilhas e baterias sejam recolhidas, já que não existe local de armazenamento desse tipo de lixo no Tocantins.

Fotos: João Neto

ASCOM FACIT

Deputados apresentam votos de pesar aos familiares de Eduardo Medrado

Os deputados Elenil da Penha (PMDB) e Valderez Castelo Branco (PP) apresentaram, na manhã desta terça-feira, 21, Votos de Pesar à família e aos amigos do ex-secretário de saúde do Estado do Tocantins e do município de Araguaína, Eduardo Medrado, por seu falecimento, nesta segunda-feira, 20.

Penha elogiou o trabalho de Medrado em prol de Araguaína e disse que embora tenha questionado, algumas vezes, na qualidade de vereador, Medrado, enquanto secretário daquele município, “é necessário construir perfis como o de Eduardo Medrado, que realizou obras importantes para o Tocantins”.

Castelo Branco sustentou que foi com consternação que recebeu a notícia, e destacou que o momento é difícil para os entes queridos de Medrado. “A sensação de perda e o vazio que fica é impossível de se descrever. Resta a força divina e o tempo, os únicos que podem minimizar e aliviar tamanha dor”, lamentou a parlamentar.

Ambos os requerimentos foram subscritos pelos deputados Paulo Mourão (PT), Olyntho Neto (PSDB) e Eduardo Siqueira Campos (DEM).

Elpídio Lopes.
Foto: Clayton Cristus

Coordenadoria Imprensa e Divulgação

Projeto Ideia Fixa e Baja Jalapão 500 desembarcam no Tocantins

Ação social beneficiará crianças do CEU – Centro de Artes e Esportes Unificados

Palmas a capital do Tocantins, fundada no ano de 1989 e que se destaca pelo progresso e pela beleza, por conta do planejamento urbano com avenidas longas e largas, intercaladas por lindas rotatórias ajardinadas e parques. Estará recebendo mais uma vez e por 15 anos consecutivos, a visita do Projeto Ideia Fixa por um Sertão 100 Fome. Visita esta que esta sendo viabilizada pela Arena Promoções e Eventos, organizadora do Baja Jalapão 500.

Com temperaturas médias em torno dos 27 graus e que por diversas vezes beiram os 40´, a cidade de praias de água doce terá entre os dias 1,2,e 3 de julho o registro de temperaturas elevadíssimas, por conta da realização de mais um evento OFF ROAD na cidade e região, que ostenta paisagens de tirar o folego e extremamente propícias para tais práticas esportivas.

Em meio a competidores, organização, equipamentos e muita adrenalina, ainda existe um espaço dedicado ao social. Ou seja, é a competição e todos os envolvidos nela, deixando uma marca super positiva em pelo menos 100 crianças que receberão os kitsIdeia Bela, Sorria para o Rally e Ideia Fixa pela Educação & Cultura.

“Somos muito bem recebidos nas cidades onde realizamos nossos eventos. A população vibra com a competição, a Prefeitura colabora com a infra estrutura, pilotos e equipes se deslocam de cidades distantes para prestigiar o evento. Por isto, realizamos esta ação social. Como forma de agradecer e deixar uma lembrança boa para as crianças. Algumas chegam e pedem bonés e camisetas. Porém, o que doamos é muito mais importante do que isto. Livros, produtos de higiene bucal, beleza e pessoal, acabam por beneficiar toda a família. É a Arena Promoções e Eventos junto ao Projeto Ideia Fixa, fazendo a diferença!” Frisou Henrique Arena, o organizador do evento.

Para Tânia Mara, a jornalista responsável pelo Projeto Ideia Fixa, realizar mais uma ação em Palmas tem um diferencial. “Adoro esta região, o progresso que ela apresenta a cada visita. As oportunidades que a cidade proporciona para quem nela decidiu se instalar. Além é claro da receptividade de todos. Nestes anos todos de trabalho por lá, fomos deixando nossa marca de alegria, de dedicação e respeito para com as escolas e as comunidades visitadas. E recebendo em troca muitos agradecimentos e afeto sincero. Palmas, Palmas, Palmas para todos e para a linda e acolhedora joia do coração do Brasil. Finalizou!

SERVIÇO

A ação acontece no dia 1º. De Julho – 9:30h , no CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados), localizado na Rua MS3 APM 45-A – Morada do Sol 2 Conj. Morada do Vale.

E esta aberta para todas as pessoas que quiserem comparecer e acompanhar de perto o trabalho do Projeto Ideia Fixa.

Sobre o Projeto

O Projeto Ideia Fixa é um dos mais antigos e contínuos trabalhos sociais dentro das provas de rali no Brasil. São 14 anos de existência com números que impressionam. A jornalista Tânia Mara Carvalho, decidiu cria-lo, após presenciar uma cena de crianças aproveitando sobras em uma lata de lixo, num lugar qualquer do sertão. Ela não se aquietou e decidiu levar, mesmo que para uma pequena fatia de necessitados, um pouco de alegria, atenção e lembranças úteis.

Até o momento, mais de 137 mil pessoas em 16 Estados foram beneficiadas com doações, que somam 206 toneladas. As ações incluem ainda a distribuição de 156.800 livros novos e usados.

Parceiros do Ideia Fixa: Arena Promoções e Eventos, ASA Alumínio, ASI – Associação Sul Mineira de Imprensa, Can Am BRP, CRIF Empreendimentos, Implar, Instituto Duda e Adelina, Master Web Rádio, Perfumaria Emy, Revista Prómoto, RNN Sports, Rotary Clube de Poços de Caldas, Unicesumar, Piffer, Poços de Caldas Moto Clube, Vilamonge Café e W3B Soluções Inteligentes.

Acesse: www.projetoideiafixa.org www.facebook.com/projetoideiafixa (35 99162 7707 whatsapp)

Nubio Brito

Prefeitura de Mateiros assina Termo de Compromisso para a erradicação do trabalho infantil na cidade

 

Localizada a quase 350 km de Palmas, Mateiros é uma das cidades do Tocantins que aparecem no ranking estatístico do Fórum Tocantinense de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Promoção da Aprendizagem (Fetipa), onde existem crianças e adolescentes com vínculos empregatícios.

Relativo ao censo de 2010 do IBGE, na cidade foram identificadas 67 crianças e adolescentes, entre 10 a 15 anos de idade que não deveriam estar empregadas, haja vista que a situação é caracterizada como ilegal e crime pela Constituição Brasileira.

Reduzir esses índices é uma das metas do Governo do Tocantins, por meio da Secretaria do Trabalho e da Assistência Social (Setas), que iniciou na manhã desta terça-feira, 21, em Mateiros, a primeira audiência pública da região para discutir o assunto. “A determinação do Governador Marcelo Miranda é que ouçamos a comunidade, discutamos essa problemática e juntos iremos traçar um plano de ação para eliminar de uma vez por todas o trabalho infantil em nosso meio. Temos que identificar e combater esse problema”, reforçou a secretária Patrícia Amaral.

Baseado nessa meta e na força mútua entre Estado e município, a prefeitura de Mateiros assinou um termo de compromisso comprometendo-se entre outros pontos, a elaboração de um plano municipal de prevenção e erradicação do trabalho infantil; garantir o orçamento necessário à implementação desse plano; realizar a busca ativa e permanente das crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil; estabelecer metas, ano a ano para a inclusão de todas as crianças de 4 anos e adolescentes de até 14 anos a se matricularem na escola sendo a meta principal, eliminar até em 2021 todas as piores formas de trabalho infantil como as definidas pelo Decreto 6.481/2008.

O prefeito Julio Mokfa comprometeu-se a trabalhar em prol desse propósito das cláusulas do Termo de Compromisso.

Participação

Carlos Henrique Mamede, 21 anos, um dos participantes das discussões acredita na abertura desse tipo de diálogo entre todos os entes sociais. “Não vejo em Mateiros situações assim, mas sei que isso acontece principalmente na nossa área rural. Nós temos de participar dessa discussão e ajudar no combate ao trabalho infantil”, elogiou.

Além de vários alunos, seguimentos das igrejas, conselho tutelar, representantes de associações de Mateiros também participaram das rodadas de discussões. O evento desta manhã aconteceu no centro de Capacitação e Proteção Ambiental. Nesta quarta-feira, 22, será a vez dos moradores de Ponte Alta receberem a audiência pública.

Dados

Mesmo com uma redução de combate ao trabalho infantil no Tocantins que em 2011, foram registrados 46.555 casos; 2012, 31.511, em 2013, 30.306 e 2014, 27.806. A meta, segundo a secretária Patrícia Amaral é reduzir em mais de 50% esses índices nos próximos dois anos. “São discussões como estas de esclarecimentos, de conversa aberta que reduziremos esses dados”, argumenta.

No que tange aos acidentes de trabalho envolvendo crianças e adolescentes, em 2014 foram registrados no Estado, 63 casos; já em 2015, 27 acidentes.

Sonia Pugas/Governo do Tocantins/Fotos: Carlessandro Souza/Governo do Tocantins